quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Galera do Snap

Sempre há um momento em que você para e pensa que isso não é mais para você. Uma novidade está além da sua compreensão, você já está velho demais para isso. Não importa se você tem 15 ou 70 anos: um dia esse sentimento se abaterá sobre nossas cabeças. Deve ter acontecido com muitas pessoas depois da invenção da roda, do fogo, da televisão e da internet. Aconteceu comigo com o Snapchat.

Para quem não sabe, o Snapchat é a nova rede social do momento, presente em todos os smartphones de quem tem menos de 25 anos e em alguns dos que tem mais de 25 anos também. Ao contrário de outras redes sociais, que são marcadas pelo agrupamento de interesses ou de fatos cronológicos, o Snapchat é uma rede social em que tudo tem data para acabar. O que é postado por lá é automaticamente apagado após 24 horas e quem viu alguma coisa uma vez, não pode ver de novo.

Há também um limite de tempo para o material postado, geralmente bem curto. Material, aliás, que será apagado inclusive do seu celular. O Snap, para os íntimos, não é uma rede social para a história.

Acompanhe o perfil de alguém que seja ativo nessa rede social. Você vai acompanhar a vida da pessoa em uma série de vídeos de dez segundos, mostrando ele curtindo a balada, ou as baladas, aprontando altas confusões e sensualizando por aí. Tudo muito rápido, com muitos cortes, se você não prestar atenção, já era. Tudo meio caótico.
Alexander Almeida também dizia que para ser o Rei do Camarote era preciso ter o Instagram, afinal, a rede social de fotografias metidas a besta era a meca do hedonismo. Tal posto já foi tomado pelo Snapchat. Imaginem o Snap do Rei do Camarote.

De certa forma, o Snapchat é um espelho desses tempos caóticos em que vivemos, em que tudo é instantâneo e frenético e a história se reescreve a cada dia. Não há tempo para viver as memórias e o passado é sempre muito distante. Sua vida pode ser resumida em um minuto de muita agitação.

Pra mim, não deu. No meu tempo as coisas não eram assim. Me sinto como um homem pré-histórico que viu o fogo sendo criado e pensou que isso era demais para ele. Como meu pai que toda vez que vai escrever um email pede ajuda e reclama do computador.

(Há também quem diga que o Snapchat é um rede propícia para a propagação de fotos sensuais, os chamados nudes, já que nada vai ficar armazenado em lugar nenhum).

Nenhum comentário :