segunda-feira, 23 de maio de 2016

A Longa Sinfonia do Apocalipse

Já se passaram quase quatro meses desde que Vinícius Gressana deixou Cuiabá rumo a Curitiba, vítima de uma condução coercitiva da Operação Lava Jato. Bem, eu me lembro disso muito bem por um único fator: em nossa última ceia, Gressana fez o favor de me apresentar “Tá Tranquilo, Tá Favorável”, o inexplicável hit do MC Bin Laden e minha vida nunca mais foi a mesma desde então.


Entenda, eu ainda era um jovem com sonhos e perspectivas de um mundo melhor até esse dia em que MC Bin Laden, feito um terrorista, explodiu com meus ideais e acabou com a minha vida, tocando a sua longa sinfonia do apocalipse. Para mim, não é uma coincidência que a frequência de posts do CH3 tenha caído drasticamente de fevereiro para cá. MC Bin Laden explodiu minha mente. Nada faz sentido no sucesso desse negócio.

O Cantor

MC Bin Laden é o nome artístico de Jefferson Cristian dos Santos e não faz sentido que alguém se chame Jefferson Cristian. O MC nasceu na zona leste de São Paulo e canta funk carioca, o que convenhamos, também não faz sentido. Ele conta que passava fome na infância e que só pode comer um McDonalds depois de começar a fazer shows. Provavelmente, ele resolveu descontar o tempo perdido na infância e isso deve explicar seus aparentes 160 quilos.

O que chama a atenção em Jefferson e a onipresença de seus seios, já que ele insiste em se apresentar sem camisa. Sua barriga protuberante fornece o complemento perfeito para sua aparência que pode ser considerada diabólica. Sua qualidade como cantor beira o zero absoluto e provavelmente qualquer ser vivo conseguiria cantar do mesmo jeito que ele.

O nome artístico

Osama Bin Laden, já falecido, foi o mais famoso terrorista de todos os tempos. Alcançou o estrelato mundial ao derrubar as torres gêmeas do World Trade Center em Nova York, no dia 11 de setembro de 2001, inaugurando assim uma era de terror global e de atentados espetaculares e midiáticos. Foi assassinado no 2 de maio de 2011 por soldados americanos em uma mansão no Paquistão, após os americanos ficarem bombardeando umas montanhas no Afeganistão por 10 anos, achando que ele estava escondido por lá.

A música

“Tá Tranquilo, Tá Favorável” não é uma música que possa ser usada como exemplo de uma melodia marcante, até porque ela não tem uma melodia. Bin Laden passa os quatro longos minutos da canção repetindo uma frase sobre uma base de vocalizações funkeiras, entremeadas por afirmações genéricas sobre a ostentação. A letra tem a capacidade de interlocução de uma criança de três anos com deficiências cognitivas. Em termos gerais, podemos dizer que este hit se assemelha muito mais a um mantra, capaz de colocar a pessoa em estado de transe hipnótico.

O Clipe

A formosa figura de Bin Laden e seu corpo são explorados ao longo do clipe, que mescla imagens dele sem camisa na praia e em alguns outros cenários. O MC lança mão de uma coreografia excêntrica que envolve o sinal do Hang Loose, dá cambalhotas na areia e mostra seus peitos enormes não siliconados de maneira grotesca até. A câmera insiste em focar na sua axila, enquanto ele aparentemente é possuído pelo demônio, fuma charutos e bebe champanhe na praia. Em determinado momento, ele senta em um CÓRREGO. É provavelmente a coisa mais hedionda surgida na internet desde o vídeo de two girls one cup.

Agora, junte tudo isso: figura grotesca cujo nome artístico lembra um terrorista grava um clipe bizarro de uma música incrivelmente ruim e vira um hit nacional. Alcança 70 milhões de visualizações no Youtube. Nada faz sucesso nessa porra.

A única explicação possível para mim, é que o clipe hipnótico de “Tá Tranquilo, Tá Favorável”, contém mensagens subliminares. Talvez haja uma caveira no bico de seu mamilo, provável que a frase “escuta essa merda pra sempre” esteja escrita na areia e que uma imagem demoníaca esteja refletida no mar. Há de haver a explicação.

Não é possível que essa canção faça sucesso apenas pelo seu título ter o poder de uma hashtag e por MC Bin Laden personificar um meme ambulante. Bem, também é possível.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Governo das Trevas

Na última quinta-feira, o agora presidente em exercício do Brasil, Michel Temer, fez um pronunciamento para marcar o início da sua gestão. No meio de falas protocolares, assumindo compromissos e elencando desafios, um momento chamou muito a atenção.


A boa-vontade e a inocência poderiam nos levar a crer que Temer foi acometido por um ressecamento de garganta, que o levou a tosse e ao pigarro. Vítima do clima seco de Brasília, talvez do ar-condicionado. Sua voz falhou e ele sofreu para conseguir completar sua frase sobre o corte de cargos comissionados no Governo Federal. Seu esforço em concluir a sentença empolgou os seus admiradores na plateia que começaram a puxar o coro de “Michel, Michel, Michel”, que de certa forma é muito parecido com o clássico coro de “bicha, bicha, bicha”, muito popular nos tempos de colégio.

Mas, há muito mais o que ser explorado nessa falha de voz. É bastante popular na internet um rumor de que o ex-vice-presidente da república é adepto do satanismo. Sim, Michel Temer cultuaria Lúcifer, o anjo caído, o senhor das trevas, a representação metafísica do mal.

A origem do boato é complexa e envolve o livro de um pastor evangélico que, por razões insólitas, as pessoas identificaram como filho de Michel Temer. No tal livro este pastor, um ex-satanista, afirmaria que seu pai o introduziu no mundo dos rituais satânicos, sacrificando cabras, bebendo sangue de animais, desenhando pentagramas invertidos no chão, uma loucura com muito fogo e enxofre.

Por incrível que pareça, Temer não tem nenhum filho adulto homem, o autor do livro explica que sua obra é de ficção e essa história muito louca tem tudo para ser inverídica. Mas pensem bem, qual é a possibilidade desse boato nonsense ser verdade? Quase nenhuma. Mas, seria muito divertido que fosse verdade, não? O que seria mais engraçado, um processo de impeachment culminar com a ascensão ao poder de um devoto de Satã ou de um cristão? Não preciso nem responder, não? Sou sempre da teoria de que se valeria a pena que um boato fosse verdade, devemos tratá-lo assim.

Por isso, voltem no vídeo da suposta falha de voz de Temer. Percebam qual é a palavra que arranhou para sair de sua garganta: encomendados. “Já estão encomendados”, dizia o presidente em exercício quando sua voz engrossou de maneira assustadora. Uma expressão muito utilizada quando se fala em pactos com o demônio, dizer que o sujeito “encomendou sua alma para o capeta”. Que a voz de Temer tenha falhado justo nessa palavra é o toque nonsense final para fechar essa teoria absurda.
Olhem para a mão do Michel Temer. Tentem dizer que essa mão é normal.

Em todos os filmes, desenhos, enfim, em qualquer produção artística jamais feita o diabo sempre tem uma voz assim, grave. Ninguém imaginaria o demônio falando com a voz do Pato Donald. Não tenho dúvida que naquele momento, no discurso, empolgado com a conquista do poder, Satanás tenha se descuidado e deixado escapar uma manifestação justamente nessa palavra que lhe é tão peculiar. Se não tivesse se controlado, nos momentos seguintes o couro de Michel Temer iria se romper na altura da nuca e de lá brotariam duas asas negras. Chifres cresceriam em sua testa e em posse de um tridente vermelho, ele diria suas palavras finais para a nação: “Let the sin begin” (deixe o pecado começar, em uma tradução livre).

Não seria exatamente uma novidade, esta ascensão do capeta ao poder executivo brasileiro. O ex-presidente Fernando Collor de Melo também já foi acusado por mais de uma pessoa de promover rituais de magia negra no porão da sua casa em Brasília, rituais esses que envolviam sacrifícios de animais e curiosos usos de entorpecentes.

O que, de certa forma, também nos permite um paralelo: da mesma forma que perdeu o poder, Satã conseguiu voltar a ele.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Império dos Sentidos

Boa tarde. Nós estamos começando mais uma edição do CH3 News. Vamos direto para Brasília, onde o repórter Tackleberry tem novidades. Parece que o presidente interino da Câmara dos Deputados anulou o processo do impeachment. É isso mesmo Tackleberry?
- Era isso mesmo Guilherme. Mas já não é mais. Waldir Maranhão acaba de mudar de ideia é anulou a decisão em que ele anulava o processo de impeachment.
- Significa então que o processo continua?
- Não, não continua Guilherme. Acaba de chegar aqui a decisão de que o Waldir Maranhão voltou atrás e resolveu anular as últimas eleições para o Congresso, o que torna todos os mandatos atuais inconstitucionais.
- Então, mudou tudo?
- Mudou. Waldir Maranhão acaba de anunciar que mudou de sexo na última madrugada, após se consultar com deus. Agora ele irá refletir sobre a situação é enfim, o futuro é incerto e Sérgio Mallandro assume o comando do Poder Legislativo.
- Que confusão. O que os deputados estão achando disso Tackleberry?
- Olha, não estão gostando, não estão gostando. O deputado Pauderney acabou de passar aqui e afirmou que “golpe é meu Pauderney de óculos”. Já ocorreu uma troca de tiros, um deputado da situação foi assassinado.

- Teve assassinato?
-Mudou. O impeachment acaba de ser aprovado, então o deputado assassinado é da oposição agora.
- Foi aprovado o impeachment Tackleberry?
- Não. Não. O processo continua. Sérgio Mallandro acaba de ser deposto e deportado para Aruba.
- A situação está tensa em Brasília, estamos com algumas dificuldades na transmissão, vamos interromper nossa conversa com o Tackleberry e agora vamos para Curitiba onde o repórter Vinícius Gressana tem mais informações sobre a Lava Jato. Que novidades são essas Vinícius?
- Olha, não são nada boas Guilherme. Nada boas.
- Conta pra gente Vinícius.
- Juiz Sérgio Moro vazou áudios de conversas minhas no Whatasapp e, fudeu cara. Tem nudes meus, fotos em situações constrangedoras, áudios alcoolizados. Terminando essa matéria aqui eu não sei nem o que eu vou fazer, não vou ter como ir pra casa, não vou ter como voltar pro trabalho. Já tá todo mundo me zoando, foda.
- Alguma consequência para essa ação, Gressana?
- Ah cara, vou ter que me mudar de cidade, de país, não sei. Dar um tiro na cabeça. Esse juiz fudeu com minha vida.
- Bem, situação complicada, para comentar ela nós temos aqui em nosso estúdio o cientista político Alfredo Humoyhuessos que vai comentar os últimos acontecimentos. Alfredo como você vê tudo isso acontecendo no Brasil?
- Com meus olhos. Mas antes, eu queria comentar sobre a situação de Curitiba, realmente as fotos de Vinícius Gressana são muito constrangedoras, acho que a situação dele dentro da empresa é extremamente delicada, temo que o setor de RH o chame para uma conversa em breve.
- E a situação em Brasília, Alfredo?
- Bem, não sou capaz de opinar.
- Parece que o Tackleberry está chamando lá de Brasília, agora com novidades consistentes.
- Pois é Guilherme, boa tarde Alfredo, o presidente do Senado, Renan Calheiros acaba de anunciar que o Senado vai invadir a Câmara Federal. Em um discurso acalorado, ele conclamou seus pares a pegar em armas e massacrar a casa legislativa vizinha que será transformada em um playground. A situação aqui é tensa, vocês podem ver nas imagens ali atrás um homem com a cabeça em chamas. Nada faz sentido.
- Notícia sobre a presidente Dilma?
- Pelo o que nos chega aqui, ela montou barricadas ao redor do Palácio do Planalto, se amarrou a cadeira de seu gabinete e está gritando que só sai de lá morta. Por outro lado, a equipe de decoração do Michel Temer tenta invadir o gabinete se utilizando de toras de madeira. O Lula está no teto do Palácio cantando músicas de Andrea Bocelli, só de cuecas.
- E o Eduardo Cunha?
- Entrou em combustão espontânea.
- Bom, um dia movimentado em Brasília, qualquer nova informação é só chamar Tackleberry.
- Ok, Guilherme. A última informação é que foi tudo cancelado. Ninguém sabe mais de nada, parece que vamos ser devolvidos aos índios. Adeus.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Bloqueio do Whatsapp

Foram aproximadamente 24 horas, tempo que a terra demora para completar um giro ao redor dela própria, tempo suficiente para que Jack Bauer impeça que um atentado terrorista mate o presidente dos Estados Unidos da América. Tempo em que os brasileiros ficaram sem acesso ao Whatsapp.

Não foi o primeiro bloqueio e é provável que não seja o último. Tudo aconteceu por conta da decisão de um juiz do Sergipe, que no meio de um processo de tráfico de drogas solicitou algumas informações para o Facebook, o Facebook disse que não tinha como fazer aquilo e como represália o aplicativo de mensagens que pertence a empresa do Zuckerberg acabou bloqueado em todo o território nacional.

Foi um dia em que o brasileiro caminhou pelo vale das sombras, sem saber o que fazer da vida. Acordar de manhã e não ter 2.123 mensagens de bom dia, imagens de gatinhos, momentos de oração, fotos pornográficas que promovem sangramento ocular. Muitos correram para outros aplicativos similares em uma verdadeira peregrinação em busca da mensagem de bom dia sagrada.

Sem Whatsapp muitas pessoas se viram em um grande dilema existencial: o que fazer com o próprio tempo. Como era a vida na época em que não podíamos gastar todo o nosso tempo útil com esse aplicativo?

Bem a essa altura o serviço já foi restabelecido, a paz voltou a reinar no Brasil e todos já podem perder sua vida discutindo assuntos completamente desimportantes e compartilhando informações desnecessárias pelo celular.

Mas o que me chama a atenção mesmo é o motivo do bloqueio, a tal investigação de tráfico de drogas.

Pensem bem, por mais irritante que seja, o Whatsapp é uma ferramenta importante para muitos brasileiros, que o utilizam de maneira profissional, espiritual, sexual ou por lazer. Interromper esse serviço realmente impacta o cotidiano de muitas pessoas.

Para que a vida de centenas de milhões de brasileiros seja afetada, imagino que o motivo precise ser extremamente nobre. Imagino que a investigação do juiz de Sergipe precise dessas informações do Facebook para prender o Pablo Escobar brasileiro. Para desmantelar um esquema internacional do tráfico de drogas. Que essa informação seja necessária para garantir o futuro das nossas crianças longe do pó e da pedra.

Se tudo isso, todo esse transtorno, todas essas piadas ruins, todos esses bons dias reprimidos, se tudo isso for apenas para prender um cara que vende maconha na porta de lanchonete, será uma tremenda sacanagem.