quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Três formas de se fazer justiça

O CH3 oferece logo abaixo, ou acima, se você estiver de cabeça para baixo, um guia de como agir em situações nas quais você se sinta lesado. Se você for prejudicado, existem três maneiras de agir: Arcar com o prejuízo, procurar uma saída legal para resolver o problema ou fazer justiça com as próprias mãos. De antemão deixamos claro que o mais correto é procurar uma saída legal, mas fazer justiça com as próprias mãos, sem duvida é muito mais divertido.

Situação 1: Você compra um pão estragado no supermercado.
Coisa chata não? Você compra o pão pensando em se alimentar e o encontra cheio de musgos, quase criando vida, mesmo antes do prazo de validade. O que você pode fazer?

Arcar com o prejuízo: É só pensar “tudo bem, não precisava mesmo” e resolver esquecer o dinheiro gasto na compra do produto.
Saída Legal: Ir até o supermercado e pedir para trocar o pão. Caso o pedido seja rejeitado, vá até a justiça e peça uma indenização.
Justiça com as próprias mãos: Vá até o supermercado portando um canivete, ou uma espingarda, faça o gerente comer o pão estragado, atire em todos os enlatados e leve quantos pães quiser para sua casa.

Situação 2: O ônibus no qual você estava quebra.
Outra situação desagradável. Voltando para casa, o seu ônibus quebra e então você pode:

Arcar com o prejuízo: Pensar “ok, eu preciso me exercitar mesmo” e ir embora a pé até a sua casa. Não importa que sejam mais de 20 km de distancia. Você pode virar um maratonista.
Saída Legal: Pedir por um outro ônibus, gratuito, que te possibilite seguir o caminho antes desejado. Caso isso não ocorra, volte a pé para casa e processe a empresa.
Justiça com as próprias mãos: Tombe o ônibus na avenida com a ajuda de outras pessoas. Utilize um isqueiro para jogar fogo no combustível, queimando o motorista e o cobrador. Seqüestre um pedestre e peça um ônibus novo como resgate.

Situação 3: Seu professor esquece de lhe dar nota e você é reprovado.
Que coisa não? As vezes as pessoas erram mesmo, mas como agir numa situação dessa?

Arcar com o prejuízo: Pense “tudo bem, um semestre a mais, poderá me transformar em um profissional e um ser humano melhor”. E curse a matéria de novo.
Saída Legal: Fale com o professor e caso ele não queira corrigir a situação, contate o departamento. Isso pode não funcionar, portanto, vá até a reitoria, até o colegiado do curso, até o prefeito, o presidente. E então, curse a matéria de novo.
Justiça com as próprias mãos: Quebre o carro do professor (de preferência com ele ou algum familiar dentro), mande ameaças de morte para ele, decapite-o e mande sua cabeça para o chefe de departamento.

Situação 4: Um amigo seu não quer te devolver o CD que você emprestou pra ele.
É assim mesmo, nem sempre nós realmente conhecemos as pessoas. O que fazer?

Arcar com o prejuízo: Pense “tudo bem, a amizade supera isso” e compre outro CD.
Saída Legal: Procure um advogado e gaste mais dinheiro com ele, do que com um CD novo.
Justiça com as próprias mãos: Espalhe para todos os amigos em comum, que ele é o namorado passivo de um travesti. Fale para o chefe da torcida do Corinthians, que este amigo andou espalhando que já comeu sua mãe (no caso, a mãe do chefe de torcida). Aproveite o velório e recupere seu CD.

Situação 5: Tomou um fora em uma boate.
A garota passou a noite lhe encarando e na hora da definição te humilhou. Então, você pode:

Arcar com o prejuízo: Pensar “tudo bem” e ir até o balcão, pedir a bebida mais cara do lugar.
Saída Legal: Nesse caso, a porta mais perto do local.
Justiça com as próprias mãos: Punheta.

domingo, 26 de novembro de 2006

A prática do nudismo

O Nudismo.

Segundo o Wikipédia: Prática integrada que consiste na não utilização de vestuário para atividades recreativas em ambiente social. A nudez total é vista como uma forma de contato com a natureza e sem conotações sexuais ou morais de modéstia.
Segundo o CH3: Ficar peladão com um bando de outros peladões ao ar livre. Você tira toda sua roupa pra sentir um ventinho nos cocos e ninguém liga se você tem pinto pequeno ou peitos caídos.

Pois é, agora é lei pra quem é praticante do nudismo ter documentação, pagar mensalidade, papelada e blá blá blá. Mas mesmo com essa burocracia, as pessoas continuam aderindo a esse estilo de vida um tanto quanto... incomum.

Nudistas (dentro do conceito naturista) afirmam que, ao despirem-se de suas roupas, estão nada menos do que voltando a ser o que eram desde que o mundo é mundo, estão entrando em contato direto com a Mãe Natureza, estão tirando do corpo as impurezas mundanas e chegando a um estado de espírito mais próximo do divino. Uma bela desculpa pra ver gente pelada.
Enfim, àqueles que pretendem aderir ao nudismo, nós do CH3 daremos umas dicas.

-Aos iniciantes do sexo masculino, que não estão acostumados a ver tantos órgãos sexuais expostos, provavelmente terão um pouco de dificuldade pra conter eventuais... ou melhor, eventuais não, diversas ereções. Nada mais natural. Se ficar acanhado, não há nada que uma toalha não esconda.
-Sempre verifique se o local em que você for praticar o nudismo é de fato uma área reservada a nudistas. Não é comum uma pessoa se despir em uma praça pública, nem em um aeroporto, nem em uma sala de aula. E não, a desculpa de libertar-se do mundo material não funcionará no caso de você ser preso por atentado ao pudor.
-Nem todo nudista é um modelo sarado ou uma coelhinha da Playboy. Portanto, não vá achando que estará necessariamente no Paraíso.
-Se for à praia, sente-se sobre uma toalha de banho, sempre. Não deve ser nada agradável ter areia entrando nos fundilhos.
-Ainda na praia: evite o mar se possível. Lembre-se que você estará salgando o toba dessa forma.
-Como o conceito nudista já diz, ninguém está ligando pro seu bilau minúsculo. Mas nunca se sabe se você vai se deparar com um espertinho ou não.

-Não se esqueça, você terá que comprar cinco vezes mais protetor solar.

Enfim, que ninguém pense que praticar o nudismo traz só vantagens. Mas aí estão algumas das dicas a serem seguidas, além do código da Associação dos Nudistas, claro.Gostaríamos de informar que nós, membros do CH3, recentemente abrimos um espaço dedicado à pratica do nudismo em Cuiabá. Fica bem ali, perto da casa do nosso colega Guilherme.
Interessados, entrar em contato conosco.

terça-feira, 21 de novembro de 2006

Só a Playboy mesmo.

A Playboy conseguiu fazer os caras de algum país aí rezarem por chuva, e parece que deu certo, nada como a fé...CH3 defende que outdoors com gostosas de lingeries brancas devem ser espalhados por todo o Brasil, e baldes com água ao lado de cada um caso não chova.

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

Doenças Perigosas, estranhas e marginalizadas

Doenças como AIDS, Câncer e flamenguismo, são bem tratadas em filmes, novelas e outras produções. Para conscientizar a população e essas coisas. No entanto, muitas doenças não tem o lobby necessário e não são divulgadas como deveriam, deixando a população totalmente ignorante em relação a elas. Então, estou aqui para informar sobre algumas das mais estranhas doenças, ocultadas e marginalizadas em nossa sociedade cruel, moderna, isolada e fria. Este é um assunto sério (pfff).

Distúrbio Tobamaníaco: Considerado por especialistas como uma parte da Síndrome Anal Exibicionista, consiste em que o individuo passa o tempo todo falando a palavra toba. Como “Está um calor do toba hoje”, “Mas o time jogou um futebol do toba hoje”. “Ah, descansarei meu toba na cama”. Normalmente, as pessoas que desenvolvem esse transtorno, passam horas vendo inutilidades e por achar a palavra toba engraçada, passam todo o tempo falando o toba da palavra toba. Ahhhhhh.

Pommefritide: Do francês pomme frite, ou batata frita, foi relatada pela primeira vez em Paris no século XVIII. Uma espécie de tique nervoso, a pessoa acha que é uma batata sendo fritada. No meio de uma conversa a pessoa comumente fala “Esta va eu ahhhhhhhhh ahhhh ta quente ahhhh shhhhhhh ahhhh camisa é legal”. As pessoas perguntam o que é aquilo e a pessoa não se lembra. Costuma a levar a depressão visto que a pessoa se sente injustiçada, cobrada por algo que não se lembra de ter feito. E o faz, o tempo todo.

Aspargos nos ouvidos: A falta de higiene, costuma a levar a essa nojenta e bizarra alteração. Existem casos genéticos, quando uma aberração cromossômica do cromossomo 17 leva a criança a ter aspargos pelo corpo. O local mais comum é o ouvido, mas existem casos de aspargos nas narinas, axilas e na sola do pé. Costuma a levar ao suicídio, se a pessoa não tiver o acompanhamento necessário. Foi descrita pela primeira vez, no RU da UFMT. Não se sabe exatamente de que maneira.

Síndrome de Alcachofra: É o nome popular para um problema psicológico que faz com que a pessoa tenha atrações por vegetais de nomes não convidativos. Aspargos, Ruculas, Frutas do Conde, Alcaparras. É muito comum que num estágio avançado da doença, a pessoa tenha alucinações e confunda caminhões como Couves de Bruxelas. Normalmente, é fatal. Atinge pessoas que leram livros de Karl Marx. Previna-se.

Síndrome de Tolete: Normalmente começa através de uma mentira. Com pessoas que gostam de falar no telefone enquanto quebram o paradigma. Ou, defecam. Para explicar o barulho de “Splosht” que o tolete faz ao cair, a pessoa se diz portadora dessa doença, em que acha que é um tolete atingindo a água. Com o tempo, a pessoa passa a acreditar realmente nisso. E então, nunca mais se recupera.

Previnam-se. Previnam seus amigos. E cuidado, que depois de adquiridas, essas doenças são fatais.

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

Anúncios CH3...

...para quem quer anunciar onde ninguém vê.

Neste estabelecimento moderno e de luxo, encontra-se pu-
blicamente em exposição as mais lindas e confortáveis bo-
tas baixas, altas e apertadas, por preço de ocasião. Sa-
patos de verniz, camurça, últimos modelos. Piteiras ameri-
canas, bonitas e elegantes, finas e especialmente para fu-
mar em salões, bares e cafés elegantes. Estamos a ven-
der desde R$ 1,00. Nossa especialidade? cu-
ecas, camisetas, lenços e blusões,
de mocinhas a rapazes de 14 anos, a partir de R$ 0,50. Pu-
xadores, travessas nacionais e estrangeiras. Jogos de mon-
taria completa, por diversos preços. Temos lindos ca-
nivetes, artigos de papelaria, canetas cartinagens, ba-
ralhos de diversos tipos e tamanhos, bem como umas bo-
necas de veludo e pele de raposa. Fios, tranças e tran-
cetas especiais, chegadas diretamente de Paris.

Agora que você já perdeu tempo lendo essa merda e não gostou
de nada, perca mais um pouco e releia-o pulando uma linha,
quem sabe vale a pena.

quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Lições Sexuais

A atração existente entre homens e mulheres. Eis um dos motivos da existência humana. Várias pessoas vivem suas vidas apenas buscando a atenção do sexo oposto. Muitos também se sentem inseguros, não sabem se estão fazendo a coisa correta. Vários, e eu disse vários livros são publicados, todos os dias, e todos os anos. Mas no geral eles são broxantes, ou são escritos apenas para que o autor mostre para os amigos que ele é comedor. Testes são feitos na internet e em revistas fúteis, comunidades são criadas no orkut. Mas ainda está para vir um dia em que alguém dirá as palavras certas na hora certa. Foi pensando nisso (nisso, não naquilo) que o CH3 buscará apresentar nas linhas abaixo, verdadeiros métodos de conquista. Para isso fomos procurar nosso lendário Marcão, segurança de boate gay, antigo lateral direito do Flamengo, e ator de filmes pornôs de segunda categoria. Tendo participado ao longo de sua carreira de filmes conhecidos como “Profundezas Anais”, “Socorro! Meu Marido é um Jegue!” e “Branca de Neve e os 7 anões”, Marcão diz conhecer tudo o que acontece em um romance. Por mais que ele mesmo diga que romance é coisa de mulherzinha. O relato abaixo foi escrito por sua filha, Marcilene, estudante de Administração na, aliás, no Univag, visto que Marcão é analfabeto. Um relato sincero, humano, dinâmico, atrativo, queijo, goiabada, alface, hambúrguer, espinafre, esfarelado, carambola, relutante... opa, me empolguei.

“Veja bem, eu queria lembra que no geral essas minhas dica são mais voltada pra os homi. Visto que minhas palavra no geral costuma se mais dura, e as mulé no geral se ofende, sendo que homi num custuma a liga pra esse tipo de coisa. Seliga é coisa de viado, que nem aquele italiano do fim da copa. Agora, pra começa, o homi precisa se limpo. Num pode parece se mal aceado. Num pode dexa pelo no nariz, tira os catarro e limpa nas propra calça, esse tipo de coisa num pode. Mulé gosta do homi limpinho, e etc. Na hora de xega junto, é preciso se te confiança. É bom trena em casa, xega na frente do espeio, e fala palavras de confiança. Eu até recomendo pra que se lea, ou se pessa pra um amigo lê, mas no geral acho que esses cara que deve lê isso aqui deve se tudo doutô, e deve sabe lê. Ou entaum tem uns livro com foto de bichinho que pode ajuda também. Além disso pode se essitante, porque tem pessoas que tem uns gosto esquisito pelos animalzinho. Mas se você tive a confiança, já é meio caminho andado. Ae entaum é só partir pros finalmente. Tem que se chega, mostrando toda a confiança que foi adiquirida, palavrinha dificel essa heim? Num escreve isso naum menina, tava só comentando, então, ae com a confiança demonstrada, você pode tentá passa uma cantada. Normalmente é melór você tenta parece se romântico. Mulé gosta dessas coisa. Tenta uma como, ‘veja bem, porque num fazemos sexo?’ Normalmente costuma se a ser tiro e queda. Pelo menos foi isso que eu falei quando conheci minha mulé, e continuo com ela faz... num sei, mas faz um tempo bastante já. Se você leva a mulé pra cama, e a hora de mostra toda a sua habilidade. Eu vi o tal do Sergío Malandru, e esse cara é um bosta. Essas história ae de inventa nome, é uma viadagem. O negóssio mesmo, é o que se faz, e não essas história de posição”

Marcão inclusive disse que responderá questões que lhe foram feitas. Mas não sei porque, tenho a impressão de que nenhuma pessoa lhe perguntará nada.