Quero vê-la chorar

Proponho um desafio a você, leitor do CH3. Tente fazer a pessoa mais próxima de você chorar. Pode ser seu colega de trabalho sentado aí do lado, seu pai na sala. Seu vizinho. Se você estiver sozinho em um maldito iglu no Pólo Norte, vá até a base militar mais próxima e tente fazer alguém chorar, não tem desculpa. Vá, faça isso e depois volte aqui para contar o que aconteceu. Enquanto isso, eu vou tomar um copo de Coca.

Provavelmente foi difícil. Você pode até ter tentado o susto de uns posts atrás. O susto besta ou o susto assassino. Fez a pessoa chorar de medo, ou chorar de dor. Você pode ter feito a pessoa ter assistido a um filme emotivo com cachorros. Ter tocado a discografia do Joy Division. Existem inúmeras maneiras de fazer uma pessoa chorar, mas nenhuma dela é exatamente fácil. Pode demorar dias e você pode fracassar na missão.

Mas, é claro que pode ser mais fácil em alguns casos. Se o seu colega de trabalho, vizinho ou vigia da base militar, for um ator/atriz da Globo. Sim, em todo nosso planeta Terra com seus 12mil km de circunferência e seus quase 7 bilhões de habitantes, não há ninguém que chore mais fácil do que ator da Globo.

Esses dias eu estava assistindo o Videoshow (Ok, aceito ser martirizado por isso, e sei que não há desculpa válida para o caso. Mas a culpa é do horário eleitoral que mudou a programação da TV na hora do almoço). Era o aniversário da digníssima atriz Carolina Dieckmann. E o seu amigo, o super-divertido Bruno de Luca, resolveu fazer uma conecção supeeer iraaada meixmo. Não sei quem eram, mas era um grupo que se vestia de Xuxa e tocava músicas da macia apresentadora.

Então, lá veio Carolina, e ao dobrar em uma esquina deu de cara com o grupo cantando “Hoje vai ter uma festa, bolo guaraná, muito doce pra você”. E ela começou a chorar. Chorar de desgosto, pensou você? Não. Chorou de emoção. Se fosse comigo, eu iria rir, me sentir humilhado com a cena, mas ela se emocionou tanto a ponto de chorar.

Existem mais maneiras de fazer uma atriz da globo chorar, do que existem bactérias no sistema solar. Não é a toa que existem programas/quadros na televisão, feitos apenas para fazer esses atores chorarem.

O mais clássico é o Arquivo Confidencial, das épocas em que o Faustão não usava camisas bizarras. Um ator da moda era chamado para o quadro que consistia basicamente em:
- Filmar o ator.
- Dividir a tela, pra mostrar o depoimento de um parente/amigo. No caso o Pedro Augusto, amigo de infância. Dois dias antes eles tomaram uma cerveja juntos.
- Close nos olhos marejados do ator que diz “caraca, muito tempo que não vejo ele”.
- O ator agradece e também fala sobre esse amigo. Uma pessoa muito especial, que nossa, não tem nem o que dizer.
- Faustão diz “Ai está, Carlos Mendes no arquivo confidencial aqui no Domingão!” faz um merchan e uma piada sobre o Caçulinha.

Chegará a hora em que virá o depoimento de Lima Duarte, que o fará soluçar. E quando, finalmente os seus pais falarem de como ele sempre foi um filho querido, ele não conseguirá falar. O close em seus rosto inundado em lágrimas aumentará o Ibope do programa e fará os editores comemorarem e vibrarem. A platéia aplaudirá e Faustão dirá que ainda há mais emoção por vir. Provavelmente um depoimento de Max Gehringer.

Agora com licença, que eu vou fazer uma atriz da Globo chorar ouvindo Sidney Magal. Ou talvez com um depoimento de fantoches.

Comentários

Gressana disse…
"era um grupo que se vestia de Xuxa e tocava músicas da macia apresentadora."
AHEHAHEHAEHAHEHAEHAHEAHEHAEHAHEAHEHAEHAHEHEAA!!!
Thiago disse…
o nome do grupo era "amor estranho amor" shaushaushaushaush
laercioscalco disse…
Olá Guilherme,

Meus parabéns pelos Posts. Tenho lido todos com regularidade.

12 mil Km nao é a circunferência, mas sim, o diâmetro aproximado da Terra. Circunferência fica na casa dos 40 mil.

Quando quis te mandar isso, percebi que nao tinha seu E-mail.

Um forte abraco e tudo de bom.

Laércio
Guilherme disse…
De fato, andei matando as aulas de Matemática.
J. Tomaz disse…
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

ri muito com a matéria...
Por coisas como essas acho ótimo nao ter TV em casa (e fazer questão de continuar sem).