Piores momentos de 'Rio' do Duran Duran, ou: A Maldição dos anos 80

Desde que o retrô voltou a ser moda, falar mal dos anos 80 ficou proibido. Montou-se uma espécie de Comitê da Verdade informal que absolveu os anos 80, transformando-os nos anos dourados. Eis uma mentira. Quando falamos mal desta época, não é apenas por maldade. É por conta de coisas como o clipe de “Rio” do Duran Duran. Um perfeito retrato desta época, que será dissecado de agora em diante.



00:00 Pensei em terminar o post aqui. Que abertura impactante! E o que é aquele espelho despedaçado que se junta novamente?

00:16 Um Voyeur observa uma mulher deitada em um píer. Por um momento, chegamos a pensar que se trata de um cadáver. Mas, logo ela começa a andar e revela toda a magia da depilação dos anos 80 por trás de sua calcinha transparente.

00:21 Um cara de óculos rosa surge do fundo do mar e encara a mulher peluda. O diretor dá um close em sua cara e seus óculos viram espelhos. Repare a qualidade do efeito. Eles não tinham tecnologia na época? Então, que não fizessem.

00:35 Depois de uma série de imagens aleatórias envolvendo água batendo nas pessoas, reflexos e bolinhas quicando, a banda finalmente aparece cantando, atrás de uma mulher cheia de tesão em uma árvore.

00:43 Alguém, talvez um elefante, ejacula nas costas de uma mulher com maiô rosa.

00:53 Um cara vai passar um xaveco em uma mulher na praia, mas um caranguejo morde o pé dele. Insatisfeita, a mulher aplica um Roundhouse Kick no infeliz.

01:05 O grupo aparece cantando o refrão em um barco. A cena é entrecortada por imagens de, novamente, pessoas molhadas, espelhos e mulheres pintadas.

01:37 Uma misteriosa mão submersa aparece carregando um telefone cor de rosa. Este telefone é entregue para uma solitária mulher em uma jangada. Ao mesmo tempo, o vocalista recebe um telefone azul no seu barco. Ele tenta jogar um papo pra cima dela dizendo “te vi na TV e tal”. Puta com o papinho besta, ela puxa o fio do telefone e ele cai no mar. Peraí! O que ele estava fazendo de terno, gravata e pé de pato?

02:08 Um dos integrantes da banda lê uma revistinha e sonha com a época em que ele esteve no Vietnã. O que ele viu por lá? Uma mulher deitada enquanto um homem ejaculava dentro de um copo no umbigo dela. E aquela porra toda respingava nele.

02:16 Um compasso aleatório, alguém nadando em câmera lenta e, opa! Temos o vocalista de sunga fio dental, para orgulho do Gabeira. Um efeito constrangedor de uma bola gigante o derruba no mar e na sequência ele é capturado em uma rede. Por fim, ele bebe um drinque cor de rosa dentro d’água.

02:45 Uma mulher colorida invade o barco onde o bichinha da banda está sozinho e infeliz. Ele pensa “que porra é essa” e levanta da cama.  Mas, fica tudo por isso mesmo.

03:02 Aparece um cara tocando saxofone em uma jangada e o céu atrás dele está roxo. Você nunca viu nada tão brega.

03:19 Ai então fomos surpreendidos novamente! Agora o saxofonista aparece de chapéu no alto de uma montanha. Observe o gingado dos seus ombros! Para fechar com chave de ouro, a tela é dividida com as duas cenas. Meus olhos sangram.

03:41 Quando finalmente o saxofonista desaparece, o vocalista reaparece apontando o caminho. Logo depois, um cara com mal de Parkinson não consegue servir o champanhe dentro do copo.

03:59 Aparece um cara em cima de um cavalo na praia e uma mulher passando creme de barbear pelo corpo, dentro do mar. Eles já estão apelando.

04:06 hahahahahahahahaha, o cara de sunga fio dental dá um mortal pra trás dentro da água. Faltam-me palavras.

04:21 Outra mulher aleatória dá uma piscadinha para a câmera. Nada mais me surpreende.

04:39 A partir deste momento, a banda segue naquele clima de “somos caras felizes em uma grande aventura no mar”. Os integrantes fazem uma dancinha escrota e, como numa boa festa de bêbado, começa a putaria de jogar as pessoas dentro da água. E assim o clipe acaba.

Lançada em 1982, Rio foi Top 10 no Reino Unido e esteve presente em um disco multiplatinado nos Estados Unidos. O vídeo foi gravado no caribe pelo diretor Russel Mulcahy, autor de outras pérolas do mal gosto visual dos anos 80 como “Total Eclipse of the Heart”. Ele também é o diretor da trilogia de Highlander e Escorpião Rei.

Clique aqui para ver outro clássico do Duran Duran. Se divirta com os integrantes da banda gargalhando em cima de elefantes cuspidores de água.

Comentários