Questões acerca do jornalismo

Hoje é o dia do jornalista. Sim, um dia que não deve ser comemorado, afinal, é algo como se comemorar o dia do anticristo. Mas enfim, como o maior sucesso da história do CH3 é o texto “A prática do Jornalismo”, divulgado em vários lugares como de autoria de um autor desconhecido, CH3 volta a falar sobre o tema, com uma série de questões inerentes ao jornalismo.

A maneira como os jornalistas conseguem informações são através das entrevistas. Existem vários tipos de entrevistas, que listamos abaixo.

Entrevista de emprego: Visa que “A” empregue “B” se possível.
Entrevista sexual: Meramente oral.
Entrevista ritual: Muitas danças tribais.
Entrevista temática: Anos 80, anos 60, do Havaí.
Entrevista a fantasia: “A” vestido de Drácula entrevista “B” fantasiado de Carmem Miranda.
Entrevista em profundidade: arrebatadora, direta, sem vaselina.
Entrevista performática: Feita por Drag Queens.

Circunstâncias em que as entrevistas podem ser realizadas.

Ocasional – “Oi, tipo, é, tá afim de ir ali, tomar um drink e fazer uma entrevista”.
Confronto – “Você vai me dar uma entrevista e não aceito um não como resposta”. Pode terminar em luta no gel.
Motel – Se coloca em Off. In. Off. In. Off. In. Off. In.
Coletiva – Entrevista em grupo, todo mundo pegando no microfone.
Grupal – Ninguém é de ninguém.
Oral – “Isso, assim mesmo!”.

Para obter uma entrevista que consiga a primeira capa, e se transformar em um profissional de sucesso, você deve seguir os seguintes passos.

1 – Deixe a ética de lado.
2 – Intimide seus entrevistados.
3 – Seduza as secretárias.
4 – Omita fatos desinteressantes.
5 – Crie elementos para deixar a história mais emocionante.
6 – Não se importe com a verdade.
7 – Não acredite na verdade.
8 – Use escafandros.
9 – Coloque o off em on.
10 – Revele suas fontes.

As matérias, você pode não saber, mas tem tonalidades. Pode ser:
Tons Vermelhos para matéria dramática.
Tons Pastéis para matéria irônica.
Tom Cavalcanti para matérias chatas.
Tons claros para matéria prima.
Tom Zé para matéria cabeça.

O jornalismo também se divide em várias editorias e especializações. Entre elas:
- Jornalismo político: Muito bom para as mulheres, que queiram arrumar pensão.
- Jornalismo esportivo: Bom para quem gosta de falar besteira em TV aberta.
- Jornalismo econômico: Muito praticado, o jornalista tem que cobrir o mundo com dois vales transportes.
- Jornalismo cultura: Aquele que tem horóscopo e fotos de pessoas em boates.
- Jornalismo gastronômico: Conhecido como jornalismo obeso. Depois resulta em jornalismo marrom.
- Jornalismo rural: Pé no barro, chapéu de palha e matéria plantada.
- Jornalismo internacional: Bom para tradutores de jornais internacionais.
- Jornalismo lisérgico: Um jornalista muito louco.

Enfim, qualquer dia o autor desconhecido volta a falar de questões jornalísticas.

Comentários

Thiago Borges disse…
É cara, você já pode abrir um instituto como o IWL, só não contrate o Datena para dar aula de jornalismo esportivo.
Livinha Vasconcelos disse…
HAHAhahahaHAHAHAHAHAHAHaahaHaAAHaHAHAhahahaHahAAAHahahahaha


Lembrei do Glauco...
Gressana disse…
Eu nem sabia que ontem era dia do jornalista.
Vôte.
Isa disse…
eu sempre chego tarde aqui...