sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Os melhores sambas-enredos de 2017

Neste fim de semana a Marques de Sapucaí será a passarela do samba e foliões do planeta inteiro se dirigirão até a Avenida para ver carros alegóricos aleatórios, fantasias cheias de pluma, referências bibliográficas duvidosas e muitas genitálias. Cumprindo uma tradição recente, o CH3 faz uma análise dos cinco melhores sambas enredos do sagrado/profano ano de 2017.

1) Mocidade Independente de Padre Miguel
Tradicional escola, apartada das conquistas desde que o seu patrono Castor de Andrade veio a óbito. Para este ano, eles tentarão em vão recomeçar uma era de conquistas com o tema “As mil e uma noites de uma Mocidade pra lá de Marrakesh”. O trocadilho maroto do título já antecipa a qualidade do enredo, explicado da seguinte forma pelo carnavalesco da agremiação: “Fizemos do Saara uma passarela, e no reino do Marrocos, o nosso conto transformou minutos em mil e uma noites de alegria e prosperidade, ao vestirmos a fantasia, tecemos um tapete mágico onde desfilaram os sonhos da Mocidade”. O Melhor trecho do samba: “Põe Alladin no agogô, tantan na mão de Simbad. Meu ouvido é de mercador”, uma união de fábulas infantis com instrumentos musicais, fechada com uma afirmação completamente desconexa da realidade.
Na fantasia criada pela Mocidade, Aladdin conhece o índio Papa Capim e juntos criam uma aliança global pelo planeta

2) Beija Flor de Nilópolis
A eterna campeã do carnaval avançará pela passarela com um enredo sobre Iracema, a virgem dos lábios de mel, aquele livro chato pra cacete do José de Alencar que te obrigaram a ler no Ensino Médio e que até hoje é responsável por uma geração de pessoas que acham que não tem saco para a leitura. A letra é uma espécie de resumo simplificado rimado da obra dos quais dois trechos podem ser destacados: “pega no amerê, areté, anama” e “A jandaia cantou no alto da palmeira, no nome de Iracema, lábio de mel, riso mais doce que o Jati, linda demais cunhã-porã iterei, vou cantar jureme, jureme, jureme, vou cantar jurema, jurema. Uma história de amor, meu amor”. Vai pra cunhã-que-te-porã.
Iracema chega na Avenida dançando até o chão

3) Unidos da Tijuca
Escola responsável pela revolução carnavalesca dos últimos anos, ao misturar Michael Jackson com Ayrton Senna e samba, a Unidos da Tijuca desfilará o enredo “Música na Alma, Inspiração de uma Nação”. O tema aparentemente simples, capaz de ser preenchido por qualquer coisa se torna mais complexo uma vez que, por trás da generalidade do título, a intenção da escola é falar sobre um encontro entre Pixinguinha e Louis Armstrong nos anos 60. A partir deste encontro, eles resolvem encaixar todos os ritmos possíveis na letra, incluindo aqueles que não têm nenhuma origem com nenhum dos dois artistas, como a country music e o rock. Destaque para o refrão “Pura Cadência de bambas juntou guitarra e pandeiro”. Eram dois caras que tocavam instrumentos de sopro, não tinha relação com guitarra e pandeiro e além de tudo a letra evocou a expressão “bambas”, sempre devidamente ridicularizada neste blog.
A beleza da mulher em cima de carros alegóricos encantou estes dois famosos artistas


4) São Clemente
Agora a coisa começa a ficar séria. Esta escola que não é conhecida por nenhum motivo específico, resolveu apelar para o enredo “Onisuáquimalipanse” que é uma expressão em francês, ou algo do tipo. O nome do enredo já é ridículo e ele pretende retratar a vida e obra do rei Luís XIV, o rei sol. A letra, narra a trajetória do monarca como se estivesse sendo escrita por uma criança de 12 anos que acabou de aprender sobre o tema no colégio. “Daí então o ministro do tesouro, ergueu a peso de ouro, um palacete e convidou o soberano que encantou-se nos jardins com a beleza se mirando nas águas do chafariz. Foi assim que descobriu nessa festança que havia comilança em sua pátria mãe gentil”, que merda, não.
Réplica do Palácio de Versalhes

5) União da Ilha
Se há uma escola que se empenhou em construir um samba nonsense, cheio de referências místicas e inteligíveis, essa escola é a União da Ilha do Governador. O enredo “Nzara Ndembu - Glória ao Senhor do Tempo”, fala sobre o orixá do tempo e criou a peça literária mais complexa concebida desde o último livro do James Joyce. O começo já é suficientemente épico “Dos bantos nzambi o criador, giram ampulhetas da magia. Salve rei kitembo, nzara ndembu em poesia”. Imagino a arquibancada cantando isso. Ou então, “Sagrada é a raiz nzumbarandá, Katendê, segredos preserva e avermelhou, kiamboté nos fez caminhar na luta entre o bem e o mal, forjou kiuá, senhores sagrados irão celebrar kukuana é fartura, natureza a festejar, ndandalunda a me banhar”. A única coisa que eu consigo pensar sobre isso é: caralho.

A letra ainda cita Nzazi, Kalunga e Matamba, até explodir no refrão que será cantando a plenos pulmões pelo público enlouquecido:
êh êh no girê, êh no girê
macurá dilê no girá
é o tempo de fé, união
o tambor da ilha a ecoar
Nzazi, Kalunga, Matamba, Katendê, Kiuá, Kukuana, Kiamboté, Ndandalunda, Nzara Ndembu e seus bluecaps

Inesquecível.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Seis filmes que inexplicavelmente concorreram ao Oscar

Será que daqui alguns anos sentiremos vergonha de La La Land? Será que vamos olhar para seu título escroto, finalmente perceber que ele é um filme com pessoas cantando e pensar como é que esta porcaria fez tanto sucesso? Como ele foi capaz de ganhar todas as premiações possíveis e aquelas que foram inventadas apenas para contemplá-lo?

Pode parecer uma heresia nos dias atuais, mas eu sempre me lembro de Titanic que no primeiro semestre de 1998 era facilmente apontado como a maior façanha já produzida pelo homem em todos os tempos e que hoje é um filme que nos causa um pequeno constrangimento. Ganhou 11 Oscars, mas isso não significa muita coisa.

Pensando nisso, o CH3 elaborou esta lista, com seis filmes que concorreram ao Oscar e, caramba, como é que isso aconteceu?

1) O Artista (2012)

A história de um ator de cinema mudo que vê sua carreira entrar em declínio a partir do momento em que as películas passam a ser faladas. O argumento do roteiro não seria dos piores, mas o diretor resolveu fazer um filme mudo, igual aos da época em que se passava o filme. Uma paródia vagabunda, provavelmente o primeiro filme premiado no Oscar por ser assumidamente ruim. Cinco anos depois, duvido que alguém o assista impunemente.

2) Avatar (2010)
Meu saudoso amigo Dyolen desenvolveu uma teoria interessante. Segundo ele, Avatar seria um bom entretenimento, caso ele fosse rodado no dobro de velocidade, efeito que pode ser simulado em aparelhos de DVD.
Avatar foi um dos filmes mais caros da história e inaugurou a era do cinema 3D, 4K, ou qualquer outra sigla que signifique imagens ultrarrealistas, alta definição e a sensação de estar dentro da tela. No entanto, a história do conflito futurístico em um planeta imaginário de seres azuis e suas três horas de duração fazem com que Avatar seja o filme mais chato da história e um desperdício de dinheiro. Ok, deu um trabalho monstruoso pro cara fazer esse filme, mas tem muita gente há anos ai se esforçando para fazer merda e que não ganha prêmio nenhum.

3) Seabiscuit (2003)

Não sei dizer qual é o motivo, mas o pessoal do Academy Awards tem uma queda por cavalos. Todo e qualquer drama que envolva um cavalo em um papel central já é candidato ao prêmio. Cavalos amigáveis, cavalos selvagens, superação de desafios na relação humano-animal, tanto faz o plano de fundo. Seabiscuit, um cavalo que fez sucesso durante a grande depressão norte-americana, é uma história legal para a Sessão da Tarde, mas o fetiche equino da Academia o levou a disputar o prêmio de melhor filme. Perdeu, é lógico.

4) Shakespeare Apaixonado (1999)

Um triângulo amoroso envolvendo Shakespeare, que passava por um período de bloqueio de ideias. Uma comédia romântica boba, daquelas que jovens casais vão ver no cinema para ter um desculpa de se pegar na hora em que as luzes de apagam. Esta porcaria ganhou sete Oscars derrotando o Resgate do Soldado Ryan e a Vida é Bela. Indefensável.

5) Babe – O Porquinho Atrapalhado (1995)

Eu assisti Babe quando tinha nove anos de idade e naquela época eu não fiquei impressionado. É um filme infantil besta como são muitos filmes infantis, talvez ainda mais bestas que outros filmes do gênero. Não há uma explicação lógica para que a história do porquinho que quer ser pastor e faz amizade com outros animais tenha concorrido ao Oscar de melhor filme. Caralho gente, é um filme de animais falantes! O pessoal de Hollywood deve ter fumado muita maconha nesse ano.

6) Ghost do outro lado da vida (1991)

Ghost é um filme que faz muita sucesso com algumas tias suas, pode ter certeza. Apaixonadas pelo Patrick Swayze defunto, muitas mulheres choraram ao ver a cena do molde de barro ao som dos Righteous Brothers cantando Unchained Melody (ooohhh, my looooove). Esta é, certamente, uma das cenas mais bregas da história do cinema mundial, que coroa mais uma atuação pavoroso do Swayze. Demi Moore está tão convincente quanto uma atriz de malhação e só a Whoopi Goldberg confere alguma graça ao filme. O roteiro rocambolesco – o cara é morto por descobrir uma fraude na empresa e seu fantasma fica vagando por aqui para tentar a vingança – cenas incrivelmente sombrias e mal feitas de espíritos agarrando as almas penadas e uma cena final que, caralho, a cena final é inacreditavelmente ruim. Esta porcaria concorreu ao prêmio de melhor filme e ainda ganhou o Oscar de melhor roteiro, mostrando que nem sempre dá pra levar a Academia a sério.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Agendando a Consulta

08 de fevereiro de 2017

- Clínica Saúde & Vida, boa tarde.
- Boa tarde, eu queria marcar uma consulta com o doutor Alcides.
- Pois não, qual é o convênio?
- Unimed. Se tiver algum horário para o início da tarde é melhor.
- Eu vou ter para o dia 14 de março, às 14h30, pode ser?
- Só dia 14? Não tem nenhuma data antes, em qualquer horário?
- A agenda está lotada senhor, mas se abrir uma vaga antes eu ligo para o senhor.
- Ok, eu fico no aguardo.
- Talvez o doutor cancele uma viagem que ele vai fazer em maio e eu possa antecipar.
- Maio? Mas maio fica depois de março.
- Ah, não, não, sua consulta é para 14 de março de 2018.
- Só tem vaga para o ano que vem?
- Sim, agenda cheia. O senhor está com sorte, porque essa vaga abriu hoje. Uma paciente que aguardava para fazer o risco cirúrgico morreu. A próxima data disponível é só em 26 de setembro.
- Uau
- De 2021
- Então tá bom. E para agendar os exames necessários?
- Precisamos aguardar o doutor fazer a consulta, para ver o que é necessário e jogar as solicitações no sistema.
- Tudo bem.

13 de março de 2018

- Boa tarde, neste telefone eu falo com o senhor Rodrigo?
- Sim, é ele.
- Aqui é a Fernanda do consultório do doutor Alcides, tudo bem com o senhor?
- Tudo sim.
- Estou ligando porque você tem uma consulta agendada com o doutor para amanhã, às 14h30.
- Ah, é verdade.
- Então. Estou ligando para estar informando que nós tivemos um imprevisto e a consulta vai atrasar um pouco. Se você puder ligar no dia 3 de abril para confirmar o horário eu agradeço.
- Tudo bem.

03 de abril de 2018
Temos poucos pacientes na sua frente

- Clínica Saúde & Vida, bom dia.
- Bom dia, aqui é o Rodrigo, eu tenho uma consulta marcada com o doutor Alcides, que era para o dia 14 de março e você me pediu pra ligar hoje para confirmar o horário.
- Ah sim, qual é o seu nome mesmo?
- Rodrigo. Rodrigo andrade
- Rodrigo, tem 16 pessoas na sua frente, você pode chegar aqui amanhã lá pelas quatro da tarde.

04 de abril de 2018, consultório

- Boa tarde, eu tenho uma consulta agendada. Rodrigo Andrade, meu nome.
- Ok Rodrigo, me passe o seu documento por favor.
...
- Rodrigo, o doutor precisou sair para fazer quatro cirurgias de emergência, mas ele logo volta. Tem só seis pessoas na sua frente.

(Doze horas depois, o médico chega).
- Rodrigo vamos fazer os exames, pra já ir adiantando.

Às 13h26 do dia 5 de abril de 2018, Rodrigo é finalmente atendido. A consulta demora nove minutos, tempo no qual o médico pergunta qual é a profissão do paciente (arquiteto) a razão da consulta (check up de rotina. O paciente completei 30 anos há dois anos atrás e achou por bem verificar como estava a sua situação), faz comentários genéricos sobre os exames realizados durante a espera e pede a realização de outros exames.

O paciente Rodrigo se embrenha por um lodo de exames a serem realizados. Conseguiu fazer o exame de sangue três dias depois, após um jejum de 14 horas (sim, o recomendado é 12 horas, mas demorou um pouco), depois de quatro meses conseguiu agendar uma ultrassonografia e em 16 de setembro de 2023 conseguiu retornar ao médico e descobrir que sua saúde estava ótima em 2018.