sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Oscar 2015

É domingo que a grande festa popular de Hollywood ganhará as televisões brasileiras. A cerimônia de entrega do Oscar 2015 irá agraciar os melhores e as melhores em tudo no mundo do cinema norte-americano. Melhores filmes, atores, atrizes, diretores, roteiristas, sonoplastas, maquiadores, figurinistas e outros quesitos técnicos que ninguém com um mínimo de vida social consegue definir se é bom ou se é ruim. Nesse post, o CH3 irá falar sobre os filmes que concorrem ao prêmio e os favoritos nas outras categorias principais.

Whiplash: O famoso site de rock/metal brasileiro, ganha as telas em uma interpretação comovente. O filme conta a história do fundador do site, que sonhava em ser baterista de jazz. Seu sonho foi interrompido por um professor carrasco que humilhava os alunos. Desiludido, ele se vendeu ao lado negro do rock e criou um site fanboy. Um filme bom para quem gosta de ver humilhações e bullying, mas nesse caso você pode dar a desculpa de que está curtindo jazz.

Boyhood: Um diretor resolve filmar a história de um menino durante vinte anos. Começa a filmá-lo quando ele era criança, até chegar faculdade. Parece que nada demais acontece na vida do garoto, mas talvez aí fosse querer demais.

Birdman: O homem pássaro foi um dos mais bizarros personagens criados pelos estúdios Hanna-Barbera (só não tão ruim quando o Space Ghost, que anos mais tarde ganhou um talk show bizarro no Cartoon Network). Um herói que não fazia nada demais e que foi materializado por Michael Keaton em uma atuação exuberante. Um dos filmes mais doidos do ano.

O Grande Hotel Budapeste: Wes Anderson filma suas manias caricatas mais uma vez, só que dessa vez ele está concorrendo ao Oscar. Para variar, Bill Murray está no filme.

Convenhamos que o cartaz também é
pavoroso. Esse cara com essa cara de cu
e a sensação de que esse cartaz já foi
utilizado em uns 1823912 filmes antes
O Jogo da Imitação: Um drama sobre um cara muito estranho que era um gênio da matemática e acabou com a guerra decifrando os códigos nazistas. Tem gente que acha que é bom, tem gente que acha que é ruim. Mas, com certeza, esse é um dos piores nomes de filme da história. Eu só consigo imaginar um filme sobre um mímico com esse nome.

Sniper Americano: Um filme que mostra como os soldados americanos sofrem em matar pessoas em territórios estrangeiros. Mas, fazer o que, a guerra é assim.

A Teoria de Tudo: Um filme que mostra o sofrimento daquele físico fodão que escreve best-sellers mas que o nome me fugiu agora. Aquele que sofre de esclerose e que se comunica com os outros apenas com o movimento dos olhos. Então, é isso.

Selma: Selma é Oprah Winfrey, famosa apresentadora de programas de auditório nos Estados Unidos. Mas, ninguém entendeu direito as razões que levaram esse filme a concorrer ao Oscar. É daqueles que daqui uns 15 anos as pessoas vão olhar e pensar "isso aqui concorreu ao Oscar?", assim como acontece atualmente com Apollo 13.

Melhor ator: Um cara que passou por uma enorme transformação: perdeu peso, ganhou peso, ficou gago, mudou o nariz, amputou um braço. Aquele que preencher esse requisito, leva o Oscar. Apostamos no cara que interpretou o físico que eu ainda não me lembrei o nome.

Melhor atriz: Mulher bonita fazendo papel de mulher feia. Sempre dá isso. Pode não ser uma personagem extremamente feia, mas se tiver um pouquinho desajeitada, já dá.

Ator e atriz coadjuvante: O CH3 é da opinião de que se o cara concorre ao prêmio de melhor ator coadjuvante, isso significa que ele não foi tão bom coadjuvante assim. É um dilema da vida.

Melhor diretor: Rinchard Linklater filmou um garoto durante cinquenta anos e fez uma história qualquer sobre isso. Não dá pra ele não ganhar essa porra.

Melhor roteiro: Não tenho opinião formada.



Melhor maquiagem, figurino, cenário, montagem e etc: Filme de época espalhafatoso.

Melhores efeitos em tudo: Transformers 819.

Melhor fotografia: Grande Hotel Budapeste, prêmio de consolação.

Melhor canção: Uma bem ruim de desenho da Disney.

Melhor filme estrangeiro: Nos último ano foi um filme poético, no outro um drama pesado. Aposto que nesse ano eles vão premiar um filme cabeça e cheio de metáforas.

Nenhum comentário :