Os mortos vivos

Saudações a todos os fiéis leitores do CH3. Hoje quem vos fala é Vinícius, o Gressana, membro do blog que esteve em inatividade por um período longo demais. Sem escrever desde... nem lembro mais. O Guilherme que é bom pra lembrar essas coisas e tem mais paciência pra pesquisar.
Muitos se questionaram se eu estava morto. Pois não apenas desapareci do blog, mas também de círculos de convívio social dos quais eu já raramente fazia parte. A resposta é: bem, pode-se dizer que eu estava sim, morto.

2009 foi o ano em que os membros do CH3 formaram-se e deixaram a zona de conforto que era a faculdade. E nós três escolhemos áreas de atuação ingratas. Guilherme já explicou sobre o calvário do jornalista no clássico texto A Prática do Jornalismo, provavelmente um dos textos mais copiados do blog, tendo ido parar em outros blogs, perfis do orkut e talvez até tenha sido esquartejado pra caber em 140 caracteres e tuitado.
Tackleberry e eu seguimos pelos tortuosos caminhos da publicidade. Tackleberry abriu firma e atuou por conta própria, conta-se que arrecadou uma certa quantidade de dinheiro e fugiu para as Bahamas.
Já eu, segui pelo universo das agências. Entrei em contato com o submundo da propaganda, que na verdade é o mundo, o que é bem assustador. Segunda-feira, dia 01/02, foi o dia do publicitário, e podem apostar, ao invés de comemorar com bolo e refrigerante, os publicitários comemoraram com pizza e café. Ao invés de ouvir "parabéns" do chefe, ouviram "seu incompetente". Ao invés de ficar até tarde da noite farreando, ficaram até tarde da noite trabalhando em campanha, porque o cliente não sabe o que quer e acha que é diretor de arte.

Acho que o mercado publicitário é uma selva sem leis para compensar os quatro anos de morgação que é a faculdade. É uma espécie de punição por ter ousado escolher um curso sem cálculos integrais, sem tomos de leis a serem decorados, sem algorítmos e sem anatomia. Já é difícil você explicar para sua avó o que um publicitário faz, quando você aparece na casa dela careca dizendo que passou no vestibular. Até porque naquele momento, nem você sabe muito bem. Você só sabe que vai fazer propaganda. Daí você explica pra velhinha que vai fazer propaganda, e ela acha que você vai ser igual ao cara das Casas Bahia. Daí você mostra um panfleto pra ela e diz que é isso que você vai fazer. Você já pode imaginar a cara dela.

Hoje retorno ao CH3 depois de meses sem escrever. Espero não ter perdido o jeito, afinal, não trabalhei como redator. Voltei da morte para contribuir novamente com o CH3.

Comentários

maira matos disse…
THRILLEEEEEEEER
Lali disse…
OLÔCO, É O VINI!!
Guilherme disse…
faz tanto tempo que eu não comento um post do CH3, que eu nem sei mais como é qeu se faz isso.
Emily Carvalho disse…
Ressucite meu amigo, essa vida de depre e bebedeira não leva a nada.

Pensando bem, talvez bebedeira a gente não precise tirar da nossa vida.