segunda-feira, 23 de março de 2015

Guia CH3: Como escrever uma nota oficial

Uma nota oficial é um poderoso instrumento de comunicação. Um texto em que uma pessoa se posiciona oficialmente, emite sua opinião, responde ou esclarece uma situação, geralmente uma grande polêmica. Um texto que não pode conter erros, caso contrário, pode provocar falência, descrédito, abatimento moral, crise na bolsa de valores e apocalipse nuclear. Um texto tão sério, que geralmente passa pelo setor jurídico, de comunicação e toda a diretoria antes de ser disparada para o público.

Na última sexta-feira, a Federação Carioca de Futebol (Ferj) – essa sigla não faz muito sentido – divulgou uma Nota Oficial que desde já entra para os anais da literatura mundial. Tão boa que sempre iremos nos referir a ela em maiúsculas. Uma peça textual de conteúdo forte, claro, sublime e ungido. Assim que eu li a Nota, não tive dúvidas que Ela merecia parar no CH3. Que Ela merecia virar um exemplo de como escrever uma nota em um Guia CH3.

Primeiro, precisamos saber o que motivou a nota. Nesse caso, foram as declarações do presidente do Fluminense sobre a Federação, declarações que, com certeza, denegriram a imagem da instituição e fizeram o seu presidente, Rubens da Costa Lopes Filho, espumar de raiva e babar na gravata. Não restou outra alternativa que não fosse confeccionar a Nota Oficial.

O texto começa da seguinte forma:

“Seis coisas o Senhor aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos” (Pv 6.16-19).

Sim, a nota oficial começa com uma citação bíblica. Com um provérbio bíblico. Não consigo imaginar nenhuma forma melhor de começar a escrever uma nota oficial que não seja com uma citação bíblica. Desde o começo você já mostra para o público e para os adversários que Deus está do seu lado. Épico.

Todo e qualquer texto pode ficar melhor se você começá-lo com um provérbio bíblico apocalíptico. Se Luther Kings, antes de dizer que teve um sonho, tivesse dito que “There are six things the Lord hate”, com certeza ele não teria sido assassinado e o apartheid norte-americano seria imediatamente finalizado. Jesus só morreu porque na época dele não existia bíblia para ele poder citar.

Pois bem, após o começo épico, Rubinho – para os íntimos – emite o segundo parágrafo que é o maior momento da literatura mundial desde que os fenícios, ou um desses outros povos, inventaram o alfabeto.

O Presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, em seu nome, em nome da Federação e em nome de todos os filiados que tem sido atingidos pelas aleivosias do Presidente do Fluminense, vem a público manifestar seu repudio à suas declarações eivadas de catatimia, demonstrativas de elevado apreço à mitomania, revestidas de relevante turpitude, indutoras ao uso de anti-eméticos, carregadas de sementes de discórdia, ofensivas a todos os coirmãos e fomentadoras da desagregação.

Leiam de novo. Sim, façam esse favor para vocês. Leiam outra vez. Parem nas palavras que você não conhece e peguem um dicionário, para adicionar conhecimento as vossas vidas. Lastimem que, por mais que vocês tentem, jamais vão conseguir escrever um texto assim. Além de estar com Deus, Rubinho tem um intelecto superior que ninguém jamais vai alcançar.
Por alguma razão, a busca pela palavra aleivosias no Google resulta nesta simpática imagem

O parágrafo começa bem, porque o autor já diz que fala em nome de toda a população atingida pelas aleivosias do presidente do Fluminense. Por isso, ele vem manifestar seu repúdio. Sabe o que são aleivosias? São coisas que provocam repúdio.

“Declarações eivadas de catatimia, demonstrativas de elevado apreço a mitomania, revestidas de relevante turpitude, indutoras ao uso de anti-eméticos”. Não negue com os cabelos das suas axilas de arrepiaram com a maior frase jamais escrita por qualquer ser humano em todos os tempos. Desde Collor falando sobre parlapatões que deblateram no Congresso que não havia nada igual. Certeza que o Rubinho utilizou um gerador de frases aleatórias para chegar nesse ponto.

Eis a segunda lição desta Nota: confunda o leitor no segundo parágrafo. Escreva que as insinuações trepidantes do cataclisma hermético provocado pela disfunção peripatética do adversário contumaz provoca asco hereditário na família cosmopolita de maneira reativa a massuca que fera a malaxofobia anônima. Ninguém vai entender o que você quer dizer e, logo, ninguém vai rebater a declaração.

A Nota não acaba aqui, é claro. Temos um terceiro e breve parágrafo.

A falta de conteúdo pode justificar a falta de coragem e a permanente ausência, mas não podemos acreditar que sejam causadoras de manifestas crises de alucinação moral.

Simplesmente, ele afirmou que o presidente do Fluminense é um merda total, mas de uma maneira que não ofenderia nem uma criança de cinco anos. Eis a terceira lição: ofenda o seu adversário de modo simpático, afirme que ele apresenta contundente desfiguração de caráter, sofre de irremediável imperícia estética e necessita urgentemente de reparos intelectuais pré-uterinos.

O Texto termina com o quarto e último parágrafo.

Por fim não mais convidaremos o Presidente do Fluminense para um debate sobre o futebol do Estado do Rio de Janeiro, mas o desafiamos para que abandone as sombras e os porões, deixe de lado os espetáculos de pirotecnia, saia do escudo da mídia e compareça perante os demais filiados para que apresente e defenda seu ponto de vista, projetos, prove e justifique suas críticas, já que NUNCA teve a coragem de fazê-lo, durante todo o tempo de seu mandato.

Para terminar, um aviso de que o cara não faz mais parte do clube e um desafio: que ele seja homem. Que honre os testículos que ele tem no meio das pernas, algo que ele NUNCA fez. Aliás, esse detalhe estilístico de usar o NUNCA em caixa alta é muito bom. SEMPRE utilize esse artifício em sua nota oficial. Adiciona charme e estilo.

Ou seja, recapitulando sobre como escrever uma nota:
1) Comece com uma citação biblíca
2) Mostre sua superioridade intelectual e confunda o público
3) Humilhe os seus adversários.
4) Anuncie as consequências
5) Utilize uma PALAVRA em Caps Lock no final.

Depois é só assinar.

Rio de Janeiro, 20 de março de 2015
Rubens Lopes da Costa Filho
Presidente

Nenhum comentário :