segunda-feira, 29 de abril de 2013

Toda sinceridade será castigada

Nos últimos dias eu vi mais do que eu uma pessoa (significa que são pelo menos duas), falando que sofriam de sincericídio. A palavra me bateu nos ouvidos com aquela estranheza que todos os neologismos têm. Resolvi fazer uma busca nos mecanismos de busca da internet para saber se essas pessoas inventaram o “sincericídio” ou se ele está se transformando em uma dessas palavras da moda.

Posso ser sincero?
Minha busca no Google mostrou que o neologismo já tem ampla divulgação na imprensa nacional, sendo uma junção entre sinceridade e suicídio. Os sincericidas são aqueles que sofrem com o problema de falar coisas que não deveriam. Aqueles que revelam para a namorada que sonhou em manter relações sexuais com a irmã dela. O sincericídio seria uma espécie de suicídio social através da sinceridade inconsequente.

Entretanto, tenho a impressão de que essas pessoas que mencionaram seu sincericídio não tinham vergonha disso. Elas não estavam procurando ajuda médica em busca de uma vida melhor. Não, os supostos suicidas da sinceridade falavam da sua condição com um orgulho kamikaze, uma arrogância que aqueles se julgam sinceros tem.

Sinceridade não é algo para se gabar. Ou você é sincero ou não é. É algo que está dentro de você. É tal qual a honestidade, a modéstia, ou a caridade. Ninguém bate no peito para dizer que é honesto. Que não há ninguém tão modesto como ele, ou que “sou caridoso pra caralho, porra”. Bem, pelo menos ninguém devia ser assim. Desconfie dessas pessoas.

Geralmente, estes que se julgam sinceros não colocam a sinceridade como uma qualidade, mas sim como um defeito. É o máximo clichê das entrevistas de emprego. Sou um cara de grupo, humilde, líder natural, muito inteligente, mas, infelizmente, tenho um grave defeito: sou muito sincero.

Não nego que a sinceridade possa ser um problema. Para ter uma convivência social com um mínimo de tranquilidade nós temos que, se não mentir, pelo menos ocultar boa parte dos nossos pensamentos. Fazer o que, nós somos maldosos por natureza, se falarmos o que pensamos, logo iremos machucar as pessoas e apanhar na rua. No entanto, ser sincero é importante em vários momentos. Se as pessoas fossem mais sinceras, nós poderíamos ter impedido o cabelo do Neymar em algum momento.

A sinceridade é um problema para essas pessoas, porque na verdade elas são falsas. Sofrem se sinceridade seletiva. Conseguem apenas destruir as pessoas, mas são incapazes de fazer um elogio quando o trabalho está realmente bom.
(No trabalho)
- Posso ser sincero? Seu trabalho está uma porcaria e você está afundando esta empresa com a sua incompetência.
(Com a amiga)
- Vou falar a verdade: seu namorado é um engolidor de pirocas.
(Para Leonardo da Vinci)
- Olha, pra ser sincero, achei uma merda. Eu sou muito melhor que você.
(Sincericida diante da Pietà de Michelangelo)
- Bem, pra ser sincero, até não está tão ruim não.

Sincericida, pra falar a verdade, seu problema não é ser sincero.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Retrô do Futuro

Retrô é uma palavra estranha para mim. Parece uma palavra incompleta e sempre que alguém a fala, tenho a impressão de que está faltando algo, que a pessoa esqueceu o resto da palavra.
- Era moda retrô.
- Retrovisor? Retrocesso? Retroativo? Retrospecto?

A moda retrô, justamente, é um resgate de hábitos antigos que misteriosamente e repentinamente se transformam em tendência. No mundo, podemos dizer que as coisas são inventadas e viram novidades, logo passam a ser ultrapassadas e então se transformam em retrô, voltando à moda. Um dia, elas serão ultrapassadas novamente e ninguém saberá explicar o porquê.

Para saber o que é o retrô nos tempos atuais basta olhar para um grupo de hipsters em um zoológico ou em outro ponto de observação. Óculos bizarros, calças justas, estampas que orgulhariam o Agostinho da Grande Família e aquela impressão de que a pessoa abriu o guarda-roupa da avó, por engano. Daqui a alguns anos, eles voltarão a ser apenas cafonas e não poderão alegar que isso é estilo.

Agora, o que será o retrô do futuro? Qual será o vestuário dos descolados fashionistas? Que itens abomináveis eles resgatarão de brechós fracassados direto para as passarelas de moda? O CH3 consultou os seus especialistas de sempre para traçar o vestuário retrô do futuro.

Pochetes: Se os mullets voltaram, porque as pochetes não voltariam? Em um mundo moderno, no qual as pessoas têm que carregar dois smartphones, um tablet, notebook e documentos pessoais, a pochete é ideal para tudo isso. Nas ruas, homens de roupa florida andariam com suas portentosas pochetes enroscadas em volta da cintura.

Abadás: Você já parou para pensar em quantas abadás são produzidos todos os anos? Para as milhares de pessoas no carnaval de Salvador, para as inúmeras micaretas que passam por todos os 5.570 municípios do território nacional, para todas as áreas vips dos shows da Ivete Sangalo. Se atualmente é símbolo de status para uns e de breguice para outros, no futuro o abadá conquistará a unanimidade invadindo os coloridos guarda-roupas dos hipsters de então.

Bermuda de Tectel: Atualmente restrita ao uso no ambiente doméstico, um dia a bermuda tectel irá direto para os bares alternativos. A tendência será por bermudas curtinhas, iguais às usadas por jogadores de futebol nos anos 70. Nossos especialistas apostam que deixar um testículo para fora na balada será moda em 2042.

Kichute: Símbolo de uma geração, o kichute transcendeu a sua forma física para entrar no imaginário popular. Você talvez não conheça um kichute, mas imagina como ele é. No futuro, será relançado o verdadeiro Kichute, ideal para a galerinha antenada que adora valorizar a nossa história e se vestir bem.

Meias até a canela: Aqui é um item de lógica. Com bermudas curtas, as meias terão que ser mais compridas, para poder proteger os usuários. Lembre-se que a moda retrô é unissex e homens e mulheres podem usar as mesmas roupas.

Óculos com lente de sol acoplada por imã: Uma ideia revolucionária e que virou moda no fim dos anos 90. Você que usa óculos de grau, não precisaria investir uma fortuna em lentes que mudam de cor ou em dois óculos, para proteger seus olhos sensíveis do sol. Bastaria escolher um moderno modelo que, com um simples imã, permite usar uma lente escura por sobre as lentes normais. Como a humanidade quer cada vez mais praticidade, eles voltarão no futuro.

E claro, nada de Instagram. Em um mundo com abundantes celulares que tiram foto em alta resolução, não será exclusividade nenhuma tirar fotos bonitas e coloridas de pratos de comida. Assim como, todas as Lomos do mundo já terão enguiçado e o material necessário para revelação de filmes estará disponível apenas no Irã. Assim sendo, teremos as voltas das máquinas digitais com no máximo 500 pixels de resolução. Neste mundo, nada melhor do que um fotolog para compartilhar sua arte.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

O pensador de memes

Poucas pessoas sabem, mas essas imagens “engraçadas” que poluem seu Facebook diariamente não surgem aleatoriamente. Elas são friamente pensadas por profissionais. O objetivo? O lucro. Para falar mais sobre o assunto, o CH3 entrevistou Anderson Pereira da Costa Arruda Plínio Marques Sampaio da Silva Bertozini*, um criador de memes. Natural de Cabo Frio-RJ, ele nos recebeu em seu iate na Costa do Sauípe para um breve papo sobre o assunto.

Muitas pessoas não sabem que sua profissão existe e tantas outras não entenderiam sua função. Como você define o seu trabalho?
Sei que minha profissão pode parecer um tanto quanto estranha para as pessoas. Confesso que eu mesmo acho estranho. Em parte por causa da palavra “meme”, que é uma palavra ridícula. Quando alguém me pergunta o que eu faço, digo que eu sou um consultor de mídias sociais, para parecer mais importante. Se minha avó me perguntar, digo que eu mexo com internet. Ela jamais entenderia.

Qual é a natureza do seu trabalho?
Bem, nós pensamos nos memes que irão aparecer na sua timeline do Facebook. Poucas pessoas percebem que há uma série de mensagens subliminares em cada desenho rabiscado com piadas inofensivas. Até porque, se percebessem, elas não seriam subliminares. Temos uma série de empresas que nos contratam para disseminar suas marcas nas redes sociais e é isso o que nós fazemos.

Como é que surgiu a oportunidade de entrar neste ramo?
Comecei algum tempo atrás, depois de postar umas piadinhas no Face. Fui procurado em casa por um cidadão misterioso que me perguntou se eu não queria ganhar dinheiro na internet. Antes que eu respondesse que pirâmide financeira era crime, ele me explicou como tudo funcionava, como era o sistema. Como eu não tinha nada pra fazer, acabei aceitando.

E o funcionamento da empresa?
Logo no meu primeiro dia de trabalho eu tomei um susto com a lista de multinacionais que contratam a nossa empresa. Fui apresentado aos meus colegas. “Aquele ali criou aquela série do cara que pergunta aonde você mora”, “esse outro foi o pioneiro na série de imagens sobre como eu me vejo”, “aquele ali foi o que resolveu que todas as frases do mundo seriam atribuídas a Clarice Lispector”. Enfim, temos várias cabeças.

Em um ambiente tão criativo, você teve alguma dificuldade?
Passei algum tempo batendo cabeça, criando pouca coisa, tendo muitas ideias rejeitadas. Até que eu tive a grande sacada da minha vida. Acompanhei pelo Twitter a polêmica sobre o filme “Ted”, aquele do ursinho, encabeçada por aquele político que foi policial e que tinha um nome engraçado, Patógenes ou algo assim. Pensei comigo mesmo que esse negócio podia render. No mesmo dia fui assistir ao filme e percebi que aquele ursinho fofinho era carismático, mesmo sendo malvado. Criei então a série do Ted Sincero.

A ideia foi aceita rapidamente?
Em um primeiro momento, meus superiores me questionaram pelo fato de que o personagem não falava nenhuma daquelas frases que eu criei. Até então, eles trabalhavam apenas com frases reais. Eu argumentei que aquilo era o futuro, que as pessoas queriam apenas um escape da realidade. E nada melhor do que um ursinho de pelúcia para falar algumas frases engraçadas. Foi um sucesso tremendo e aumentou a venda dos nossos clientes de maneira exponencial. Ganhei um aumento e em pouco tempo já existiam milhares de perfis baseados em fazer piadas com nossas fotos do Ted.

Você criou outros personagens?
Sim, era preciso uma sequência. Comecei a pensar e logo cheguei no Chapolin. Veja, a turma do Chaves faz um sucesso danado aqui no Brasil desde quando meu pai era criança. Mas os personagens eram meio batidos, todo mundo conhece as frases deles. O Chapolin é um pouco ofuscado, mas tem carisma também. O meu Chapolin sincero tem, sei lá, cinco bilhões de curtidas, um negócio surreal. Até comecei a bloquear as pessoas que compartilham Chapolin, porque eu não conseguia ver mais nada no Face.

Depois desse sucesso a sua reputação na empresa melhorou?
Virei diretor do departamento de memes com personagens e estabeleci o conceito de que o humor anda em uma tênue linha entre o realismo e a ficção. Uma frase tosca, mas como a maior parte dos meus colegas de trabalho são adolescentes retardados, eles ficaram impressionados e passaram a me tratar como um guru. Agora o nicho se expandiu. Temos frases com atrizes da malhação, artistas que já morreram. Nem sei mais quantos, meu departamento está tão grande que eu nem sei quem é que trabalha comigo. Só aprovo ou desaprovo. Realizei o sonho de virar burocrata antes dos 30.

O que esperar do futuro da sua profissão?
Nas reuniões que eu tenho com os outros diretores nós sempre estamos discutindo as tendências. Sabe como é, internet é uma putaria, daqui a um mês tudo mudou. Estamos apostando que o futuro, mais do que nunca, estará ligado ao humor com animais. Criaremos personalidades para cada um dos bichos existentes e espalharemos isso na internet, vendendo nossos produtos e perpetuando os aparelhos ideológicos.

*Nome fictício. Empresas de memes atuam secretamente e pedem sigilo total aos seus funcionários.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

A Arte de Parecer Inteligente

O que é a inteligência? De acordo com a Wikipédia, inteligência é a capacidade mental de raciocinar, planejar, resolver problemas, abstrair ideias, compreender ideias e aprender. Para um dicionário, inteligência ainda compreende a interpretação, compreensão e o conhecimento profundo de um assunto. O inteligente seria uma pessoa de grande esfera intelectual.
Pesquisas mostram que artigos com imagens de cérebro são mais levados a  sério

Na nossa vida leiga, a inteligência é ligada a capacidade intelectual e muda muito de acordo com o meio em que vivemos. Primeiro, o inteligente é aquele que reconhece formas, depois é aquele que sabe ler, aquele que sabe a tabuada do sete, a raiz quadrada de dois, e, por fim, o intelectual é aquele que sabe como parecer um intelectual.

Porque na vida adulta, as pessoas seguem por áreas diferentes do conhecimento. Assim sendo, um mestre em química pode parecer um débil mental para um professor de português. Tal qual um doutor em sociologia pode ser o mais perfeito boçal para um aluno de física. Einstein dividia por zero, mas não conseguia amarrar o cadarço. O Marquinhos que estudou comigo sabia explicar um polissíndeto, mas não conseguia assobiar. Portanto, o negócio é agir no seu meio e cultivar a aparência para reforçar a intelectualidade.

O intelectual médio geralmente está ligado ao modelo francês. Um modelo que envolve o uso de boinas, camisas listradas, cigarros gitanes finos e baforadas em círculo. A intelectualidade era tão levada a sério na França, que ela até virou profissão. Quantas vezes você não viu algo sobre um francês definido apenas como “intelectual”. Paradoxalmente, intelectuais avaliam que a economia francesa entrou em recessão porque as pessoas deixaram de produzir bens para se dedicar apenas ao ócio intelectual.

Outro modelo frequente é o do intelectual de esquerda. Sujeito que tem a barba por fazer, cabelos desgrenhados, utiliza uma bolsa em volta da cintura e se veste como se fosse um beneficiário do sopão em protesto contra a Polícia Militar. Seus métodos são originários do antigo intelectual alemão, extinto no pós-guerra, e dos intelectuais gregos. Todos eternizados na partida de futebol do Monty Python.

De qualquer forma, usar óculos é um item essencial para que você faça um charme de intelectual, como já cantava Herbert Vianna em 1984. Veja que quando Clark Kent coloca óculos ele deixa de ser uma máquina alienígena de matar e passa a ser apenas um jornalista intelectual que faz sucesso com todas as suas colegas de redação.

É preciso prestar atenção no seu vocabulário. Sempre que possível, utilize a palavra “tecnocracia”. Parecerá que você estudou durante anos para realmente saber o significado dessa palavra. “Status Quo” é outra boa pedida. Aliás, expressões originárias do latim te farão parecer um descendente direto de Platão e outros gregos pederastas. Dar a bunda também foi um ato relacionado à intelectualidade durante muitos anos.

É preciso prestar atenção que, por mais que esses conceitos mudem, eles jamais estarão ligados a começar dois parágrafos seguidos com as mesmas palavras. Portanto, você pode dizer que esse texto não é nem um pouco intelectual e é baseado em velhos clichês e costumes preguiçosos. Mas, enfim.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

5 Coisas Irritantes de Filme Futuristas

Fazer um filme sobre o futuro não é exatamente a coisa mais fácil do mundo. Não temos fontes confiáveis sobre como o futuro será, com exceção é claro, de Pai Jorginho de Ogum. Como o CH3 tem um contrato de exclusividade com o Mago das Almas, os diretores arriscam em vários clichês e alguns deles tornam os filmes futuristas um saco. Vamos a alguns deles.

Empregados Robôs
O futuro é recheado de casas com empregados robôs, como a Rosie dos Jetsons. Eles são os responsáveis por buscar seus chinelos, preparar um café e servir o almoço, incluindo a sobremesa. Até mesmo o Rocky Balboa tinha um em seu 4º filme e olha que nem era uma obra futurística.
Porque os diretores usam? O uso de robôs em filmes parte de um pensamento lógico. Com o constante aumento na geração de renda dos países, cada vez menos pessoas se prestam a limpar privadas da casa de outras pessoas. Logo, todos apelam para os robôs, um investimento de longo prazo e que trabalha 24h por dia, sem vale transporte.
Porque é um saco? Se ter um robô na sua casa já não fosse ruim o suficiente, estes seres cibernéticos tem o péssimo hábito de ficar fazendo perguntas o tempo todo. Quer café? Quer suas sandálias? O jornal chegou. Telefone para você. E você ainda tem que ficar confirmando seus atos. Se os robôs fossem mudos, não seriam tão ruins.

Roupas
Daqui a 200 anos será impossível encontrar uma pessoa com calça jeans e camisa social, um vestido ali, uma bermuda aqui. As pessoas do futuro utilizam-se de roupas excêntricas. Os grupos andam uniformizados pelas ruas, com roupas prateadas principalmente. As roupas também são cheias de cortes pontiagudos e penduricalhos.
Porque os diretores usam? Para marcar a época. O futuro sempre tende a ser insólito, então, as roupas serão bizarras também.
Porque é um saco? Preciso explicar porque é um saco usar roupas justas, prateadas e pontiagudas? Se não bastasse, no futuro todas as pessoas usarão cabelos coloridos em correr berrantes como vermelho e laranja.

Carros Voadores
No futuro todos nós iremos nos livrar dos longos congestionamentos em ruas esburacadas porque os nossos carros irão voar. Nossas casas, aliás, ficarão no alto. O sonho do helicóptero próprio ficará mais próximo de todos os reles mortais.
Porque os diretores usam? A partir do princípio de que no futuro a poluição irá dominar o mundo e que nossas ruas estarão cobertas de fumaça. Só nos restará a opção de voar, voar, subir, subir, em busca de um ar puro.
Porque é um saco? Além de bastante improvável, a ideia dos carros voadores é temerária. Se aqui em baixo, onde só se vai para a frente e para os lados, nós já temos inúmeros barbeiros, imagine como seria o trânsito com os veículos se movendo também para cima e para baixo.

Freak Shows
Anões, aleijados, ogros, deformados, pessoas com cabeças gigantes, alienígenas. No futuro eles estarão no meio de nós, convivendo conosco e, muito provavelmente, ganhando dinheiro graças as suas aberrações.
Porque os diretores usam? Os filmes futurísticos são sempre imaginados em cenários caóticos. Os freak shows são frutos das guerras nucleares e da própria degeneração da sociedade humana.
Porque é um saco? Eu não gostaria de viver num mundo em que a maior diversão é assistir a uma espécie de UFC entre deformados.

Cenário Apocalíptico
Nenhum filme futurístico se passa em um lugar normal, com casas normais, pessoas normais, levando vidas normais. Não, sempre temos cenários cheios de pedras e desertos, destroços do que um dia foi a humanidade. Neste lugar, nada de sofrer por amor ou algo parecido. O que resta é lutar pela sobrevivência, matando se for preciso.
Porque os diretores usam? Vivemos sempre nessa sensação de que o mundo fica pior a cada dia então é lógico que o futuro será uma desgraça.
Porque é um saco? Porque é um saco viver em um lugar cheio de pedras, níveis altos de radioatividade e em que não há nem uma sombra para se guardar do sol infernal.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Dúvidas sobre o Imposto de Renda

E você, já conversou com o Leão hoje? Todo ano é assim, nobre contribuinte deste país chamado Brasil. Se você ganha certa quantidade anual de dinheiro, você precisa fazer a sua declaração de Imposto de Renda. Para evitar a dor de cabeça de não saber o que fazer, a equipe do CH3 preparou este post que responde as principais dúvidas sobre o IR.

Quem eu posso colocar como meu dependente?
Se você for um pacote de cocaína, heroína, ou mesmo álcool e nicotina, você poderá colocar milhões de pessoas na sua lista de dependentes. Caso você seja apenas uma pessoa física, você pode colocar filhos novos, mulher, pai e mãe idosos.

Posso colocar meu cachorro como dependente?
Pode sim, desde que o seu cachorro tenha CPF e menos de 21 anos, ou menos de 24 e ainda esteja estudando. Se você for casado com o seu cachorro também vale. O Brasil ainda não permite o casamento entre animais de espécies diferentes, mas, na Índia é possível desenvolver um enlace matrimonial com cães. Não sei dizer se a união estável homoafetiva entre animais e humanos está em vigência nas terras do Bahuan. Você também pode tentar comprovar que é o filho do cão.

Que gastos eu posso deduzir na minha declaração?
Gastos com tratamentos médicos e ortodentários. Consulte um jurista de confiança para saber o que é e o que não é tratamento médico. Indicamos o Jarbas Mascarenhas, (65) 3911-2910.

Posso colocar gastos com motel na declaração?
A princípio, não. No entanto, recentemente esteve em cartaz o filme “As Sessões” que conta a história de um cidadão vítima de paralisia infantil que procura uma profissional em busca de um tratamento sexual. Sim, tal qual Marvin Gaye pregava lá nos anos 1970. Se a sua terapia sexual contou com relações sexuais realizadas em um motel, pode ser que sim, entre na declaração. O problema é que motéis não são empresas de natureza medicinal. Você simplesmente não chega em um motel e pede um tratamento. Compensa mais que você peça para que sua “médica” inclua o valor do motel no recibo pelos serviços.

O que acontece se eu não declarar o imposto de renda?
Em um primeiro momento, você será multado e ficará impedido de tirar passaporte, abrir crediário nas Lojas Pernambucanas e passará a ser perseguido pela Interpol. Se você persistir no erro, poderá ter sua casa invadida por agentes do FBI e seus bens sequestrados. No final, será julgado sumariamente e será condenado a fogueira em Praça Pública.

Eu fiz a minha declaração do imposto de renda, certo. Depois o governo irá fiscalizar a minha declaração em busca de possíveis erros e irá me notificar do que eu fiz de errado. Não seria mais fácil que o governo simplesmente apresentasse de uma vez o valor que eu tenho que pagar? Porque ele não faz isso?
De fato, seria muito mais fácil, mas ninguém sabe explicar porque isso não é feito. Deve ser parte da tortura.

Porque o símbolo do imposto de renda é um leão?
Emerson Leão, ex-goleiro e atualmente técnico de futebol, é muito famoso por seu mau-humor em entrevistas coletivas e por suas atitudes rudes e disciplinadoras contras jogadores de futebol. Para homenagear esta carismática figura do cancioneiro nacional (VELOSO, Caetano), a Receita Federal escolheu o Leãozinho como mascote do Imposto de Renda.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Piada do Tomate


Durante muito tempo a única piada de tomate conhecida pela humanidade era aquela em que dois tomates iriam atravessar a rua e acabavam sendo atropelados por um caminhão. Sim, contando desse jeito parece que não é lá muito engraçado. Mas esta anedota é universal, porque os tomates podem ser substituídos por qualquer outro elemento conhecido pelos homens, como bananas, presidentes de Comissão de Direitos Humanos e comediantes Stand Up.
“Dois Rafinhas Bastos estavam atravessando a rua quando um deles disse:
- Olha o camiBLOSH
- Que caminBlosh”
De fato, o tomate não é uma fruta muito engraçada. Olhe para um tomate durante alguns segundos e eu duvido que ele consiga te fazer rir. Uma mandioca, um pepino ou outros vegetais fálicos são mais engraçados. Mesmo os aspargos tem um quê humorístico. O tomate não. Até porque, quando cortamos um tomate, ele sangra. É como se ele fosse parte de nós. Além disso, sempre tem aquela decepção daquele dia na terceira série quando você descobriu que o tomate era uma fruta e não um legume. É impossível olhar para um tomate sem desconfiança.

Apesar de não ser muito engraçado, o tomate cumpre inúmeras funções em nossa vida. Ele responde pela cota aceitável de salada que as pessoas comem. Para não ter que encarar as intragáveis rúculas, acelgas e rabanetes, aceitamos um tomatezinho e limpamos nossa consciência. O tomate também está na base do extrato de tomate (ohhh!), responsável pelo molho daquela macarronada ao sugo que tanto te provoca azia. As mais diversas receitas culinárias levam molho de tomate em sua composição. Dizem também que o ketchup é feito de tomate, mas há bastante controvérsia sobre isso.

O tomate, principalmente quando já passou do ponto, também é ótimo para ser arremessado em outras pessoas, principalmente políticos em débito com a sociedade e os já citados comediantes de Stand Up. Tudo porque o tomate, assim como o ovo, se espatifa ao atingir o alvo. Arremessar uma abobrinha em alguém é uma tentativa de homicídio. Arremessar um tomate provoca apenas constrangimento, porque deixa a pessoa emporcalhada. O molho ainda é propício para a besuntação e na cidade de Valencia, os espanhóis organizam um bacanal danado nas ruas cobertas de tomate.
Engravidei na tomatina
No entanto, nas últimas semanas o tomate foi para a boca do povo como jamais esteve em toda a história. O preço da fruta subiu e seu quilo já está custando algo na faixa de R$ 10, o dobro da média de outros vegetais.

A inflação fez surgir o sentimento por uma guerra civil. Por um momento, acreditei que um processo de impeachment seria movido contra a presidente. “Aha Uhu, o tomate é nosso!” gritariam os manifestantes na rua. A próxima campanha eleitoral seria guiada por um tema: "estatização dos tomateiros".

O Facebook, aquela polêmica rede social, se transformou automaticamente em uma rede baseada no compartilhamento de fotos com piadas sobre o preço do tomate. Tomates sendo transportados em carros fortes, tomates substituindo o caviar em restaurantes luxuosos, homens presenteando mulheres com tomates ao invés de joias, mulheres que estouraram o limite do cartão de crédito porque compraram tomates demais. Mesmo quem odeia salada e prefere molho branco engrossou o protesto.
by Gressana

Fiz uma breve pesquisa no supermercado e constatei que ainda existem muitas coisas mais caras do que um tomate. Um quilo de pão, um quilo de queijo, de presunto, chocolate, ou sucrilhos custam mais do que um quilo de tomate. Um quilo de iPhone também. Então você não devia entrar no seu iPhone para compartilhar piadas de tomate. Seria melhor não comprar um smartphone e com o dinheiro acumulado comprar 200 quilos de tomate para satisfazer seu fetiche sexual e parar de encher nosso saco.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

A estrada vai...

Em todos os lugares do mundo sempre haverá alguém que está viajando. Viajando por prazer, viajando por lazer, viajando por motivos familiares, a trabalho, viajando para garantir que você possa comprar uma Coca Cola em Guiratinga. Viajando de avião, viajando de carro, ônibus ou caminhão. Viajando a pé, de bicicleta, viajando de barco, a nado, de joelhos, pagando promessas em algum caminho místico que será tema de livro do Paulo Coelho.

Desde que o mundo é mundo as pessoas viajam. Viajar está no sangue do homem, uma vez que lá na origem a nossa espécie era nômade. Transitávamos de um lugar para o outro em busca de raízes e frutas que pudéssemos coletar, por uma vida melhor. Depois, viajamos para descobrir novas terras, novos lugares, por uma vida melhor.

O objetivo da viagem é sempre este: ter uma vida melhor. Viajamos de férias, por trabalho, por família, porque de alguma forma o dinheiro, o descanso ou o emocional nos farão ter uma vida melhor. Ninguém sai de casa se não for por um bom propósito. Ninguém encara horas dentro dos mais variados veículos de transporte se não for por um bom motivo. Mesmo nossos ancestrais nômades pararam de viajar quando descobriram a agricultura.

Porque não é fácil sair de casa. Sair de casa não significa apenas arrumar uma mala, pegar uma máquina fotográfica, passar protetor solar e cair no mundo. Significa deixar para trás sua casa e junto com sua casa uma série de coisas. Seu chuveiro, sua cama, seu armário, seu quarto, basicamente o seu mundo. Note que só aqueles que são infelizes em casa é que conseguem ser plenamente felizes quando estão na estrada.

A viagem é um exercício de sobrevivência contra a loucura. Uma batalha contra os seus próprios pensamentos. Tantas horas ali, sentado diante de um encosto de poltrona e um aviso para apertar os cintos. Horas olhando para a estrada e os carros que passam e os buracos que se aproximam. Olhando para o infinito do mar. Contando os passos, as braçadas, as remadas. É inevitável que em algum momento você pense em parar e que só não desiste porque a essa altura você já está longe demais de casa para voltar.

E falo isso nesses tempos modernos em que você pode chegar a Brasília de avião em menos de duas horas. Em 12 horas você atravessa Mato Grosso e chega a Alta Floresta de carro. Imagine no passado. Imagine aqueles que se jogavam ao mar para seis meses de viagem rumo à América, rumo ao desconhecido. Imagine os bandeirantes que se preparavam para viagens que durariam anos no lombo de um cavalo rumo ao interior do Brasil.

Como domar as sensações de que você não vai chegar? De que nunca vai chegar? Porque você está fazendo isso? Não tem como chegar mais depressa. O chegar mais depressa é que provoca tantos acidentes. E aqueles que conseguiam sobreviver meses cavalgando no meio do nada eram loucos. Só os loucos e desequilibrados partiam para essas viagens antigamente. O Brasil mesmo, imagino que tenha sido colonizado por estes vários dementes. Isso deve explicar muita coisa.

Você pode ouvir música, mas, mesmo a música irá te cansar uma hora. Você pode ler um livro, a menos que você esteja dirigindo, mas também irá se cansar. Pode dormir, mas o sono nunca será o suficiente e você irá acordar dolorido. Em uma longa viagem, você não tem nada para fazer, exceto sobreviver.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Do the Harlem Shake

O Harlem Shake ganhou a internet. A música originaria da periferia de Nova York dominou o mundo de maneira inimaginável. De norte a sul, de leste a oeste, de bombordo a estibordo, todo mundo está gravando a sua versão da dança.

Caso você não saiba; o vídeo começa com uma pessoa dançando no meio de outras pessoas paradas. Quando a música fica animada, há um corte e na volta todos estão dançando loucamente, utilizando-se de máscaras, escafandros, plumas e snorkels. O vídeo acaba ali, com 30 segundos, antes que a putaria ficasse deveras desenfreada, antes que a festa do cabide começasse.

É claro que o CH3 não poderia ficar fora dessa história. É claro que faríamos isso da nossa maneira.

Então, senhoras e senhores, apresentamos Guilerme em sua apoteótica e catártica peformance do Harlem Shake.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Fatos Estranhos de Cuiabá

Cuiabá completa 294 anos hoje e iremos apresentar 294 curiosidades da cidade como forma de homenagem! Bem, nem tanto.

A Rua das Óticas
Cuiabá não é uma cidade planejada, aliás longe disso. O centro da cidade é formado por ruas tortas, estreitas e ladeiras que se espremem entre casarões antigos. Mesmo assim, Cuiabá tem uma rua de fazer inveja a Lúcio Costa. Falamos da Rua Cândido Mariano, a Rua das Óticas.

Em um espaço de menos de um quilometro coexistem cerca de 320 óticas. Um número aproximado porque ninguém teria a capacidade matemática de contá-las. Comprar óculos por lá é um pequeno inferno, pelo simples fato de que você não sabe por onde começar. Vou à ótica Tokyo ou na Ótica da Carmem?

Agora, porque tantas óticas se agrupam no mesmo local? Minha hipótese é a de que nos remotos tempos provincianos de Cuiabá, o único oftalmologista da cidade se instalou no local. Isso teria atraído uma ótica e logo depois veio a concorrência. Então veio o caos que é sempre inexplicável. Se está não for a razão, a culpa deve ser da Opus Dei.

Medo e Delírio no Itapajé-Santa Amália
Itapajé e Santa Amália são dois bairros localizados em lados opostos da cidade. Por algum motivo, as empresas de ônibus resolveram eternizar estes nomes com uma linha de ônibus que liga os dois bairros, a lendária linha 605. Por algum motivo também, resolveram que o ônibus deveria fazer a maior volta possível durante o já longo caminho.

Uma vez eu peguei o ônibus no centro, sentido Santa Amália. Enquanto o veículo recortava as ruas no entorno da Miguel Sutil, eu fiquei sozinho no ônibus umas quatro vezes. O itinerário da linha era mais extenso do que uma obra de James Joyce e não existem relatos de pessoas que tenham sobrevivido ao trajeto completo.

O lobisomem da Lixeira
A Lixeira é um bairro tradicional de Cuiabá, situado em meio a ladeiras estreitas onde as pessoas ficam sentadas em cadeiras de fio na calçada. Eu estava no começo da faculdade, em 2005, quando começaram a surgir relatos de que a encarnação do mal estava visitando o bairro.

Uma história estranha, como todas as lendas urbanas. Tudo começou com um cidadão que viu uma criatura estranha, com cara de cachorro, nas proximidades do Centro de Saúde do vizinho bairro Baú. Em pouco tempo, várias pessoas conheciam outras pessoas que haviam visto a criatura e a história perdeu o controle. Houve quem afirmou tomar cachaça com o lobisomem e quem tivesse engravidado dele. Felizmente, ninguém morreu.

O Ponto do Morro da Luz
Desde os tempos em que você era uma inocente criança deste mundo, você já era avisado pelos mais velhos de que o Morro da Luz é um lugar perigoso e que não deve ser frequentado. De fato, o Morro da Luz é contraditoriamente escuro e sempre existem relatos de assaltos, assassinatos e estupros no local.

O problema, é que o Morro da Luz é o principal ponto de integração entre os ônibus que ligam a região do CPA e do Coxipó. Se você vai de lá pra cá, não tem jeito, passa por lá. Não existe cuiabano que não conheça o relato de alguém que já foi assaltado no Morro. Isso quando você não é o assaltado.

Beco do Candeeiro
Em 1998, três jovens foram executados no Beco do Candeeiro, no centro da cidade. Vivíamos o auge da época das chacinas de “jovens delinquentes” no Brasil e o crime marcou a entrada de Cuiabá no time das cidades chacinadoras. No local da tragédia foi erguida uma estátua que homenageia as vítimas e nada de sério aconteceu com os suspeitos, isso se realmente existiram suspeitos.

Hoje o Beco do Candeeiro carrega um nome pesado e proibitivo, tal qual a Igreja da Candelária. E boa parte das pessoas nem sabe onde é que ele fica exatamente.

O Maníaco do 8 de Abril
Essa história me foi contada pelo Tackleberry e, como toda história de publicitário, pode trazer mentiras. Ainda mais, porque Tackle a escutou de outro publicitário.

Consta que na região do Córrego 8 de Abril – córrego que aparenta cortar todas as ruas do centro de Cuiabá – a polícia começou a encontrar pessoas deitadas na margem do córrego, com as calças arriadas e as unhas machucadas. Os casos se repetiam até que finalmente a polícia descobriu do que se tratava: um cidadão passava a região em revista, buscando pessoas alcoolizadas. Ele então colocava em prática a lógica do cu de bêbado e arrastava o ébrio para dentro do córrego, onde o borracho era currado. O embriagado tentava fugir, mas não conseguia escalar as paredes do córrego.

Parece que depois de um tempo a polícia descobriu quem era o maníaco, mas por algum motivo ele virou motivo de piada ao invés de ser preso.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Visão Ponderada X Visão Extremista dos Fatos

Ponderados e Extremistas convivem normalmente em nossa sociedade, como se fossem pessoas normais. Só se manifestam em situações delicadas, quando a pressão social nos obriga a emitir nossa opinião em redes sociais e debates esportivos.

Os extremistas, como bem diz a palavra, são mais explosivos e enfáticos na hora de defender sua opinião. Costumam a ofender pessoas, familiares e mesmo nações inteiras durante as suas intervenções. Já os ponderados ficam horas remoendo seus pensamentos, para se manifestar apenas no final, com uma frase cheia de dedos que tende a juntar as opiniões divergentes na mesma mesa. Tudo isso de uma maneira bem bundona.

Realmente o futebol é um assunto que gera muito embate. Veja o caso da briga entre a Polícia Militar Mineira e os jogadores do Arsenal da Argentina, nesta última quarta-feira. Primeiro, os extremistas começam a expelir bile e ódio no Facebook.

“Esses argentinos são uma vergonha mesmo. Uma sub-raça de porcos malditos e imundos. Minha maior felicidade é ver este povo desgraçado, descendentes de um ancestral amaldiçoado por Noé. A PM devia ter dado mais porrada neses filhos da puta! Voltam pro seu país de merda! #declaraguerradilma”.

Logo, outro setor extremista começa a atacar a Polícia Militar.

“Polícias vagabundos e armados envergonhando o Brasil novamente. É preciso acabar com essa instituição nefasta que só sabe utilizar a força para conter quaisquer manifestações legítimas”.

Eis então, que um ponderado entra na discussão. Sua aparição é repleta de luz e ele parece ser dotado de uma áurea superior. Líder popular nato.

“Olha, eu acho que essa é uma situação muito delicada, com erros de várias partes. Acho que a Polícia sem dúvida exagerou na sua atuação e que os policiais armados não deveriam fazer a segurança dentro do estádio. No entanto, é preciso ver que os argentinos não são santos e se excederam. Eles apelaram para a violência durante boa parte do jogo e também procuraram confusão. Acho que é preciso estudar bem esse caso e aplicar as punições necessárias para os envolvidos. Agora, é muito chato depois de um jogo brilhante do Atlético-MG, essa grande atuação do Ronaldinho Gaúcho, que a gente tenha que ficar discutindo o extracampo, ao invés do que aconteceu dentro do gramado. Essas situações estão matando o futebol”.

43 pessoas curtiram, 2 compartilhamentos e 25 comentários dizendo “disse tudo”.

No dia seguinte, um novo tema existencial, estará na internet. E lá estará alguém falando “Essa velha que comanda a Argentina não é mole. Na época daquele caolho era mais fácil”, ou então “motoristas de ônibus é uma raça desgraçada mesmo. São assassinos no comando de máquinas de guerra!”, ou ainda “Petralhas malditos a serviço do Partido da Imprensa Golpista”.

Logo aparecerá um ponderado para dizer que sim, isso é verdade, mas não podemos generalizar. Que é preciso olhar aquilo, mas, não esquecer daquele outro. Se por um lado, você esta certo, por outro, você está errado. Enfim, que há muito a se pensar sobre esse caso.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Fatos Históricos no Dia da Mentira

Caso você não tenha se esquecido, neste ano a Páscoa caiu no dia 31 de março. Todo ano o domingo pascoal cai em uma data diferente, estabelecida por meio de um complexo cálculo matemático, conhecido apenas por membros da maçonaria. A Páscoa é uma data variável, mas podemos dizer que ela acontece 40 dias depois de um dia próximo ao carnaval (outra data variável de acordo com a posição do sol).

Neste ano da graça de 2012, a Páscoa antecedeu imediatamente o Primeiro de Abril, o Dia Internacional da Mentira. Ao contrário da Páscoa, o Dia da Mentira tem uma data fixa. Isso me fez pensar que em alguma situação da história, em algum ano a Páscoa e o Dia da Mentira irão coincidir. Aliás, isso vai acontecer em 2018.

Imaginem quantas piadinhas não serão feitas neste dia? Pais que dirão que não tem ovos para os filhos, tendo que desmentir assim que a criança começar a chorar. Ou no caso contrário:
- Pai, só tem papelão dentro desse ovo?
- Primeiro de Abril! Hahahahahahahahahahaha!
Seria um péssimo dia para contar para o seu filho que o Coelhinho da Páscoa não existe.

Agora seria realmente péssimo se as origens da Páscoa Cristã remetessem a um dia 1º de Abril. Imaginem os apóstolos saindo pelas ruas e gritando “Jesus ressuscitou! Jesus ressuscitou! Ele está vivo!”. Imaginem o povo de Jerusalém desdenhando “conta outra, você não pega Lucas! Acha que eu vou cair em mais uma dessas suas brincadeiras?”. Provável que essa grande empresa conhecida como Igreja Católica não tivesse crescido e até hoje o mundo ocidental ainda cultuasse o sol.

Muitos outros eventos poderiam ter seu dimensionamento mudado caso tivessem acontecido no primeiro dia de abril. Veja o próprio Golpe Militar de 1964. Os militares trataram de mudar sua data para o dia 31 de março, porque caso o contrário, ninguém daria credibilidade para ele. As pessoas até imaginariam “poxa, que super produção. Tanques na rua, tanta frescura apenas por uma pegadinha”.

Recentemente, a Holanda autorizou a eutanásia em um 1º de Abril. Também nesta data, Slobodan Milosevic se entregou a polícia iugoslava e François Duvalier se autoproclamou presidente vitalício do Haiti. Imagino que ninguém na Holanda tenha acreditado, que na Iugoslávia a população continuou procurando por Slobodan e que muitas haitianos queriam saber quando seriam as próximas eleições.

Se os ataques terroristas de 11 de setembro, o assassinato de John Kennedy ou a chegada do homem na lua tivessem acontecido em um dia primeiro de abril, ainda mais teorias conspiratórias teriam sido criadas. Pessoas defenderiam, com unhas e dentes, que Kennedy ainda estaria vivo, dentro de uma das torres do World Trade Center, camuflado pela CIA. Sobre o homem na lua, todos sabemos que é uma farsa.

Grandes empresas devem pensar bem na data em que vão lançar seus produtos. Imaginem o microcomputador lançado em um 1º de Abril? Imaginem se a cura do câncer for divulgada no 1º de Abril? As pessoas irão demorar a acreditar na descoberta e não irão procurar o tratamento.

A sorte é que na sociedade atual as pessoas acreditam em qualquer corrente divulgada no Facebook e é mais fácil que uma mentira se transforme em verdade, do que o contrário.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

As Origens do Primeiro de Abril

São Gepeto, padroeiro da data
O Primeiro de Abril, para quem não sabe, é o dia Internacional da Mentira. Data popularmente conhecida por envolver pegadinhas, piadas e mentiras que resultam em brigas, constrangimentos e eventualmente assassinatos. A data é muito lembrada por várias pessoas, mas poucas sabem o seu significado e as suas origens.

A data foi instituída como feriado mundial após uma reunião da Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra, 1973. Era um dia frio e os congressistas resolveram prestar essa homenagem a todos os mentirosos do mundo (e não são poucos). A data escolhida foi justamente o 1º de Abril, homenagem ao aniversário do físico inglês William Harvey, que dizem, era um grande brincalhão.

Harvey mostrou que seria um cara durão logo no seu nascimento. Após sua mãe sofrer com dores e contrações durante algumas horas ele colocou a cabeça para fora e gritou “há, pegadinha!” e voltou para dentro, gerando mais algumas horas de sofrimento.

Sua principal descoberta foi a circulação sanguínea, mas relatos dão conta que ele teria sido o responsável por descobrir a lei da gravidade, a fissão nuclear e o bóson de Higgs, além de ter inventado o futebol e aquela caixa que quando você abre saí um palhaço de dentro. Infelizmente, seu espírito jocoso fazia com que as pessoas não o levassem a sério, “lá vem o Harvey com mais uma piada sem graça”. Morreu em 1657, mas as pessoas demoraram a acreditar.

Mesmo antes do nascimento de Harvey, a data já era comemorada em vários lugares do mundo. O costume começou depois que marcianos enviaram mensagens criptografadas para diversos chefes de Estado em 1873. Nos últimos anos, documentos vazados pelo Genebraleaks sugerem que marcianos infiltrados na ONU hipnotizaram os membros da entidade para sugerir a criação da data. O objetivo dos extraterrestres seria despistar uma futura invasão no dia 01.04.

O dia 1º de Abril é um dia iluminado para a humanidade. Muitas das maiores descobertas da história da humanidade foram divulgadas neste dia. A máquina gravadora de sonhos, a cerveja em pó, o Boimate da Veja, ó óculos Raio X, a cura do câncer, a televisão com cheiro e o Golpe Militar de 1964. Infelizmente, apenas o último é verdadeiro.

Recentemente o Congresso Brasileiro tem estudado um projeto de lei para encurtar o dia 1º de Abril em duas horas. O projeto argumenta que, se a mentira tem pernas curtas, o dia também deveria ser mais curto. As duas horas cortadas seriam adicionadas em pequenos dias 29 de fevereiro, que passariam a ser anuais. Senadores argumentam que, assim, os nascidos nesta data deixariam de sofrer com crises de identidade.