segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A Onipresença do Bolsa Família

Segunda-feira de manhã, primeiro dia útil após o fim do horário de verão. Vejo as pessoas mais dispostas por não precisarem acordar com o dia ainda escuro para ir ao trabalho. Estou na minha academia, prestes a começar um dessas séries de exercícios. Um desses Summer Eletro Hits da vida embala o ritmo do exercício e a televisão está ligada na Globo, passando o Bom Dia Brasil. O relógio marca 7h30.

Nesse horário, a academia não costuma a ser muito movimentada. Não é como ir às 19h e ter que batalhar por um espaço nos aparelhos. Não é como ir de tarde e encontrar aqueles ratos de academia discutindo supinos e suplementos. Às 7h30 da manhã a academia tem apenas três pessoas: eu, um senhor e uma senhora fazendo exercícios honestos.

Pois, justamente antes de começar um desses exercícios o senhor comentou sobre uma matéria que passou no Bom Dia MT. A reportagem informava que a Defesa Civil iria interditar o viaduto da UFMT nos dias de chuva forte. Devido a erros de projeto, toda vez que chove o viaduto alaga. Ele comentou que aquilo era uma brincadeira, só no Brasil mesmo. Argumentei que a Defesa Civil não poderia fazer nada nesse caso, que eles só podem evitar o desastre. Evitar que pessoas fiquem presas no meio do alagamento e morram por lá.

Foi nesse momento em que a senhora entrou na conversa e eu aproveitei para fazer o exercício. Terminada a série repetida de dez movimentos, ela já estava falando “mas isso é que dá, nesse país, com esse monte de bolsas, ninguém quer trabalhar”. “É, tendo o dinheirinho pra cachaça, ninguém quer saber de nada”, completou um homem. Em poucos segundos, uma reclamação sobre uma obra malfeita em Cuiabá foi direcionada para um programa de assistência social.

O programa Bolsa Família é a grande estrela do governo PT, iniciado em 2003. Um governo que apresenta uma série de falhas, vários pontos em que pode ser criticado. Mas volta e meia, o principal alvo das críticas é o programa assistencialista, propagandeado como o responsável por tirar milhares de pessoas da linha de pobreza.

Aliás, no mundo atual, toda e qualquer discussão sobre os problemas do Brasil vai terminar no Bolsa Família. Escândalo da Petrobrás “isso que dá, com esse bolsa esmola as pessoas não querem trabalhar, querem apenas roubar”. Estupros: “isso que dá, o que esperar de um país com essa imoralidade do Bolsa Família”. Fim do Globo Esporte: “também, num país em que se dá dinheiro para comprar votos, travestido de programa social”.

Há no pensamento popular, uma relação de causa e consequência entre o Bolsa Família e os problemas do país. As merdas acontecem por culpa do Bolsa Família. Se torcedores se matam na porrada em um estádio de futebol, muito provavelmente isso aconteceu porque milhares de pessoas passaram a fazer duas refeições por dia e agora, bem nutridos, podem dar pauladas alheias. Se eles ainda passassem fome, iam ter outras preocupações na vida, mas ao invés de ensinar a pescar, o governo deu o peixe. Com dinheiro pra cachaça, ninguém trabalha e engenheiros podem construir viadutos péssimos que drenaram recursos públicos e não a água que cai embaixo dele.

Entenderam? O governo promove um programa de transferência de renda. Isso faz com que essas pessoas não trabalhem. A ausência de trabalho dessas pessoas desestimula outras. Assim sendo, engenheiros projetam um viaduto de maneira equivocada. E tudo isso é misturado em meio a uma sessão de exercícios numa academia em plena segunda-feira de manhã.

Um comentário :

Gressana disse...

Maldito bolsa família, as pessoas não trabalham e ficam indo pra academia falar do bolsa família.
Deviam colocar Whey Protein na cesta básica deles.