sábado, 31 de maio de 2008

Fetichistas Extremistas

Ou, o caso do padre dos balões
O Brasil inteiro acompanhou o caso do padre Adelir Antônio de Carli. Não conhece de nome? Então, ele é o padre dos balões. O Padre que um dia se amarrou num monte de balões e resolveu voar. Estava chovendo, ele se perdeu e caiu no mar. Maluco, fanático, idiota, Ícaro dos tempos modernos, um completo retardado, burro do caralho, aventureiro. Foram essas as imagens criadas pela imprensa e pelo povo em geral.

Por preconceito, ou por burrice mesmo, a imprensa não fez abordagens mais amplas. Para nós do CH3, que conhecemos a alma humana profundamente, ele não é isso, ou não só isso. Claro, ele era um maluco, idiota, completo retardado e burro do caralho. Mas a questão é o que levou ele a fazer isso. Nada de espírito aventureiro, vontade de aparecer ou religiosidade. Ou sim, também isso. Mas o principal motivo, você talvez não saiba. Ou saiba, se você lê o CH3.

Sim, é claro. O padre era Looner. O fetiche por balões é sabidamente incompreendido (compreensivelmente incompreendido) e por isso, os jornais não cogitaram essa hipótese. Por nojo, repugnância, ou vontade de proteger as crianças.

Vocês já podem estar pensando “seu bando de doentes, ele era um padre”. Portanto, recapitulemos os fatos.

Durante o seminário, ou depois, não sei, o padre faz voto de castidade. Sejamos francos. Eles acham alguma maneira de satisfazer os seus instintos mais primitivos. Adelir não atacou nem as ovelhas, nem os coroinhas. Satisfazia-se com os balões.

Vocês provavelmente conhecem algum fanático. O cara que matou por amor, pelo time, se trancou no quarto pra jogar Warcraft, nunca mais saiu de casa para assistir Lost. Para Adelir, as coisas eram assim.

Ninguém compreendia o seu fetiche. Todo mundo o rejeitaria, o papa se soubesse mandaria excomungar o padre. Ele tinha que curtir os balões em silêncio. Mas, a sua vida, cada vez mais pública, ia impedindo de que ele pudesse se divertir. Então, o que ele fez? Resolveu se amarrar com um monte de balões e ir com eles para o céu, onde ninguém poderia incomodá-lo.

Vejamos. Ele planejava fazer uma viagem de 300 km, algo assim. Era muito tempo. É pouco plausível essa idéia de que ele queria chamar a atenção para sua paróquia. Padre quando quer chamar a atenção grava CD. Ele queria apenas passar horas ao lado dos seus queridos balões. E mais, no dia da viagem estava chovendo. Quem é o maluco que sairia amarrado num monte de balões num dia em que estava chovendo? Ele disse que não teria problemas, era só passar pelas nuvens, e em cima das nuvens não chove.

Sim, mas, se até para um avião é difícil passar pelas nuvens de chuva, imagine um padre amarrado em balões. Ele estava cego por seus desejos, pelo seu fetiche extremo. Adelir provavelmente achou bom. Em cima das nuvens, ninguém, mas ninguém poderia vê-lo. E ele ainda foi com um celular com bateria fraca. Não queria que ninguém o importunasse.

Acabou morrendo e virando notícia. Não chamou a atenção para a causa Looner, porque chamar a atenção para isso é palhaçada. As pessoas o procuraram, mas a essa altura ele já deve estar numa fossa abissal. Alias um cara que se disse fiel da paróquia dele, falou que teve uma visão de que Adelir havia caído em um certo lugar. Na verdade, ele não queria achar o padre. Ele queria era resgatar aquele monte de balões. A cena dos balões no mar para um Looner é de uma tristeza profunda.

**

CH3 falou recentemente de Houston. O faz-tudo da NASA, que resolvia os problemas, mas hoje já não está mais lá. Pois vejam só vocês. A privada da estação espacial ficou entupida, no dia do intestino preso. Nos tempos de Houston, era só falar que eles tinham um problema, e ele desentupiria a privada com um garfo e fio dental.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

O Fetiche por Carros

CH3 está na fase dos fetiches, as especialidades do mestre Gressana. Depois de uma abordagem nunca vista até então sobre o frotteurismo feita pelo nosso colega, resolvi me aventurar a escrever sobre o fetiche por carros, após tomar conhecimento no grande número de ocorrências desse hábito. Sim, é verdade, nesse mundo em que a gente pensa que já viu de tudo, ainda há pessoas com tara sexual com polvos, com carros não seria diferente.

Minha inspiração para este post veio da história do americano Edward Smith, de 57 anos. Smith está em destaque no globo.com após declarar ter feito sexo com mais de 1000 carros, entre eles muitas celebridades, como o fusquinha Herbie, e haveria inclusive um vídeo com o fusca em situações comprometedoras. Smith declarou que sua experiência mais intensa foi com um helicóptero do seriado Águia de Fogo. “Ele era muito quente”, disse Smith por telefone ao CH3.

Ambos têm um pornô no currículo

O fetiche ainda não tem denominação científica, pelo menos não achei nada na internet. Pensei em dar o nome provisório de autolatria, mas o termo já se refere ao fetiche por si mesmo, pessoas que ficam se comendo na frente do espelho. Então resolvi usar “carrolatria”. A carrolatria se estende a diversas variações, como o fetiche por motos, por ônibus, aviões, helicópteros e até mesmo caminhões e tanques de guerra.

A carrolatria é mais comum do que parece, o americano Smith faz parte de uma comunidade de mais de 500 carrólatras. O carrólatra leva uma vida praticamente normal, com exceção da incontrolável vontade de manter relações sexuais com veículos automotivos. O carrólatra aproveita todos orifícios e partes cilíndricas existentes, eu disse todos. Essa tara causou problemas graves a um goiano propietário de um volkswagen que teve a ponta do pênis amputada após tentar rebater o banco.
É um fetiche admirável por não se pautar de preconceitos, pois o bom carrólatra se relaciona com carros de qualquer idade, cor e nacionalidade, não importa também o tamanho, os carrólatras são verdadeiros apaixonados por carros. O slogan “apaixonados por carro” da Ipiranga é fruto da carrolatria de um antigo presidente da empresa. Quem abastece nos postos Ipiranga tem grande chance de ser um carrólatra.







“Não passa de um velho tarado, um pervertido” disse Hanz, o Pansexual ao ser questionado sobre os hábitos de Edward Smith.





Muita gente ainda enxerga a carrolatria como uma doença, e se preocupa em manter uma relação mais distante com seu carro, preferindo nem lavá-lo. Mas para provar como a carrolatria já faz parte da sociedade CH3 listou algum hábitos e casos de pura carrolatria:

Você encera seu carro com que freqüência? Encerar o carro é como a besuntação para os carrólatras. Se você alguma vez já pensou em sexo encerando o carro pode se considerar um carrólatra.

O filme Transformers é o primeiro lugar em vendas nas lojas carrólatras de dvds. Nos cinemas o filme teve muito mais bilheteria nos drive-ins, cinemas destinados aos praticantes da carrolatria.

O cinema é na verdade um reduto de carrólatras. Já assistiu Perfume de Mulher com Al Pacino? Os sons da seqüência do passeio na Ferrari leva os carrólatras deficientes visuais ao êxtase. A série Velozes e Furiosos é cult entre os carrólatras, que já aguardam a estréia de Speed Racer nos cinemas. O bom carrólatra idolatra os carros com acessórios do 007. Alguns têm dvds só com as cenas nos carros dos mais de 20 filmes da série.

O sistema drive thru é criação de um carrólatra, para aqueles que não largam do carro nem para comer.

A carrolatria também invade o mundo dos desenhos. Speed Racer é quase um “hentai” para os carrólatras, a Corrida Maluca não fica atrás. O desenho Transformers é proibido em muitos países europeus acusados de conter mensagens subliminares estimulando a carrolatria. De fato, em uma pesquisa realizada com 2.000 carrólatras em todo o Brasil, 97,3% declararam ter assistido ao desenho quando crianças. Os Flinstones são o primeiro caso da união entre fetiches nos desenhos animados. Os podo-carrólatras ficam extremamente excitados com aqueles carros movidos por pés.

Já foi desenvolvido o carro-fetiche, o nome dele é Venturi Fetish, um carro elétrico esportivo, com apenas 25 unidades produzidas. É o sonho de consumo dos carrólatras com fetiche por choques elétricos.

Os carrólatras adolescentes passam horas com a Quatro Rodas no banheiro de casa, e não perdem um programa Auto Esporte. As corridas em geral também despertam um interesse incomum nos carrólatras. Existe até uma teoria de que o Barrichello é na verdade um carrólatra, que faz questão de andar o mais devagar possível pra aproveitar cada momento no seu Fórmula 1.

As carrólatras e os carrólatras gays, compram hot wheels aos montes, em detrimento dos antigos consolos de látex, os carrólatras gays também estão ganhando espaço na indústria automobilística, criando carros como o New Beetle, o 206 conversível e inventando nomes como Xsara Picasso.

E para quem pensa que os quadrinhos estão livres do fetiche por carros, de acordo com os estudos em carrolatria, o Batmóvel nada mais é que a representação fálica do caráter carrólatra de Bob Kane.

terça-feira, 27 de maio de 2008

CH3 recomenda

O CH3 hoje lista suas preferências em algumas categorias. Para os CHnautas que se perguntam que filmes assistimos, que livros lemos, sites que visitamos, etc. Poderíamos simplesmente dizer que nós do CH3 gostamos do que é bom. Mas aqui vai uma lista com algumas recomendações nossas, sobre:

Um filme:
Tackleberry: Rocky, um lutador. O primeiro de todos. Um clássico que marcou gerações.
Guilherme: Snatch- Porcos e Diamantes. Porque é um filme doente.
Gressana: Matadores de Velhinha. Pra quem aprecia um bom humor negro.

Uma música:
Tackleberry: I'm Bad Like Jesse James, de John Lee Hooker
Guilherme: Pork and Beans, o novo single do Weezer (com sua Pig Guitar)
Gressana: Fome do Cão, dos Raimundos.

Um livro:
Tackleberry: "Poemas de Vinícius". Ou qualquer lançamendo da editora CH3
Guilherme: O Manual do Cara-de-Pau. Um livro essencial
Gressana: O Almanaque dos Anos 80. Pra quem acha essa década no mínimo interessante.

Um site:
Tackleberry: Islifecorp. Excelente para baixar seriados. www.islifecorp.com.br
Guilherme:
www.pudim.com.br
Gressana: Omelete. Site de entretenimento em geral. www.omelete.com.br

Uma gostosa:
Tackleberry: Gisele Bündchen
Guilherme: Maryeva Oliveira (rapaaaaz!)
Gressana: Flávia Alessandra. Ultimamente, essa de longe leva o troféu.

Uma série de TV:
Tackleberry: Seinfeld
Guilherme: O Crítico
Gressana: South Park

Por enquanto é isso. Sugestões, curiosidades ou perguntas, escreva-nos para chtres@gmail.com

domingo, 25 de maio de 2008

O Anônimo

Algumas pessoas têm a certeza absoluta de que é Chuck Norris. Os mais modernos pensam que é o Jack Bauer. Stallone, Silvio Santos, Galvão Bueno. São várias as possibilidades. Mas não. Nenhum deles é. Na verdade o ser mais foda do planeta é o Anônimo.

E não estamos falando de um anônimo qualquer. Não, não é desses que mandam vídeo pra participar do Big Brother ou que levam faixas escrotas para o estádio de futebol. Falamos na verdade do anônimo da internet.

Sim. O anônimo do estádio é mais ou menos conhecido. Seu rosto está ali e ele está lá tentando deixar de ser anônimo. Os amigos vão ver ele na TV e reconhecer. Já o anônimo da internet não. Ele busca um eterno anonimato, e ninguém sabe quem ele é. Ele se diverte absurdamente com seu anonimato.

Ele é foda. Ele sabe tudo. Ele é crítico. Ele é bem informado. Ele é forte. Ele come todas as mulheres. Ele te humilha. Pelo menos, é isso o que ele quer que os outros pensem. E ele tem uma incrível capacidade de multiplicação. Ele está lá em qualquer blog, em qualquer lugar. O anônimo está em todas.

O anônimo adora agir nos blogs. Sua principal arma é a velha ameaça anônima. Vamos a algumas das personalidades do anônimo.

Intelectual Goiano: De vez em quando ele se passa por intelectual goiano. É aquele que vai no Google e procura um assunto do qual ele sabe tudo. Então entra em um site que fala desse assunto e destrói tudo o que está escrito lá. Ressaltando em todos os momentos o quão inteligente e sapiente ele é. Também conhecido com viadinho goiano.

Tarado Catarinense: Esse é nos dias em que ele incorpora a Emmanuelle. Vai aos blogs para destruir por completo os tabus sexuais da sociedade.

Torcedor Fanático: O torcedor fanático vai a blogs de comentaristas esportivos apenas para mostrar como ele, com reles 14 anos, entende muito mais do que todos os jornalistas com 20 anos de experiência que lá escrevem. Utiliza uma linguagem complexa, com períodos bem construídos, acentuação precisa, pontuação impecável e gramática irretocável. Não confunda-o com os fakes sem personalidade.

Didático Candango: Aquele que entra nos blogs e leva tudo a sério. Leva ao pé da letra tudo o que está escrito. Isso acontece com o viadinho, digo, intelectual goiano, só que enquanto o goiano humilha, o óbvio apenas não entende. Também conhecido como Lesado.

Mas, a característica geral é que ele é foda. O anônimo da internet provavelmente come todas as garotas que ele conhece e é capaz de bater em qualquer um. Pelo menos é isso o que ele sonha.

Cuidado com o anônimo. Ele é mau. Pega um. Pega geral.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Frotteurismo- o fetiche por encoxadinhas!

É isso aí, CHnautas! Depois de um bocado de tempo, voltamos a falar daquele assunto que todo mundo adora: os fetiches! Confessa, vocês estavam esperando muito tempo por isso.

Pois é. Hoje o fetiche em questão é o frotteurismo, a tara por encoxadinhas. Sim, daquelas que rolam em ônibus lotado, quando você aproveita pra roçar na coxa daquela morena gostosa e quando ela olha, finge que não fez nada. Ninguém imaginava que isso era um fetiche. Mas é.
Você pode pensar "pô, mas todo mundo gosta disso". Então o que faz disso um fetiche?
Começa na adolescência, com aqueles moleques cheios de espinhas no busão pra ir pra escola. Isso é uma fase que passa para a maioria. A maioria de nós evolui e procura então praticar o ato sexual em si. Já os frotteuristas ficaram presos nessa fase. Pra eles, é mais do que a simples fricção das genitálias no corpo de uma pessoa completamente vestida. É a lembrança de uma adolescência feliz, é a sensação do desafio de encoxar uma mulher, é a adrenalina causada pela possibilidade de ser pego.
Frotteuristas até se envolvem em relacionamentos amorosos. Mas quando o namoro chega ao nível sexual as coisas podem complicar. Não há penetração. Não há preliminares. Normalmente o casal nem mesmo se despe. O frotteurista no meio dos amassos, começa a praticar o ato da encoxada. A parceira então começa a sentir-se estimulada, mas quando ela está prestes a fazer alguma coisa, ela ouve: "foi bom pra você?". Sem entender o que aconteceu, ela pede explicações para o parceiro, que procura explicar a situação. Na maioria das vezes, ela entende no começo, mas depois sente a falta do sexo convencional, que provoca desagrado ao parceiro fetichista. Então o casal briga e rompe o namoro. Mesmo assim ele ainda procurará uma oportunidade para encoxar a ex-parceira, seja no ônibus, no elevador ou no metrô.

Enfim, mais uma descoberta sobre o bizarro mundo dos fetiches.Encerramos com alguns versos da nossa cultura musical:
"No coletivo o que manda é a lei do pau
Quem tem, esfrega nos outros
Quem não tem só se dá mal"
Esporrei na manivela
Raimundos

quarta-feira, 21 de maio de 2008

O Caso Lilly

Caro CHnautas, o que temíamos aconteceu. Há meses Hanz tenta esconder da imprensa mundial um grande escândalo sexual no qual ele está envolvido. Foram muitas as tentativas de distração, em seu desespero Hanz mandou travecos para o Ronaldo (sim, ele havia pedido três mulheres muito feias), chegou a causar pequenos desastres naturais na China e em Mianmar, mas nada deu certo, tudo culpa da Isabella. Não que a menina tenha feito algo de errado, mas o caso dela já não causa o mesmo interesse do começo, de nós sabemos como são esses abutres da imprensa.

Enfim, a bombástica notícia chegou hoje ao conhecimento do grande público por meio do renomado jornal CH3 News. Foi uma pauta que mesmo usando todas as nossas forças não conseguimos censurar, apesar de estampar o mesmo nome deste estimado blog, o CH3 News tem profissionais sérios que respeitam a liberdade de imprensa. Então resolvemos aceitar a cagada dos nossos colegas e assumir os erros do nosso colaborador, como o pessoal do PT costuma fazer.

Vamos então ao caso. O Caso Lilly, como foi batizado o escândalo, envolve Hanz, O Pansexual e a tartaruga Lilly Franziska. Hanz teria mantido Lilly presa em casa por 24 anos, e manteve relações sexuais com ela durante todo esse tempo. Segundo testemunho de parentes do acusado, a tartaruga teve dezenas de ovos enquanto era prisioneira do Pansexual, mas Hanz comeu todos eles. Hanz não é austríaco, como diz a reportagem do CH3 News, mas alemão, nascido na pequena Herzogenaurach.

A pequena Lilly Franziska tentou fugir por diversas vezes, mas todas as tentativas foram frustradas por uma preguiça trazida ilegalmente da Amazônia e adestrada na Polônia, que Hanz mantinha para vigiar a tartaruga, e também para relações sexuais de longa duração. O mais curioso é que o sobrenome da vítima deriva de Franz, que em alemão significa “liberdade” (essa é a parte em que as velhinhas choram de emoção).

Até agora Lilly não disse nada à polícia alemã, só fica no canto do quarto com a cabeça encolhida. A comunidade européia está estarrecida com o caso e psicólogos de todo o continente divergem nos diagnósticos, a tese mais provável é que ela tenha adquirido a Síndrome de Estocolmo. Com a repercussão do caso Hanz começa a ganhar inimigos, os desocupados que faziam protestos pela libertação do Tibete já organizam passeatas contra o abuso de tartarugas. Leonardo, Michelangelo, Rafael e Donatelo já estão no Brasil em busca da pele do Pansexual. Em entrevista à CNN o Mestre Splinter falou sobre Hanz: “Se morrer, morreu”. A tartaruguinha da Brahma, sumida da mídia desde a Copa de 2002 agora é formada em Direito na Unic, e já se ofereceu para trabalhar na acusação do caso. Por incrível que pareça, Hanz encontrou apoio em Hollywood. Silvester Stallone, sim ele mesmo, declarou comer ovos de tartaruga crus todas as manhãs. Porque você acha que Rocky Balboa cria aquelas tartaruguinhas hein?

CH3 declara que como instituição é totalmente a favor das causas animais. Já discorremos aqui, sempre em tom muito respeitoso, sobre cães, gatos mais recentemente, hienas, ornitorrincos, Edmundo e muitos outros. Até sobre pepinos do mar, se é que dá pra considerar animal um animal com nome de vegetal. Isso nem Freud explica.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Esportes Olímpicos: Vôlei

Vôlei é um esporte cheio de pulos, cortes, sacadas e tapinhas na bunda.

O vôlei é um esporte comumente associado à prática do homossexualismo, viadagem, baitolagem, boiolice, ou como você preferir. Uma associação aceitável. Afinal é um esporte cheio de caras altos, fortes, com camisas regatas que a cada ponto conquistado comemoram se abraçando e dando tapinhas na bunda. Certo, isso às vezes acontece no futebol. Mas, um time, vai lá, faz em um bom dia cerca de quatro gols. No vôlei não, são necessários pelo menos 75 pontos, ou 75 tapinhas na bunda para ganhar a partida. E como se não bastasse os caras se cumprimentam até quando perdem o ponto.

O cartunista Allan Sieber e o surtado gaúcho Eduardo Peninha Bueno odeiam o voleibol. Peninha abomina qualquer esporte praticado com as mãos. Já Sieber diz “Eu odiava a porra do vôlei. Até hoje acho o esporte com bola mais idiota do planeta, jogado pelas pessoas mais idiotas do mundo”. Alias, certa vez neste blog foi publicado um desenho de Allan sobre o assunto. Lá em junho ou julho de 2006. Se quiserem ver, procurem. Ou, cliquem no marcador de outros esportes, aqui embaixo. Eu não to a fim de procurar esse post.

Mas certo, o CH3 não odeia o vôlei tanto assim. Sim, consideramos que o vôlei é um esporte em certo ponto patético, mas admiramos bastante o vôlei feminino. Escolas como a russa, holandesa e italiana são muito belas. Inclusive a atual seleção brasileira é das melhores que já vestiu nossa camisa. Sheila, Jacqueline, Paula Pequeno e Carol Gattaz. Uma seleção de respeito.

E tá, nós até admiramos a atual seleção masculina por conta do Bernardinho. Antes o Brasil sempre perdia para a Itália, EUA, Sérvia & Montenegro, ou até mesmo para a Argentina, por falta de confiança. Nossos jogadores ganhavam de todo mundo, mas quando chegavam à final viam que aqueles caras falavam outros idiomas, usavam ternos e perfumes importados, e, humilhados, eram atropelados.

Bernardinho acabou com essa porra. Chegou botando moral naquele caralho daquele time. Falou que ali ninguém era viado não e botou pra fuder com todo mundo naquela porra. Jogadores que antes eram viadinhos como Giba, André Heller, Dante e Gustavo, se transformaram em discípulos de Stallone Cobra. Sim, Bernardinho é um mito.

Mas, depois de tanta enrolação, falemos logo do esporte e de sua trajetória olímpica.

O Vôlei foi inventado por um professor de Educação Física. Ele tinha apenas um único objetivo que era o de dar algo para as meninas fazerem durante suas aulas. Era fácil, meninos vão pro futebol e meninas vão pro vôlei. Eventualmente os viadinhos iam jogar de levantador no time feminino. No começo, a rede era feita com as meias-calças do professor.

As leis então se transformaram nas mais complicadas do planeta. Há um limite de três toques por posse de bola de cada equipe, sendo que quando está sendo configurado o bloqueio, os toques não contam. Um jogador não pode tocar duas vezes seguidas na bola, nem mesmo pode conduzi-la. Existe uma linha na qual não se pode pisar. E existem seis juízes na partida. Sendo que um está lá apenas para fiscalizar as comemorações. Ainda existe o líbero, que é um cara que fica tomando bolada o jogo inteiro e fica revezando de posição com um dos dois meios-de-rede. Além do levantador, que vez ou outra inverte de posição com o oposto.

Durante muito tempo o vôlei foi marginalizado. Tanto que ele só foi aparecer nas Olimpíadas em 1964, nos jogos de Tóquio. As potências eram os países comunistas e o Japão. Os comunistas por que... Oras, vocês devem ter visto Rocky para saber como eles eram preparados. Já os japoneses, é algo inexplicável. Mas muito provavelmente, não era preciso ser muito alto para jogar naquela época. Além é claro do fato dos japoneses adorarem vôlei. Até hoje eles dizem vooooooooleeeeeei em conversas do MSN, para demonstrarem toda a sua felicidade.

Só em 1984, devido ao boicote do bloco comunista, é que um país capitalista e não japonês ganhou alguma coisa. Foram os Estados Unidos que ganharam justamente em cima do Brasil, com sua lendária geração de prata. Isso no masculino, porque no feminino até hoje só ganhou japonês ou comunista.

Finalmente em 1992 o Brasil ganhou seu ouro Olímpico no vôlei masculino. Façanha repetida em 2006 com o Bernardinho. Estatísticas mostram que a cada 100 torneios disputados o time dele ganha 103. Até quando ele perde, é apenas uma maneira de sacanear os adversários, para que estes achem que será possível derrotar o Brasil futuramente. Já no feminino o Brasil ganhou dois bronzes, mas sempre perde para Cuba. Mas aí é por medo mesmo.

E desde 96 é disputado o vôlei de praia. Cujo único objetivo é mostrar em close as meninas tirando areia da calcinha.

Neste ano Jorginho de Ogum aposta em uma medalha de ouro no vôlei masculino, bronze no feminino. Na praia ele não aposta nada não.

sábado, 17 de maio de 2008

Comunidades de orkut

Aqui no CH3, já comentamos brevemente sobre a dimensão que o orkut ocupa no cotidiano. Todo mundo já sabe, o orkut é um universo paralelo. No orkut são discutidas questões importantes para a humanidade, e grandes eventos são marcados. Enfim, é um fluxo de informação imenso.

Vamos falar um pouco sobre o ponto de encontro desse mundo. As comunidades. Você sabe quantas comunidades existem no orkut? Claro que não temos nesse momento um número preciso, mas calcula-se algo em torno de 55.000.000. Ou seja, 55 milhões. Isso hoje. O número cresce espantosamente todo dia.
As comunidades surgiram com o propósito de ser um ponto de encontro de pessoas com interesses comuns. Eram comuns comunidades de alguma universidade, cidade, time, escritor, banda, etc. A primeira comunidade a ser criada é da Universidade de Stanford, criada pelo próprio Orkut Buyukkokten, carinhosamente apelidado de Orkut Buiu. Com o passar do tempo, qualquer coisa pôde virar comunidade. Já tem comunidade pra tudo. Inclusive comunidades pra dizer que tem comunidade pra tudo, veja.
Existem tantas, e com os mais diversos propósitos, que elas se tornaram dispensáveis. Inúmeras pessoas entram nelas só por entrar, nunca irão participar. Assim, a grande maioria das comunidades do orkut são totalmente inúteis. Por exemplo, criaram comunidade para discutir quem havia matado Lineu na novela Celebridade de 2004. Beleza, mistério resolvido, a novela acabou, e aí? Mesmo sem propósito, a comunidade ainda tá lá. Também há os casos de comunidades repetidas. Procura, sei lá, por comunidade da banda Green Day e veja quantas existem. Coisa mais inútil isso. Pra que vai criar outra comunidade com o mesmo propósito de uma que já existe? Até aquela comunidade que eu citei anteriormente, a Tudo vira comunidade, tem um monte igual. Bando de povo sem ter o que fazer.
Como era de se esperar também, bizarrices existem de sobra. Procure que você vai achar comunidades de looners, coprófagos, zoófilos, etc. E pior ainda, essas comunidades de gore, splatter, tortura e afins. Um ponto de encontro de sociopatas. Outras que são igualmente revoltantes são aquelas comunidades que têm só uma frase na descrição, tipo essa e essa. Normalmente freqüentadas por indies. Uma desgraça.
Há as comunidades mais clássicas do orkut. A "Eu odeio acordar cedo", criada em 23/05/2004 é a mais numerosa. São 4.451.100 membros e cresce a cada minuto. Nem por isso, claro, essa deixa de ser uma comunidade inútil. Pô, quem quer saber se você odeia ou não acordar cedo? Coisa mais sem propósito, contar pro mundo que odeia acordar cedo. Fala sério. Clássicas também, a "Muito + as morenas" e a "Ou me pega de jeito ou ñ pega". Sobrevivem de joguinhos.

Enfim, pensando bem, chega até a ser revoltante. Se fosse peneirar todas as comunidades do orkut, das 55 milhões, era capaz de sobrar no máximo umas 10 mil que prestam pra alguma coisa. Isso sendo otimista. E porque? Porque qualquer um pode criar uma comunidade. QUALQUER UM. A única condição para criar uma comunidade é você ser uma pessoa de verdade. Experimente criar pra você ver.
Ps: Aproveite e entre para a comunidade do CH3 para debater o assunto.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Grandes nomes da História, 3

Houston

Sejamos francos. Você às vezes enfrenta problemas em sua vida. Não consegue fazer aquele trabalho, fica desesperada achando que vai cair João do Rio na prova, e não há ninguém que possa te ajudar. Ninguém? Ledo engano seu. Existe alguém que possa te ajudar sim, e esse alguém se chama Houston.

Houston da Silva é um baiano nascido em uma rica família de Ilhéus, e que desde cedo ajudava muitas as pessoas. Seu pai lhe deu esse nome em homenagem à cidade americana que ele havia visto em um jornal. Logo no momento do seu parto, o médico disse “é... nós temos um problema”. E eis que Houston de dentro do ventre materno resolveu o problema. Sabe-se lá como. As testemunhas do caso foram consideradas loucas mais tarde.

Com o passar dos anos, as bondades do jovem Houston não cessaram. Ele ajudava todos os seus amigos a fazer a lição de casa, tirava gatos de cima do telhado, ajudava velhinhas a atravessar a rua e ainda fazia mágicas para ajudar as crianças carentes. Além de consertar carros, encanamentos e o que fosse. Era só alguém falar que tinha um problema e lá ia Houston ajudar. Certa vez um cidadão chamado Lee David Zlotoff de férias na Bahia, ao observar as façanhas de Houston teve a idéia para criar uma famosa série televisa conhecida com MacGyver.

Outro americano que tirava férias no Brasil ficou impressionado com seu talento. Fazendo um passeio de barco o motor quebrou, e o capitão da embarcação disse “Fudeu. Temos um problema”. E eis então que Houston veio nadando vários quilômetros no mar e munido apenas de uma barra de chocolate e um barbante, consertou o motor. Acontece que este americano trabalhava na NASA e logo contratou Houston para trabalhar na empresa.

Era a época da Guerra Fria e na corrida espacial, Houston foi decisivo para o sucesso americano. Se s astronautas estavam lá flutuando e percebiam um problema, era só falar “Houston, We Have a Problem” que lá ia nosso personagem e resolvia tudo. Ele trabalhava em terra, mas esteve na missão Apollo 11 com apenas uma missão. Filmar Neil Armstrong pisando na lua. Sim, é ele quem estava filmando.

Houston era tão bom no que fazia, que as pessoas foram lhe dando mais funções. Certo dia o chefe da NASA resolveu dividir todo mundo em dois grupos para coordenar a missão Apollo 13. Eis suas palavras: “Dividiremos todos em Equipe A e Equipe B. A Equipe A contará com (se seguiu uma lista de cerca de 89 nomes) enquanto que a equipe B terá Houston. A Equipe B irá coordenar a missão, os astronautas, checar os comandos, fazer cálculos e tudo o que for preciso, enquanto que a Equipe A irá participar de um churrasco com mulheres nuas dançando em nossas caras”.

E sim, lá ficou Houston sozinho tomando conta da missão espacial. Eis então que aconteceu um problema. Baiano que era, Houston havia comido muitos acarajés apimentados na véspera e foi acometido por diarréias muy raras. Houston tinha um problema. Nos minutos em que ficou fora tudo foi pelo espaço (belo trocadilho hahahaha há há hmm). Acumulando a função de assessor de imprensa, Houston foi humilhado pelos repórteres Carl Bernstein e Bob Woodward.

Quando a Equipe A retornou no dia seguinte todos ficaram putos com Houston, que acabou sendo demitido. As viagens a lua nunca mais foram as mesmas.
Depois disso Houston voltou para a Bahia, onde vende sorvete e é pescador. Suas histórias foram as responsáveis pelo surgimento do termo “história de pescador”

terça-feira, 13 de maio de 2008

A marcha do cheiramento de gatinhos

Pouca gente sabe, mas também ocorreu uma marcha a favor da liberação do cheiramento de gatinhos. É que a marcha da maconha tirou toda a atenção. Especula-se que foi um lobby das bandas de reggae nacionais e locais.

Enfim, pra quem não sabe, há algumas pessoas que conseguem ter efeitos alucinógenos ao inalar felinos de pequeno porte, popularmente conhecidos como gatos. Essa prática tornou-se ilegal principalmente porque os gatos, após serem cheirados, começam a perder os pêlos e a sanidade, o mesmo efeito observado nos praticantes do cheiramento. Um bom motivo pra proibir.

Imagine, de repente anunciam que o cheiramento de gatos está liberado. O que acontece é que a galera resolve aproveitar, aumentando assim o número de gatos e pessoas retardadas e sem pêlos. Quem vai pagar o médico e o veterinário? Adivinhe.

Bem, além disso, estudos na área indicam que o cheiramento de gatinhos induz a vícios mais perigosos, como o consumo de casca de batata, a inalação de flatulência e o flamenguismo. Em breve, veríamos a marcha do consumo da casca de batata. Ou coisa pior. Pode chegar um dia que todos nos tornemos flamenguistas.

Então, antes de você cheirar um gato, pense que o dinheiro gasto com o veterinário pode ser usado para alimentar as criancinhas desnutridas na Somália.

domingo, 11 de maio de 2008

Horóscopo da Bossa Nova

Em Homenagem aos 50 anos da criação deste estilo

Áries:
Um banquinho e um violão
Um barquinho e uma canção
A sorte a passear no infinito

Touro:
Pôr-do-sol em Ipanema
Cada nuvem é um poema
Um sinal de azar na sua vida

Gêmeos:
A morena caminhando
Seu cabelo balançando
Você vai perder o seu emprego

Câncer:
Vou sair pra ver o mar
Deixar a tristeza pra lá
Você vai perder dinheiro

Leão
O andar dessa menina
Olha só que coisa linda
Saturno encobriu a sua avenida

Virgem
Uma folha de papel
O azul do céu
Bom dia para investir em ações da bolsa

Libra
Pela janela o Corcovado
Na areia seu bronzeado
O avião talvez vá cair

Escorpião
Se estou aqui tão sozinho
Nada tenho em meu caminho
Além de uma casca de banana pra escorregar

Sagitário
Fim de tarde na cidade
Um verso para a eternidade
As luzes que trazem conjecturas positivas

Capricórnio
O amor é uma surpresa
A morena é uma beleza
Mesmo assim você vai precisar de Viagra

Aquário
É o vento ventando
Um coqueiro que dá coco
Muitas redundâncias em sua vida

Peixes
Ela é carioca, ela é carioca
Então tem sorte
Se fosse paulista, tava fudida

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Caçadores de mitos

Você com certeza já ouviu alguma lenda urbana. Tirando a história da loira do banheiro, da seringa no cinema e da banheira de gelo, ainda sobram aqueles pequenos mitos que ouvimos desde pequenos, como a história de que tocar bronha demais faz crescer pêlos nas mãos. E nós até já nos acostumamos com os mais recentes. Hoje você verá o CH3 agir como caçadores de mitos. Pegamos algumas lendas urbanas e testamos a veracidade das mesmas. Confira nossos resultados aqui:

O hamburger do MacDonald's é de minhoca?
Bem, não tem como saber só comendo o lanche, afinal, ninguém nunca comeu minhoca. Digo, talvez alguém aqui já tenha comido quando era criança. Sempre tem um. Mas como não é nosso caso, fomos investigar. Descobrimos que nas fazendas perto das cidades onde há pelo menos um estabelecimento do MacDonald's, há uma criação de minhocas disfarçada. Em cidades do sul do país, é comum o cultivo extensivo de minhocas. Na maioria das fazendas, há as minhocas que são engordadas para o abate. Também tem as minhocas leiteiras, que dão cria e amamentam os filhotes. E, claro, uma minhoca reprodutora.
Depois de ver isso, chegamos à conclusão que sim, os hambúrgeres do MacDonald's são de minhoca. Mas nem por isso a gente deixa de comer lá, a gente não é fresco não.

O aquecimento global é real?
De uns tempos pra cá, falam nisso o tempo todo. Ninguém mais agüenta ouvir falar em aquecimento global. Mas... todo esse alarde apocalíptico é mesmo verdade, do jeito que dizem? Pesquisamos opiniões de diversos cientistas. Aqui as opiniões se dividem, muitos dizem que sim, que o planeta está sofrendo um processo de aquecimento muito exagerado e que precisamos tomar providências em larga escala. Outros dizem que o aquecimento do planeta é um processo natural, e que se por um lado há uma elevação nos padrões de temperatura, por outro, muita coisa do que vem sendo dita não passa de sensacionalismo sem comprovação científica. E que esse pessoal que resolveu adotar um estilo de vida "verde" faz tanta diferença quanto uma formiga tentando matar um boi na porrada. Também resolvemos ouvir a opinião de hippies ambientalistas. Quanto perguntamos se o aquecimento global era real, eles começaram a berrar, dizendo que era MUITO REAL e que era culpa do PSDB. Perguntamos se não havia um certo exagero nessa questão, e eles vociferaram que isso era um absurdo, que o planeta vai morrer por nossa causa e que não damos importância ao meio amiente, que era mais importante do que nós.
Enfim, chegamos à conclusão que prevenir é bom mas o melhor é não acreditar em tudo que dizem a respeito do assunto. Pra quem quiser ser previnido, sugerimos que desde já comprem terras na região central do país, porque se o litoral inteiro for inundado, esses terrenos vão valer uma fortuna.

Cães comem lições de casa?
Em inúmeros filmes e desenhos americanos, quando alguém não faz a tarefa, sempre usa a desculpa "meu cachorro comeu minha lição". Intrigados com isso, resolvemos testar. Reunimos cachorros de diversas raças, e para cada um, demos uma lição de matemática. Nenhum pareceu se interessar. Então demos uma lição de geografia. Os cães nem mesmo deram uma lambida. Pusemos à disposição deles, em uma tigela, um bife e uma lição de casa. Todos comeram o bife. Trocamos o bife por uma ração e mantivemos a lição de casa. Alguns comeram a ração, outros não quiseram comer, mas nenhum chegou a flertar com a lição.
Conclusão: melhor inventar outra desculpa se você não tiver feito seu dever de casa.

Cheirar gatinhos dá barato?
Quando descobri a Desciclopédia, vi que eles falavam bastante em algo sobre "cheiramento de gatinhos". Fiquei pensando que merda era essa. Procurei no site mesmo e fui informado que se tratava de uma forma de vício, que essa prática causaria efeitos entorpecentes. Achei estranho, e como nunca tinha ouvido falar disso, vi que o único jeito de descobrir era cheirando o felino em questão. Então comecei a inalar diversos bichanos. Descobri que, se você chama uma crise de espirros de "barato", então sim, cheirar gatinhos tem esse efeito.

A Sandy é virgem?
Garanto à você que não.

Existem mensagens subliminares nos desenhos da Disney?
Rapaz, as mensagens chegam a ser explícitas! Pelo menos para nós, mais velhos, que temos a mente poluída. As crianças não entendiam alguns gestos e alguns comportamentos nos filmes, ou alguns elementos. Bem, a gente até que não ligaria para uma personagem ninfomaníaca, um personagem drogado ou para aquele gato com o nome do Capeta. E bem, nem deverámos nos importar com o que as crianças pensam disso, afinal, os desenhos de hoje em dia já são uma merda mesmo.Enfim, pra comprovar, veja um exemplo. Aqui vemos que Scar, o vilão do filme o Rei Leão está mais pra veadinho do que pra leão. Veja que no momento de sua morte, ele confessa seu homossexualismo: Veja aqui.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

As fotos artísticas

Frequentemente recebo e-mails com fotos inusitadas, de obras que causam estranhamento nas ruas e estabelecimentos do mundo todo, são as chamas Street Arts, ou Artes de Rua, como se diz por aqui. Lendo o bluebus outro dia, vi uma peça mostrando água caindo em pixels de uma torneira.

Foi então que me lembrei dos trabalhos fotográficos de Marcão. Além de ser pedreiro, ex-lateral direito do Flamengo, analfabeto, segurança de boate gay e ator de filme pornô, Marcão é também fotógrafo. Marcão fez o curso de fotografia no Univag, onde sua filha faz Administração, e desde então vinha fazendo pequenos freelances para sites de zoofilia. Essa experiência em fotografar animais resultou na exposição “Cão Leproso Nu e Cru” que tem o Cão Leproso como modelo em todas as fotos.

Resolvi ligar para Marcão e pedir algumas fotos da exposição para completar a execução dessa postagem, foi quando o telefone tocou. Dessa vez não era o Bruno procurando uma gravata prata, e sim Jorginho de Ogum pedindo minha ajuda para tirar ele e Marcão a cadeia. Jorginho estava muito nervoso e gaguejava, e quem já ouviu gago no telefone sabe que é uma merda. Gago falando no telefone é mais escroto que cegos jogando Imagem em Ação.

Chegando à delegacia entendi os acontecimentos. Marcão fora preso após uma briga com três travestis. Agora vocês já devem estar pensando “agora é moda flamenguista ser preso com travestis”, mas Marcão é macho, e brigou com os travestis por que os mesmos estavam fazendo ponto em frente ao Carnicentas e competindo em feiúra com as profissionais do local. Marcão estava dando um pau nos travecos (sem conotação sexual) quando a polícia chegou enquadrando todo mundo. Na tentativa desesperada de salvar seu amigo do xadrez, Jorginho de Ogum ofereceu sua filha como suborno aos policiais, mas eles confundiram ela com um travesti, e levaram os dois pra cadeia também. Depois de muita conversa e uns trocados, consegui tirar Marcão, Jorginho e sua filha da cadeia e ainda subornei os canas pra darem um pau nos travecos (sem conotação sexual).

A seguir algumas peças dessa exposição polêmica e nefasta, com fotos tiradas ao redor do mundo, que “desperta os instintos mais primitivos”, como diria Roberto Jefferson. Pode se ver com facilidade as expressões que Cão Leproso carrega em seu semblante, indo da extrema felicidade ao desespero. A exposição completa estará disponível ao público pela primeira vez na inauguração da nova casa de campo que a Patrícia comprou no interior de Mato Grosso.
Cão Leproso imitando o Cristo Redentor:
Nessa foto ele bate um papo intelectual com Drummond:

Não são só as cabritas que têm seios.

Cão Leproso já foi treinador de goleiros:
Aproveitando uma praia de nudismo:


segunda-feira, 5 de maio de 2008

A falta de assunto

Hoje eu acordei e me lembrei: tenho que postar no CH3. Olhei para os meus arquivos e fui pensando em qual texto iria trabalhar. Seis ou sete temas estavam ali a minha disposição, mas nenhum me parecia agradável. Tentei escrever algo ali, algo acolá, mas nada evoluía. Pensei, pensei e então cheguei à conclusão: Estava sem assunto.

A falta de assunto é algo grave. Sempre chega até você em momentos no qual você precisava urgentemente de um assunto. Na hora que você está sozinho com alguém, quando tem que fazer a sua redação no vestibular, quando você tem que fazer aquele trabalho da faculdade. O que se pode fazer? Bem, não há muito que fazer. Você só tem que esperar o assunto aparecer ou então ir embora, não entregar o trabalho.

Isso para vocês. Para quem é do CH3 quando não se tem assunto há sempre uma solução fácil. Ir encontrar o Pai Jorginho de Ogum. Foi isso o que eu resolvi fazer.

Fui então até a casa de diversão noturna Carnicentas. Parei meu carro no sol. Até existe um estacionamento coberto no local, mas eu sempre tenho a impressão de que a cobertura poderá desabar a qualquer momento. Na porta eu encontrei o Cão Leproso e perguntei para ele como as coisas estavam indo. Apesar de ser um cão, ele é um desenho animado e cães de desenho animado sempre falam. Menos o Cão Leproso que nunca fala nada e fica apenas nos observando com a sua cara ímpar. Logo ele fugiu, quando algumas crianças começaram a jogar pedras nele.

Ao entrar no estabelecimento encontrei a filha de Jorginho de Ogum fazendo o Pole Dancing. Nunca nos meus 20 anos de vida imaginei que iria ver cena tão grotesca. Combinava com o cheiro sempre insuportável do local. Encontrei pai Jorginho, Marcão e Hanz, o pansexual, na mesa do bar. Cumprimentei Jorginho e ele me ofereceu um copo de cerveja quente com uma barata nadando na espuma.

Recusei claro, e Jorginho me disse que Ronaldo, o fenômeno, freqüentou o Carnicentas. O motivo? Ele adora mulher feia. Perguntei o porquê de tanta festa e Marcão, para minha surpresa, me respondeu. Não entendi uma única palavra do que ele falou. Jorginho logo me explicou que eles estavam comemorando o título carioca do Flamengo.

Então porque Hanz estava ali se ele é torcedor do Brasil de Pelotas? Bem, ele estava apenas para sentir o prazer sexual que a cadeira provoca em seu corpo. Fui embora logo, porque eu não suporto ficar perto desse maldito velho tarado. Além de ficar no meio de tão nefasta comemoração. Saindo do estabelecimento para entretenimento adulto, vi o Cão Leproso mijando nos pneus do meu carro. Então, joguei algumas pedras no cachorro.

Na volta para casa vi uma movimentação próxima ao Shopping. Seguindo meu instinto jornalístico eu fui ver o que era. Tratava-se do garoto Fabinho. Ele é botafoguense e seu pai resolveu fazê-lo andar vestido de mamífero da Parmalat, para então ser humilhado por todos.

Voltando para meu carro encontrei Alfredo Chagas fazendo malabares no semáforo. Ele então me pediu uma carona. Eu neguei porque ele é insuportavelmente chato. Ele voltou a insistir e tudo bem, eu disse que o deixava no ponto de ônibus. Mal entrou no carro e ele começou a falar mal dos últimos posts do CH3. Criticou os passatempos e falou que essa era uma invenção das minorias opressoras. Eu então falei para ele descer. Ele me disse que se ele descesse não mais pagaria as rodadas de cerveja. Não cai nesse truque, e ele desceu.

Depois disso eu encontrei Mick Jagger tomando Coca Cola num barzinho, presenciei o desabamento de um prédio e vi o prefeito da cidade sair com sua amante de um Motel. E então vim aqui, falar sobre a falta de assunto.

sábado, 3 de maio de 2008

Animal!

Conheça um pouco sobre as criaturas estranhas que dividem o planeta com nós humanos.


O post de hoje é um documentário, igual àqueles que você vê no Discovery Channel, ou mesmo no Globo Repórter. Falaremos de algumas criaturas no mundo animal.Já foi dito certa vez que comer tatu é bom, mas é uma pena que dá dor nas costas. Deixemos de lado esse tipo de relação homem-animal, senão vamos começar a atrair adeptos da zoofilia para o blog, um bando de safados.
Aliás, bicho safado e oportunista é a tal da hiena. Provavelmente o mais feio dos mamíferos (depois de alguns exemplares de homo sapiens, é claro), a hiena deixa os leões e leopardos fazerem todo o trabalho de matar a presa, espera eles cansarem de comer e vai lá e come o resto. Como os felinos são burros demais pra achar o filé da gazela, a hiena acaba saindo na boa. Aí a hiena quando pensa na situação toda e em como vive a vida, começa a dar risada. Um parasita. A hiena é o filho da puta do reino animal.
Mas os defensores do bicho dizem que tudo que ela faz é se aproveitar da burrice dos outros animais. E desse tipo a natureza tá cheio. Hamsters não costumam ser muito espertos, como seus primos ratos. Ovelhas também são um tipo lesado. Mas nenhuma criatura é tão estúpida quanto a galinha. Já falamos delas antes, mas nunca é demais lembrar. Galinhas são capazes de morrer sem correr perigo algum. Elas mesmas trazem para si o perigo que está longe. Se um carro está andando no meio da rua, a galinha pula da calçada para a rua e começa a fugir do carro. Galinhas conseguem se matar todas ao mesmo tempo em um galinheiro. É só fazer uns barulhos engraçados que elas começam a correr de um lado para o outro até não sobrar nenhuma viva. Elas comem tudo que é jogado para elas, até mesmo carne de galinha. Eu não sei como a seleção natural não eliminou todas as galinhas da face da terra.
Já as raposas são o contrário do que são as galinhas. Não é por acaso que as espertas raposas são os antagonistas das obtusas galinhas. Outro canino esperto é o lobo. Daí que vem o termo popular "lobo em pele de cordeiro". Se houvesse política no mundo animal, os lobos seriam os prefeitos e teriam vários representantes de sua raça na câmara dos vereadores.
Mas além das várias criaturas interessantes, há também os animais inúteis. Por exemplo, pra que diabos serve o pepino-do-mar? Que merda de criatura bizarra é essa? Não faz nada. É uma coisa escrota que fica ali no fundo do mar. Não deve nem ter predadores naturais, porque nenhum bicho tem coragem de comer essa coisa. E quando se sente ameaçado, expele todas as vísceras para fora do corpo. É revoltante. Aliás, ainda no fundo do mar, temos os polvos. Uns bichos horríveis, cabeçudos, moles. Mas pelo menos diferente do pepino-do-mar, o polvo é comestível. Pelo menos algumas pessoas acham. Mas tudo bem, com tanto coprófago por aí, até dá pra entender que também tem gente que come polvo.
Voltando aos vertebrados, e ainda falando de bizarrices, temos os chimpanzés. As criaturas mais desgraçadas da superfície. Chimpanzé não conhece limites para a promiscuidade. Eles trepam o tempo todo entre si. E não fazem distinção nenhuma de sexo ou grau de parentesco. É comum o pai comer a filha, a mãe dar pro filho, irmão comer irmã, mãe dar pra filha, pai comer filho, mãe comer pai... É uma putaria sem precedentes. Por isso, a próxima vez que você for ao zoológico, fique longe da área dos primatas. Até porque isso vai te lembrar que somos parentes próximos deles... Por exemplo, repare nessas duas últimas fotos.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Passatempos para quem não tem tempo para perder

Você é um homem moderno. Ou, uma mulher moderna. Isso significa que você faz sexo o tempo todo. Ou não, isso só significa que você não tem tempo para perder. Mas mesmo assim, você pode ter aquele tempo ocioso e para passar esse tempo ocioso que você não poderia estar perdendo, você pode estar solucionando os passatempos para quem não tem tempo para perder. Foram desenvolvidos exclusivamente pelo CH3, especialmente para você homem moderno que quer um investimento seguro.



Começamos com um fantástico labirinto.

Agora um emocionante jogo de ligar os pontos.





Incríveis palavras cruzadas já preenchidas.




E um jogo de colorir. O resultado é foto de um albino no Polo Norte




Divirtam-se