sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Pessoas que exageram na Ceia do Natal

O natal, teoricamente, é uma data para celebrar o nascimento de Jesus Cristo e valores positivos universais. No entanto, o dia acaba sendo muito lembrado por outras razões, como a troca de presentes e o frenesi capitalista, além é claro, da ceia de natal. Uma fartura que envolve perus, porcos e muitas outras carnes acompanhadas de castanhas, arroz, farofa, molhos, além das sobremesas elaboradas, todos os pratos invariavelmente acompanhados pelas malditas uvas passas, mas não que isso impeça alguém de comer demais.

Sim, até existem pessoas que tentam comer só um pouco na noite do natal, mas essa ideia nunca prospera diante da mesa cheia de comida. O problema é que algumas pessoas realmente exageram na comida e chegam a passar mal, ou coisa pior, durante esta importante reunião familiar.

É mundialmente famoso o caso da jovem Tarisha Shvomaender que em 1976, em Bali, entrou em uma espécie de transe diabólico diante da ceia de natal. Primeiro, ela acabou com todas as castanhas sobre a mesa, antes mesmo da chegada de suas tias que vinham de barco de outra ilha indonésia. Antes mesmo da meia noite, ela comeu um peru inteiro até os ossos. Sua família precisou chamar um padre para resolver a situação, mas ela morreu durante o amigo oculto realizado por uns primos mais novos que pareciam não se impressionar com nada.

A Guatemala se chocou no Natal de 1983, quando Sérgio Gutiérrez comeu tanto pernil com molho agridoce que acabou se transformando em um porco. Apesar do protesto de seus familiares, Sérgio acabou sacrificado por vizinhos que comeram seu pernil e também se transformaram em porcos. O Governo Militar da época precisou intervir, exterminando os porcos e proibindo seu consumo durante 20 anos, para impedir que uma maldição acabasse com toda a força de trabalho guatemalteca.

No Chipre, em 1986, Theodoros Anortosis conseguiu manter a calma durante a ceia natalina, mas exagerou na sobremesa. Theodoros comeu pavê até que o doce começasse a sair pelos seus ouvidos e pelo seus olhos, trazendo todo um novo sentido para o milenar trocadilho sem graça. Isso não o impediu de continuar comendo pavê, até que a comida começasse a sair por outras cavidades do seu corpo, o que fez com o jovem de 19 anos perdesse a virgindade naquele natal, uma vez que os cipriotas são bem hardcores quando o assunto é sexo.

Outra história muito triste ocorreu com John Todorovic, um australiano de origem iugoslava que passou o Natal de 2003 na Nova Zelândia. John comeu tantas uvas passas em tantos pratos diferentes que ele explodiu por volta das três horas da manhã. Uvas passas provenientes do seu corpo foram encontradas em um raio de 78 km e algumas entraram em órbita, atrapalhando a comunicação de dados do planeta inteiro.

O Brasil, é claro, também tem os seus casos de pessoas que comeram um pouco mais do que deveriam na noite de natal. O caso mais famoso é o de Moacir Batista, mineiro de Teófilo Otoni, que comeu pedaços do seu próprio corpo em um susto de raiva ao descobrir que só haviam feito um tender para aquela noite, tender este que ele já havia comido por inteiro. Depois, ele matou todas as suas tias que fizeram perguntas sobre as suas namoradas.

Para terminar, citamos o caso de um cidadão conhecido como Dri, que no natal de 2009 em São Paulo, se viu diante da impossibilidade fisiológica de comer ainda mais. Diante deste fato, ele introduziu uma banana em seu ânus, provocando também aquela que é considerada a saída do armário mais curiosa de todos os tempos.

Nenhum comentário :