segunda-feira, 16 de março de 2015

A Materialização dos Comentários de Internet

Por séculos a humanidade vem sendo atormentada por uma dúvida cruel: existe vista inteligente nos comentários de notícias na internet? Ainda não foi possível chegar a um consenso, mas uma minoria absoluta tende afirmar que não existe inteligência por lá. Ler os comentários do G1 é uma das experiências mais terríveis pelas quais um ser humano pode passar em sua vida terrena.

Claro, existem pessoas que gostam de ler esses comentários e até sentem um prazer mórbido na experiência. Mas, estas são pessoas estranhas que costumam a ter outros hábitos exóticos, como utilizar penicos, lamber axilas alheias e servir as próprias fezes para os convidados, informando que é um foei gras. E pior, comer as próprias fezes acreditando que é foei gras e ainda comentar que está uma delícia.

Os comentários da internet são uma verdadeira selva virtual, onde cidadãos protegidos pelo anonimato tendem a fazer os comentários mais sórdidos e as ilações mais irreais sobre os assuntos mais banais do nosso cotidiano. Sexismo, machismo e culpabilização do Bolsa Família são temas recorrentes. Pode ser em notícias sobre política, economia ou numa daquelas sobre gatos fofinhos. Sempre haverá um comentários culpando o PT por alguma coisa. Essa é a quarta lei de Nixon.

Por vezes, tendemos a acreditar que essas pessoas nem sequer existem. Não podem existir, não deveriam existir. Nunca as vimos nas ruas, é lógico que elas devem ser fruto da manipulação da Globo de uma ilusão virtual de ótica ou de computadores produzidos nos porões da NSA que querem controlar a opinião alheia sobre o mundo. Essa era uma teoria.

Até este domingo. Desde esse domingo, não dá para duvidar mais de nada. Essas pessoas existem sim e vão para as ruas. Levam cartazes nonsense em que pedem intervenção militar para acabar com a ditadura do PT (?). Usam camisas da CBF para protestar conta a corrupção (?). Somado ao protesto pró-governo da última sexta (Qual é o sentido de ir para as ruas para pedir que uma coisa continue exatamente do jeito que está?) as ruas brasileiras viraram um reflexo das discussões que já vimos no Facebook ao longo dos últimos meses.

E o pior, a discussão do Facebook foi para as ruas e volta para o Facebook e gera notícias que são comentadas e o mundo acaba de descobrir um sistema retroalimetador. E vira um lugar muito pior de se viver. Essa cadeia de acontecimentos jamais irá se encerrar e quando menos esperarmos, estaremos todos soterrados nesse mar de lama de comentários da internet.

Nenhum comentário :