terça-feira, 29 de abril de 2008

Esportes Olímpicos: Futebol

Futebol é um esporte praticado com os pés. Eventualmente acontecem exceções.

O que você sabe de futebol? Provavelmente tudo. Ou quase nada, mas o nada pode ser tudo e vice versa se observadas determinadas condições. O que você com certeza sabe é que o futebol é o principal instrumento de tortura usado no Brasil. Sim, narrações feitas pelo Galvão Bueno, Luiz Carlos Jr, Luis Roberto e comentários feitos pelo Muller, Caio e Neto só tem um nome: tortura.

Ao que se diz, o Brasil é o país do futebol e os ingleses o inventaram. Mas talvez isso não seja verdade. Os brasileiros nem gostam tanto assim de futebol (sim um monte de gente aproveita o futebol só pra brigar) e os ingleses apenas criaram as convenções. Talvez verdadeiros inventores sejam os chineses que jogavam algo parecido com futebol usando bexiga de porco há uns mil anos. Mesmo com a invenção da bola os chineses continuam jogando algo parecido com futebol. Mas isso é uma hipótese. Quem é que sabe afinal qual foi civilização que teve a idéia de chutar um negócio redondo com fins recreativos pela primeira vez? Eu não sei, mas aposto na Mesopotâmia, eles sempre inventam tudo.

Na Inglaterra cada escola que praticava o futebol tinha suas próprias regras. Na escola de Camball era normal que o time vencedor devorasse o time perdedor no final da partida. Na escola de Edgar Allan Poe se admitia que rituais de magia negra fossem feitos durante o jogo. A escola de Rúgbi jogava com as mãos e deu origem ao rúgbi, claro. Criaram então a Football Association que definiu as regras, que lógico, já mudaram com o tempo.

No Brasil também existiam regras diferentes em cada estado. No Rio Grande do Sul, por exemplo, era obrigatório ter buracos nos campos, desarmar o adversário sem derrubá-lo no chão era considerado falta e a Avalanche era usada como critério de desempate.

Mas quanto às regras, antes era normal um jogador pegar a bola que estava no alto e colocar no chão para prosseguir a partida. Também era permitido empurrar o goleiro com a bola para dentro do gol. Mas, não vamos falar de regras. Se quiser saber mais compre um livro como “O livro de ouro do futebol” do Celso Unzeltte. Ou então, pergunte a Leidi.

O futebol é um esporte engraçado. No Brasil as pessoas assistem as olimpíadas apenas para ver o futebol sendo que ele é o esporte menos Olímpico que existe. Dizia-se que os atletas olímpicos deviam ser amadores. Kaká ganha 20 milhões de euros por ano, Beckham ganha cerca de 100 reais por minuto. E, além disso, o futebol é o único esporte que tem um evento mais importante do que as Olimpíadas. Se nada é mais importante do que um ouro olímpico nos 100m rasos, no iatismo e no badminton, para o Futebol a copa do mundo é muito mais importante do que as Olimpíadas. E que esses argentinos não tentem contestar. A Copa do Mundo tem até mais telespectadores do que as Olimpíadas.

Mas enfim, por muito tempo os jogadores de futebol que participavam das Olimpíadas eram amadores. O Brasil, por exemplo, tinha que mandar os juniores para lá. Os Estados Unidos nunca mandavam ninguém, porque não existe um único estadunidense que faça algo que não seja por dinheiro. Com isso, os países do bloco comunista ganharam todas as Olimpíadas. Hungria, União Soviética, Polônia, Tchecoslováquia, Iugoslávia e Bulgária eram as grandes potências. Sim, porque, teoricamente os comunistas jogavam futebol apenas por prazer e não tinham nenhum benefício financeiro com isso. Hoje em dia essas regras mudaram e qualquer jogador que tenha até 23 anos de idade pode jogar.

E mesmo assim, o Brasil não consegue ganhar a medalha de ouro. Certo que durante muito tempo os times brasileiros que disputavam as Olimpíadas eram ridículos. Era algo como o seu time do colégio jogando com uns uniformes um pouco melhores. A primeira medalha veio em 84. Prata. Em 88, outra medalha de prata num time que tinha Bebeto, Romário e Taffarel. Em 96 veio o Bronze, depois de perder pra Nigéria. E na última participação brasileira nos jogos de Sidney em 2000, o Brasil conseguiu perder pra Camarões, sendo que os camaroneses tiveram dois jogadores expulsos.

Esse ano o Brasil vai disputar e vai perder de novo. É o que me garante Jorginho de Ogum. E não é porque ele fez uma previsão, é porque o técnico é o Dunga.

---
PS: Fomos perguntados pela Laíse no último post sobre o paradeiro do mestre dos Magos. Informamos que ele não foi localizado pela nossa produção apesar dos nossos insistentes contatos.

domingo, 27 de abril de 2008

Por onde andam os desenhos animados

Ligue a tv de manhã e preste atenção nos desenhos que passam hoje em dia. Você vai notar que todos são esquisitos, mal desenhados (tudo é quadrados e redondo) e têm histórias cada vez mais bizarras. Inevitavelmente você vai se perguntar: "o que aconteceram com os outros desenhos animados?"
O CH3 sabe.
A seguir, o que aconteceu com alguns personagens nos últimos tempos, o que o destino lhes reservou. Você vai entender porque eles sumiram da tv.

A turma do Scooby Doo ainda está na ativa, andando por aí com aquela van de hippie resolvendo mistérios. Porém, Salsicha foi internado numa clínica de reabilitação para tratar de seu problema com drogas. Ele andava tendo muitas alucinações, conversava com o cachorro e até comia biscoitos caninos. Quanto a Scooby, ele foi castrado.

Cérebro conseguiu um cargo entre os executivos da CNN. Secretamente ele planeja dominar por completo as telecomunicações. Por enquanto almeja um cargo na ONU.
A floresta do Zé Colméia foi devastada. Ele então foi tentar um emprego na cidade e conseguiu um trabalho de porteiro de um prédio. Catatau foi pras ruas, onde começou como flanelinha, se envolveu com gangues e participa do tráfico de drogas.

Gaguinho, depois de todos esses anos, continua um looner, esse porco safado.

Wally foi encontrado.

Coiote, com apoio do Procon, moveu um mega-processo contra a ACME, por conta de todos os produtos que adquiriu da empresa apresentarem defeito e inúmeras vezes causarem danos de natureza física e moral à sua pessoa. Ganhou muito dinheiro e hoje é dono de uma casa de praia numa ilha paradisíaca. Não quer nem mais saber de papa-léguas, só come caviar.

O Guarda Belo foi flagrado cobrando propina da turma do Manda Chuva para eles continuarem no beco. Além disso, foi flagrado contratando serviços de prostitutas durante seu horário de serviço.
Está preso.

Não era segredo pra ninguém que Popeye era drogado. Além de comer maconha, fumava crack no cachimbo. Toda vez que ele abria uma latinha e ingeria uma quantidade generosa de cannabis, ele começava alucinar que estava batendo no Brutus, mas o que acontecia na verdade é que o Brutus estava na casa do Popeye mandando ver na Olívia. Numa dessas, ela engravidou. Brutus e Olívia então decidiram se casar. Quando Popeye soube do que tinha acontecido, começou a consumir cada vez mais até morrer de overdose.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

O caso Pedrinho

Esqueça a Isabella, o terremoto, o cartel de combustível. Esqueça qualquer coisa. Aproveite e esqueça também os últimos resultados do campeonato paulista. Vou contar até cinco, e, quando eu estalar o dedo, você vai se esquecer. 1, 2, 3, 4, 5 – Tlac. Pronto, agora você vai aproveitar e dar todo o seu dinheiro para o CH3.

Mas enfim, falemos do caso Pedrinho. Não conhecem? Vejam o Vídeo.


Pois bem, apesar de não estar no Agenda Setting, esse caso invade as residências de milhares de brasileiros diariamente. Seja no almoço, no jantar, enfim, o Menino quer fazer cocô na casa do Pedrinho. Isso é um reflexo do desgaste das relações familiares na pós-modernidade. Façamos uma análise dos cinco personagens do caso.

Menino que quer cagar
Abandona qualquer tradição familiar, abandona a cultura de cagar em casa e prefere defecar na casa do Pedrinho. Porque? Porque o Pedrinho tem um trocinho cheiroso no banheiro. Ou seja ele prefere deixar de lado o conforto do banheiro residencial em troca de um cheiro perfumado.
Hipótese: O menino caga muito fedido. O que é uma aberração para alguém tão novo. Existe também a hipótese de que ele esteja apaixonado pelo Pedrinho. É a tal da atração anal das crianças. Ele também pode ser o cara folgado, que caga na casa dos outros, só de sacanagem.
O que fazer? Pela maneira como o garoto fala, ele é visivelmente retardado. Então os pais devem tomar cuidado. Rever a alimentação do garoto, e ver se os livrinhos dele não contam a história de ursinhos gays casados.

Mãe do menino cagão
Uma cega. Seu filho faz cocô fora de casa e ela não percebeu nada. Irresponsável. Mais tarde o filho começa a fumar maconha ou torcer pelo Flamengo e ela não vai perceber. Mães assim são as responsáveis pela delinqüência juvenil.
Hipótese: Ela não limpa o banheiro da casa. Nem ela nem ninguém. Ou então ela deixava o menino trancado no banheiro como castigo. Muito provavelmente ela é uma dessas depressivas que passam o dia inteiro na cama tomando remédios.
O que fazer? Ter mais pulso. Falar “vai cagar na casa do Pedrinho porra nenhuma”.

Pedrinho
Um banana. Depois de anos se machucando no Vasco, Palmeiras, Fluminense e Vasco, agora as pessoas vão cagar na casa dele e ele... Ele não faz nada!
Hipótese: O outro garoto é mais forte e bate no Pedrinho se não puder cagar na casa dele. Ou então, Pedrinho é coprófago e atraís os amiguinhos para cagar na casa dele, e então comer o cocô.
O que fazer? Pedrinho... Sinceramente. Olha as suas amizades Pedrinho! Pedrinho... Você precisa se ajudar Pedrinho!

Mãe do Pedrinho
Outra Irresponsável. O filho traz os amigos para cagar em casa e ela não faz nada. Não impõe um limite. Todo mundo pode ir lá defecar a qualquer momento. Ponha se no lugar dela. O porteiro interfona e diz “Dona, tem um menino aqui querendo fazer cocô na sua casa”. Você diria “Manda Subir!”. Então.
Hipótese: Fazer cocô na casa do Pedrinho é um despiste para o consumo de drogas e a mãe do Pedrinho é a responsável por entorpecer as crianças. Ou então ela é uma cientista fantástica que criou um vaso sanitário anatômico e um banheiro que pode ser chamado de trono dos deuses. Porque não é possível que só um perfume seja responsável por trazer pessoas tão dispostas a cagar na sua casa.
O que fazer? Ter mais atitude. Manda o porteiro dizer que o Pedrinho não está em casa. E sim, converse com o Pedrinho e explique que aqueles que só querem cagar na sua casa não são bons amigos.

NarradorUm agente do mal. Narra toda uma trama nefasta como se fosse algo normal. Mas ele nem tem tanta culpa assim. Sabemos que os culpados são os publicitários.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Os próximos lançamentos em games

O CH3 antecipa alguns dos lançamentos para os games que podem ou não ser a sensação do momento.

The Midget Olympics
Como o nome sugere, são jogos olímpicos com anões. Como destaque, temos o arremesso de anões, anão ao alvo, luta livre de anões e tiro ao anão. Como a plataforma é para Nintendo Wii, o game promete grande interatividade. Você se sente como se estivesse de fato arremessando anões.
Lançado para: Nintendo Wii

Bass Hero
Era pra ser uma expansão do Guitar Hero, só que com linhas de contra-baixo ao invés de guitarra, mas não vai fazer nenhum sucesso e os criadores já sabem disso. Afinal, ninguém liga muito pro baixista numa banda. Na verdade, ele é só um acessório. Mas sabe como é, sempre tem um que aceita ser o baixista.
Lançado para: Nintendo Wii, Ps2 e X-box.

Care Bears Fight
É um jogo de luta com os ursinhos carinhosos. O game é cheio de purpurina, corações e cor-de-rosa, e os golpes são todos afrescalhados, enfim, um jogo de viado. Nem sei porque inventaram de lançar essa merda, ave!
Lançado para: Mega Drive

Gore
É um jogo que você interpreta um doente assassino psicótico, em que você tem que estraçalhar o máximo de pessoas que você conseguir antes de ser pego pela polícia. Depois de assassinar as vítimas, você pode fazer sexo com o cadáver, estuprar as vísceras e vestir a pele do defunto. As armas disponíveis vão desde uma faca de aniversário até um machado cego.
Lançado para: Ps3, X-box 360, Nintendo 64

The Sims- Life Sucks
É mais uma expansão para The Sims. Nessa versão seus personagens trabalham de estagiário, levam corno da namorada, recebem salário atrasado, pisam em cocô de cachorro e têm a casa roubada. É um jogo pra quem gosta de sofrer.
Lançado para: Pc

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Grandes nomes da história, 2

Você acorda de manhã. Está sozinho em casa, seus pais viajaram, e logo vê que perdeu a hora. Levanta da cama e tropeça no seu chinelo. Vai até a cozinha e vê que esqueceu a roupa na corda e choveu de noite. Está frio e seu chuveiro quebrou, só sai água fria. Você vai se vestir e coloca uma meia furada. Vai até a cozinha e acaba derramando café quente na sua camisa.

E não acaba por aí. Você vai até o carro e quando está saindo percebe que esqueceu sua carteira dentro de casa. Vai pegar a carteira e vê que esqueceu a chave da casa dentro do carro. Quando você volta ao carro percebe que as portas se trancaram com a chave no contato. Você tem que pegar a chave reserva que está dentro da casa que está trancada. Você tenta então entrar pela janela do banheiro e acaba entalado.

Sua vizinha fofoqueira acha (Obs: iria usar ‘seu vizinho fofoqueiro’ aqui, mas, a correção do Word sugere que se coloque ‘sua vizinha fofoqueira’.) que é um ladrão e liga para a polícia. A polícia aparece para te prender. Leva-te até a delegacia e você demora horas até convencer que a casa é sua. Voltando para casa passa por um chaveiro. O chaveiro então abre a porta e você pega a chave reserva do carro.

Vai até o carro abre-o e pega a chave da casa. Vai lá fecha a casa e volta até o carro. Olha no relógio e vê que já perdeu a sua aula de manhã na faculdade. Resolve então ir almoçar no shopping para descansar a cabeça. Você come e na hora de ir pagar a conta se lembra: a carteira! Isso, a carteira que você tinha ido pegar na hora de sair de casa, aconteceu tanta coisa que você esqueceu-se de pegar a carteira.

Conversa com o gerente do restaurante e deixa sua identidade, telefone e endereço e promete voltar mais tarde para pagar a conta. De volta para casa, uma blitz. Os policiais te param, e você sem sua habilitação toma uma multa pesada.

Nesse momento recebe uma ligação de um amigo da faculdade, dizendo que a aula que você faltou teve uma prova. Desolado você vai até o seu estágio, chegando com duas horas de atraso. Seu chefe te chama para uma conversa em particular. Diz que iria dispensar um estagiário e estava em dúvida. Devido ao seu atraso, você foi o escolhido.

O seu telefone não para de tocar com o restaurante pedindo para você pagar a conta. À noite você vai se encontrar com sua namorada. Ela diz que quer terminar com você. O motivo? Ela diz que você é ruim de cama e que se apaixonou por um hippie maconheiro que faz malabarismo em semáforo.

Depressivo você volta para casa. Abrindo o portão um assaltante te aborda “sai do carro senão eu atiro”. Você sai e grita “Atira filha da puta! Atira”. Torcendo para que sua infeliz vida terminasse de uma vez. Pois bem, o bandido fica nervoso e confessa que não tem nenhuma bala no revólver.

Bem, esse é o exemplo extremo de um dia em que tudo dá errado. Vocês sabem quem é o culpado por isso? Sim, ele, Murphy. Eddie Murphy. O famoso ator americano, que estrelou a série “Um Tira da Pesada” quando foi senador americano criou a Lei de Murphy, uma lei segundo a qual “Quando alguma coisa há de dar errado, errado ela dará”.
Muito provavelmente Murphy criou essa lei depois que sua torrada caiu com o lado da manteiga virado para o chão. Ou, depois de ele ter feito “O Professor Aloprado”.

sábado, 19 de abril de 2008

O tráfico de corais

Nos últimos dias nossa brilhante mídia denunciou o tráfico de corais. Caso você não tenha prestado atenção em outra coisa que não seja o Big Brother Isabella, explicamos o que é: Barcos atracam em cima dos corais – aquelas formações rochosas, espécie de casa de cupim submersa – os serram e os enviam de maneira ilegal para a Europa. Você pode se perguntar “O que alguém faz com um coral?”. Eu também não sei.

Pois bem, eis que esses dias me encontrei com Alfredo Chagas na fila do supermercado. O que não me deixou feliz. Alfredo já não é uma pessoa agradável para se conviver profissionalmente, imaginem então pessoalmente. Torcendo para que as compras passassem logo, ele disse que eu deveria fazer uma matéria sobre o tráfico. Perguntei lhe qual seria a importância disso. Ele me disse que não sabia. Eu falei que não faria porra nenhuma. Ele argumentou dizendo que se eu não fizesse, ele não mais escreveria as colunas para o CH3 News. Falei que pouco importava, uma vez que essa é a seção menos lida do jornal. Mas então ele usou um argumento fatal.

“Se não fizer, não mais financiarei o CH3”. Essas palavras foram de um grande incentivo jornalístico. Falei então que faria, mas ainda na esperança de que a atarefada rotina de Alfredo o fizesse esquecer. Ele me disse para conversar com Pai Jorginho de Ogum. Voltando para casa me lembrei que Chagas nunca deu um único tostão para o CH3 e resolvi esquecer a matéria.

Tudo mudou quando o telefone tocou. Não era nada demais, era o Bruno perguntando se eu tinha uma gravata prata. Achei tudo isso muito esquisito, mas enfim. Ele é músico e recifense. Lembrei-me dos corais. Liguei então para Jorginho de Ogum e fui me encontrar com ele em um Bingo beneficente.

O lugar estava lotado, mas, existia um clarão em volta de Jorginho e de Marcão, que estava ao seu lado. Quando cheguei perto dos dois entendi o porquê. Muito provavelmente Marcão está sem água em casa e não toma banho há alguns dias.

Disse para Jorginho sobre o encontro com Alfredo, e perguntei-lhe o que ele sabia sobre o tráfico de corais. Ele disse: “Bingo!”. Ganhou uma leitoa. Feliz me ofereceu sua filha, e pela enésima vez em minha vida tive que recusar, pois a mesma é muito feia. Eis então que ele me explicou o tráfico de corais.

Sim, é isso que você está pensando. A máfia bielorrussa está levando os corais brasileiros para a Europa de maneira ilegal. Ontem mesmo, de acordo com Jorginho, os meninos cantores de Indaiatuba foram embarcados para Minsk (a capital da Bielorússia caso você não saiba). Tantos outros corais são levados diariamente. No velho continente eles são colocados para cantar em festas, em Igrejas e gravam CDs com músicas natalinas.

Pai Jorginho disse que descobriu o caso por acaso. Recentemente ele fundou o Grupo Musical Toba de Gato. O objetivo principal do grupo é lavagem de dinheiro. O dinheiro que Jorginho de Ogum ganha com a prostituição e a venda ilegal de Caninha 21 ele diz que ganhou com o Toba de Gato. Para isso ele contratou trinta garotos do bairro que mora e montou o Coral dos Mudinhos do Jardim Leblon. Agentes ucranianos abordaram os meninos prometendo um Nintendo 64 para cada um e eles foram levados.

O pai-de-santo está revoltado, porque não pode chamar a polícia. Afinal, como é que ele vai poder reclamar com a polícia que não pode mais lavar dinheiro. Neste momento Marcão interrompeu e disse que tinha uma máquina de lavar antiga em casa, que ele não usava, porque não tinha água.

Tinha que sair do lugar então. Não porque, enfim, tivesse algo melhor para fazer. Mas a nossa conversa estava irritando as velhinhas que estavam concentradas nos números. Senti por um momento que poderia ser linchado a golpes de bengala e essa denúncia não chegaria até todos.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

A vida sem internet

Caros CHnautas, estive ausente por algum tempo porque estava sem internet em casa. Na verdade, ainda estou. Estou postando esse do meu trabalho. No horário do expediente.
Durante o tempo que fiquei afastado do mundo virtual, fiz algumas flexões e reflexões sobre a importância que a internet tem nas nossas vidas nos dias atuais.

Com a internet, a gente esquece que existe telefone. É comum vermos casos como esse:
-Cara, você tem visto o Batatinha? Não consigo falar com ele, o cara não aparece no msn e nem responde meus recados no orkut.
-Já tentou ligar pra ele?
-Ah... É mesmo, né.

Falando em orkut, sem esse famoso site de relacionamentos, as pessoas ficam desnorteadas. Hoje em dia todo mundo tem no mínimo um perfil no orkut. Quem não tem é considerado um elemento excluído do meio em que convive. Muitas festas e eventos são combinados e marcados apenas via orkut. Muitos assuntos e debates de importância vital são travados no orkut.
Por isso, se um dia acontecer uma hecatombe orkutiana e ele acabar, o país inteiro vai entrar em desespero e não vai saber o que fazer. Demoraria muito tempo pras coisas voltarem para o seus eixos. Muito tempo mesmo.

Viciados em seriados sofreriam de ansiedade na falta de internet. O maior prazer não é apenas assistir a um episódio novo, mas sim baixá-lo no mesmo momento em que cair na rede. Veja:
-Rapaz, é hoje que sai o episódio novo de Sbrubbles... E eu sem net...
-Ah, tudo bem, me empresta um pen drive que eu gravo pra você.
-Não é a mesma coisa...

Enfim, temos o youtube, que virou mania mundial. A grande diversão do pessoal internauta é ver vídeos engraçados ou bizarros pelo youtube. Falta de youtube pode causar grande angústia e depressão nas pessoas. É um caso sério.

Imaginem, caros CHnautas, que estou passando por tais situações. É triste.

terça-feira, 15 de abril de 2008

O obscuro mundo do MTU

Todo começo de ano ou começo de semestre para o estudante universitário (sim, pra quem estuda na UFMT ano e semestres não necessariamente começam juntos) é um sacrifício. Sim, é chato você ter que acordar cedo pra ir pra faculdade. É chato sair de casa. É chato ter aula com uma professora que sabe menos do que você sabia quando tinha oito anos. Mas o sacrifício é relacionado ao ônibus.

Sim, também não é legal pegar ônibus cheio, com crianças se provocando e aquela sensação de que a qualquer momento uma criança poderá lhe dirigir a palavra de maneira jocosa. Todos nós sabemos que crianças são malvadas. Também é ruim ter que ir em pé, com um motorista maluco que adora dar freadas bruscas. Mas isso não é o pior, insisto.

A grande chateação mesmo é ter que ir ao MTU. Se você não sabe, o MTU é o orgão responsável por... ahn, pelos ônibus. Sabe-se lá o que essa sigla significa. Muito Trabalho pro Universitário, talvez (há). Mas, eles são responsáveis por atrapalhar a vida de qualquer estudante.

Antigamente os estudantes pagavam meia passagem pra andar de ônibus. Então o herói dos estudantes protestantes (nada de religião) Totó Parente (sim, esse é o nome do cara) criou o passe livre. Ou seja, estudantes podem andar de graça. Mas sim, não virou a casa da Mãe Joana. Criaram várias regras. Você tem direito a dois passes por período em que você tem aula e só pode usar nesse período.

Em 2005 os velhos passes de papel foram substituídos pelo cartão magnético. Enfim, sempre que um semestre vai começar você tem que ir ao MTU para se recadastrar. Para isso você tem que levar uma planilha de horário, para mostrar que você continua estudando (normal), Xerox do comprovante de residência para comprovar que você continua morando no lugar de sempre e a Xerox da sua identidade, para comprovar que você continua sendo você. Com tanto papel assim e tantos estudantes se recadastrando uma pilha gigante de papel se forma em cima da mesa das simpáticas atendentes.

É impossível que eles tenham alguém contratado para ver esses papéis depois. A hipótese mais lógica e provável é que o MTU se aproveita do recadastramento para renovar seu estoque de papel para rascunho. Ou então eles ficam vendo as fotos das pessoas feias e rindo. Há ainda a possibilidade remota de que estes papéis sejam traficados para Jamaica onde são reciclados e voltam ao país de maneira ilegal, num esquema que envolve todo o alto escalão do governo Lula.

Saiba que o cartão magnético sempre vem com uma foto sua e, saibam, eles colocam uma foto sua horrível.

Mas até aí nem é nada demais. Você tem que enfrentar uma fila gigante e o MTU genialmente disponibiliza duas funcionárias para fazer o serviço. E a mulher que recadastra sempre vai encontrar um defeito. Vai falar que a Xerox tá torta, que a planilha foi impressa em dia impar ou que você sua conta de luz está muito cara. E você tem 50% de chances de ter que voltar mais tarde devido a falta de documentos para se recadastrar.

E o mais impressionante é que a cada ano eles inventam mais mecanismos, pedem mais coisas, e sempre tem gente burlando as regras. Enfim, eles são muito burros.

E não tem como reclamar, a voz da atendente do MTU é a voz de Deus. Se ela falou que sua planilha está numa folha amassada e você tem que trazer uma folha nova, não tem o que argumentar. Você tem que ir embora e voltar a pegar aquela fila enorme. Não tem jeito, você desperdiçou 1 hora da sua vida. Se você reclamar um pouco mais, o guardinha já vai te olhar ameaçadoramente. Além disso, uma vez por mês você tem que voltar lá para recarregar seu cartão, um claro interesse da máfia russa.

E você não pode reclamar do MTU com a prefeitura, com o próprio MTU, nem com o padre da sua Igreja. Ele é irreclamável, reclamar do MTU é o oitavo pecado capital. Inclusive, o CH3 sabe que corre riscos por publicar essas verdades sobre essa instituição nefasta. E isso porque nem vamos entrar no mérito pessoal sobre o humor de algumas atendentes.

Mas enfim, a única coisa que resta é esperar o que eles vão fazer ano que vem para aumentar ainda mais o estoque de papel pra rascunho e para sacanear cada vez mais.

domingo, 13 de abril de 2008

Editora CH3: mais livros de sucesso

A Editora CH3 volta a lançar mais uma série de livros fantásticos que estarão em breve ao alcance de vocês. Isso, claro, desde que vocês tenham braços para alcançá-los. Ou que consigam pegar coisas com os pés.

Grandes mentes do Big Brother 
Um livro que fala dos grandes cérebros que já participaram do Big Brother. A dialética de Kleber Bambam, o pensamento complexo de Dhomini, o positivismo de Diego Alemão, a Hermenêutica de Rafinha. Imperdível.
R$ 20,00 – 3 páginas.
Trecho selecionado: “Em seu discurso cartesiano, Rafinha derrubou a tese empírica sobre as tatuagens em seu corpo. A partir daquele momento todo o pensamento escolástico era reformulado".

Poemas de Vinícius – Volume 3
O grande Gressana volta a publicar seus poemas. Uma obra temática na qual ele fala sobre a podolatria através do parnasianismo, o modernismo, o concretismo.
R$ 35,00 – 200 páginas

Como salvar o Corinthians 
Vários especialistas foram escutados para mostrar como o Corinthians pode ser salvo. Infelizmente eles não chegaram a nenhuma conclusão, e o autor resolveu escrever um livro de ficção.
R$ 21,00 – 190 páginas
Trecho selecionado: “Mais fácil seria evacuar a China”.

Lula Sabia 
Livro escrito por jornalista da Veja que mostram como o Lula sabia de muitas coisas. Extinção dos dinossauros, derrota do Brasil da Copa e quem matou a Isabella.
R$ 8,40 – 900 páginas
Trecho selecionado: “Lula sabe quem matou a menina. Soube desde o começo, e sempre soube que isso iria acontecer”.

Alfredo!
Coletânea de textos viscerais do nosso genial Alfredo Chagas. Ele aborda tudo. Mas tudo mesmo.
R$ 23,00 – 23 páginas.
Trecho selecionado: “É a felicidade de saber que eu posso ter dúvidas em minha alma, e que essas dúvidas podem de certa maneira me transformar em uma pessoa melhor, que ainda possa com minha inquieta mente duvidar até da simpática e honrosa maionese”.

E claro, na compra de um desses livros, você ganha o sensacional “Livro das frases certas para os momentos decisivos” do CH3.
Editora CH3: Levando isso aí até vocês.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Guia CH3: Como ser um astro do funk.

Para aqueles que ainda têm duvida quanto a que rumo seguir na vida profissional, o CH3 hoje ensina como aproveitar um mercado promissor: o funk.
Claro que todos os riscos profissionais estão envolvidos, mas quando se pensa que a onda do funk acabou, ela volta. Mas nem por isso é um conhecimento inútil porque qualquer um pode ser um funk star. Qualquer um.

Primeiro, não se preocupe com a sua aparência. Você não precisa ser bonito pra fazer sucesso. É o caso do Tigrão, do Mc Créu e do Mc Serginho, que é mais feio que o capeta. Às vezes ser rdículo e estapafúrdio até ajuda. Afinal, a Lacraia abusava do brega, e nem mulher era.

Quanto a conhecimento musical, também não é necessário. Você só precisa de um microfone, uma gostosa que saiba rebolar e de um DJ. Mas os DJs estão bastante acessíveis ultimamente, até porque hoje em dia, qualquer um que sabe apertar botões em um sampler é DJ. Em todas as músicas vai ter aquela batida, algo como "tum-tá-tá-tá-tá-tátátátátá". Também é trabalho do DJ fazer os mixes com alguma amostra de som que você pode facilmente encontrar na internet. Pronto. Agora, vamos às letras.

Você também não precisa de criatividade. Na verdade, quanto menos você usar, melhor. Músicas criativas demais são inúteis, porque pro funk, o que conta é o sexo. Logo, tudo que você tem que fazer é associar alguma coisa ao sexo nas letras. Ser malicioso todo mundo sabe, mas não precisa ir muito longe. Houve quem fizesse uma música de sucesso relacionando o ato sexual a pamonha e ao cural. Enfim, pense em alguma coisa, qualquer coisa, escreva umas quatro ou cinco estrofes, um refrão e pronto. Leva cerca de 5 minutos para compor uma letra de funk. Cuidado pra não demorar mais que isso, senão você corre o risco de fazer uma letra boa.
Vejamos algumas sugestões:

Dança da Batata

Aí, galera, agora eu vou apresentar
A dança da batata, a galera vai se amarrar
Você pega a batata, começa a esfregar
Esfrega a batata, até ela estourar

Pega, pega, pega na batata
Esfrega, esfrega, esfrega na batata
Esfrega, esfrega, esfrega, esfrega
Cuidado que a batata vai sujar a sua cara

Funk do ventilador

Praquela rapazeada que tá no maior calor
Eu sou Mc (coloque seu nome aqui)
Cheguei cheio de frescor
Só pra mostrar pra galera a dança do ventilador
Roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda
Gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira
Roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda
Gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira

Dança do Cadarço

Amarra em mim gostosa
Que eu tô cheio de tesão
Vou te pegar de jeito
Tô na maior disposição

Vem ne mim gostosa
Eu sou um cadarço
Você é meu tênis
Agora amarra esse cadarço
E pega no meu tênis
Pega no meu tênis, pega no meu tênis, pega no meu tênis, pega no meu tênis.

Enfim, antes que algum viadinho venha dizer que eu não entendo nada de funk e que esse texto é uma piada sem graça e sem tamanho, gostaria de dizer que o funk É SIM uma prática baseada em clichês e costumes preguiçosos. Ora, olha o que se vê por aí, um cara qualquer diz que viu o filho pequeno fazendo créu, se auto-denomina Mc Créu e resolve fazer uma música com isso escrevendo qualquer merda no meio. E ainda fez o maior sucesso.
MAS EXISTE EXCEÇÃO! Única e rara, que é o funk da Verdadeira Dança do Patinho.
VEJA.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Protesto CH3

Protesto: sm 1 queixa, reclamação 2 declaração de desacordo 3 DIR ato pelo qual o portador de um título comercial, não aceito nem pago no dia do vencimento, se resguarda o direito de qualquer procedimento futuro (segundo o Houaiss) 4 coisa de comunista (segundo CH3)

A grande maioria dos membros de CH3 sempre foi contra o Comunismo, com exceção do Alfredo Chagas, que de vez em quando tem uns “momentos de fraqueza”. Mas percebemos que o “Communist Way of Life”, ou “Vivir a vida em la merda” (como diria Wanderley Luxemburgo) está ganhando cada vez mais adeptos, pelo menos quando o assunto é protestar. Agora está na moda protestar contra a ocupação chinesa no Tibete. Em breve teremos até aquela reunião de grandes artistas da música mundial como Britney Spears, Pitty, Nx Zero e KLB cantando e usando camisetas para salvar o Tibete.

CH3 sabe que não é de protestos que o Tibete precisa, e sim de Rambo. Se Rambo resolveu as coisas no Afeganistão e na Birmânia, no Tibete vai ser moleza. Só avisamos aos monges que usem perucas, pois Rambo pode confundi-los com Skin Heads. Não queira saber o que Rambo costuma fazer com Skin heads.

CH3 então resolveu entrar nessa moda, não que a gente tenha que seguir alguma moda, e criou uma lista de protestos que podem ser muito úteis no dia-a-dia.

1 – Protesto contra os comunistas. Se eles podem protestar contra todo mundo, porque não podemos protestar contra eles? (queime bandeiras do MST, de preferência com big mac e coca-cola na mão).

2 – Protesto contra a Lei da Gravidade. É uma lei totalmente arbitrária e anti-constitucional.
(proteste contra essa lei jogando as pessoas que você não gosta de um prédio).

3 – Aliás vamos protestar logo contra as 3 Leis de Newton. Quem ele pensa que é para vir fazendo leis? Elas foram votadas pelo congresso?

4 – Protesto contra a pornografia leve na TV aberta. Não que sejamos contra a pornografia leve na TV aberta, mas ela deve ser substituída pela pornografia pesada na TV aberta.

5 – Protesto contra quem protesta contra o aquecimento global. Quem protesta contra o aquecimento global se esquece dos vendedores de ventiladores, ar-condicionado e sorvete que dependem dessa situação para sobreviver. (Queimem bastante pneus nesse protesto para contribuir com o aquecimento global).

6 – Protesto contra uvas passas. Uvas passas são totalmente inúteis, não combinam nem com doce nem com salgado. Que todas as uvas passas sejam mandadas para a Argentina.

7 – Aproveitando, vamos protestar contra argentinos. Você conhece algum argentino? Sabe onde ele mora? Então defeque na porta da casa dele!

8 – Protesto contra o uso de roupas. Muitas pessoas se queixam do calor de Cuiabá. Comentários como: “Meus bagos estão suando” são muito comuns. Culpa das roupas.

9 – Protesto pela melhoria dos salários e condições de trabalho dos papibaquigrafistas.

10 – Protesto contra os lactobacilos vivos. Ao contrário do que diz a perversa indústria do Yakult, algo com esse nome não pode ser coisa boa.

11 – Protesto contra a volta da volta da lambada. É um protesto muito arriscado, pois só a menção da palavra pode causar efeitos colaterais.

12 – Protesto contra a musiquinha de espera do telefone. Muito chato ter que esperar pra... espera aí que eu já volto.

Estamos aceitando sugestões de protestos, se você tiver alguma mande pra gente. Postaremos no blog, ou não.

***Apesar de postado por mim, este texto foi feito pelo Tackleberry, que de tanto protestar, não conseguiu postar.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Questões acerca do jornalismo

Hoje é o dia do jornalista. Sim, um dia que não deve ser comemorado, afinal, é algo como se comemorar o dia do anticristo. Mas enfim, como o maior sucesso da história do CH3 é o texto “A prática do Jornalismo”, divulgado em vários lugares como de autoria de um autor desconhecido, CH3 volta a falar sobre o tema, com uma série de questões inerentes ao jornalismo.

A maneira como os jornalistas conseguem informações são através das entrevistas. Existem vários tipos de entrevistas, que listamos abaixo.

Entrevista de emprego: Visa que “A” empregue “B” se possível.
Entrevista sexual: Meramente oral.
Entrevista ritual: Muitas danças tribais.
Entrevista temática: Anos 80, anos 60, do Havaí.
Entrevista a fantasia: “A” vestido de Drácula entrevista “B” fantasiado de Carmem Miranda.
Entrevista em profundidade: arrebatadora, direta, sem vaselina.
Entrevista performática: Feita por Drag Queens.

Circunstâncias em que as entrevistas podem ser realizadas.

Ocasional – “Oi, tipo, é, tá afim de ir ali, tomar um drink e fazer uma entrevista”.
Confronto – “Você vai me dar uma entrevista e não aceito um não como resposta”. Pode terminar em luta no gel.
Motel – Se coloca em Off. In. Off. In. Off. In. Off. In.
Coletiva – Entrevista em grupo, todo mundo pegando no microfone.
Grupal – Ninguém é de ninguém.
Oral – “Isso, assim mesmo!”.

Para obter uma entrevista que consiga a primeira capa, e se transformar em um profissional de sucesso, você deve seguir os seguintes passos.

1 – Deixe a ética de lado.
2 – Intimide seus entrevistados.
3 – Seduza as secretárias.
4 – Omita fatos desinteressantes.
5 – Crie elementos para deixar a história mais emocionante.
6 – Não se importe com a verdade.
7 – Não acredite na verdade.
8 – Use escafandros.
9 – Coloque o off em on.
10 – Revele suas fontes.

As matérias, você pode não saber, mas tem tonalidades. Pode ser:
Tons Vermelhos para matéria dramática.
Tons Pastéis para matéria irônica.
Tom Cavalcanti para matérias chatas.
Tons claros para matéria prima.
Tom Zé para matéria cabeça.

O jornalismo também se divide em várias editorias e especializações. Entre elas:
- Jornalismo político: Muito bom para as mulheres, que queiram arrumar pensão.
- Jornalismo esportivo: Bom para quem gosta de falar besteira em TV aberta.
- Jornalismo econômico: Muito praticado, o jornalista tem que cobrir o mundo com dois vales transportes.
- Jornalismo cultura: Aquele que tem horóscopo e fotos de pessoas em boates.
- Jornalismo gastronômico: Conhecido como jornalismo obeso. Depois resulta em jornalismo marrom.
- Jornalismo rural: Pé no barro, chapéu de palha e matéria plantada.
- Jornalismo internacional: Bom para tradutores de jornais internacionais.
- Jornalismo lisérgico: Um jornalista muito louco.

Enfim, qualquer dia o autor desconhecido volta a falar de questões jornalísticas.

sábado, 5 de abril de 2008

A sociedade escolar norte-americana atual

O post de hoje é quase um trabalho acadêmico. Quase um estudo antropológico.
Vamos falar da sociedade escolar americana atual. O que mudou desde aquilo que conhecíamos tão bem através dos milhares de filmes em que a garota feia na verdade é bonita, o jogador de futebol americano faz uma aposta de sair com ela, depois acaba se apaixonando, ela descobre que é uma aposta, eles terminam e blá blá blá, vocês conhecem a história.

Mesmo assim, pra quem não sabe, um breve resumo de como a sociedade escolar americana tradicional é: Ela é basicamente dividida em castas. Ou "panelas", como preferir. Há os jocks, jogadores de futebol americano, uns caras bombados e populares, todas as garotas da escola querem dar pra eles. Há as cheerleaders, as garotas fúteis, todas incrivelmente lindas e gostosas, normalmente namoram os jocks. Há os preps, os mauricinhos, riquinhos. Diferem dos jocks por não serem esportistas e ficarem mais na deles. E finalmente há os nerds, usam óculos engraçados, roupas engraçadas, lêem gibis, jogam rpg, ouvem rock (principalmente metal), são alvo de constante humilhação, principalmente por parte dos jocks. Todos são virgens.
Mas o que une todas as castas na sociedade é o baile de formatura, onde os jocks e as cheerleaders almejam o cargo de Rei e Rainha do baile, onde há a eterna insegurança sobre conseguir convidar alguém pra ir. A maior vergonha na vida de um americano é ir sozinho ao baile de formatura. O sonho da maioria é perder a virgindade nesse baile. Menos dos jocks, porque eles já não eram mais virgens e costumavam comer várias garotas.

Dito isso, perguntamos: como é a sociedade escolar norte americana hoje?
Basicamente ainda se divide em classes, mas a diferença é que surgiram mais alguns grupos. O primeiro a ser citado influenciou todos os outros, que sofreram mudanças radicais para se adaptarem à nova cultura. Estes são os Niggas.
Niggas: São os negros. Trouxeram consigo toda a cultura hip hop. Usam roupas largas, correntes de ouro, têm um gigantesco repertório de gírias, falam com sotaque cantado, como se cantassem hip hop. Esse estilo é denominado "gangsta". Idolatram Tupac, D-Mob e Snoop Dog. Revolucionaram a sociedade escolar americana.
Jocks: Estes agora já não são mais tão atléticos. Agora usam roupas largas, ouvem hip hop e procuram falar como os niggas, adotando um estilo gangsta.
Cheerleaders: Continuam sendo fúteis, mas dessa vez não se disfarçam de boas moças. Ao contráro, aumentam os seios, colocam silicone nos lábios, carregam mais na maquiagem e escancaram o sonho de parecer vadias como sua maior inspiração, Paris Hilton. Ouvem hip hop.
Preps: Em declínio. Ninguém mais quer saber de ser rico. Com a chegada dos niggas, ficaram eclipsados. Os remanescentes dessa casta ouvem hip hop e usam seus recursos para mudarem para o visual gangsta.
Nerds: Cada vez mais atolados em tecnologia e hackeamento de computadores. O rpg tradicional foi substituído pelo MMORPG (rpg online). O principal é o World of Warcraft. Por causa disso raramente são vistos. Ouvem new-metal, que nada mais é do que rock mesclado com hip hop.
Latinos: Em geral são imigrantes de origem latina, Podem ser de Cabo Verde, Porto Rico, Brasil, e até Espanha, mas os americanos acham que são todos mexicanos. São excluídos e geralmente usados como bodes expiatórios. Como não interagem com os outros grupos, sua diversão consiste em festas na comunidade imigratória em que moram, onde toca rumba. Idolatram Shakira.

Enfim, fico feliz por isso não ser um trabalho acadêmico, senão agora eu teria que colocar bibliografia e isso é um saco.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Guia CH3: Como ler um livro

A qualquer momento você pode estar lendo algo. Neste exato momento você está lendo. Sim, eu sei que você está. Mas, ler algo na internet é muito diferente de ler um livro. Ler um livro é uma arte, que poucos brasileiros conhecem. Não é uma técnica tão difícil quanto a de ler um jornal, mas, ler um livro pode ser deveras complicado.

Primeiro deixemos claro que falamos de livro mesmo. Nada de Paulo Coelho ou auto-ajuda. Isso porque nem queremos entrar no mérito da auto-ajuda através de um livro escrito por terceiros, mas, estes objetos que se travestem de livros na verdade não são livros. São apenas várias folhas dispostas de uma maneira que simula a aparência de um livro. Mas não são. Não caiam nessa.

Voltemos, vamos ensinar como se deve ler um livro. Vamos lá.

Primeiro você deve ter um livro. Sugerimos alguma coisa de Machado de Assis, ou um livro de crônicas do Veríssimo. Se quiser um manual de alfabetização pode também, só que vai ser ainda mais demorado. Mas sugerimos algum dos livros da Editora CH3.

Então, pegue o livro com suas mãos. Observe a capa, leia o seu título. A capa, caso você não saiba é aquilo que fica na frente do livro. Feito de um papel mais grosso. Abra o livro. Não, não, na abra na metade, apenas vire a capa e observe a primeira página. Normalmente você encontrará o nome do livro de novo. Vá virando as páginas e encontre o índice e os dados para catalogação, que são várias letras pequenas e números.

Passe por essas páginas todas até chegar ao prefácio, ou introdução, ou ao começo do livro. Vamos ao começo do livro. Normalmente o livro começa através de um capítulo. Como identificá-lo? Bem, em cima da página deve estar escrito “1” ou “I” ou algum título mesmo.

Então você deve fazer o seguinte:
1) Comece a ler a primeira linha. Ler no caso é juntar as silabas que são letras juntas.
2) Ao chegar ao fim da linha, vá para a linha de baixo e comece a lê-la também. No fim, passe para a linha de baixo, repita o processo até o fim da página.
3) Ao chegar à última linha da página, comece a ler a página ao lado, assim como você fez na que acabou de ler.
4) Ao terminar a nova página, não leia a página ao lado, vire a página, e comece a ler a seguinte. Ah sim, claro, as páginas são viradas da direita para a esquerda. Se você não sabe o que é esquerda e o que é direita, vai ser muito mais complicado.
5) Repita esses passos até chegar ao fim do livro. Quando isso acontecer, feche o livro, e guarde-o em uma prateleira.
6) Caso tenha gostado do livro, coloque no Orkut, e quem sabe, até entre na comunidade da obra ou do autor. Não costumam a ter muitos membros.

Observação: Em alguns momentos você poderá encontrar longos espaços em branco ao fim de cada capítulo. Esses espaços não devem ser lidos.

terça-feira, 1 de abril de 2008

É mentira!

Hoje é 1° de abril, o dia nacional da mentira. É o dia em que as pessoas pregam peças nas outras, inventam uma história estapafúrdia, e depois que o outro acreditam, dizem "1° de abril" ou "há, pegadinha do Mallandro".
Ninguém com mais de 10 anos leva isso a sério. Mesmo assim o tema do post de hoje é a mentira. Classificaremos uma mentira de acordo com a gravidade, desde a mais inocente até a mais catastrófica.

1) A clássica mentira que as crianças contam às outras. Meu pai é mais rico que o seu, tenho mais brinquedos que todo mundo, meu pipi é maior que o seu, etc. São apenas formas de uma criança contar vantagem.
2) Temos aqui a mentirinha que contamos às crianças. As mais clássicas são do Papai Noel e do Bicho Papão. Serve para fazer com que elas se comportem, caso contrário, o Bicho Papão pega ou o Papai Noel não traz presente. Porém alguns estudos dizem que os traumas causados pela revelação da verdade por trás dessas histórias inocentes são irreversíveis.
3) Aquelas mentiras que os garotos de 12 anos contam aos seus colegas. "Cara, já comi altas muié, cara!". Se soubéssemos na época que todos que diziam isso mentiam, não nos sentiríamos o último virgem da 6° série.
4) Mentir quando pedem dinheiro. Você pode até estar com a carteira recheada, mas quando algum amigo vem pedir você diz "putz, cara, tô sem nada hoje", ou quando vem alguém pedir no semáforo você diz "ih, tô sem trocado". O único problema dessa é se descobrem que você tem sim dinheiro.
5) As mentiras para o professor são extremamente difundidas. Veja: "Ah, professor, eu tava doente aquele dia, não deu pra vir na aula. Aqui o atestado médico". "Professor, eu tava sem computador pra digitar o trabalho, então não deu pra entregar. Pode entregar semana que vem?". A eficácia dessa mentira depende da boa vontade de seu professor.
6) Aqui temos duas categorias em uma só. A versão feminina é: "ah... hoje não, tô com dor de cabeça". A versão masculina é "tudo bem, só a cabecinha". Ambas têm o mesmo valor.
7) Mentir pro chefe.
-Astolfo, atrasado de novo?
-Sabe o que é, chefe, estourou o pneu do carro, demorei duas horas pra trocar.
Essa é perigosa. Se abusar dela, você vai ser demitido com certeza.
8) Mentir para o/a cônjuge. Uma mentirinha inocente como "ah, bem, não vai dar pra ir na festa da sua amiga, tenho que fazer hora extra", tudo bem. Mas tente explicar uma mancha de batom no colarinho, ou no caso delas, cheiro de perfume masculino barato no vestido. Já era.