domingo, 30 de março de 2008

Realities Shows

A televisão está sempre inventando coisas. A moda atualmente são os reality shows, você sabe. Tem reality show de pessoas numa casa, pacientes terminais, crianças perturbadas. Enfim, não há limite para isso. A maior parte dos realities shows nacionais são baseados em fórmulas importadas. O Big Brother é holandês (não é à toa, lá o uso de drogas é liberado).

Aproveitando a onda dos produtos nunca lançados, vamos mostrar aqui alguns dos realities shows que chegaram a serem esboçados como parte da grade de programação dos canais brasileiros, mas que por um motivo ou outro acabaram sendo engavetados. O CH3 pretende lançar algum deles, no dia em que tivermos a CH3 TV.

Nettogeschlecht-Fernsehapparat (Roleta Russa)
Programa Alemão. Seis participantes convivem em uma casa. E a cada semana são levados para pontos turísticos do país (algo como as cataratas do Iguaçu, Cristo Redentor e Jericoacoara). Lá eles praticam Roleta Russa. Sim, isso mesmo, colocam uma bala na arma e vem quem é o sortudo que vai pegar a bala. E se alguém morrer? Bem, se morrer morreu. O programa foi rejeitado, porque as TVs consideraram que seis semanas era pouco tempo para fazer merchandising.

Gebrannte Brunnenkresse (Tem pai que é cego)
Programa de inspiração belga que fez muito sucesso na Índia e na Tailândia. Mostra a vida de um garoto homossexual que namora uma garota apenas para poder ganhar a herança do pai. O programa vai até o momento em que o pai descobre que o filho é gay. Algumas pistas são dadas ao longo do programa, como o filho dando festas a fantasia (fantasiado de Robin) indo a aulas de hidroginástica e escutando Maroon 5. Esteve para ser exibido em horário nobre, mas os produtores não descobriram como fazer para colocar um sistema de votações por telefone para ganhar dinheiro.

Le visage ne voudrait pas le manger (Superação)
Holandês. Espécie de Big Brother com anões, leprosos, aleijados. Os participantes passam por provas como bater palmas, e ter que pegar alimentos em lugares altos. Acabou não indo ao ar, porque João Kleber perdeu seu programa, o que tirou os precedentes que os produtores esperavam para se defender. Sim, se a TV podia passar João Kleber, porque não um reality show inocente desses?

Nell'ombra Ed meloni d'acqua (Levem-me ao seu líder)
Programa que simula uma família de extraterrestres vivendo no planeta terra e se passando por humanos, mais precisamente por garçons. No final haveria uma invasão alienígena, uma super produção. Uma espécie de Guerra dos Mundos moderna. Os produtores acharam a história inverossímil e preferiram colocar uma novela com mutantes e lobisomens no lugar.

De van andere draden Lenin
Programa que mantém comunistas confinados em uma casa durante o resto da eternidade. Não há história, apenas um serviço para a sociedade. O programa não foi ao ar, porque acreditaram que seria difícil segurar a tentação de explodir a casa

sexta-feira, 28 de março de 2008

Produtos nunca lançados

Produtos novos são lançados ano a ano, sejam para suprir necessidades de consumo, seja para pegar carona numa onda de boas vendas, ou tem ainda os casos que produtos são lançados só de zoeira. Normalmente é feito um estudo antes do produto ser lançado, pra identificar se vai dar lucro ou se vai dar prejuízo ao fabricante. Se der errado, o produto é engavetado e as pessoas nunca sabem o que já foi inventado.

O CH3 sabe.

Vamos listar aqui alguns desses produtos que nunca foram lançados. Primeiro uma breve descrição do que ele é, depois o porque de não ter dado certo, seguido de uma imagem de divulgação.
1) Cervinha Kids: a cerveja divertida
O que é: Uma cerveja para crianças. Houve uma época em que grandes empresas de bebidas se fundiram e na ocasião estudaram um acordo com o governo de reduzir a idade mínima para o consumo de bebidas alcoólicas de 18 para 8 anos, assim as vendas aumentariam consideravelmente.
Porque não deu certo: Hoje em dia as pessoas estão começando a beber cada vez mais cedo mesmo. Seria desperdício de dinheiro lançar uma cerveja específica para crianças. 2) PorkyO que é: Uma camisinha sabor carne de porco.Porque não deu certo: O sabor até que agradou o pessoal pesquisado, mas o produto teve que ser cancelado devido à alta taxa de gordura. Isso seria um problema gravíssimo para pessoas cardíacas. 3) MST®
O que é: Uma linha de roupas com temática do Movimento dos Sem Terra.
Porque não deu certo: Na ocasião do lançamento do produto, que seria um desfile com várias modelos de fama nacional, o MST, tendo tomado conhecimento do produto, invadiu as dependências do desfile antes dele ser realizado. Com o desfile interditado pelos ocupantes, ninguém quis ir ver. Os produtores tristemente abandonaram a idéia da grife.

quarta-feira, 26 de março de 2008

O fim do BBB

Ontem foi o final do BBB. Não, não. Não iremos falar das mulheres que sairão na playboy. Nem faremos análises antropológicas dos participantes. Aliás, nem estamos falando desse Big Brother que você está pensando (alias isso é freqüente por aqui). Não é o Brasil. E sim o Big Brother Birmânia. Depois que o filme-denúncia Rambo mostrou o drama vivido pelas minorias étnicas do país os olhos do mundo se voltaram para o país, que recentemente adotou o nome artístico de Mianmar.

Mas, a população também tem direito a diversão. E nem estamos falando nas apostas que eles fazem, para ver qual prisioneiro não irá pisar em uma mina terrestre. Algumas poucas pessoas têm televisão e para elas é que existe o Big Brother.

A estrutura do programa é parecida com a versão brasileira. São 12 pessoas confinadas dentro de uma casa, toda semana um é eliminado, eles passam por provas de resistência, inteligência, elegem seus líderes e no final o ganhador ganha um prêmio.

Mas ai vem às diferenças. A começar pela casa. Enquanto que no Brasil temos uma casa gigante, com piscina, sala de musculação, sauna, ofurô, vários quartos e até mesmo banheiro, a casa birmanesa é mais simples. É apenas um barraco de madeira com dois quartos de dois metros quadrados. Em um quarto dorme o líder sozinho, enquanto que os outros participantes ficam amontoados no outro quarto. A casa é cercada por muros altos, com cercas eletrificadas, para evitar a fuga dos participantes.

Também são feitas festas, mas elas são um pouco diferentes das brasileiras. Lá, as mulheres começam a dançar, enquanto que os homens jogam cerveja nelas e no fim, todas são estupradas.

O líder é eleito normalmente através de provas de resistência. Os participantes ficam pendurados em lugares, com porcos famintos tentando os devorar. Vários instrumentos de tortura são utilizados também. E todos tentam resistir ao máximo. O líder além de ter seu próprio quarto tem o direito de defecar do lado de fora da casa. O que não deixa de ser um risco, visto que ele corre o risco de cagar em cima de uma mina e ter uma morte humilhante. O líder também pode utilizar dos serviços sexuais dos outros integrantes.

Então o líder indica um membro para o paredão, enquanto que os outros participantes indicam o outro. E eles vão para o paredão, literalmente. Aproveitando se dos muros altos que cercam a casa, os dois escolhidos são posicionados lado a lado. Um soldado faz mamãemandou e escolhe o eliminado. Então toda a família do eliminado é posicionada em frente ao participante eliminado, e um soldado começa a atirar em um por um. Ele tem ordens para parar quando o participante eliminado parar de chorar. O chefe militar certa vez viu o filme DogVille e gostou dessa idéia.

A final então foi ontem e duas mulheres chegaram à final. Uma delas era cogitada a posar na playboy birmanesa, visto que nem amputações ela tinha. Os soldados birmaneses até estavam invadindo casas para buscar os novos participantes. O problema é que o Rambo apareceu e matou todos os birmaneses malvados e instalou a paz no país, antes do fim do programa. Fazendo com que o site do Terra birmanês não tivesse o que postar na página principal.

segunda-feira, 24 de março de 2008

GUIA CH3 - COMO NÃO SER BARRADO NA ESPANHA

Após contarmos seu drama em CH3, Hanz, o Pansexual encontrou uma pretendente. A bela Conchita, uma pansexual espanhola, você já deve estar pensando “humm, espanhola hein” pare com isso, seu depravado! Ela se apaixonou pela história de vida de Hanz e este foi a seu encontro na pequena Barajas, cidade próxima a Madrid, Espanha. O que Hanz não esperava era ser barrado no aeroporto, como tantos outros brasileiros. Você agora pergunta “Mas o Hanz não é alemão?” Sim, Hanz é alemão, mas é também brasileiro naturalizado, e só por esse motivo foi barrado na Espanha. A polícia espanhola também confiscou os vibradores, bananas e uma boneca inflável que Hanz levava como souvenirs para Conchita e o mandou de volta para o Brasil.

CH3 pensou então “Grande merda essa Espanha” e resolveu fazer esse guia para que nossos compatriotas parem de ser devolvidos para o Brasil. Deixamos claro que isso é um guia, não um dicionário de idiomas, então colocamos as instruções do que você precisa dizer em português mesmo, pegue umas aulas no Instituto Wanderley Luxemburgo se quiser aprender espanhol.

Primeiramente esteja usando uma camisa da seleção brasileira, todos devem saber que você é do Brasil. Logo que desembarcar, o fiscal da alfândega perguntará o endereço onde você pretende ficar, diga “na sua casa”. O fiscal da alfândega vai dizer que isso é um absurdo, e você diz “tudo bem, eu durmo no chão mesmo e como as sobras de comida”. Nessa hora ele perguntará quanto dinheiro você tem, você tira então uma nota de 10.000 cruzados e prega na testa. Diga em tom ameaçador “isso tá bom pra você hein?!” Provavelmente o fiscal já estará furioso e perguntará o motivo da viagem, remede-o por um tempo, até ele ficar de saco cheio, então diga que você vai agenciar prostitutas brasileiras, agora ele vai mandar prenderem você, abra então uma de suas malas, que deve conter galinhas. Solte as galinhas e corra para onde houver o maior número de pessoas aglomeradas. Já está no meio do povo? Os guardas estão correndo atrás de você? Pois bem, agora estenda uma bandeira da Espanha no chão (você terá que arrumar uma bandeira aqui no Brasil), tire as calças e comece a simular sexo com a bandeira, se possível gema bastante, relinche como um jegue. Agora você será alcançado pelos guardas, seu último ato será gritar “Foda-se a Espanha!” enquanto é arrastado sem piedade para uma sela onde te humilharão e revistarão todas as suas cavidades corporais.

Seguindo esse guia você não será barrado e poderá aproveitar longos dias numa prisão espanhola antes de ser deportado, nós de CH3 preferimos ficar no Brasil mesmo.

sábado, 22 de março de 2008

Feliz Páscoa, ho ho ho

Desejamos feliz páscoa para todos os CHnautas que nos visitaram durante todo nosso tempo de existência e para aqueles que ainda pretendem nos visitar.
Agora cantem comigo: Cãozinho leproso, o que trazes pra mim?...

quinta-feira, 20 de março de 2008

Quem somos nós?

Quem somos nós? Sim, nós. É, nós mesmos, o CH3. É sobre isso que vamos falar. Este texto é aquele que devia ser colocado no blog logo que ele foi feito, mas nós não éramos muito pretensiosos na sua data de criação. Mas agora nós somos pretensiosos, por isso este texto.

CH3 é uma substancia química muito provavelmente. Mas, ao que eu me lembro de química seria uma substancia instável, visto que o carbono tem quatro elétrons de valência. Seria necessário um quarto hidrogênio, para formar o Ch4, o nosso popular metano de cada dia. Nós do CH3 seriamos instáveis?

Afinal, que porra é essa?


Bem, vamos por parte. Nós não fizemos este blog como forma de homenagem a um elemento químico. Nós também não somos os CH e por sermos 3, colocamos o 3 no fundo. Também não é verdade que um de nós seja o C, que outro seja o H e que outro seja o 3. O nome veio de uma simples coincidência. Você já percebeu que o nome de Charles Bronson, Chuck Norris e Chimbinha comece com Ch? Pois é, nos percebemos. Assim como Chaves e Chapolin também. Enfim,
não podia ser apenas uma simples coincidência. O segredo da vida está no CH.

Então ai está, o CH3 é um blog de humor. Sim, humor, aquilo que é mais ou menos engraçado. Ou que as vezes se acha engraçado. Mas não só, mais do que isso, é um forma de se viver. Então nós temos em vocês nobres leitores, não apenas leitores, mas sim pessoas que podem estar sendo salvas por cada uma dessas palavras aqui escritas (Música maestro). Tudo bem, exagerei um pouco.

Enfim. Aqui nós colocamos de tudo, ou quase tudo. No geral nos trabalhamos com textos, mas a preguiça pode nos levar até o fácil caminho das montagens toscas e fotos vagamente divertidas. Em média são mais de 3.000 caracteres. Se você não gosta de ler, provavelmente você não vai gostar daqui. Se você não gosta de ler, provavelmente você nem chegou até aqui. E sim,
somos nós que fazemos tudo. Certa vez nosso texto “A prática do Jornalismo” foi publicado no blog do Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso. Foi colocado como autor desconhecido. Na verdade ele até é desconhecido sim, não é muito famoso, mas quem fez foi o Guilherme mesmo, aqui do blog.

E, claro, os vídeos do Monty Python ou das Olímpiadas do Faustão não são de nossa autoria. Mas alguns vídeos foram sim fabricados aqui. Talvez, em um tempo remoto, nós chegavámos a copiar coisas alheias.


Nós somos de Cuiabá, capital do Mato Grosso. Por isso somos influenciados pelos hábitos e costumes da terra. Dançamos rasqueado e tomamos guaraná ralado. Odiamos quem é de Campo Grande, claro, e rimos da cara deles porque eles perderam a copa do mundo. Encontramos jacarés na rua.

Mas agora vamos falar sobre cada um de nós, que faz esse blog nesse cotidiano do dia-a-dia como diria o Pai Jorginho de Ogum. Veja aqui abaixo uma ilustração nossa.

Da esquerda para a direita.

Alfredo Chagas: Chegou até nós como editorialista do periódico CH3 News, além de nos dar embasamento político para a Chapa 03 (pega no meu e balança). Um conservador revolucionário. Acha que Olavo Carvalho é um cara liberal demais e acha que Che Guevara é um oligárquico. Já fez dança do ventre e é ventríloquo amador. E acha que “essa vida é uma porra”. Mas se sente “recauchutado com isso”. Não confunda com Alfredo Humoyhuessos o pesquisador e dançarino de rumba colombiano, um homem de conhecimento enciclopédico e que estuda tanto, que nunca teve uma fotografia tirada.

Guilerme: Guilerme é um boneco de isopor. Filho de Vinícius e irmão de Guilherme. Mas, Guilherme e Vinicius não têm nenhum parentesco. Grande ator, visionário, observador e vingativo. Já manteve relação sexual com todas as capas da Playboy brasileira, exceto Roberta Close e Monica Veloso.

Guilherme: Um desses que posta por aqui. Nasceu vivo e continua vivo até o dia de hoje. É jornalista, formado em jornalismo. Costuma a utilizar seu diploma como apoio de prato. Um ser problemático que persegue moscas imaginárias e coloca o pé atrás do pescoço. Conseguiu recentemente a façanha de ter 100 posts consecutivos no blog.

Marcão: Pedreiro que veio a Cuiabá trazido por pai Jorginho de Ogum. Já foi lateral direito do Flamengo. Ele é analfabeto, tem uma filha que faz Administração no Univag, é segurança de boate gay e ator de filmes pornôs de segunda categoria. Também é cozinheiro, autor do famoso Arroz com Smegman. Ninguém nunca quis comer.

Cão Leproso: Um cachorro que devido à hanseníase não tem braços. Nasceu durante uma aula de economia. É exímio goleiro, jogador de basquete e costuma a pegar todas as gatinhas fazendo a dança do robô. Ele odeia abraços coletivos e cantar parabéns nos aniversários.

Gressana: Exímio desenhista, que passa boa parte do seu dia se besuntando em substancias aromáticas. Eleito o Homem-celular do século, irá se casar utilizando um escafandro. Acredita que Alexandre Pato será o grande jogador do século e adora batatas. Responsável pelos fetiches bizarros e as buscas do Google que caem nesse blog. É publicitário, mas tem saúde.

Hanz, o pansexual: É um maldito velho tarado pansexual que usa roupas de látex.

Pai Jorginho de Ogum: Um pai-de-santo camarada. Já foi centro-avante do Flamengo e candidato ao governo de Mato Grosso. Atualmente divide suas atividades de entidade com a administração da casa de diversão noturna para entretenimento adulto Carnicentas. Faz direito na Unic, adora caninha 21 e todos os dias defeca na casa de Marcão.

Tackleberry: O homem que um dia criou esse blog. Administrou o dinheiro que o blog nunca ganhou e elaborou as estratégias de marketing para dominar o mundo. Não deu certo e foi preciso que ele fugisse para as Bahamas. Foi o autor de vários textos duros e cruéis. Atualmente segue uma carreira paralela de sucesso em uma agência. Contate-o através da tb².

terça-feira, 18 de março de 2008

Festas surpresa

Um assunto que vem ganhando espaço no cotidiano trata de realização de festas surpresas. Não só de aniversário, mas de promoção de emprego, vaga no serviço público, aumento de salário, aprovação no vestibular e até para o dente do filho que caiu.
Contudo, não se pode simplesmente preparar uma festa surpresa do nada para uma pessoa, sem preparo algum. É preciso ter certeza de várias coisas e saber evitar outras. Veja abaixo alguns diálogos que ilustram aquilo que deve ser evitado, em seguida uma dica para fazê-lo.

Caso 1:
-SURPRESA!!!
-O que é isso?
-É seu aniversário, fizemos uma festa surpresa!
-Cara. Eu odeio festas.
-...
Conclusão: certifique-se que a pessoa gostaria de ganhar uma festa surpresa.

Caso 2:
-SURPRESA!!!
-Hã??
-Parabéns pra você, nessa data querida...
-Mas meu aniversário foi no mês passado!
-...
Conclusão: não dê festas surpresas sem motivo algum.

Caso 3:
-SURPRESA!!!
-Oh...
-Que isso, amigão, ânimo! Você agora é vice-presidente da empresa!
-Puxa, gente, eu agradeço, mas não estou muito no clima de festa... Ligaram do hospital, minha mãe acabou de morrer.
-!!!
Conclusão: A surpresa deve ser para o agraciado com a festa, não para os que a organizam. Esteja preparado e ciente do que acontece na vida do agraciado.

Caso 4:
-Pô, cade o Fúlvio?
-Ele já deve chegar.
-A gente tá esperando aqui faz tempo, melhor ligar pra ele.
-Certo. Alô, Fúlvio? Ô, rapaz, quando você vai chegar em casa? Ah...
-O que foi?
-O Fúlvio disse que foi viajar e só volta semana que vem.
Conclusão: Tome cuidado para não desperdiçar uma festa surpresa.

Caso 5:
-SURPRESA!!!
-Ave, o que é isso na minha casa??
-Cara, você vai ser diretor do nosso setor agora! A gente resolveu te preparar uma festa.
-Mas do cabide???
Conclusão: Festas do cabide surpresa são interessantes, mas nem sempre dão certo.

domingo, 16 de março de 2008

O Brasil nas Olimpíadas

Um ano antes das Olimpíadas os atletas brasileiros disputam os jogos pan-americanos. Contra atletas de Trinidad & Tobago, República Dominicana e os universitários dos Estados Unidos, o Brasil dá espetáculo e consegui bater por pouco os juniores do Canadá. Com isso, cria-se uma expectativa de que o Brasil irá arrebentar nas Olimpíadas do ano seguinte.

Esquecem-se então que nas Olimpíadas os atletas brasileiros terão a concorrência dos atletas russos, chineses, australianos, alemães, além da elite americana. Então o Brasil ganha lá umas 11 medalhas no total. Claro, não dá para criticar muito os nossos atletas. O pessoal do atletismo treina em pistas com buracos, os remadores treinam em córregos de esgoto.

Profissionalismo mesmo só no futebol e no vôlei. Mas nessa continuação da série CH3 Olímpico, iremos falar da história do Brasil nessa grande competição.

Como já foi dito no primeiro texto, as primeiras medalhas do Brasil vieram no Tiro. Não, não, não teve nenhum Coronel que ameaçou abater a tiros os juízes da competição. Foi o Guilherme Paraense na cidade belga da Antuérpia em 1920. Mas enfim, as medalhas do Tiro foram um fato isolado na história.

Apenas após a segunda guerra mundial o Brasil voltou a ganhar uma medalha, em 1948 em Londres. Bronze no Basquete. Ouro mesmo só em 1952 com Adhemar Ferreira da Silva, no salto triplo. Foi o começo de uma grande série de brasileiros nessa modalidade. Adhemar ganhou mais um ouro, Nelson Prudêncio e João do Pulo também ganharam duas medalhas em Olimpíadas posteriores. O resultado foi fruto do grande trabalho feito nas categorias de base, visto que o Salto Triplo é o esporte nacional. Qualquer estrangeiro que vier ao Brasil poderá ver as nossas crianças dando três pulos nas ruas, calçadas e praias de nosso país.

Foi a partir das Olimpíadas da Cidade do México em 1968 que o outro grande esporte de nossa nação começou a ganhar medalhas. Falo da Vela. Atletas com sobrenomes tipicamente brasileiros como Conrad, Scheidt, Grael, Ficker, Sigurd Bjorkstrom orgulham nossos torcedores que lotam as competições de iatismo na Baia de Guanabara. Nossos torcedores têm posters dos grandes velejadores brasileiros em suas paredes.

No começo dos anos 80 a União Soviética e os Estados Unidos brigaram. Os americanos e outros capitalistas boicotaram as Olimpíadas moscovitas em 1980 e como retaliação, o bloco comunista não foi até Los Angeles em 1984.O Brasil se aproveitou e passou de uma média de nenhuma medalha de ouro pra cerca de duas. Sempre no Judô, vôlei, iatismo. Exceção foi em Sidnei em 2000 quando uma crise abateu nossos atletas. O time de futebol perdeu pra nove jogadores, o cavalo refugou, o time de vôlei perdeu jogos ganhos e foram várias medalhas de prata e de bronze.

Aliás, os atletas brasileiros são sempre cagados. Quando o cara precisa de mais uma regata pra ganhar, essa regata é cancelada por falta de vento. Quando o nadador vem bem, surge um bielo-russo de 16 anos que ninguém nunca ouviu falar e resolve aparecer logo ali. E até quando o seu maratonista está ganhando com folga, aparece um padre Irlandês maluco que o segura. Em Olimpíadas até o gandula aparece pra defender pênalti contra o Brasil.

E enfim, a nossa série continua qualquer dia, falando sobre os principais esportes olímpicos.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Ofensas infantis¹

¹. Esse texto contém palavrões pra caralho.


Nossa geração viu muitas coisas. Digo, eu não sei a sua, mas a nossa foi a que começou a infância no final dos anos 80 e cresceu e explorou o mundo nos anos 90. Vimos primeiro a Xuxa, depois o Fofão, o Bozo, e então a Angélica. assistimos à Tv Colosso, brincamos de pogobol, vai-vém do Gugu (que aliás, soa um tanto gay pra nós hoje) e bolita.

Também era a época das nossas primeiras brigas. Naquela época, não sei como andam as coisas hoje, briga de criança era um espetáculo à parte. Nem sempre a agressão era física, apesar de acontecer bastante nas ruas. Nos ambientes mais civilizados, como a escola, as agressões verbais predominavam. Não importa o motivo, não importa se era com aquele brigão que vivia zoando com você, se era com o riquinho que não emprestava os brinquedos, se era com o coleguinha que comia merda. Ganhava a discussão quem mais sabia usar as frases feitas ofensivas.
Você deve se lembrar de várias. Mas pra não te dar o trabalho (nós somos caras muito legais), vamos listar as principais aqui:

Clássica, quando você mandava alguém calar a boca:
-Calaboca!
-Cala boca mão na boca, beija o cu da véia loca!

Um diálogo sobre uma situação em que uma das crianças, por exemplo, tropeça e cai:
-Bem feito!
-Beija a bunda do prefeito!
-Beija tu que tem mais jeito!

Essa era pra quando alguém te chamava de boiola:
-Boiola!
-Meu pinto na sua gaiola!

Uma usada bastante pelos "bullies", quando eles queriam humilhar a vítima ao máximo:
-Não gostou? Chupa! Tá ruim? Adoça!

Por fim, o que valia mesmo era apelar para a mãe do outro. Quem conseguisse dizer mais vezes que já tinha mantido relações sexuais com a mãe do adversário usando as frases feitas ofensivas, ganhava a discussão. Nisso entram clássicos como:
-Isso não é resposta de amigo, se não fosse meu pau você não tinha nascido.

Felizmente isso era só durante a infância. Com o tempo, aprenderíamos a ofender e ganhar discussões usando argumentos próprios. Mas claro, na adolescência algumas ainda remanesciam, como quando falavam pra alguém:
-Ah, seu virgem!
-Virgem não, comi sua mãe!

quarta-feira, 12 de março de 2008

A Lambada está voltando

Atenção senhoras e senhores, ou como é que vocês prefiram ser chamados, não sei. O CH3 vem através deste post, alertar vocês, nobre população de nosso país, para um perigo. Nos próximos meses a Lambada pode estar de volta. É um sério risco que nosso país corre e as autoridades não fazem nada.

Vocês não sabem o que é a Lambada? Pois então vamos fazer aqui um breve histórico, para que vocês se convençam de que nós não podemos deixar isso acontecer com o Brasil.

A Lambada é uma mistura de ritmos paraense com música do Caribe. Ou seja, muito antes de Chimbinha, o Pará já nos trazia riscos. E a Lambada chegou até o exterior, por incrível que pareça. Então, muitos músicos sem personalidade do Brasil resolveram embarcar na moda da lambada. E algumas coisas como o grupo Kaoma infestaram a sociedade brasileira. Mas era o fim dos anos 80, e nessa época todo mundo aceitava qualquer coisa.

20 anos depois, ainda causa repugnância em nós, honestos cidadãos ver essas cenas. Certo, o Creu atual também. Mas apresentamos uma cena do filme “Lambada – a dança proibida”. Esqueçam a mulher dançando e se concentrem na música.



O filme conta a história de uma brasileira chamada Nisa (alguém conhece uma?). Ela é a princesa de uma tribo daqui (!!!) e está preocupada com a destruição da floresta amazônica por uma grande empresa multinacional. Então, o que a Nisa faz? Ela vai para os Estados Unidos falar com o presidente dessa empresa. É lógico que o presidente não se encontra com ela, e provavelmente deve ter gargalhado da audácia dessa terceiro-mundista.

O que ela faz então? Prostitui-se, quer dizer, vira empregada doméstica para se sustentar entre os estadunidenses. Mas Nisa é presa pelas armadilhas do coração e se apaixona pelo filho do seu patrão. E então resolve ensinar pro cabação americano a Lambada. Provavelmente uma tentativa de dar um pé na bunda dele. Mas, como os americanos sempre gostam desses lances culturais exóticos brasileiros, ele achou foda.

Os dois então têm uma brilhante idéia. A mensagem de Nisa pela preservação da Amazônia só conseguiria chegar ao povo americano através da Lambada. E os dois vão participar de um incrível concurso de dança. Mas então, a ex-namorada do cara, e a empresa que destrói a Amazônia juntam forças para impedir que isso aconteça. Eles até alertam que a Lambada é muito pior do que destruir florestas.

Mas no trágico final os dois vão lá, e levam a Lambada ao mundo. Todos terminam dançando. E as conseqüências foram graves. A floresta é destruída até hoje, e a Espanha (outros países Europeus também) vem proibindo a entrada de brasileiros em suas terras. Só entram aqueles que comprovadamente não dancem a Lambada. E ainda hoje os brasileiros são humilhados em congressos, reuniões ou o que quer que seja, por conta da lambada. “Chorando se foi, fez sucesso ai?!! Pffff”, dizem.

Infelizmente a dança não foi proibida. Foi sim, esquecida, soterrada pelos novos lixos culturais, e as pessoas de hoje podem até ter se esquecido do perigo que a Lambada representa.

E ela está voltando. Fujam, para os campos, vales, abrigos subterrâneos e montanhas. Desde que vocês não se percam por lá. Ou então, façam alguma coisa oras. Boicotem os lugares que tocarem Lambada, que dêem aula de Lambada, ou que tenha uma mensagem pró-lambada. Rasguem cartazes e etc. Vamos livrar nosso país dessa ameaça.

segunda-feira, 10 de março de 2008

Aumente seu pênis

Esse é o spam mais famoso de todos. Enlarge your penis. Todo mundo sabe que isso se trata de vírus e ninguém clica. Quer dizer, eu não digo ninguém porque sempre tem um que vai lá, clica e infesta o computador de vírus. Sempre tem um, incrível.
O motivo por terem escolhido esse apelo para o spam (e para o mané inocente clicar) é a eterna e tradicional preocupação masculina com relação ao tamanho do seu órgão sexual. Praticamente todas as mulheres dizem que não importa o tamanho, mas sim o desempenho. Fernanda Young disse que isso é mentira das mulheres, que o tamanho importa sim, e tem que ser grande. É quase consenso que o homem quer um membro grande porque isso é sinal de virilidade e poder. Dizem que um homem nunca está contente com o tamanho do seu pinto. Mas horas, pro diabo com isso tudo. Não importa o que dizem, o que é verdade ou não, não pra gente. O objetivo desse texto é apenas um: Como aumentar seu pênis. O que cada um vai fazer com o que está escrito aqui, sinceramente, não nos interessa. Estamos comprometidos apenas com nossos objetivos nesse blog.

1) Em primeiro lugar, é preciso que você tenha um pênis. Ou seja, se você for eunuco, esqueça.
Se você for mulher, ainda pode usufruir dessas dicas indicando-as para seu parceiro. Mas cuidado ao falar isso pra ele. Sacanagem dizer pro cara que ele precisa de um pênis maior, pô. Fala sério, o cara pode ficar deprimido por dias.

2) Vamos começar com alguns exercícios básicos. Seu membro é formado principalmente por músculos e nervos. Então aproveite e faça uma boa musculação. O negócio tem que ser forte, senão não adianta nada ser grande e não ter força nenhuma depois.
É simples. Depois que sair do banho, faça alguns exercícios com a toalha. Sabe como é, uns push-ups. Pendure a toalha e força no bicho. Depois de mais ou menos uma semana, você já pode tentar usar uma toalha molhada.

3) Continuando a malhação, faça algumas flexões. Mas não com as mãos. É, isso mesmo. Use-o. Na primeira semana, faça 10 flexões. Na segunda, faça 20. A partir da terceira semana, faça 30.

4) Chegou a hora de esticar o negócio pra valer. Pegue um saco de arroz Tio Bonini de 5kg e amarre-o numa corda de aproximadamente 15 a 20 cm. Amarre a outra extremidade no seu pênis. Solte o saco de arroz. Fique em pé por uma hora. Repita a operação por duas semanas.

5) Usando uma corda de uns dois metros, amarre uma das pontas no seu pênis e a outra na maçaneta da sua porta. Peça para alguém fechar a porta e abrir com o máximo de força que ela tiver por no mínimo 30 vezes. Faça isso duas vezes por dia.
(Obs: Notamos aqui a importância dos passos 2 e 3. Se você não tivesse feito os exercícios, seu pênis poderia arrebentar nesse processo. Você fez os exercícios, não fez?)

6) O passo final. Usando a corda como sempre, prenda a outra extremidade no pára-choque de seu carro e peça para que alguém dirija-o para você. Você deve ser rebocado pelo pênis, por no mínimo meia hora, por cerca de 5 dias. Só recomendamos que você faça isso na zona rural ou em um lugar sem movimento, para não correr o risco de ser preso por atentado violento ao pudor.

Após todos esses exercícios, você terá o pênis dos seus sonhos. Faça bom proveito e saia mostrando pra todo mundo.

sábado, 8 de março de 2008

Guia CH3: Como conquistar um homem

Hoje e o dia Internacional da Mulher. Sabe né, é uma dessas besteiras que a nossa sociedade moderna inventa. Devia existir o dia do homem, do hermafrodita, e da Independência do Brasil. Se é que isso já não existe, não sei.

Mas enfim, vocês já perceberam como é que as mulheres são retratadas pelas mídias na internet? Como são os portais destinados ao sexo feminino, no Terra, UOL, IG e etc.? Tá você sabe como é, então não vou falar nada. Ah, você não sabe? Então, esses sites são feitos para mulheres idiotas, frágeis e inseguras. Você deve até ter pensado “mas existe uma mulher que não seja, frágil, insegura?” Bem, não sei.

Mas, então, antes de prosseguirem na leitura deste guia, dêem uma olhada nesse texto, publicado no site do Terra.
Dou-vos três minutos para que concluam a leitura. Pronto? Então aproveitem e leiam mais esses dois. Sim, dois.

Leram? Então esqueçam tudo o que foi dito ali. Ou, quase tudo, porque talvez uma coisa aqui ou ali até seja aproveitável. Mas, seguindo essas dicas, as mulheres irão conquistar no máximo fãs de Coldplay. Porque, francamente, “Fazer com que ele se sinta um herói”, “Usar as roupas dele”, “apelidos carinhosos”. Uma vergonha. Nós até admitimos que o texto de como Conquistar um homem em 20 dias, é uma perola do humor. Mas, agora no CH3 nós ensinaremos vocês, mulheres, a conquistar um homem em oito dias, utilizando frases certeiras que realmente fazem um homem se apaixonar. Escutaram? Estou falando de homens, e não de fãs de Coldplay ou metrossexuais.

Primeiro Dia: Dia de preparações. Compre roupas sensuais e comece a entender as leis do futebol.
Segundo Dia: Começamos por um sábado. Se você for gostosa, não precisa de oito dias. Basta apenas este. Chegue ao homem que você quer e fale “Olá. Eu quero fazer sexo com você hoje, amanhã e durante o resto do ano todo. E eu moro sozinha, vamos até lá em casa?”. Pronto, o homem estará conquistado.
Terceiro Dia: Um domingo, fale com ele “olha, não tá passando nenhum jogo de futebol? Adoro Futebol”. Se você torcer pro mesmo time dele, ele já estará lhe pedindo em casamento.
Quarto Dia: Enquanto estiverem conversando, de um jeito de falar “Sabe, eu nunca tive TPM na minha vida”. Ele vai marcar o casamento no dia seguinte.
Quinto Dia: Usando apenas lingerie, chegue até ele e fale “Olha, quer que eu traga mais cerveja?”. Mas atenção, se você for gostosa, não fale isso. Ele vai te abandonar dizendo “isso é sacanagem, mulheres assim não existem de verdade”. Enfim, ele vai achar que é uma pegadinha do Mallandro.
Sexto Dia: Quarta-feira, dia de aproveitar a promoção e ir ao cinema, mostrando que você não irá dar muitas despesas para ele. Chegando lá diga “Ah, eu não quero ver P.S. Eu Te Amo! Vamos ver é Rambo!”. A essa altura, ele já terá comprado as alianças.
Sétimo Dia: Chame ele para ir jogar sinuca e diga “Olha, minhas amigas tão querendo fazer uma competição de luta no gel amanhã lá em casa, você vai ser o único espectador”.
Oitavo Dia: Neste dia, você já estarão se casando. Não há duvida.

Este método é infalível. Sim, sabemos que os Fãs de Coldplay vão aparecer aqui, dizendo que “não gente, isto é errado! Nós homens também temos sentimentos”. E que as feministas vão aparecer nos criticando por colocar a mulher apenas como um produto de consumo. Mas nós não nos importamos. Os fãs de Coldplay já tem os seus textos, e as feministas nunca vão conseguir conquistar um homem mesmo.


E você pode estar pensando "Mas este texto não é para uma mulher idiota e insegura?". Sim, mas oras, você acha que uma mulher que não seja idiota, insegura e frágil vai se interessar por saber como Conquistar um homem?

quinta-feira, 6 de março de 2008

(Mais) Fobias interessantes

Pegando um gancho da última Super Interessante, naquele texto que fala sobre medo de palhaços, vamos citar aqui mais algumas fobias que pra nós parecem engraçadas, mas são o horror para várias pessoas. Nem tantas assim, mas é cada gente estranha que visita o nosso blog que aposto que algum desses doentes ainda vai nos visitar. Isso se já não visitou. Enfim, as fobias.

Coprofobia: Medo de toletes.
Imagine como a vida é horrível para um coprófobo. Têm ataques de pânico toda vez que defecam. Muitos chegam a reter as fezes, o que é muito, muito pior.

Addfobia: Medo de ser adicionado no orkut.
É um sintoma da informatização e da invasão de privacidade no espaço virtual. A pessoa sente a necessidade de criar um perfil no orkut mas tem medo que os outros a adicionem. Prefere procurar os amigos por si mesmo, no máximo. Geralmente criam fakes.

Kutcherfobia: Medo de comédias românticas.
O kutcherfóbico prefere filmes de terror ou suspense à filmes de comédia romântica, que considera assustador. Também conhecida como ruffalofobia, os portadores dessa doença sentem espasmos e contrações intestinais ao verem finais felizes.

Luscinifobia: Medo de rouxinóis filhotes.
Caramba, não consigo imaginar porque alguém teria medo de rouxinóis. Ainda mais filhotes.

Beelzefobia: Medo do Capeta.
Mas aí até que dá pra entender. Beelzefóbicos costumam andar com cruzes, tomam banho de água-benta e procuram ficar o mais longe possível de pentagramas invertidos.

Tubefobia: Medo de aparecer no youtube.
Tubefóbicos costumavam ser pessoas normais até que caiu na internet o vídeo da Daniela Cicarelli dando pro namorado no mar. Essas pessoas passam o tempo todo acreditando que está fazendo papel de ridículo, e tem alguém o filmando e depois colocará o vídeo no youtube. Por causa disso, não conseguem se distrair quando estão em público, ficam o tempo todo procurando alguém com algum tipo de câmera. Muitos nunca mais saem de casa.

Enfim, esperamos que você não tenha medo de blogs. Ou do CH3. Senão teríamos que acrescentar um tópico sobre os CHfóbicos.

terça-feira, 4 de março de 2008

VOCÊ NO MOVIMENTO ESTUDANTIL

Para você que quer participar do movimento estudantil, CH3 criou esse teste criterioso e eficaz. São questões sobre seu comportamento enquanto estudante e ser humano no geral.
Será que você tem o perfil do movimento?

1 – Acaba a luz no seu bloco. O que você faz?
a) Introduz todas as lâmpadas do bloco no seu ânus.
b) Pega seu megafone, organiza uma assembléia e depois vai até a reitoria pedir por eletricidade.
c) Organiza estudantes em barricadas, prática pequenos furtos, taca fogo em pneus e compra uma camisa do Che Guevara.
d) Tira a roupa e corre nu pelo campus.

2 – A tarifa do ônibus aumenta, e você?
a) Deita no chão e começa a rolar fazendo barulhos estranhos.
b) Pega seu megafone, canta palavras de ordem, fecha a Avenida e depois anda de graça com o passe livre.
c) Incendeia a cidade, empala o prefeito e assiste Diários de Motocicleta.
d) Tira a roupa e corre nu pelo campus.

3 – Época de eleição para o DCE, qual a sua atitude?
a) Simula fazer sexo com a parede.
b) Monta uma chapa, distribuí panfletos malfeitos e passa em todas as salas falando contra a Reforma Universitária.
c) Organiza carreatas, mata os atuais membros do DCE decapitados e compra O Capital.
d) Tira a roupa e corre nu pelo campus.

4 – Você na sala de aula é do tipo que:
a) Fica se masturbando na mesa do professor.
b) Faz perguntas e alertas os colegas sobre a falência do ensino público.
c) Destrói carteiras, picha na parede “A UNIVERSIDADE ESTÁ SEM ESTRUTURA” e tira xérox do Manifesto do Partido Comunista.
d) Tira a roupa e corre nu pelo campus.

5 – O que você faz para se divertir?
a) Participa de chats eróticos com o nick de TARADINHO.
b) Organiza saraus, queima Vejas, fuma maconha e faz roda de violão.
c) Seqüestra um vereador, urina na cara dele, destrói outdoors e distribui panfletos do PSTU.
d) Tira a roupa e corre nu pelo campus.

6 – Você ganha 1 milhão de reais. O que faz?
a) Gasta tudo em bala de caramelo.
b) Faz panfletos, ajuda mendigos, compra dólares e os rasga para protestar contra os EUA.
c) Compra armas, passagens para Cuba e uma jaqueta com a foice e o martelo.
d) Tira a roupa e corre nu pelo campus.
7 – Uma garota bonita está afim de você, e aí?
a) Vai vestido de telletubbie encontrar ela.
b) Não vai. Mulheres bonitas são alienadas.
c) Espanca ela até ela perder todos os dentes e dá de presente uma bandeira do MST.
d) Tira a roupa e corre nu pelo campus.

Resultado: Some um ponto para cada resposta com a letra (a), dois pontos para (b), três pontos para (c) e quatro pontos para (d)

7-11 - Você não tem a cara do movimento estudantil, mas pode se divertir em um Big Brother.
12-17 - Você é a cara do Movimento estudantil, vá para o escritório da UNE mais próximo de você.
18-23 - Você é reacionário demais para participar do movimento estudantil. Mas existe espaço para os revolucionários.
24-28 - Até tem estratégias interessantes para o movimento, mas não será bem aceito pelos conservadores.

domingo, 2 de março de 2008

Como se tornar popular¹

Nós do CH3 percebemos que muitas pessoas chegavam até nosso blog através do google procurando por "como se tornar popular". Pois bem, identificamos que a falta de popularidade é um problema na vida de muitas pessoas, excluídas e humilhadas entre os seus semelhantes. Por isso, vamos atender à necessidade dessas pobres pessoas, mas com foco na popularidade da vida escolar, por dois motivos: primeiro porque quem passou pela escola sabe como a sociedade estudantil pode ser cruel, chamar atenção e ser popular é primordial quando você é adolescente. Depois que você sai da escola e vive num ambiente universitário ou de trabalho, isso não tem mais tanta importância. O segundo motivo pelo foco na vida escolar é uma visita ao blog de uma pessoa que procurou no google por "como se tornar um garoto popular".
Meu Deus. Ficamos comovidos. Não podíamos deixar na mão esse pobre garoto que provavelmente está desesperado para que aquela gatinha da sala dele, que ele gosta desde a 6ª série, ao menos saiba que ele existe. Pois bem, prepare-se, pois este é mais um dos famosos Guias CH3.

Poderíamos responder ao problema do título desse post e resumir esse texto todo em apenas três palavras: dança do robô. Há algum tempo atrás falamos sobre como fazer sucesso numa discoteca usando os passos robóticos que têm feito sucesso desde a década de 80. Aprenda bem como se faz a dança do robô, e aplique a técnica na primeira oportunidade possível. Quando você for convidado a uma festa de aniversário de seu amigo, no terraço da casa dele, e ficarem as garotas sentadas de um lado e os garotos do outro, assim que a música tocar, seja o primeiro a ir para o centro do lugar. São os primeiros passos (robóticos) para a sua popularidade. Para aprender como se faz, visite nosso post específico sobre a dança do robô.

É importante saber como se vestir. No colégio isso torna-se limitado por causa do uniforme. Tire proveito disso. Se você apenas usa a camiseta do uniforme, uma calça e um par de tênis, é fácil entender porque ninguém repara em você. Mas com criatividade, o enfadonho uniforme pode se tornar uma grande oportunidade. Você pode por exemplo usar, ao invés de calças, outra camiseta, adaptada devidamente para servir às suas pernas. Você também pode fazer proveito do uniforme da educação física, que normalmente trata-se de uma camiseta regata de outra cor. Use a camiseta regata por cima do uniforme. Todos vão pagar pau. Os professores e coordenadores não poderão reclamar, afinal você está usando o uniforme do colégio e isso eles não podem negar. E você ainda poderá lançar uma nova tendência no colégio.

Você agora está mais próximo de ser popular na escola, mas ainda não chegou lá. De vez em quando, leve pra escola um violão. Todo mundo sabe que quem toca violão é o centro das atenções numa rodinha. Se você não sabe tocar, não tem problema. Primeiro leve o instrumento para a escola, se pedirem pra você tocar, fale que não tem tempo porque já está indo embora, ou que ele está desafinado, etc. Invente alguma desculpa para ganhar tempo enquanto você faz aulas de violão. Claro, porque um dia você não vai mais conseguir manter a farsa. Mas se você sabe tocar, bom, abuse do talento. Procure tocar More Than Words, Hotel California, Ana Júlia e algumas do Capital Inicial. Acredite, dá certo até depois da escola.

Ah, uma coisa importante. Nada disso que foi falado até agora tem valor se você é uma daquelas pessoas que come merda. Estamos falando sério! Nós sabemos que em todo grupo sempre tem aquele que invariavelmente acaba comendo merda. Se você é um desses, abandone esse hábito imediatamente! Como quer ser popular assim? Ora, faça-me o favor.

Enfim, dito isso, uma dica final. Use uma toalha enrolada por baixo da calça. Assim você dá a impressão que seu pênis é muito grande. As garotas vão ficar imaginando aquilo. Os garotos vão querer ser como você. Você será um símbolo até mesmo entre os mais velhos. Se pudessem, ergueriam uma estátua em sua homenagem na escola.

Você conseguiu. Você é popular.
Enfim, espero que tenhamos contribuído para ajudar aqueles que sentem-se excluídos entre as pessoas a seu redor, em especial nas escolas. A gente sabe como é porque estivemos lá. Tudo bem que eu não era um garoto popular na escola, e provavelmente o Guilherme também não (o Tackle era), mas aprendemos com nossos erros e fizemos este guia baseando-nos em estudos, relacionados a nosso conhecimento de escola. Podemos afirmar que quem está na merda e seguir esse guia poderá se tornar popular. Quem já é popular na sociedade nunca precisou de nada disso.

¹. Dedicamos esse post ao menino Fabinho, que nunca será um garoto popular na vida.