quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Os próximos passos da Operação Lava Jato

Todos os dias o povo brasileiro é surpreendido com a deflagração de uma nova fase da Operação Lava Jato. Todo dia acordamos com o Bom Dia Brasil exibindo aquelas imagens distantes, feitas em helicópteros, com a movimentação de alguns policiais federais na casa de algum figurão nacional acusado de ter lesado os cofres públicos.

Curioso é que essa operação que já envolveu metade do Congresso Nacional e prendeu mais de cem pessoas, começou de maneira besta. No princípio, havia apenas uma denúncia de que alguns cidadãos utilizavam uma rede de postos de combustível para lavar dinheiro. Foram presos alguns indivíduos que exercem a curiosa profissão de doleiro

No entanto, logo as investigações conduzidas pelo juiz Sérgio Moro – novo super-herói nacional – descobriram ligações de um desses doleiros com um diretor da Petrobras, o que deu origem a uma enorme bola de neve que engoliu partidos políticos, pessoas, empresas, organizações, todas acusadas de participar de um jogo de pagamento de propinas e desvios que superam os 40 bilhões de reais.

Depois de 23 fases da Operação, que a essa altura já investiga todos os canteiros de obra instalados no Brasil, é difícil saber o que esperar dos agentes da Polícia Federal. No entanto, o blog CH3 em um esforço de reportagem, foi atrás de fontes, de documentos, de videntes, quebrou o sigilo de investigações e o decoro parlamentar para mostrar a você quais serão os próximos passos desta contundente ação policial.

Na 26ª fase da Operação Lava Jato, os investigadores vão descobrir indícios de pagamento de propinas, superfaturamento e desvio de recursos na construção de estádios utilizados na Copa do Mundo. A descoberta dará origem a uma CPI no Congresso Nacional e David Luiz será convocado para se explicar sobre seu posicionamento tático equivocado na partida contra a Alemanha. Grampos telefônicos mostram que o jogador manteve contato com a Petrobras para estrelar uma campanha publicitária e o zagueiro se torna foragido. Um bom motivo para que ele ficasse de fora das convocações do técnico Dunga.

As investigações avançam sobre o mundo do futebol e descobrem que Lula não orientou a defesa brasileira a marcar Zidane na Copa de 1998 e na Copa de 2006. Também é descoberto que Felipe Melo já se encontrou com empresários que financiaram campanhas petistas no Brasil.

Na 29ª fase da Lava Jato, o Japonês da Federal® vai descobrir que entre os anos de 1933 e 1945, o Governo Alemão manteve judeus, ciganos, poloneses, homossexuais e pessoas com deficiência em campos de trabalho forçado e que muitas dessas pessoas foram executadas em Câmaras do Gás. Documentos mostram que a Petrobras superfaturou o contrato com uma sublocatária austríaca para a construção de reservatórios de gás na Tchecoslováquia e escutas telefônicas citam uma pessoa conhecida como “Führer”, provavelmente uma alcunha do ex-presidente Lula.

As investigações seguirão avançando, até que na 47ª fase o juiz Moro determinará a prisão de Nostradamus. Ele será acusado de ter omitido informações sobre os esquemas em empresas estatais brasileiras, de acordo com uma centúria obtida por meio de escutas telefônicas. Com o não comparecimento de Nostradamus, a PF passa a considerá-lo foragido e seu nome é entregue para a Interpol.

Após intensos desdobramentos, o Ministério Público descobriu indícios de que dirigentes da Petrobras estavam envolvidos em um esquema de propina no Sistema Penitenciário do Império Romano, que teve como objetivo liberar Barrabás e condenar Jesus a morte na cruz. A intenção do esquema foi fortalecer a religião cristã e fazê-la se espalhar pelo mundo, gerando no futuro a criação de um novo país no qual o Partido dos Trabalhadores poderia realizar esquemas fraudulentos.

A 100ª fase da operação foi chamada Cavalo de Tróia, justamente porque descobriu que empreiteiras superfaturaram as obras de construção do Cavalo de Tróia, construído em um estaleiro da Petrobras com dinheiro obtido por um doleiro que mantinha relações com um pecuarista amigo do ex-presidente Lula.

Depois de 89.128 fases, finalmente a operação chegou à origem de tudo: o Big Ben. Ou a criação do homem a partir do barro. Numa decisão histórica, Sérgio Moro considerou Deus culpado pela criação do homem e Darwin pela sua constante evolução que desaguou nas fraudes todas que foram apuradas até então. Todos foram felizes para sempre.

Nenhum comentário :