segunda-feira, 17 de abril de 2017

O fim do EGO

Nesta segunda-feira, o mundo amanheceu chocado com a decisão do Grupo Globo de encerrar as atividades do EGO. Por mais de uma década, o portal foi o braço global voltado à divulgação virtual de conteúdo relacionado ao cotidiano de pessoas que de alguma forma podem ser consideradas famosas. Por 11 anos, foi uma das principais ferramentas do entretenimento humano, nos possibilitando saber quem estava caminhando aonde e qual era o estado de espírito desta caminhada.

O frio comunicado veio com aquele velho discurso sobre a mudança do mundo, o reposicionamento da marca, novo direcionamento para investimentos, otimização dos recursos e a garantia de que o consumidor final não será prejudicado. Resumindo, a Globo precisou cortar gastos (vagas de emprego) e dissolveu o site de notícias supérfluas.

A notícia é deveras complicada neste momento de crise nacional. Teremos uma equipe de jornalistas, muito provavelmente frustrados e entregues ao alcoolismo pelo ocaso de suas vidas profissionais, fotógrafos especializados em flagras de pessoas famosas, programadores, técnicos de informática, enfim, dezena de pessoas que ficarão desempregadas.

Mas, muito pior do que isso, vejo que toda uma cadeia produtiva de futilidade poderá ficar desaquecida. Pense em Nana Gouvêa, pense onde ela vai deixar a calcinha a mostra e pense que essa notícia não poderá ser divulgada. Qual será a motivação de Nana Gouvêa deixar a calcinha ao descer de carros em eventos públicos, e consequentemente a motivação para que ela saia de casa e em último e grave estágio, qual será a sua motivação para viver uma vez que isso não será divulgado em um grande portal da internet.
O que será da vida desta mulher?

Geisy Arruda, Andressa Urach, Alguma Coisa Minerato, dezenas de pessoas que tiraram seus sustentos nos últimos anos a partir da divulgação de suas atividades incipientes. Talvez estas ainda consigam sobreviver, graças a fama já consolidada, mas dezenas de pessoas não terão mais essa oportunidade. Ficarão para sempre no amadorismo, na expectativa da fama. A pirâmide social da subcelebridades estará cada vez mais difícil de ser escalada.
E esta mulher que eu não tenho muita certeza sobre quem ela é. Continuará atravessando a rua? Andará por aí distraída?
Tal qual o Uber para os taxistas, acredito que a criptonita dos sites dedicados a cobertura de fatos insignificantes da vida real, é o Instagram. Mais precisamente a função Stories, que faz com que qualquer mané consiga ter acesso à mais alta intimidade das pessoas famosas, sem precisar de um site para isso, sem precisar fazer um curso de nível superior de oito semestres para saber que Grazi Massafera precisou ir ao banheiro durante um filme e que Bruna Marquezine estava séria no corredor de um shopping.
Chico Buarque continuará se alimentando? Será que ele mudou seus hábitos alimentares, porque comer duas baguetes monstruosas destas em uma tarde é um convite ao acúmulo de gordura abdominal e subsequentes doenças coronarianas
A solução é claro, é se reinventar e virar funcionário público ou lançar uma startup.

Nenhum comentário :