Guia CH3: Como ser um astro do funk.

Para aqueles que ainda têm duvida quanto a que rumo seguir na vida profissional, o CH3 hoje ensina como aproveitar um mercado promissor: o funk.
Claro que todos os riscos profissionais estão envolvidos, mas quando se pensa que a onda do funk acabou, ela volta. Mas nem por isso é um conhecimento inútil porque qualquer um pode ser um funk star. Qualquer um.

Primeiro, não se preocupe com a sua aparência. Você não precisa ser bonito pra fazer sucesso. É o caso do Tigrão, do Mc Créu e do Mc Serginho, que é mais feio que o capeta. Às vezes ser rdículo e estapafúrdio até ajuda. Afinal, a Lacraia abusava do brega, e nem mulher era.

Quanto a conhecimento musical, também não é necessário. Você só precisa de um microfone, uma gostosa que saiba rebolar e de um DJ. Mas os DJs estão bastante acessíveis ultimamente, até porque hoje em dia, qualquer um que sabe apertar botões em um sampler é DJ. Em todas as músicas vai ter aquela batida, algo como "tum-tá-tá-tá-tá-tátátátátá". Também é trabalho do DJ fazer os mixes com alguma amostra de som que você pode facilmente encontrar na internet. Pronto. Agora, vamos às letras.

Você também não precisa de criatividade. Na verdade, quanto menos você usar, melhor. Músicas criativas demais são inúteis, porque pro funk, o que conta é o sexo. Logo, tudo que você tem que fazer é associar alguma coisa ao sexo nas letras. Ser malicioso todo mundo sabe, mas não precisa ir muito longe. Houve quem fizesse uma música de sucesso relacionando o ato sexual a pamonha e ao cural. Enfim, pense em alguma coisa, qualquer coisa, escreva umas quatro ou cinco estrofes, um refrão e pronto. Leva cerca de 5 minutos para compor uma letra de funk. Cuidado pra não demorar mais que isso, senão você corre o risco de fazer uma letra boa.
Vejamos algumas sugestões:

Dança da Batata

Aí, galera, agora eu vou apresentar
A dança da batata, a galera vai se amarrar
Você pega a batata, começa a esfregar
Esfrega a batata, até ela estourar

Pega, pega, pega na batata
Esfrega, esfrega, esfrega na batata
Esfrega, esfrega, esfrega, esfrega
Cuidado que a batata vai sujar a sua cara

Funk do ventilador

Praquela rapazeada que tá no maior calor
Eu sou Mc (coloque seu nome aqui)
Cheguei cheio de frescor
Só pra mostrar pra galera a dança do ventilador
Roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda
Gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira
Roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda, roda
Gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira, gira

Dança do Cadarço

Amarra em mim gostosa
Que eu tô cheio de tesão
Vou te pegar de jeito
Tô na maior disposição

Vem ne mim gostosa
Eu sou um cadarço
Você é meu tênis
Agora amarra esse cadarço
E pega no meu tênis
Pega no meu tênis, pega no meu tênis, pega no meu tênis, pega no meu tênis.

Enfim, antes que algum viadinho venha dizer que eu não entendo nada de funk e que esse texto é uma piada sem graça e sem tamanho, gostaria de dizer que o funk É SIM uma prática baseada em clichês e costumes preguiçosos. Ora, olha o que se vê por aí, um cara qualquer diz que viu o filho pequeno fazendo créu, se auto-denomina Mc Créu e resolve fazer uma música com isso escrevendo qualquer merda no meio. E ainda fez o maior sucesso.
MAS EXISTE EXCEÇÃO! Única e rara, que é o funk da Verdadeira Dança do Patinho.
VEJA.

Comentários

Guilherme disse…
bem, uma das outras vantagens é que as letras são aproveitaveis em outros estilos. Se por algum ocaso do destino o funk desaparecer, você pode aproveitar suas letras para o axé. Igual tinha a 'dança da manivela'.
Mas agora, o funk é uma atividade de costumes preguiçosos para quem canta assim. Porque para as dançarinas tem que tá na maior disposição.
henrique disse…
eu tenho a voz igualzinha do mc zoi de gato ,que morreu em um acidente e na minha rua os mlks pagam pal mais eu não tenho nada