Pessoas Constrangedoras, volume 9

Pessoas que relembram fatos desagradáveis

O rei da memória. Aquele que se lembra dos piores momentos das vidas alheias. Sim, é normal se lembrar da desgraça dos outros, para que esses fatos sejam usados no momento certo. Para evitar a promoção de um concorrente seu ou convencer o júri de que você acertou 14 tiros no rosto da vítima por legítima defesa.

Mas, preste atenção: essas memórias são justamente para momentos específicos. Por uma regra de boa convivência, evitamos lembrá-las o tempo todo. Ainda mais diante da pessoa que estrelou o fato desagradável. Se lembre pelas costas. Não adianta perguntar se a pessoa se lembra de ter vivido tal situação. É claro que ela se lembra. Ela se lembra miseravelmente de todos os detalhes e tenta diariamente esquecê-los. Mas você faz questão de fazer com que o trauma reviva.

1 Especialistas em traumas infantis

Sua infância problemática, com todos os traumas gerados pela vida na escola. Você encontra aquele cara que estudou com você na terceira série, depois de 15 anos.
- E ai cara. Há quanto tempo!
- É, bastante tempo.
- Última vez que eu vi você foi no último dia de aula da terceira série.
- É, deve ter sido.
- Se lembra! Haha, você passou mal e vomitou em cima da menina mais bonita da sala.
- É...
- Foi nojento cara, haha.
- É...
- O que aconteceu depois? Sai do colégio, ficou tudo certo?
- Ficou sim.

O indivíduo vomitador ficou assim tachado. Nunca conseguiu ficar com uma menina até hoje. Faz terapia diariamente para tentar superar as tremedeiras quando se aproxima de uma mulher. Estava quase superando, até a pessoa constrangedora aparecer em sua vida.

2 Humilhando diante da família

Você chama um amigo recente para um churrasco na sua casa. Você não sabia que ela é uma pessoa que adora criar situações constrangedoras diante dos familiares.
- Esse aqui é meu pai.
- Opa, tudo bom. Ele sempre foi devagar pra fazer os trabalhos? Tinha que ver, lá ele vive atrasando. Nosso chefe tá querendo matar ele de tão devagar que ele é. Falou pra eu aproveitar que tava vinda na sua casa, pra ver se ele é assim por aqui também, haha.

E assim, acabam-se as expectativas familiares de que o filho estivesse bem no seu novo emprego.

3 Constrangimento diante do conjugue

Você está com a sua namorada e encontra um amigo de velhos tempos.
- E ai cara, tudo bom?
- Opa, tudo. Essa aqui é minha namorada.
- Ah sim, se arrumou heim cara.
- Hehe.
- Antigamente, tinha que ver, esse cara só pegava mulher feia.
- É, he.
- Teve uma vez que ele agarrou a professora de Geografia, inacreditável. Esse cara não tinha limites.
- Ééé...
- Uma vez que ele bebeu, pegou até um viadinho lá do colégio. O cara era uma máquina, traçava tudo. A gente via ele, se escorava na parede pra não ir junto.

O fim do relacionamento.

4 Humilhação, estilo livre

Escatologias, sexo, tudo junto. Com muitos gestos em lugares públicos, para que todos escutem. Não importa se você está sozinho, acompanhado, em uma cadeira de rodas ou de terno.
- E ai cara, tudo bom?
- Opa, tudo.
- E aí, cagando muito? Você cagava pra cacete lá no colégio hahaha. Cagava no canto da sala e não tinha aula depois. Você foi comer a menina e cagou durante o ato hahahahaahha – fazendo gestos com as mãos que chamam a atenção de todos os transeuntes para o assunto.

Memória seletiva de convivência.


@AdeSchneider comentou tal tipo de pessoa em um comentário anterior.

Comentários

Thiago disse…
shaushaushasuhaushaush que falta de desconfiômetro, por isso que na máfia não há pessoas assim.
karoline disse…
esse post foi inspirado em alguém bem próximo?
ahahahhahaha