quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Olha o Frango Frito Aí Gente

No lendário carnaval de 2013 esse blog fez uma sugestão de três sambas enredos que poderiam ser desenvolvidos por escolas de samba do Rio de Janeiro. As propostas surgiram a partir da observação de que os enredos apresentados pelas agremiações cariocas eram verdadeiramente patéticos e notáveis apenas pela sua total falta de criatividade. Os três sambas propostos eram: Frango Frito, Bóson de Higgs e Masturbação.

Muito apreciado pelos fãs do blog, o texto deixou um gostinho de quero mais na boca dos leitores. Eles não queriam apenas imaginar o desfile em seus mínimos detalhes, eles queriam também a letra dos sambas. Pois, dois anos depois, o CH3 começa a saciar essa vontade louca. Senhoras e senhores, com vocês, o samba enredo do Frango Frito.

Desde os tempos mais remotos
Ele tá na mesa da gente
Alimentando tantos povos
Os amigos e os parentes
Porque foi uma vez lá no Egito
Que descobriram o Frango Frito
Alegria de Cleópatra e outros maiorais
Dezenas de bambas imortais
Oxalá meu rei tomará
Embarque nessa viagem você também
Porque foi seu Cabral
Que num 22 de abril
Tornou o Frango Nacional
Orgulho do meu Brasil
Frito ou asado no nosso prato
Grelhado, no espeto ou ensopado
Salgadinho, bem temperado
Sozinho ou acompanhado
Com arroz, farofa ou guisado
Que delícia, o frango é adorado
Admirado ao redor do mundo
No meu Rio de Janeiro ou lá na China
Por esse frango eu vou fundo
Alegria do menino e da menina
Vem comigo vamos lá pro bar
Minha boca eu quero temperar
Com esse sabor da velha infância
Lembrar os meus tempos de criança
Requebra no balanço da morena
O frango frito é o meu poema
E para levantar essa Avenida
Nossa escola canta essa vida

Relembre o enredo: 

O frango frito seria o mote principal do desfile e conseguiria um patrocínio fácil da Seara ou Sadia/Perdigão e quiçá de alguma marca de óleo. Mas, ao longo do desfile, poderíamos fazer uma série de alusões com outros temas relacionados à história do frango.

A comissão de frente seria o grande destaque do desfile. Bailarinos coreografados por Carlinhos de Jesus estariam vestidos de coxa de frango cru. No meio da Avenida, diante das câmeras e do mundo, a surpresa: os integrantes entram no carro de apoio, que tem o formato de uma panela que solta fumaça. De lá eles saem vestidos de frango frito.

O carro abre-alas seria um enorme Frango Assado e sobre este carro várias mulheres seminuas dispostas aleatoriamente garantem a divulgação da Escola na internet.
Em breve, vamos criar o primeiro enredo vegetariano da história

Teríamos uma ala dedicada às origens do frango frito, provavelmente o Egito. Uma alegoria com uma pirâmide e uma pessoa representando Cleópatra, que dentro do nosso contexto, adoraria a iguaria. Logo depois, outra ala com dezenas de pessoas vestidas de celebridades que supostamente adoram um franguinho, como Amy Winehouse, Michael Jackson e Marilyn Monroe. E claro, uma homenagem a Alcione, porque ela tem cara que adora uma coxinha de galinha.

Depois, teríamos um carro alegórico com uma imensa Caravela, simbolizando que foram os portugueses que trouxeram o Frango Frito ao Brasil.

Outra ala dedicada a Galinha de Angola, o que já rende um carro dedicado aos escravos, que na ausência de frango eram obrigados a fazer feijoada com restos de porco. Dentro do carro, o mago da cozinha, Felipe Bronze, fará uma inovadora feijoada de frango, que será servida no camarote Brahma ao final do desfile.

Ainda teríamos um carro dedicado a Cidade de Deus, pegando o gancho da cena inicial com a galinha. Carro que exaltaria a malandragem do povo carioca e Seu Jorge. Teríamos uma ala dedicada aos frangos de macumba e aos pais de santo, garantindo citações dispersas a todos os orixás. A bateria estaria vestida de cachorro, em homenagem aos cães que passam o dia inteiro babando na frente das galeterias. (O frango giratório seria representado pela madrinha de bateria, uma galinha qualquer).

Alas dedicadas aos derivados do frango, como Nuggets e salsicha. Aos pratos com frango, como o Frango Xadrez, garantindo uma verba extra do governo chinês. Uma ala com o homem da roça, referência ao frango caipira. Uma ala dedicada aos acompanhamentos do frango frito, com ênfase na cerveja (Olha a Brahma ai gente). No último carro alegórico, a representação de um bar, com toda a velha guarda da escola, acenando, sorrindo e comendo frango frito.

Fim. Público ovacionando e cantando o samba.

Nenhum comentário :