segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Miss Brasil

Milhares de pessoas se reuniram neste último fim de semana para conhecer quem era a mulher mais bonita do território nacional, durante o Miss Brasil 2015. Um evento com muito glamour, muitas roupas excêntricas e referências culturais. Mulheres dos 26 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, brigaram com unhas e dentes pela consagração, que, além de tudo, garante uma vaga direta para a Copa Libertadores 2016.

O saguão do Hotel Palace em São Paulo estava lotado. A ansiedade estava alta quando dois apresentadores malas e recém alfabetizados entraram no palco e deram início ao espetáculo. As misses entraram no palco e dançaram como se fossem uma espécie de Spice Girls com limitações físicas.

Os jurados também foram apresentados. Personal Sytlists, Dress Coders, Mindgappers, Beauty Fashioners e Vlogueiras faziam parte do grupo extremamente politizado e gabaritado. Por questões de segurança, o snapchat deles foi bloqueado, para garantir que eles ainda assistissem os desfiles, ou algo parecido com um desfile que iria acontecer em poucos instantes.

De cara, a Miss Ceará, a Miss Paraná e a Miss Roraima foram eliminadas por estarem abaixo do peso mínimo estipulado para o concurso, que é de 25 kg. A Miss Mato Grosso do Sul também foi eliminada por estar com duas estrias e um quilo acima do peso que caracteriza subnutrição. Ainda foram excluídas a Miss Rio de Janeiro, por conta de um nude no Whatsapp e a Miss Acre, porque os jurados acreditaram que o Estado realmente não existe e que ela era uma impostora.

Ainda na primeira fase, outras seis misses foram mandadas embora para casa sem nem aparecerem na TV simplesmente porque os jurados consideram que elas eram feias ou tinham bafo. Amazonas, Pará, Rondônia, Tocantins, Piauí e Mato Grosso foram despachadas dentro de jaulas para seus cativeiros.

Com quinze candidatas na disputa, veio o primeiro e mais emocionante momento do concurso: a roleta russa. Em ordem aleatória, as candidatas deveriam puxar um gatilho de revólver contra as suas cabeças e as cinco escolhidas explodiriam seus miolos em rede nacional. Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Santa Catarina e Distrito Federal passaram dessa para a melhor de uma maneira midiática.

Após um breve intervalo para limpeza de massa encefálica esparramada pelo chão, as dez sobreviventes voltaram ao palco, já recompostas dos momentos de terror vividos no bloco anterior: Era hora do desfile dos biquínis, que garantiriam as cinco semifinalistas.

A Miss Rio Grande do Sul não caprichou na depilação e foi eliminada, assim como as candidatas de Minas Gerais, Goiás, Bahia e Sergipe. Não por nenhuma razão específica, mas apenas porque os jurados assim quiseram e eles são onipresentes nessa escolha.

Lá estavam as cinco finalistas que iriam para a parte das perguntas.

Um designer de interiores perguntou para a Miss São Paulo se ela cuspia ou engolia e ela disse que engolia, para espanto geral da plateia.

Um cara de camisa com estampa de animais e óculos vermelhos perguntou para a Miss Rio Grande do Norte qual era o seu trecho favorito de o Pequeno Príncipe e ela disse que era aquela parte de que as pessoas se tornam eternamente responsáveis por aquilo que elas cativam. O cara de camisa com estampa de animais e óculos vermelhos tentou perguntar a ela o que significava a palavra cativar e os apresentadores disseram que uma segunda pergunta não era permitida, enquanto a potiguar tremia de medo.

Um cara de bigodes pediu que a Miss Maranhão elogiasse o nosso grande presidente José Sarney e ela assim o fez.

Foi quando enfim os jurados se deram conta que a Miss Amapá e a Miss Espírito Santo ainda estavam ali. Lamentando esse terrível erro provocado pelo esquecimento, eles pediram para que as duas fossem abatidas a tiros e parassem de atrapalhar a programação. Assim sendo, Maranhão, São Paulo e Rio Grande do Norte chegaram a grande final.

Sem demora, a candidata do Rio Grande do Norte foi eliminada. Maranhão e São Paulo permaneceram na disputa. De um lado, o PMDB do Maranhão fazia lobby e exigia o título de sua conterrânea, enquanto que o PMDB paulista fazia o mesmo pelo sua, com a força de Michel Temer que exigia esse cargo para acalmar os ânimos pró-impeachment.
Os estados brasileiros... sei lá o resto dessa música

Após uma grande batalha nos bastidores, as diversas alas do PMDB chegaram a um consenso e Eduardo Cunha foi eleito a Miss Brasil 2015. Emocionado, o deputado chorou muito, acenou para o publicou e falou que este era um sonho seu de infância e disse que iria com muita garra representar o Brasil no Miss Universo em Las Vegas. Negou que possuísse contas na Suíça e disse que não via um momento favorável para o impeachment no Brasil, visivelmente satisfeito que ele estava.

Nenhum comentário :