É mentira!

Hoje é 1° de abril, o dia nacional da mentira. É o dia em que as pessoas pregam peças nas outras, inventam uma história estapafúrdia, e depois que o outro acreditam, dizem "1° de abril" ou "há, pegadinha do Mallandro".
Ninguém com mais de 10 anos leva isso a sério. Mesmo assim o tema do post de hoje é a mentira. Classificaremos uma mentira de acordo com a gravidade, desde a mais inocente até a mais catastrófica.

1) A clássica mentira que as crianças contam às outras. Meu pai é mais rico que o seu, tenho mais brinquedos que todo mundo, meu pipi é maior que o seu, etc. São apenas formas de uma criança contar vantagem.
2) Temos aqui a mentirinha que contamos às crianças. As mais clássicas são do Papai Noel e do Bicho Papão. Serve para fazer com que elas se comportem, caso contrário, o Bicho Papão pega ou o Papai Noel não traz presente. Porém alguns estudos dizem que os traumas causados pela revelação da verdade por trás dessas histórias inocentes são irreversíveis.
3) Aquelas mentiras que os garotos de 12 anos contam aos seus colegas. "Cara, já comi altas muié, cara!". Se soubéssemos na época que todos que diziam isso mentiam, não nos sentiríamos o último virgem da 6° série.
4) Mentir quando pedem dinheiro. Você pode até estar com a carteira recheada, mas quando algum amigo vem pedir você diz "putz, cara, tô sem nada hoje", ou quando vem alguém pedir no semáforo você diz "ih, tô sem trocado". O único problema dessa é se descobrem que você tem sim dinheiro.
5) As mentiras para o professor são extremamente difundidas. Veja: "Ah, professor, eu tava doente aquele dia, não deu pra vir na aula. Aqui o atestado médico". "Professor, eu tava sem computador pra digitar o trabalho, então não deu pra entregar. Pode entregar semana que vem?". A eficácia dessa mentira depende da boa vontade de seu professor.
6) Aqui temos duas categorias em uma só. A versão feminina é: "ah... hoje não, tô com dor de cabeça". A versão masculina é "tudo bem, só a cabecinha". Ambas têm o mesmo valor.
7) Mentir pro chefe.
-Astolfo, atrasado de novo?
-Sabe o que é, chefe, estourou o pneu do carro, demorei duas horas pra trocar.
Essa é perigosa. Se abusar dela, você vai ser demitido com certeza.
8) Mentir para o/a cônjuge. Uma mentirinha inocente como "ah, bem, não vai dar pra ir na festa da sua amiga, tenho que fazer hora extra", tudo bem. Mas tente explicar uma mancha de batom no colarinho, ou no caso delas, cheiro de perfume masculino barato no vestido. Já era.

Comentários

Thiago Borges disse…
Eu não li esse post, juro que estou cego! Também não fui eu que digitei isso.
Guilherme disse…
Porra! Vim aqui pra saber que briga tinha sido essa! Hahaha, mas é, algumas dessas mentiras são bem perigosas e devem ser usadas com moderação.
E sem dúvida dizer 'há, pegadinah do malandro' é bem mais divertido.
MANGABEIRA disse…
Tem mais aquela clássica, muito usada pelo Chico Bento no seu gibi: Professora! O cachorro comeu a minha lição.