Guia CH3: Como fazer um chá de panela

É uma tradição, quiçá uma superstição. Sempre que uma pessoa vai casar, ela tem que fazer um chá de panelas.

Deixamos aqui uma diferenciação clássica. Você não deve confundir o Chá de Panela aqui descrito, com o Chá de Panela, o evento. Aquela em que as pessoas levam panelas para uma mulher que vai se casar, enquanto o noivo está em uma despedida de solteiro, se esfregando em belas mulheres nuas. Este é o Chá de, em nível de evento. Tal qual o:
- Chá de Cogumelo: evento realizado entre hippies, que se juntam para presentear outros hippies com cogumelos selvagens e alucinógenos.
- Chá de Alho: ocorre sempre que o alhozinho vai se casar com a alhozinha. Seus amigos alhinhos se juntam para festejar a prosperidade e o futuro do alho.

É preciso muita persistência para tal. Você precisará de uma chaleira, de água quente e de panelas. E lógico de um fogão. E que esse fogão tenha gás. E que você tenha um palito de fósforo ou um isqueiro para acendê-lo, caso ele não seja de acendimento elétrico. Porque se for, você vai precisar de uma tomada e conseqüentemente de uma parede para fixar esta tomada, com seus fios elétricos que deverão vir da rua. Ou seja, você precisará ter luz elétrica na sua casa. Ou apenas fósforos. Ou um isqueiro. Ou ainda, um graveto e uma porção de folhas.

Vocês sabem como se faz chá? Então, ferva a água com o elemento que se deve fazer o chá dentro. Ou então, ferva a água e despeje-a na sua caneca que conterá o pó do chá em um sachê. Neste caso, o elemento cházistico é uma panela. Escolha de acordo com a sua preferência, se ela será de alumínio, de ferro, de teflon, de barro, de pedra, de acrílico, de porcelana.

Aí sim vem a grande questão: é difícil colocar uma panela dentro de uma chaleira. E ainda mais difícil colocá-la dentro de uma xícara. Você precisará de muita força para fazer isso. Então, logo, Você terá que picotar a panela.

Algo fácil de fazer quando ela é de pedra ou barro e até mesmo de acrílico e porcelana. Pegue uma marreta e comece a bater. Bata, bata, bata até tudo ter virado um pó – aquele, do qual viemos e ao qual retornaremos. Panelas de barro costumam a ter um gosto de barro, por uma incrível coincidência. Lembra um pouco o gosto de quando você passa numa rua empoeirada e respira pela boca. Panelas de acrílico e porcelana exigem cuidado, porque os resíduos podem perfurar o seu estomago e te matar. Você nem chegara ao casamento, mas terá um funeral.

Tudo fica mais difícil se a panela for de ferro. Você precisará combinar o uso de serrotes de ferro, com uma serra de ferro e quiçá, um maçarico. Cujo uso é perigoso, pode te fazer perder um dedo, uma mão ou até mesmo um olho. Depois de algumas horas, você conseguirá ter picotado a panela e com alguma sorte terá sobrevivido. O gosto do chá de panela de metal é levemente metálico. Por alguns instantes, você poderá ter a sensação equivocada de que cortou a língua.

Já o Teflon... Bem, ninguém jamais sobreviveu a tentativa de manusear Teflon. Logo que ele foi inventado, foi preciso que se inventassem máquinas capazes de utilizá-lo.

Feito e tomado o chá você poderá se casar, assunto que o CH3 já abordou. E ai, quem sabe, ter um filho. Dando origem a um evento macabro conhecido como Chá de Bebê.

Comentários

Monique disse…
Me senti protagonista. =p
Gressana disse…
Ah, os textos nonsense do CH3 são os que mais têm sentido pra mim.