A vida atrás das barbas

O relógio marcava por volta das 23h30. Era o fim do dia 24 de dezembro e muitas famílias comemoravam o natal na cidade de Los Angeles, no Oeste Americano. Foi quando Bruce Jeffrey Pardo, 45, chegou à casa de sua ex-mulher. Vestido de Papai Noel, ele começou a atirar e depois incendiou a casa, matando pelo menos oito pessoas. No dia seguinte Bruce cometeu suicídio.

Andrew Mondia, 32, é um ator e comediante canadense. No último dia 27 de novembro ele estava trabalhando como Papai Noel na loja Selfrideges, em Londres, quando pediu para que uma idosa sentasse em seu colo. Mondia foi demitido.

A figura do Papai Noel é cercada de lendas e acusações. Falam que ele é um agente da Coca-Cola®. Exploração de duendes, maltrato a animais e sonegação de impostos são outras das acusações. E não se sabe se ele mora na Letônia, Lapônia, Groelândia, ou Finlândia. Mas a verdade é que não existe um único Papai Noel eterno. Vamos contar um pouco da história.

Noel Hafjnaiken era um finlandês fabricante de vodkas e grande incentivador do teatro. Em 1789 ele resolveu patrocinar uma peça natalina. No final, o personagem principal entregaria presentes às crianças presentes no local. Mas, em troca do patrocínio ele exigiu ser o ator principal. Acabou fazendo sucesso. No ano seguinte ele resolveu propor o papel novamente para o grupo de teatro. No entanto, o diretor não aceitou e resolveu fazer uma peça contemporânea sobre o isolamento natalino. Noel, resolveu fazer a entrega de presentes por conta própria.

E assim foi durante muitos anos, até que o velho Hafjnaiken morreu. Os moradores da cidade decidiram que seria preciso que alguém o substituísse. Para isso, resolveram organizar uma eleição. Vários senhores foram concorrer ao cargo e como não houve um consenso, vários Papais Noéis surgiram.

Com o passar dos anos a concorrência começou a ficar difícil e a Finlândia quase entrou em uma guerra civil de Papais Noéis. Com isso, vários grupos foram se espalhando pelo mundo. Há a dinastia do Pai Natal em Portugal e na Itália, assim como a do Santa Claus nos Estados Unidos. No Brasil, Itália e França prevaleceu a dinastia do Papai Noel.

No entanto, a briga pelo poder era muito grande e após a Primeira Guerra mundial as várias classes se reunirem em Berna, na Suíça, para regulamentar a atividade de Papai Noel. Criaram-se provas, ao estilo do DETRAN. E dessa reunião surgiu a Organização Mundial do Papai Noel (OMPN). No entanto alguns pontos não ficaram definidos, e esse foi um dos motivos da segunda-guerra mundial. E após essa, todos sabem, o mundo se dividiu entre o modelo Soviético e o modelo Americano. Como o Papai Noel soviético não entregava presentes, o modelo Americano se popularizou no mundo. Atualmente o presidente da OMPN e Papai Noel máximo, mora em Bucareste na Romênia.

Portanto, cada Papai Noel que você vê no shopping não é apenas um ator contratado. Ele é UM Papai Noel. Com carteira na OMPN, exames médicos e toda a burocracia necessária. Bruce Jeffrey Pardo e Andrew Mondia eram Papais Noéis.

Mas, a situação deles, expões algumas das fragilidades na vida de um Papai Noel. Com a crise mundial essa situação piorou. Porque? Porque a crise serve pra explicar qualquer coisa hoje em dia. “Porque minha pia entupiu?”, “Porque meu cachorro tá doente?”, “Porque a pia do meu controle remoto acabaou?”. Por conta da crise, é claro.

Mas, pense no trabalho de um Papai Noel. Na quantidade de crianças que tiram fotos com vocês diariamente e que elas puxam sua barba, seu gorro. Além de outra coisa: a falta de emprego durante o ano.

É difícil ser um Papai Noel profissionalmente. Pense você: onde está aquele Papai Noel do semáforo da City Lar agora? Então. Durante o resto do ano eles precisam ganhar a vida e por isso não é possível ter uma preparação adequada para exercer a função. Por isso temos Papais Noéis com barbas e cabelos postiços, magros, psicopatas e tarados. Como é o caso do Hanz.

Por isso, o CH3 lança aqui, uma campanha, de profissionalização dos Papais Noéis. Por um mundo melhor.

Comentários

Gressana disse…
Nunca imaginei os Papais Noéis como uma organização em escala mundial.
Como nossos pais tiveram a coragem de mentir dizendo que eles não existiam?
maíra matos disse…
meu pai agradece a iniciativada campanha.
Thiago Borges disse…
eu sempre soube, é claro que papais noéis existem

por sinal eu apoio o pai da maíra na próxima eleição da OMPN