Efeitos Colaterais


Certa manhã você acordou de seus sonos intranquilos com uma tremenda dor nas costas. Uma dor incapacitante, que complicou de tal forma os seus movimentos, que por um breve momento você chegou a pensar que havia se metamorfoseado em um inseto monstruoso. Passado o susto inicial, de alguma maneira seu corpo é levado ao hospital, onde um médico especializado diagnostica uma distensão muscular, um rompimento de vértebra, um hérnia de disco, um bico de papagaio, osteoporose, prisão de ventre aguda.

O tratamento envolverá eternas sessões de fisioterapia, quem sabe uma pequena intervenção cirúrgica e certamente várias doses de remédios anti-inflamatórios, que tem o objetivo de reestabelecer seus movimentos o mais rápido possível, exterminando a dor física e deixando restar apenas o terror psicológico e o vácuo existencial. Os medicamentos geralmente têm um efeito miraculoso e dois dias depois seu corpo antes debilitado será capaz de concretizar duplos twists carpados, carregar sacos de cimento nas costas e dançar lambada de uma maneira extremamente sensual. O único problema é que você está com um caroço no seu rosto.

Sim, edema fácil é uma das reações mais comuns de um anti-inflamatório, ao lado de perfuração gastrointestinal, vômitos, flatulência, erupção cutânea, anemia e espamos musculares. Estima-se que um número que varia entre 1% e 10% dos usuários de uma combinação de cafeína, dicoflenaco sódico, carisoprodol e paracetamol tenham essas reações.

Existem outras reações menos comuns, entre elas: hipertensão, insuficiência cardíaca, sonolência, depressão, perda dos pelos do corpo, convulsões, pancreatite, perda auditiva, infarto do miocárdio, necrose da pele, perda de massa óssea, paralisia muscular, alteração do timbre de voz e conjuntivite.

Em suma, você troca uma dor nas costas pela possibilidade de ficar surdo, com uma voz esquisita, cheio de feridos nas peles e com falência múltipla de órgãos. As reações adversas aos medicamentos que constam nas bulas são como um filme de terror. Os efeitos colaterais parecem maldições, como se fossem um pacto com o demônio: você se livra de um problema e ganha outro em troca.

Problemas gastrointestinais estão entre as reações mais comuns de diversos medicamentos. Também pudera, você está ingerindo uma grande quantidade de uma substância diferente, que reagirá com seu suco gástrico. O uso prolongado de compridos pesados aumenta em muito a chance de você desenvolver uma úlcera no seu estomago, o que pode resultar em um novo tratamento, que receita um medicamento cujas reações adversas mais comuns são: depressão, perda da libido, erupção cutânea e ginecomastia – vulgo aumento das mamas.

Aliás, o aumento das mamas é uma das reações mais comuns previstas nas bulas medicinais. Novamente, uma triste sina: o cidadão tem um problema de saúde e para se livrar dele acaba ficando com peitos grandes e recebe apelidos jocosos nos ambientes que frequenta.

Aliás, se um dia você precisar tomar domperidona, saiba que ela tem algumas reações raras, que atingem menos de 0,01% dos seus usuários, mas essa reação é possível: morte cardíaca súbita. (Bem, há de se admitir que o cidadão que teve essa reação realmente nunca mais vai sofrer de úlcera, o que talvez entre para as estatísticas de eficácia do remédio).

Eu tomo um remédio diariamente, que tem entre as reações adversas a perda de memória. Muito rara, mas perigosa, uma vez que o paciente pode interromper o tratamento por não se lembrar que precisa fazê-lo e assim pode vir a óbito. Outra vez eu tomei um anti-inflamatório que tinha entre os seus efeitos colaterais o rompimento de tensão de Aquiles. Nunca entendi como é que uma pessoa que está tratando uma infecção na garganta pode acabar em um centro cirúrgico para reconstruir um ligamento.

Bem, mas até ainda estamos falando de remédios tranquilos, não citei nenhum tarja preta desses popularizados por pessoas que não tem nenhum problema, mas que querem passar em um concurso público. Sim, estou falando da ritalina.

Originalmente prescrito para pessoas com déficit de atenção, mais de 10% - percebam, mais de 10%. Essa é uma probabilidade altíssima – das pessoas que tomam ritalina podem ter insônia, náusea e nervosismo. Outras reações consideradas comuns são: angústia emocional, dor de dente, movimentos involuntários do corpo, vômito, diminuição do peso e sudorese. Entre as reações raríssimas, vale a pena ler todo o setor destinado aos efeitos psiquiátricos:

irritação, agressividade, alterações de humor, comportamento e pensamentos anormais, raiva, pensamentos ou tentativas de suicídio (incluindo suicídio), atenção excessiva ao ambiente, sentimento excepcionalmente animado, atividade aumentada e desinibida (mania), sentimento desorientado, alterações no desejo sexual, falta de sentimento ou emoção, fazer as coisas repetidamente, obsessão por alguma coisa, confusão, vício;

Algumas pessoas pararam de crescer. Síndrome de Tourette. Dormência nos dedos. Sangue na urina. Sons anormais do coração (!!!) e é claro, morte súbita. Se um desses efeitos ocorrer, o médico deve ser avisado, mesmo que pelo parente que encontrou o corpo.

Sim, esse texto não vai chegar a lugar nenhum, com nenhuma conclusão específica. Apenas vai pensar que aquele cara que hoje é procurador do ministério público pode ter submetido seu corpo a todos esses riscos apenas para conseguir uma estabilidade empregatícia. Se está na bula é porque algum dia isso aconteceu com uma pessoa e certamente pode acontecer com você.

Comentários