sexta-feira, 29 de junho de 2012

Tipos da Internet

Cinco Tipos Básicos de pessoas que habitam esta pequena esfera azul e se utilizam dos serviços da rede mundial de computadores.

1 O Revolucionário
Motivados por um tweet
O revolucionário da Internet é aquele cidadão que sempre posta comentários convocando a população a pegar em armas e mudar os rumos do planeta. Seu habitat está nos sites políticos e o que lhe motiva são os desmandos dos poderes. Quando o revolucionário da internet aparece, podemos imaginar uma roda de violão tocando os clássicos de Geraldo Vandré. Engajado, o revolucionário pode se incomodar com fraudes no Congresso, mas também se manifesta a respeito da preservação do meio ambiente, maltrato aos animais e a Fome na África. Infelizmente, suas revoluções nunca saem de frente do computador.

2 O Revoltado
O indignado. Tudo lhe deixa irritado. Ele não propõe uma revolução, apenas fica indignado com tudo e acha que o povo brasileiro é um palhaço inerte. O revoltado da internet é aquele cidadão que compartilha aquelas montagens do Facebook mostrando como a gasolina, o Ford Focus, o iPad ou outros itens de subsistência são muito mais baratos no exterior, em relação ao Brasil. Infelizmente, o revoltado não pesquisa quanto é que custa 1kg de Frango na Arábia Saudita.

3 O Profeta
Todo mundo gosta de fazer uma previsão, vez ou outra. Deixar que as vozes iluminadas do futuro te tragam um prognóstico. Na internet, isso ainda é mais comum. O tempo todo nós podemos ver uma série de profetas explicando como é que as coisas irão acontecer no futuro. Mais do que um palpite, os profetas agem por um dom, movidos pela mediunidade. Talvez, seja o caso de se pensar que os cabos de banda larga trazem dados do futuro.

4 Os Juristas
Os advogados são responsáveis por metade do fluxo de informação da internet. Não sei se isso significa que o mercado está bom (todos querem fazer Direito) ou se está muito ruim (ninguém consegue emprego). Notícias do meio jurídico sempre estão entre as mais acessadas dos sites. Lá, podemos ver uma série de pessoas debatendo cláusulas pétreas, habeas corpus e antecipações de tutela com uma naturalidade impar. Antes de um julgamento, os juristas ficam discutindo como serão os votos, analisam o perfil técnico de cada desembargador e depois comentam "era batata que fulano ia absolver o réu!". Este tipo de usuário da internet também tem amplo conhecimento dos bastidores e divulga os maiores boatos como se fossem furos de reportagem. Porque os advogados fazem isso? Será que eles pensam que comentários na internet trarão respeito e clientes para eles? Bem, todos sabemos que advogados são metidos a ombudsman da humanidade, mas porque eles fazem eu não sei. Apenas sei que eles fazem e isso basta.
Galera reunida para comentar notícias na internet

5 O Retardado
De longe, o tipo mais comum que encontramos na internet. Pode se associar com outros tipos. Temos o revoltado-retardado, o profeta-retardado, o jurista-retardado, tal qual o cidadão normal retardado. Este é aquele que faz comentários absurdos sobre qualquer coisa, comete erros de português grosseiros, não entende o que está escrito em lugar nenhum e costuma a quebrar a ordem. Fora da internet, estes usuários também tem comportamentos estranhos, tais quais: comer as próprias fezes, discutir com amigos imaginários, desenvolver técnicas para o resfriamento rápido de caixas de leite e bater a cabeça contra a parede.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Guia CH3: Como ter uma vida saudável

Não é fácil ter uma vida saudável. Não, não é. Se por um acaso fosse fácil, não existiram tantas publicações querendo lhe ensinar a como alcançar este estilo de vida. Inclusive este Guia CH3, porque nós não estamos aqui pelas obviedades. O Profeta já dizia: "mais fácil um camelo passar num buraco de agulha do que você, seu gordo infeliz. O camelo pelo menos pratica alguma atividade física, enquanto que você é um porco sedentário".

Muitas pessoas já morreram em busca de uma vida saudável. Outras tantas morreram justamente por não objetivar uma vida assim. E outros ainda morreram sem se importar com isso. O fato é que pessoas morrem, o tempo todo. Algumas crianças enxergam essas pessoas, o tempo todo. E não há nada que você possa fazer por isso. Acalme-se e atente-se as nossas dicas.

Primeiro, você precisa esquecer todas as dietas milagrosas que surgem em seu caminho. Exceção feita a Dieta do Chá de Cogumelo, essa sim eficaz. Esqueça essas histórias de dieta das cores, da proteína, do alfabeto. O que os inventores desse tipo de dieta fazem é uma jogada de marketing. Eles criam um nome diferente, uma explicação excêntrica e diferente para convencer as pessoas a seguirem seus ideais. Assim, eles lançam livros sobre o assunto e ganham dinheiro. Desconfie de toda a dieta que é lançada em livro. Aposto que o próximo passo seria lançar uma igreja sobre o assunto, também para ganhar dinheiro.

Se você quiser ter uma vida saudável, você precisa pensar nos seus hábitos diários. Não adianta nada acordar às 5h para caminhar no parque, almoçar agrião com acelga e passar o dia inteiro bebendo apenas água. Se na semana seguinte, você voltar a ter seus velhos hábitos, de nada adiantará. Uma semana não faz milagre.
Provável que o segredo esteja nos balões

Os nutricionistas dizem que você precisa abolir as gorduras, as frituras, açúcares, sal e o que for da sua dieta. Ou seja, abolir a batata frita, o refrigerante, a cerveja, o churrasco. Realmente, é bem provável que você consiga chegar até os 120 anos se cortar tudo o que faz mal para a saúde. Mas, convenhamos que não vale a pena viver 120 anos a base de peixe grelhado, rúcula e arroz integral. Os nutricionistas querem que você tenha uma vida infeliz. Provável que eles digam que você também não deve ver futebol, jogar sinuca e stalkear o Facebook alheio. Mas, saiba que uma batata frita eventual não vai te matar.

Uma dieta colorida não significa
que você deva comer o Restart
Isso não significa que você deve almoçar no McDonalds todos os dias. Vocês devem ter visto aquele lendário documentário, Super Size Me, em que o documentarista fazia todas as suas refeições no McDonalds. Depois de um mês, ele havia engordado 80 quilos e adquirido sequelas eternas. Mas essa é uma condição extrema e doentia. É preciso ser doente para fazer todas as suas refeições na lanchonete. E, se você passar 30 dias comendo apenas rúcula, ou apenas filé de frango, você tem grandes chances de morrer também. Nem que seja por suicídio.

Você pode conviver com a diversidade. Mas isso não significa que você deva cair naquele papo antigo de que é preciso comer de tudo. Sim, tire esse sorriso do seu rosto. Você não tem a desculpa de que está comendo suas próprias fezes em nome de uma vida saudável.

O refrigerante pode provocar diabetes, cáries e câncer? Pode. Mas os refrigerantes zero tem mais sódio do que batata frita e alguns sucos são tão calóricos quanto os refrigerantes. Os sucos de caixinha são ricos em conservantes que irão te matar lentamente. Sucos naturais tem grande abundância de coliformes fecais. E a água também pode estar contaminada. Ou seja, não beba nada. Continue a treinar agora.

Os médicos sempre dizem que devemos fazer exercícios físicos. Eles realmente são bons? Depende. Uma caminhada leve é a típica coisa que não vai servir de nada, exceto para tirar o peso da sua consciência. A prática de esportes pode ser saudável, mas há uma grande chance de que você sofra alguma lesão. Se o médico perguntar se você prática esportes, não diga que você joga xadrez ou pôquer, não pega bem. Entre os esportes não saudáveis, podemos incluir: comer 100 hambúrgueres em um minuto, engolir espadas, introduzir garrafas pet no ânus, roleta russa, truco valendo o toba.

Conclusão: ter uma vida saudável é impossível. Contente-se com a sua própria.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Grandes nomes da história (12)

Lonesome George

As ilhas Galápagos são um pequeno pedaço de terra, uma espécie de amostra grátis de filme de ficção científica. Um arquipélago esquecido pelo tempo, imortalizado pelos estudos de Charles Darwin. Um lugar com tartarugas gigantes, iguanas gigantes e totens macabros, feitos pelos nativos do local que achavam que eles seriam capazes de assustar os invasores.

Justamente uma dessas tartarugas ganhou as notícias hoje. Trata-se de George, falecido aos 100 anos. Sua morte pegou de surpresa os seus cuidadores, já que ele aparentava estar bem de saúde. Seus contemporâneos, como Oscar Niemeyer, lamentaram a perda de um símbolo de sua geração. "Era um garoto, lamentou". Dizem que tartarugas como George poderiam viver até 200 anos.

A foto de George ganhou os jornais e os sites na internet. Poderíamos ver aquela tartaruga imponente, com um olhar fixo ao horizonte. Um olhar melancólico, que fica ainda mais triste quando sabemos que George era o último de sua espécie. Sim, com a morte de George, o Solitário, sua espécie chega ao fim.

Dizem que tentativas para que ele se reproduzisse não faltaram. Em 1993, duas tartarugas de subespécies diferentes foram colocadas em suas jaulas. Dois anos depois, descobriram que nada aconteceu. Elas não faziam o tipo do Solitário. Uma vez, ele tentou procriar com uma companheira sua, com quem ele vivia há 30 anos. Mas, não deu certo. Foi um caso de incompatibilidade genética.

Frustrado, George nunca mais tentou nada com ninguém. Imagine que se já seria um peso enorme ser o último de sua família, pense então no que é ser o último da espécie. Não há ninguém igual a você. Só lhe resta o fato de ser diferente. Só lhe resta a solidão. Só lhe resta esperar que os dias passem e que a sua morte chegue, enterrando você e todo a história de sua espécie, dizimada por marinheiros e caçadores que gostavam de um filé de tartaruga.

Agora, George deixa a vida e entra para a história ao lado do Dodô, do Pato de Cabeça Rosa, o Lobo da Tasmânia, a Raposa Voadora de Guam, o Aie-aie gigante, o golfinho-lacustre-chinês, e tantos outros animais que hoje integram apenas a lista de animais extintos.


domingo, 24 de junho de 2012

6 anos, 7 posts (enfim o fim)

Para finalizar a Semana CH3, vamos analisar os números do blog durante a temporada 2011/2012. Naquele típico texto jornalístico cheio de números que o leitor não consegue entender por nada. Talvez seja melhor pegar um papel e uma caneta para não se perder. Ou não.

Neste último ano, 42.907 pessoas entraram no CH3, gerando um total de 56.839 pageviews. A página mais visitada foi "Verdade ou Desafio" com incríveis 6.952 visualizações. Prova de que a humanidade realmente não sabe o que fazer com a internet. Por meio do Facebook, 636 pessoas entraram no blog e outras 359 o fizeram através do Twitter. Ninguém nos acessou pelo Orkut. Triste, parece que realmente o Orkut foi abandonado de vez.

Em média, nossos visitantes permanecem 33 segundos no blog, praticamente uma ejaculação precoce. Este tempo aumenta para sensacionais 11 minutos no post da Dieta do Chá de Cogumelo. Talvez porque muitas pessoas realmente pegam o papel e a caneta para anotar os passos.

Usuários de 82 países estiveram no blog, incluindo 12 bolivianos, três búlgaros, dois guatemaltecos, um georgiano e um cidadão da Guiana Francesa, que visitou o post da Verdade ou Desafio. No Brasil, cidadãos de todos os 27 estados e 753 municípios estiveram no nosso blog, inclusive um cidadão de São Joaquim das Bicas.

A maior parte de nossos usuários não utiliza o Internet Explorer, estes atrasados respondem por apenas 26% das visitas, muito abaixo da média do restante da internet. Uma prova de que os CHnautas tem um intelecto mais desenvolvido. Dez pessoas nos acessaram através de um playstation. Será que eles caíram em algum post de Games?

Porque?
O dia 5 de outubro de 2011 registrou o recorde de visitas da temporada, com 258 enquanto que apenas 58 passaram por aqui no 31 de julho passado. O sucesso foi motivado por uma grande busca pela palavra "charlie brown". Porque essa busca foi feita? Não sei. Porque elas caíram aqui? Não sei também. Já o fracasso foi motivado, provavelmente porque aquele era um domingo.

Enfim, o fim.


sábado, 23 de junho de 2012

6 anos, 7 posts (perdi a conta)

Falei para Pai Jorginho de Ogum que eu estava indo embora. Ele me disse que era cedo. Eu falei que não era. Ele me ofereceu um café. Eu disse que não tomo café. Ele disse que pediria para que a mulher dele fizesse um bolo. Eu falei que ele nem gostava de bolo. Ele me respondeu "você não sabe o que eu já fiz por bolo". Eu disse que preferia não saber. Em uma última cartada, o Sacripanta da Luminosidade me ofereceu um copo de achocolatado.

Neguei. Primeiro, porque eu imaginei que a procedência do achocolatado que ele iria me oferecer seria péssima. Segundo, porque conferi rapidamente que se tratava de Toddy. E eu tomo Nescau. Nesta vida, você pode trocar de religião, de mulher, de sexo, até de time de futebol. Mas uma coisa você jamais troca. Ou você toma Toddy ou você toma Nescau. Essa é uma máxima que não pode ser negada.

Agradeci Pai Jorginho de Ogum pela hospitalidade. Falei para ele que me surpreendi com a estrutura que a Carnicentas possuía. Suas paredes continuam carcomidas, com a aparência de que poderão desabar a qualquer momento. As cadeiras metálicas, creio eu, transmitem tétano pelo contato visual, de tão enferrujadas que estão. Os copos engordurados, as bebidas de procedência duvidosa, a cozinha absurdamente nauseante. Falei para Pai Jorginho que, dentro daquilo que ele se propunha, ele fazia o melhor trabalho possível. E que, incrivelmente, a Carnicentas conseguia ser cada vez mais insalubre.

Ele agradeceu. Disse que durante a sua vida inteira ele sempre foi assim. Ele sempre se dedicou a tarefa de ser o pior em tudo o que ele tentava fazer. O que, felizmente, ele sempre cumpriu. Foi o pior centroavante do pior time do Flamengo na história. Disse que é o pior aluno da sua turma de Direito na Unic. Tanto que, mesmo tendo entrado na Universidade em 2005, ele continua no terceiro semestre até hoje. Sempre tenta fazer as piores previsões possíveis e também consegue ser o pior patrão possível para as suas empregadas. Nunca honra suas dívidas e compromissos. Falei que era um estilo de vida curioso.

Estava cumprimentando Marcão de longe, porque ele nunca lava as mãos, e o Cão Leproso, porque ele não tem braços, quando o telefone tocou. Jorginho atendeu e disse que era para mim. Estranhei. Como alguém poderia saber que eu estava dentro daquele pedaço de apocalipse. Havia uma mulher do outro lado da linha. Era uma tia do menino Fabinho. A única que nutria algum afeto por ele, tendo presenteado-o certa vez com um DVD de Madagascar.

Ela me disse que havia escutado a conversa que o Fábio pai teve comigo, pegou meu número no registro do celular e me telefonou. Ela disse que, escondida da família, tem mantido contato com o garoto eventualmente, cerca de duas vez por ano. Ela disse que no último contato, Fabinho informou que continuava em Gaúcha do Norte, trabalhando como empacotador de um comércio local. Que os primeiros meses foram difíceis, vivendo na rua. Mas, que ele logo deu seus pulos e que consegue viver com alguma tranquilidade.

Perguntei se ela sabia se ele ainda passava por alguma humilhação. Ela me disse que não.
- Na última vez que eu falei com ele, perguntei se alguém fazia algum mal para ele. Ele disse "não tia, hoje todo mundo tem é medo de mim". Não é de dar orgulho? Ele virou um rapaz, sabe se defender.
De acordo com ela, ele avisou que qualquer dia voltará para fazer uma visita para o pai. Mas que isso é uma  surpresa. "Não guarda rancor", ela disse. Fabinho tem estudado e que sua matéria predileta é química.

Agradeci as informações e peguei seu contato. Disse que um dia, quem sabe, ligaria para pegar mais informações.

Coloquei o telefone no gancho e falei para Pai Jorginho de Ogum que iria embora. Ele falou tudo bem. Perguntou sobre a Semana CH3 e eu disse que já tinha ideia do que iria fazer. Me despedi de todos e fui para meu carro. No caminho, vi Alfredo Chagas chegando de uma viagem para Guiratinga. Apressei o passo. Ele me chamou de porco inculto, fruto das oligarquias proletárias. Entrei no carro e fui embora.

Marcão resolveu dar um mergulho

sexta-feira, 22 de junho de 2012

6 anos, 7 posts (IV.5)

Finalmente expliquei para Pai Jorginho de Ogum o motivo da minha visita. Havia perdido muito tempo discutindo sobre aqueles que sumiram, me esquecendo do meu real objetivo, que era arrumar assunto para a Semana CH3.

Expliquei para ele que, antes de começar a pensar em como seriam as postagens da Semana CH3, eu havia consultado todos os posts comemorativos. E acho que foram muitos, porque aqui se comemora qualquer coisa. Fiz essa consulta para evitar que eu fizesse um post exatamente igual aos que já foram feitos em anos anteriores. Acredito que sempre falho nessa tentativa, porque até mesmo esta vontade é repetida anualmente. E o pior é que a cada ano uma nova maneira é esgotada e penso que o blog não chegará até os 7 anos, apenas para evitar este momento desagradável.

Pai Jorginho de Ogum fez a observação de que o blog anda abandonado. Falei para ele que aquilo não era exatamente uma novidade, que há tempos que todos me abandonaram e ele já havia me feito essa observação no ano passado. Jorginho negou. Disse que ele nunca abandonou o blog. Que entre as poucas visitas de Cuiabá que ainda restam, uma tem a marca do seu IP. Marcão falou que também leria o blog, se ele soubesse ler e se soubesse o que era um blog. Cão Leproso continuou fitando o nada com os olhos, da mesma maneira que ele sempre faz nos últimos tantos anos.

Como se tivesse incorporado um sociólogo, Jorginho começou a listar os motivos do fracasso. Disse que em certa época, o blog fazia sucesso no meio universitário, porque era o ambiente que nós frequentávamos e universitários geralmente gostam de qualquer coisa. Naquela época também existiam figuras como o Bruno, que conduzia as pessoas até a sala de informática para ver os posts. Ele apontava para o Vinícius no saguão do IL e dizia: vejam só este cara é bizarro, ele escreve sobre besuntação.

Os comentários e a repercussão do blog começaram a cair exponencialmente a partir do momento em que nos formamos. Nossos colegas deixaram de ser universitários e passaram a ser comunicadores. E comunicadores não gostam de nada, são sempre críticos ácidos. Assim sendo, nosso blog perdeu o seu público alvo e ao mesmo tempo, deixou de ser encarado como uma novidade. E na internet as coisas só prestam enquanto elas ainda são novidades. Portanto, não adiantava mais fazer posts sobre o universo da faculdade, porque a faculdade não mais nos pertencia.

Aos poucos, São Paulo ultrapassou Cuiabá como a cidade que mais visita o blog, depois foi o Rio e agora e Belo Horizonte. Ou seja, não adiantava mais fazer posts sobre a realidade cuiabana, porque ela não pertencia mais ao mundo dos nossos leitores. Nossas visitas passaram a ser dominadas meramente pelos critérios populacionais que fazem com que as maiores cidades tenham mais chances de gerar visitas aleatórias. Ou seja, o blog perdeu sua identificação com as pessoas. Talvez, a gente deveria se mudar para São Paulo, tal qual o Vanguart fez. O calor cuiabano seria substituído pela garoa paulista, a Fernando Correa pela Avenida Paulista.
Vinícius, o Rei do Saguão

Claro que vez por outra ainda surge alguém que diz que adora os nossos textos, mas estas pessoas são raras. Porque nossa realidade não pertence a mais ninguém.

Fiquei impressionado com a análise de Pai Jorginho de Ogum e perguntei se ele conseguiria repetir suas palavras, para que eu pudesse copiar. Ele sacou um gravador do bolso e disse que ultimamente sempre tem gravado suas conversas, para evitar confusões com os agiotas.

Jorginho perguntou se eu iria comemorar o aniversário do blog. Eu falei que não havia nada o que comemorar. Ele concordou. Fez um convite para eu ir jantar na Carnicentas na noite do aniversário. Marcão iria fazer um dos seus pratos especiais. Recusei veementemente.

O Ourives da Sabedoria disse que gostaria de me fazer uma última pergunta. Respondi que eu lhe deixaria a vontade. Ele perguntou quando é que eu teria coragem de terminar o blog. Falei que eu tinha algumas metas pessoais para isso, quando alcançasse um fracasso irreverssível. Mas que preferia não revelar. Ele me chamou de covarde. Não respondi nada.

(Continua)

quinta-feira, 21 de junho de 2012

6 anos, o post

Uma breve consulta na Wikipedia, fonte universal e inequívoca de conhecimento, revela que o dia 21 de junho é um dia historicamente movimentado. Não apenas pelo nascimento do CH3. Claro que nós consideramos que este é o mais importante evento, tanto que iremos trabalhar para que o Congresso transforme esta data em feriado nacional. Não por outro motivo que não seja o de que nós gostamos de feriados. Aliás, ninguém pode se opor a criação de um  feriado. Jamais. Seria um belo presente neste dia em que completamos seis anos.

Foi em um 21 de junho de 356 a.C que nasceu Alexandre, o Grande, o primeiro ator pornô da história. Hoje também é o aniversário de Machado de Assis, que se fosse vivo estaria completando 173 anos e seria conhecido como Matusalém. Machado foi um visionário, ao dizer que os vencedores deveriam ganhar as batatas. De fato, as batatas sempre devem ser destinadas aos vitoriosos. Porque, se você come batatas, você é um vencedor.

Graça Aranha (escritor), Jean-Paul Sartre (filósofo chato) e Nelson Gonçalves (cantor gago) também nasceram nesse dia. Todos já estão mortos, ao contrário do CH3, que continua vivo. Eduardo Suplicy faz anos hoje, assim como Ray Davies e Michel Platini. Para mostrar que nem tudo é perfeito, Rebecca Black comemora 15 anos hoje e já deve estar se preparando para pegar uma carona com seus amigos menores de idade na sexta-feira.

O 21 de junho também marca a morte de Maquiavel e de Maria Gomes Valentim. Ela morreu ano passado com 115 anos e era (não é mais) a pessoa mais velha do mundo. Em 109 anos, talvez o CH3 chegue lá. Foi em um 21 de junho que o Brasil conquistou o tricampeonato mundial no México. É também o solstício de Inverno, o que representa a noite mais longa do ano. Não tem hora para acabar.

Outras datas também são comemoradas hoje e aposto que você não tem a menor ideia disso.

Dia Mundial do Yoga. O Yoga, como se sabe é um técnica oriental praticada por pessoas frescas. No dia do Yoga as pessoas se reúnem para realizar marchas do Yoga. Geralmente, as marchas são muito demoradas, porque o pessoal não saí do lugar.

Dia do Profissional de Mídia. Os profissionais de mídia, como se sabe, são pessoas frescas que utilizam óculos de aro grosso, terno com All Star e utilizam termos em inglês para se exibir. No seu dia, esses profissionais devem se juntar para... sei lá, dar a bunda.

Dia do Intelectual. Intelectuais são pessoas frescas e metidas a besta que assistem filmes iranianos sem legenda e leem filósofos franceses, elaborando teses sobre a obra de Chico Buarque. No dia de hoje eles não se unem para nada, porque comemoração é coisa da massa desmobilizada e alienada.

Dia Mundial do Skate. Skatistas não são frescos, apenas maconheiros. Hoje eles devem se encontrar para realizar manobras radicais enquanto escutam um hardcore no talo. Bem, creio que eles fazem isso todos os dias.

Dia do Aperto de Mão. Sim, eu estou falado sério. Existe o dia do Aperto de Mão! Aproveite para apertar a mão de conhecidos, desconhecidos, ilustres e mendigos. Principalmente se você estiver na Rio+20. Lembramos que você deve apertar apenas a mão do seu interlocutor, apertos na bochecha, nas nádegas ou nos dedões do pé devem ser deixados para suas respectivas datas.

E hoje nós ainda temos o Dia do Imigrante (homenagem ao Hanz), o Dia da Rainha e o Dia Nacional da Groenlândia. Para finalizar, 21 de junho é o dia de São Lázaro, que era um mendigo e Leproso (tal qual nosso lendário cão).

Enfim, nada disso se compara ao inestimável aniversário deste blog. Uma data que eu considero ímpar, porque as leis matemáticas determinaram isso sobre um dia 21. Nossa equipe agradece a todos aqueles que estiveram juntos do CH3 durante esses seis anos, sem nunca nos abandonar. Ou seja, obrigado servidores do Blogger.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

6 anos, 7 posts (III)

O Menino Fabinho surgiu neste blog muito antes de o Bullying se popularizar no país. Digo, acho que crianças sempre foram humilhadas publicamente desde que o mundo é mundo. Mas ninguém falava sobre isso, era tudo considerado brincadeira de criança. Creio que o Bullying enquanto termo só se popularizou no Brasil no dia em que aquele maluco invadiu um colégio no Realengo para metralhar os alunos.

Fabinho morava em Primavera do Leste, cidade consagrada por Vinícius Gressana como a capital nacional do Bullying. O Menino era uma vítima constante das humilhações dos colegas de colégio e dos próprios professores. O pior é que até os pais tripudiavam com o garoto. Qualquer insucesso na vida deles era motivo para que Fabinho fosse obrigado a vestir roupas de meninas e desfilar pelo centro da cidade. Os pais incentivavam que os populares apontassem o dedo para o garoto, rindo e atirando objetos.

Sua vida piorou de vez, ou talvez tenha melhorado, no dia em que ele completou 10 anos. Foi sua única festa de aniversário. No fim do dia, seu pai lhe presenteou com 20 reais e uma passagem apenas de ida para Gaúcha do Norte. Ninguém nunca mais teve notícias sobre o Garoto. Eu mesmo não me lembrava mais dele, acho que ninguém se importava com o coitado.
O Cãozinho de Estimação do Fabinho

Os posts que nós publicamos sobre ele foram bons. Continham tanta maldade que era difícil acreditar que havíamos realmente escrito aquilo. Dava até um certo constrangimento de rir de algo tão cruel. Aqueles posts fazem parte de uma era de ouro do blog, em que todos os posts eram bons. Ok, nem todos, mas acho que isso é culpa da memória afetiva.

Sempre olhamos para o passado com um ar de grandiosidade. Pensamos em como tudo era bom antigamente, como éramos bonitos, felizes, como o chocolate era mais doce, a grama era mais verde e o céu tinha um azul inconfundível nas manhãs de outono. O mais provável é que tudo continua igual. O mais provável é que você tenha vivido em uma merda constante desde sempre.

No blog, isso é inevitável. Olhamos hoje para um texto antigo do Tackleberry e ele parece ser uma peça de museu. Mas os posts publicados ao longo do ano de 2008 tem uma áurea especial. Provavelmente porque foi o primeiro ano em que o blog se levou a sério e dispensou alguma dedicação a produção dos textos. Havia um revezamento nas postagens, que era sagrado. Não postar no seu dia, sem avisar, era motivo suficiente para tirar a camisa e gingar capoeira. Não haviam desculpas. Que escolhesse outro dia para sofrer um infarto fulminante.

Mas é curioso como a percepção muda com o passar dos tempos. Durante a retrospectiva do blog que está sendo feita no Facebook, já li e republiquei os 205 primeiros posts deste blog. Curioso notar que alguns textos que pareciam marcos do humor nacional, quiçá mundial, hoje parecem inúteis. Textos que eu soltei envergonhado parecem bem sinceros. Obras de arte que sempre pareceram discretas. Como os textos não se auto-editam, a conclusão é que a mudança está em quem lê. PABLO NERUDA!!! (Uma piada interna é uma boa, às vezes).

Parei com as divagações e olhei pela janela. Vi quatro carros com escadas afixadas no teto, em sequência. Achei estranho. Pensei que poderia ser o prenúncio de uma guerra. Aproveitei o silêncio e pedi o telefone emprestado para Pai Jorginho de Ogum. Ele me olhou desconfiado, com aquela cara de quem não tem crédito. Eu disse que ele não tinha o direito de me negar o telefone, pois a linha foi obtida através de uma gambiarra e quem paga sua conta somos todos nós, contribuintes públicos. Ele me emprestou.

Busquei o número do pai do Menino Fabinho em minha carteira. Disquei o DDD e o telefone tocou. Do outro lado o Fábio Pai atendeu. Expliquei quem eu era e ele se lembrou vagamente. Perguntei se ele tinha notícias do seu filho. Ele me disse que jamais teve um filho, que eu não teria como provar isso. Falei para ele que eu sabia que ele tinha um filho, tinha acompanhado o momento em que o garoto embarcou para Gaúcha do Norte, observado pelos  sorridentes pais. Fábio me respondeu que eu jamais o pegaria vivo e desligou o telefone na minha cara.

Achei estranho.

(Continua)

terça-feira, 19 de junho de 2012

6 anos, 7 posts (II)

Bati na porta de Pai Jorginho de Ogum. Fui atendido pelo próprio, que me perguntou o que é que eu fazia ali. Disse que vim apenas conversar. O velho mago abriu a porta, meio receoso, mas eu o acalmei, dizendo que aquilo não era um filme. Jorginho sempre gosta de falar essas frases prontas. Eu já me acostumei.

Jorginho disse que eu andava sumido, não neguei. Disse que se preciso fosse eu assumiria minha omissão. Ele me disse que tudo bem e falou que eu ainda aparecia às vezes, pelo menos. Disse-me que pior eram o Vinícius e o Tackleberry, que ele não via há tempos, desde que um deles fugiu para as Bahamas. Respondi para ele que era normal, que eu também não os via há algum tempo. Jorginho me perguntou se eu tinha notícias.

Falei que encontrei Tackleberry recentemente em um jantar. Disse que seu aspecto físico continua o mesmo, com o nariz abaixo dos dois olhos e acima da boca. O pescoço continua sob a cabeça, suas orelhas continuam no lugar. Não notei nenhuma mutilação e apesar de só ter lhe visto sentado, acredito que ele não esteja paraplégico.

Disse que encontrei Vinícius algumas vezes, fazendo compras no Big Lar. Ele comprava produtos de limpeza. Pai Jorginho disse que isso era uma péssima notícia, significava que Gressana agora era um homem sério, capaz de cuidar de uma casa. Pensamos onde é que estava aquele velho Vinícius que subia nos telhados e pregava a besuntação acima de tudo. Os devaneios sobre a juventude perdida foram interrompidos por Marcão.

O velho homem chegou a recepção da Carnicentas com seu ar de cansaço e sabedoria, que o tornam uma espécie de Morgan Freeman cuiabano. Marcão disse que era uma boa notícia que Gressana estivesse comprando produtos de limpeza. Falou que pior seria se ele estivesse comprando produtos orgânicos e integrais, ou queijos importados, cremes para a pele. "Pelo menos ele num virô viado. Melhó sê responsável do que viado", concluiu Marcão.

Aproveitei a presença de Marcão e perguntei se ele estava bem. Ele disse que sim. Eu falei beleza. Pensei se era hora de levantar e ir embora para evitar o silêncio constrangedor. Antes, perguntei onde é que estavam os outros, queria me atualizar. Alfredo Chagas, disseram, está trabalhando em campanhas políticas no interior do Estado. Hanz, o Pansexual foi para o Pan de Guadelajara e desde então volta do México no lombo de uma lhama. Uma infeliz lhama, se vocês me entendem. As últimas informações dizem que ele já está no Panamá.

Perguntaram de Guilerme e eu falei que ele estava no meu quarto. Mas, que infelizmente, um braço seu havia caído, ele precisa de uma reforma. Jorginho me disse para bolar um grau de fundi para realizar a reforma. Me espantei com seu vocabulário. Perguntei então do Cão Leproso. Claro, o mais importante de todos.

Jorginho me olhou cabisbaixo. Contou que certo dia, Cão Leproso estava na rua, distraído, quando um carro passou. Meu coração parou, esperando pelo pior. Cão Leproso foi atropelado, disse. Por um segundo, o mundo parou ao meu redor. Lembrei-me das tardes em que andávamos nos parques, com o Cão Leproso correndo feliz em meio ao matagal, coçando as costas no gramado, mijando nos pneus do meu carro. Pensei em tudo o que este cão já havia proporcionado ao blog, nossa viagem até Alto Caparaó em um Gurgel, buscando Jorginho de Ogum. Pensei em como eu daria a notícia aos fãs. Pensei que era o fim do CH3.

Estava quase chorando, quando Jorginho me tranquilizou. Disse que, como o Cão Leproso é um desenho animado, ele apenas viu umas estrelas, colocou umas bandagens na cabeça e ficou bem. Então, o cachorro sem braços entrou pela porta. Dei-lhe um abraço. Ele ficou com aquela cara de sempre. Eu pensei que, caramba, a lepra é contagiosa. Pensei que, faz tempo que ele não perde mais nenhuma parte do corpo, talvez esteja curado.

Avisei a todos que Alfredo Humoyhuessos estava em um estudo sobre como as convenções sobre sustentabilidade são influenciadas pelas partidas da Eurocopa. Conclui que todos estavam bem. Jorginho fez um aparte. Perguntou sobre o Garoto Fabinho, aquele infeliz. Lembrei que o garoto já deveria estar com 12 anos a essa altura. Desde o começo de 2010 que nós não tínhamos notícias sobre ele. Seu pai o havia mandado com apenas 20 reais no bolso para Gaúcha do Norte. Falei a Pai Jorginho que eu iria tentar descobrir seu paradeiro.

O pai-de-santo então me perguntou se eu queria uma previsão. Hesitei. Ele disse que era de graça. Falei que tudo bem, já que eu já estava ali. Ele então me disse que o Corinthians será campeão da Libertadores. Falei para ele que isso seria uma desgraça. Ele me disse:
Eu sou marcado pela insígnia da desgraça. Na minha vida eu já vi assassinatos, estupros, esquartejamentos, briga na torcida do Flamengo. Já vi tudo o que de ruim pode acontecer, já vivi as piores experiências que qualquer ser que se rasteja por esse maldito solo pode viver. Mas nunca vi uma Libertadores do Corinthians. Eu sei que esta desgraça vai ocorrer enquanto eu ainda estiver vivo. E eu sei que não viverei muito.
Mandei-o a merda.

O CH3 em 2008
(Continua...)

segunda-feira, 18 de junho de 2012

6 anos, 7 posts (I)

Estacionei meu carro na vaga de sempre, a que fica mais perto da porta. Sempre paro o carro ali. Não sei dizer o motivo, mas sempre existem vagas disponíveis na porta da Casa de Diversão Noturna Carnicentas. Ou melhor, até imagino e acho que todos sabem o porquê. Logo que abri a porta, já senti o cheiro. Achava melhor não tocar no assunto, nunca é legal lembrar que eu frequento este lugar. Imagino que isso poderia trazer complicações para minha vida pessoal, profissional.

Talvez, tenha sido por este motivo que nós mudamos nossa logo em 2008. Creio que a primeira logomarca deste blog tenha surgido ainda antes do blog em si. Foi algo instantâneo. Tão logo nós percebemos a grandiosidade e as dimensões alcançadas pelas iniciais CH e sua santíssima trindade, escrevemos o CH3 no papel e nos convertemos à religião. Percebemos que, visto na horizontal, o CH3 era um tanto quanto pornográfico.

No dia 21 de junho de 2006, quando o Tackleberry criou o blog e o batizou como CH3, a logo já estava pronta na cabeça de todo mundo. Coube ao Vinícius realizar o desenho, escaneá-lo e colori-lo.Colocou um fundo azul com marcas d'água, por razões que ele deve saber, e pintou o CH3 com cor de pele, para deixar bem claro do que se tratava. Alguns pelos davam um toque final a nossa grotesca logomarca.

Aquela foi a cara do blog durante dois anos. Combinava com nossos posts grotescos sobre fetiches, não nos julguem, nós tínhamos menos de 20 anos e esta época rendeu alguns posts clássicos. Mas, as coisas começaram a mudar, nossos textos mudaram de cara e foram ganhando um padrão. Optou-se por uma mudança de visual, que seria feita durante a primeira Semana CH3, durante o aniversário de dois anos do blog.

Escolhemos o fundo branco, na tentativa de algo mais clean. E acho que começamos a ficar incomodados com aquele saco peludo no topo da página. Devemos ter imaginado que nunca conseguíriamos um emprego por conta disso. Que isso estava afastando os nossos visitantes. A mesma sensação horrível que se sente ao passar em frente a Carnicentas.

A mudança toda ficou a cargo do Vinícius, nosso desenhista. Ele bolou três logomarcas em um programa de edição qualquer e me pediu para escolher uma. Duas logos eram absolutamente horríveis, mas existia aquela azul, imponente. Pronta para estampar camisetas, outdoors, dominar o mundo. Fiz minha escolha e o Vinícius concordou. Acho que ele utilizou a milenar técnica dos publicitários, de criar três logomarcas, sendo que pelo menos uma é horrível. Geralmente, o cliente escolhe a horrível. Mas aqui, nós tínhamos bom senso. E de fato, após a mudança da logomarca, nossas visitas quadruplicaram. Mas a culpa era do texto "O Brasil nas Olímpiadas".

A logo permaneceu a mesma nos últimos anos. Este ano, resolvi mudar sua cor, algumas vezes, apenas para chamar a atenção. Erasmos Carlos prefere ficar nu para isso, mas não há jeito de um blog ficar nu.

Segui em direção do Carnicentas. Iria encontrar Pai Jorginho de Ogum, há tempos que não encontro ele. O aniversário do blog está próximo novamente e este dia 18 marca historicamente o início da Semana CH3, que chega a sua quinta edição. Queria conversar com o velho pai-de-santo, para ter alguma ideia sobre o que eu poderia fazer. Estava sem ideias e Jorginho é um ótimo conselheiro. Geralmente, é só não seguir as orientações dele que tudo dá certo.

(Continua...)

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Positivo e Operante

Rodrigo Pimentel é uma dessas figuras curiosas que o mundo contemporâneo nos proporciona. Ele é reflexo de uma era em que temos especialistas para tudo. Foi-se o tempo em que existiam apenas os comentaristas de política, economia, futebol, ou o Arnaldo Jabor. Hoje nós temos especialistas em desastres aéreos, conflitos internacionais, Djavan. Rodrigo Pimentel é um desses, especialista em segurança.

Dizem que ele inspirou o personagem do Capitão Nascimento, o que deve ser verdade. Porque Rodrigo Pimentel é foda. Ele comenta invasões policiais em morros cariocas, acidentes com helicópteros, técnicas de imobilização. A questão está justamente no fato de ele ser especialista em segurança. Hoje em dia, segurança não significa apenas impedir que meliantes venham a praticar contravenções. Falamos de segurança alimentar, segurança jurídica, segurança sexual. Convenhamos que em breve, Rodrigo Pimentel poderá estar participando até mesmo do Bem-Estar ensinando a lavar a mão.

Aliás, em um mundo perfeito, ele poderia estar participando de toda a grade de programação da Rede Globo. Aliás, não só da Globo. Creio que todos os canais deveriam ter Rodrigo Pimentel 24 horas por dia em sua programação. Sites, rádios. Imaginando esse mundo de maravilhas, e já se programando para isso, o CH3 dá asas para a fantasia. Imaginamos aqui como seria o mundo de Rodrigo Pimentel onipresente.

Palestras na Escola.
Olavo, se lembram dele?
Rodrigo Pimentel deveria dar palestras em todas as escolas do Brasil e eu disse todas. Veríamos várias crianças comemorando a sua primeira imobilização e o futebol do recreio seria substituído por simulações de segurança. O problema, é que no futuro, essas crianças saberiam invadir uma reitoria de universidade com grande maestria. Indo além, Pimentel deveria dar todas as aulas. Reproduzidas via satélite em todo o país. Teríamos detalhes imperdíveis do Dia D, técnicas de sobrevivência na tundra e explicações sobre o porquê o três está dividindo o nove e o que nove deveria fazer para impedir este ataque.

Comentarista de futebol
“O Felipe Melo utilizou corretamente as táticas de intimidação. Veja como ele acerta as travas da chuteira em um ponto estratégico do Robben, derrubando o adversário. Infelizmente o juiz não entendeu isso, mas eu creio que o Felipe fez seu papel de soldado, utilizando as armas que ele tem”.

Na Ana Maria Braga
“A técnica utilizada para desossar o frango foi equivocada. Veja que a faca não foi empunhada corretamente e começou-se o trabalho pelas assas. No Bope, nós ensinamos que se deve começar pela cabeça. A única exceção é em animais com mais de 100 kg”.

No Balé
“Esta interpretação passional de Cisne Negro, demonstra que os bailarinos foram educados dentro do mais rígido método militar. Veja a leveza nos movimentos, contrabalanceada sutilmente pela carga nas expressões faciais. O helicóptero que caí no final é utilizado pelas forças aéreas norte-americanas e é praticamente imune a falhas, tanto mecânicas quanto humanas”.

Explicando uma ocorrência
“Positivo e operante. Nós estávamos trafegando com a viatura quando percebemos um individuo com comportamento suspeito. Nós abordamos o sujeito que se evadiu em fuga. Empreendemos uma perseguição, até que conseguimos imobilizá-lo utilizando técnicas policiais e força moderada”.

Bem, algumas coisas são sempre iguais.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Pessoas constrangedoras, volume 11

Pessoas que deprimem qualquer conversa

Você provavelmente deve ter algum amigo assim. O que talvez diga muito sobre as suas amizades. Você pode alegar que talvez ele não seja bem um amigo, quem sabe é apenas um conhecido, daqueles que você cumprimenta e troca breves palavras quando se encontra com ele na seção de verduras do supermercado. Ele, um cidadão que é capaz de deprimir qualquer conversa. Falemos sobre esse tipo de pessoa constrangedora.

1 O Saudosista
O saudosista sempre se lembra dos bons tempos, quando vocês eram jovens e tinham uma vida inteira pela frente. Uma conversa que sempre se torna melancólica.
- E ai cara! Quanto tempo!
- Pois é. Última vez que a gente se viu foi no…
- No casamento da Roberta.
- Isso! Faz tempo heim?
- É… naquela época o Carlinhos ainda estava vivo.
- Pois é.
- Que tragédia que foi aquele acidente não?
- Pois é.
- Muito triste. E pensar que ele tinha uma vida toda pela frente. Um cara tão jovem, tão inteligente. A vida é injusta mesmo.
- Acontece.
- Desde que ele morreu, minha vida nunca mais foi a mesma. Eu choro todas as noites desde então, me lembrando da nossa juventude.
-É…
- Por vezes, eu peço a Deus que ele me leve junto. Eu não mereço mais viver.

2 O Arruinado
Este é aquele cidadão que está sempre na merda. Vivendo uma vida desgraçada e propagando seus desfeitos.
- Como é que você ta cara?
- Pra variar, na merda.
- Haha, porque?
- Porque minha vida é uma merda cara.
- Sei.
- Só acontece merda na minha vida, o tempo todo. Perco o emprego, a namorada, meu cachorro me morde, minha unha encravada.
- Complicado.
- Já cogitei seriamente o suicídio. Tomei cinco doses de veneno para rato. Mas, infelizmente os médicos me salvaram a tempo.
- …
- Mas eu ainda chego lá e dou fim nessa minha vida de merda. Quem sabe não consigo uma overdose de cocaína.

3 O Pessimista
Aquele que nega todas as possibilidades futuras.
- Então cara, estou me mudando para Fortaleza.
- Ixi, tenho um amigo meu que foi pra lá, perdeu tudo.
- É?
- Sim. Tentou um negócio, mas não deu certo. O povo lá é sacana com quem é de fora.
- Bem, vamos ver. Quem sabe eu tenho melhor sorte.
- Duvido. Ninguém consegue. Esse meu amigo, hoje vive na rua vendendo o próprio corpo para sustentar o seu vício em pedra.

4 O Cão da Depressão
Poeta moderno, frasista deslocado, depressivo extemporâneo.
- Beleza?
- Não. Eu ainda sinto.
- Sente o que?
- A minha respiração. A vida é um exercício diário de sobrevivência.
- Não fica assim cara. Você tem seus amigos.
- Minhas únicas companhias são a tristeza e a solidão.
- Que é isso.
- Eu sonho em ser uma pessoa melhor. Mas sempre acordo com o meu fracasso.

Pessoas constrangedoras, uma série que tem mais volumes do que as coletâneas da Som Livre.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Dicas de Presentes para o Dia dos Namorados


É o amoooorrrr....
O Dia dos Namorados, não há dúvida, se tornou recentemente a mais importante das datas comemorativas. O volume no comércio supera o Natal, Dia das Mães, Ação de Graças. Tudo porque as grandes corporações conseguiram agregar as mais diversas pessoas para participarem dessa data. Quem já é casado, quem está apenas se conhecendo na balada, todos são dignos de presentes neste dia.

É bem provável que você esteja em dúvidas sobre qual será o presente que você vai dar para o(a) seu(sua) companheiro(a) nesta data tão importante. Que você esteja se flagelando em busca de um presente ideal. Para te ajudar nesta árdua missão, este Blog CH3, irá dar uma série de sugestões, infalíveis é claro, para você fazer bonito nesta data querida. Muitas felicidades. Muitos anos de vida.

Todas as sugestões podem ser encontradas na CH3 Store, que pratica os melhores preços do mercado. (Melhor preço para os vendedores).

Para Casais Tradicionais
Presenteie sua namorada com um tanque de lavar roupa. Nossa equipe técnica irá fazer toda a instalação hidráulica necessária. Reforce junto a ela os seus ideais tradicionalistas, já demonstrados anteriormente quando você a presenteou com um fogão. Mostre que lugar de mulher é na cozinha. Aproveite e leve ela para jantar fora. Pague a sobremesa, como sinal de que ela terá seus benefícios com um bom comportamento.
Já você mulher, poderá presenteá-lo com um belo cinto de castidades, mostrando que sexo só depois do casamento.

As mais variadas opções de viagem
Nossa Monza está completo
Na nossa agência de viagens, você encontrará as mais diversificadas opções para viajar com seu amor neste dia. É claro que, como é apenas um dia e apenas uma terça-feira, as viagens terão que ser curtas. Para você que mora em Cuiabá, temos um incrível pacote de 4 horas e 5 minutos em Nossa Senhora do Livramento. Em São Paulo, oferecemos um tour dentro de um veículo de luxo pela marginal Tietê. Cinco horas às margens do principal rio da cidade ao lado do seu bem querer. A garrafa de Cidra fica por nossa conta.

Jantares
Venha até o Maison Ceagatrès para um romântico jantar. No dia 12 a noite, nosso cardápio oferecerá pratos finos e delicados, como pede a ocasião. A  entrada oferece massas e frios (provolone e mortadela). Para o jantar temos arroz com rabada. Na sobremesa, pudim de leite e sorvete napolitano. Tudo isso por um preço imperdível. O Maison Ceagatès funciona ao lado da Casa de Diversão Noturna Carnicentas.
Deliciosos acompanhamentos
Casal Moderno
Se vocês fazem o estilo casal moderno, sempre antenados com as últimas novidades, nossa Loja oferece o presente ideal para satisfazer seu par. As mais variadas opções de videocassetes e CD-players. Seu namorada curte um videogame? Que tal presenteá-lo com um Mega Drive? Temos ótimos preços em cartuchos.

Românticos
Vocês formam um belo casal, não é mesmo? Como demonstrar todo esse romantismo? Nós temos a resposta! Em nossa loja você irá encontrar um enorme estoque de ursinhos de pelúcia, bombons sortidos e travesseiros em forma de coração com braços. Tudo embrulhado no mais belo papel celofane. Escutou? É isso mesmo. Os preços estão imperdíveis!

Esperamos ter resolvido todos os seus problemas.

CH3 Store. Tudo para você. se foder.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

As funções do Street View


O Google Street View surgiu um tempo atrás, como mais uma ferramenta para auxiliar as pessoas a se localizarem pelas ruas das cidades que elas não conhecem. Além de poder observar os mapas, as imagens de satélite, você poderia ter a visão de quem está no meio da rua. Assim, você poderia buscar um ponto de referência, uma placa, uma loja, para saber exatamente aonde você quer ir.

Mas, não é isso o que acontece. No geral, o Street View só tem gerado processos por invasão de privacidade. Porque ninguém utiliza o serviço com esses fins. Fizemos uma enquete com 8.565.810 pessoas no mundo inteiro, utilizamos um banco de dados e não encontramos uma única resposta positiva aos propósitos originais. A literatura cibernética não tem um registro sequer de uma pessoa que tenha utilizado o GSV para se localizar. Existem muitas outras funções para as visões da rua.

1 Ficar vendo sua casa e a casa de pessoas conhecidas.
O Street View exerce um enorme fascínio para as pessoas. Não tenha dúvida que todo mundo, ao saber que o serviço estava disponível na sua cidade, correu para o computador para ver uma foto da sua casa. Então a pessoa fica por segundos observando a casa, admirada. Depois disso, todos vão ver o seu trabalho, a casa da namorada, a casa do melhor amigo. Observar que sua vizinha fofoqueira estava na janela da casa dela.

2 Procurar cenas bizarras.
A cena da mulher de camisa laranja que teve o azar incrível de ser fotografada bem durante um tombo sensacional em uma rua de Belo Horizonte. Outro cidadão que passou mal em praça pública, foi flagrado e demitido do emprego, porque as pessoas imaginavam que ele estava bêbado. Cidadãos pulando muros de casa durante assaltos, viaturas policiais abordando garotas de programa. Todas essas pessoas que estavam fazendo a coisa errada na hora errada.

3 Testar se o negócio é ao vivo.
Ao descobrir a existência do Street View, muitas pessoas fizeram um teste. Focalizaram a imagem sobre o local em que estavam, chamaram uma pessoa de total e confiança e combinaram: vou ali fora. Fica olhando pra ver se eu apareço. O cidadão vai até a calçada e começa a dar tchau. Volta correndo para testar o resultado e é informado que nada apareceu. Revoltado, o cidadão revela ao mundo que o programa é uma farsa. Sim, isso é verdade. Muitas pessoas fazem isso com o Google Maps também.

4 Tentar ver se algum conhecido seu estava em um lugar constrangedor.
Quem nunca fez uma varredura por puteiros, zonas de meretrício, bares com frequentadores duvidosos na tentativa de reconhecer algum desafeto, ou a Veraneio vermelha a venda que só o seu chefe tem, estacionada na frente de uma sauna gay? Quem nunca heim?

5 Achar que está viajando pelo mundo sem sair do seu computador.
Ver a Champs-Élysées, o Coliseu de Roma, o Big Ben, a Muralha da China. A sensação é a mesma de ver com seus olhos. É possível viajar o mundo em frente ao computador, sem tirar a bunda da cadeira. Emocionante, não?

quarta-feira, 6 de junho de 2012

A noite vai ter eclipse lunar

Ontem, também conhecido como dia 5 de junho de 2012, ocorreu um eclipse venusiano. Isso significa que o planta Vênus (planeta de origem das mulheres e dos Incas Venusianos, lendários inimigos do National Kid) se pôs entre a Terra e o Sol. Assim sendo, se você olhasse para o céu ontem iria ver um ponto negro sobre o sol, como se fosse uma mosca perdida. Depois, ficaria cego provavelmente, porque isso é o que ocorre quando se encara o sol.

Se você não conseguiu assistir este maravilhoso evento, azar o seu. Vênus só voltará a se por entre a Terra e o Sol no longínquo ano de 2117. A mídia faz questão de enfatizar que essa oportunidade nunca mais irá se repetir em sua vida. Nem na dos seus filhos. Quiçá seus netos terão a aprazível chance de observarem o ponto negro, já no fim das suas vidas.
A chance de ver um eclipse solar é a mesma de
escapar de um ataque desses feras aí
Ou não. Eclipses, principalmente os populares lunares, são dotados de um grande mistério. Sempre que um ocorre, é amplamente noticiado que o próximo só ocorrerá dentro de 200 anos, quando já não existirá um misero traço dos seus restos mortais em nosso planeta. No entanto, não dá nem dois meses e já aparece um outro, tratado como o último até a troca do reinado do Reino Unido.

Mas, mesmo com essa grande oferta de eclipses, dificilmente você irá ver um em toda a sua vida. Mas não é pela sua suposta raridade e sim pelo azar geográfico. Perceba que todos os eclipses ocorrem em um lugar  diferente de onde você mora. As notícias dos jornais são sempre assim:
- O raríssimo eclipse total do Sol irá ocorrer amanhã. A última vez em que isso aconteceu foi no dia em que Brutus apunhalou Júlio César. No entanto, o fenômeno só poderá ser observado no hemisfério norte.

Eclipses nunca podem ser observados da sua casa. Geralmente, apenas os moradores de uma remota região do planeta é que terão esse privilégio. Apenas no Alaska, na Islândia, no leste da Moldávia, na fronteira da Geórgia, no alto do Monte Sião ou no teto de uma choupana no Quirguistão. Creio que nunca ocorreu um eclipse visível no hemisfério sul. E se ocorreu, deu pra ver apenas na Argentina. Ou no máximo, ele parou ali em Barra do Garças. Se chegou na sua cidade, só dava pra ver no topo do ponto mais alto da cidade. E, se por uma espécie de milagre, o eclipse seria visível da janela do seu quarto, aposte que o céu estava absurdamente nublado.

Enfim, eclipses são uma farsa.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Todos ocupados (o outro lado do telefone)

É de pleno conhecimento da sociedade civil organizada que o telemarketing é o mal do século XXI. Com suas atendentes treinadas por grupos paramilitares da antiga Iugoslávia, este serviço promove o caos na vida do cidadão comum que é atormentado com ofertas de serviços desnecessários, feitos na hora em que se está almoçando, dormindo, tentando salvar o planeta Terra das terríveis forças do mal.

Por outro lado, quando você tenta entrar em contato com esses serviços, para resolver uma situação realmente importante como: cartão bloqueado, água cortada, familiares pendurados na forca; é que as táticas de guerrilha das atendentes se mostram ainda mais evidentes. Você é sufocado por uma série de menus numéricos e é guiado por um labirinto, na intenção de lhe induzir à desistência.

Quando você finalmente consegue chegar ao menu que te levará a falar com um dos atendentes, quando você já está agradecendo o milagre, esperando ansiosamente que a Danielle possa estar falando com você… vem a mensagem. Todos os atendentes estão ocupados. E não adianta insistir. Quantas vezes você tentar, tantas vezes estarão todos ocupados.

A lógica te mandaria pensar que, pelo fato do sistema ser uma porcaria, as atendentes estariam todas ocupadas tentando solucionar os problemas do planeta, o que geraria um relatório que seria entregue durante a Rio+20. Mas, talvez pelo ódio, não sei, você tem a seguinte visão do momento.
Jogando truco, videogame, numa roda de pagode, fazendo as unhas, tirando fotos na frente do espelho. As atendentes estão fazendo qualquer coisa de inútil, apenas para não te atender.

É a culpa do outro lado do telefone. Nós nunca saberemos como é que a pessoa do outro lado está. Se ela está nua, defecando, em uma sauna gay. Tanto que, quando ligamos em um telefone fixo e a pessoa não pode atender por estar ocupada, ela poderia estar:
- em uma reunião.
- em outra ligação.
- promovendo a paz mundial.

Relaxa, já estou no elevador.
No entanto, sempre imaginamos que a pessoa está:
- defecando.
- mantendo relações sexuais no ambiente de trabalho.
- dizendo “fala pra esse filha da puta que eu não posso atender”.
- todas as alternativas juntas.

O outro lado do telefone é uma espécie de mundo paralelo. As coisas que ocorrem do lado de lá podem estar em outra dimensão, em outra galáxia. Quem te garante que do outro lado não está o Imperador Júlio César, brincalhão como sempre, fazendo aquela imitação perfeita do seu primo Walter? Heim?

Quanto ao telemarketing, o problema é que no momento em que alguma atendente se desocupa, não adianta muita coisa.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Reações à Chuva

“If the rain comes they run and hide their heads. They might as well be dead”.


Teoricamente, a chuva é um fenômeno natural. Por algum motivo que os físicos saberiam explicar, a água evapora e forma aquelas nuvens, por vezes escuras, que pairam soberanas sobre nossas cabeças. Um dia, toda essa água caí em cima da gente na forma de pingos. E então, a água que caiu volta a evaporar, para voltar a cair, em um ciclo eterno. Portanto, a chuva é natural. A chuva. Porque os raios e trovões não. Esses sim são do demônio.

Ninguém saberia precisar quando é que ocorreu a primeira chuva e quanto tempo ela durou. Mas, dizem que antigamente é que chovia pra caralho coisa de, tipo, 40 dias seguidos. Durante um ano, pode chover várias vezes em uma cidade e pode chover em vários lugares, exceto no deserto do Atacama. Assim sendo, exceção feita às crianças do Atacama, a chuva deveria ser encarada como um evento natural pelas pessoas.
- Olha, está chovendo. Que coisa heim? Ontem choveu também.
- Pois é rapaz. A chuva, veja só.

Essa Chuva.
Mas, no entanto, não é isso o que acontece. A chuva provoca os instintos mais primitivos nos seres humanos. Assim que um cidadão percebe que está chovendo, ele logo é tomado por um pânico imensurável. Um pânico que logo se espalha por todos os outros presentes no recinto, que diga-se, é protegidos da chuva.
- Deus! Está Chovendo! Não é possível!
- Não, não pode! Porque? Porque?

Logo as pessoas passam a correr desorientadas, de um lado para o outro, se batendo nas paredes, derrubando mesas, provocando o caos. Se, por um acaso, caí um raio, aí sim é que o pandemônio se aproxima. As pessoas se comportam como se elas fossem gremlins de chapinha.

Se essas pessoas forem dirigir, aí sim é que a situação piora. Elas se descontrolam de vez. O trânsito na chuva é o mais próximo que a vida chega do juízo final. Pessoas dirigem a 10km/h, outras a 90, pessoas param nos acostamentos, nos canteiros centrais. Param para esperar o clarão que virá do céu para encerrar suas vidas.

Ok, talvez eu tenha exagerado. Mas, é um fato consumado que as pessoas não reagem bem a chuva. Se começa a chover, o povo fica lamentando a chuva que caí lá fora, indagando o sentido da vida. A chuva parece simbolizar uma série de planos frustrados, uma vida vazia a espera da morte que um dia chegará, sem perdão. Toda uma melancolia expressa na frase:
- Mas, essa chuva...