sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A Chapa 03 dentro de cada um

Quem acompanha a história do CH3, sabe que seus membros fundadores desenvolveram profunda militância política durante o seu período universitário. Eles foram os fundadores e articuladores da Chapa 03, movimento que conquistou corações e seguidores, enquanto disputava o DCE, o Centro Acadêmico e se bobear até a reitoria. Nos manifestamos sobre protestos estudantis e sociais. Estávamos sempre lá.

Eram outros tempos. Quando você é universitário, tem acesso a uma ampla rede de máquinas de Xerox e podia reproduzir seus manifestos em incontáveis folhas que custavam dez centavos. Assim sendo, depois que nos formamos – e eis uma diferença da Chapa 03 para os membros das outras chapas, nós nos formamos - a Chapa 03 acabou. Entre outras coisas, porque a terceira via se popularizou em toda e qualquer disputa eletiva e, hoje em dia, a Chapa 03 provavelmente se transformaria em Chapa 04, criando uma crise existencial.
Isso aqui, caso você não saiba, é uma máquina de xerox.

Hoje podemos dizer que a Chapa 03 era quase uma manifestação artística, uma intervenção urbana. Nossa intenção era chamar a atenção para todo o ridículo do processo, contra duas chapas – situação e oposição – que se enfrentavam em uma disputa enfadonha, com propostas anacrônicas e vivendo em uma realidade defasada. No fundo, aquilo ali era uma disputa pelo poder que interessava muito mais quem estava na disputa, do que quem votava.

Pois, esses dias eu estava chegando no meu trabalho e notei que um carro continha um adesivo da Chapa 01. A eleição agora é para um sindicato qualquer, não sei qual, o serviço público tem inúmeros sindicatos para suas inúmeras carreiras administrativas. Logo vi uma faixa pedindo voto para a Chapa 02. Senti a provocação e um sentimento cresceu dentro de mim.

Estava novamente diante de uma disputa que interessa mais para os candidatos do que para quem irá elegê-los. Se na época do DCE, o pessoal queria controlar as atividades universitárias, ganhar espaço em manifestações populares e depois concorrer a algum cargo eletivo pelo PCdoB, agora os sindicalistas querem poder de barganha para futuras conquistas políticas. E uma vez que a Chapa 03 está dentro de você, ela jamais te abandona. O desejo de avacalhar todo e qualquer processo democrático enfadonho é incontrolável.

Logo comecei a arquitetar o plano sindical da Chapa 03. Nosso principal projeto seria destruir o prédio da Secretaria de Ciência e Tecnologia para construir um enorme parque aquático. Quem precisa de bolsas científicas quando podemos ter as bolas frias em tobogãs enormes e deslizantes?

Claro que para conquistar o poder iríamos afagar o funcionalismo público, prometendo a redução da jornada de trabalho para 40 horas mensais, dobrando o salário e garantindo auxílio alimentação equivalente ao dos ministros do Supremo. Também pensamos na construção de um heliporto no lugar de uma dessas secretárias, além de oferecer cursos de especialização gratuitos em Miami e Dubai.

Nosso poder de barganha seria a boa e velha greve. Montaríamos barricadas com os ofícios e relatórios da repartição e só voltaríamos ao trabalho quando fossemos atendidos. Talvez, optássemos por ficar apenas em casa mesmo.

Acho que a Chapa 03 teria muitas chances de conquistar a eleição, mas, no entanto, o projeto não foi pra frente. Os tempos são outros e nós poderíamos conseguir muitos problemas na justiça, buscas e apreensões e acabar na cadeia.

Vamos tentar conseguir o poder primeiro dominando as eleições para síndicos de condomínios. Mas sei que vai ser difícil. Parece que o PMDB já domina essas eleições.

Nenhum comentário :