500 posts

Não é fácil escrever um texto desse tipo, tipo comemorativo. O risco de que esse texto se torne piegas, emotivo e repetitivo, é enorme. Mas, fazer o que. Textos assim são piegas, emotivos e repetitivos por natureza. Se não fosse para ser assim, era melhor não fazer texto nenhum.

Seria melhor fingir que a postagem 500 é algo normal. Poderia estar aqui escrevendo um Guia CH3 qualquer, ou comentando algum fetiche. Mas, o post de número 500 não é algo tão normal assim. Eu sei, existem blogs que conseguem 500 posts em um ano, em um mês, ou em um dia. Sorte deles. Aqui as coisas não são assim.

Foram três anos e meio para alcançar essa marca. Aproximadamente 1 milhão de caracteres. Desses 500 posts, 67 foram do Tackleberry, 126 do Vinícius e 307 do Guilherme, no caso eu. 55 mil pessoas de 86 países já estiveram aqui.

Chegamos a comemorar a marca das 500 e 1000 visitas iniciais. Hoje nós conseguimos as mil visitas em uma semana. Comemoramos os 100 posts. Imagino que agora, tal menção só seja feita quando chegarmos a mil postagens. Imagino e torço para que essa data chegue. E ela deve chegar lá por 2012.

Em alguns momentos no começo os posts rarearam. Depois foi assumido o compromisso e a meta de ter posto dia sim dia não. Em alguns momentos a qualidade caiu, surgiram postagens apenas para preencher espaço. Mas, tudo bem. Não acho que seja o momento de lembrar dos posts ruins e forçados.

Acredito que alguns textos do blog são antológicos. Eu pelo menos tenho um certo orgulho do texto do chá de cogumelo, da prática do jornalismo e de um par de Guias CH3. Também acho que o blog teve grandes fases. No começo de 2008 principalmente. Mas também gosto de vários posts dos últimos seis meses.

Mas enfim, a hora do post 500 é uma hora de agradecimentos. Poderíamos citar nomes aqui, mas com certeza iríamos esquecer nomes e provocar conflitos de egos.

Então, agradecemos todos aqueles que comentam, aqueles que lêem o blog silenciosamente. Os que nos seguem e nos linkam no twitter e no blogspot. Aos que nos elogiam. E até aos que nos criticam. Nós gostaríamos que esses anônimos que postam xingamentos tivessem uma morte lenta e dolorosa, mas tudo bem.

Agradecemos a você que está lendo esse texto agora. A única coisa que faz com que alguém continue com um blog, é saber que as pessoas o lêem.

Comentários

J. Tomaz disse…
Por nada!
em teste disse…
Deveras emocionante passar por aqui nos momentos comemorativos...Lembrar com saudosismo de A prática do Jornalismo, causador da diminuição da concorrência pro curso na UFMT, assim como do Guilherme nos mostrando os textos da folha CH3 no saguão, do cão leproso... Eu já falei pro Hanz que daqui a alguns os anos os textos vão virar correntes assinados pelo Veríssimo. E eu vou poder contar que estudei com o pessoal do CH3 assim como com o reprovado do Vanguart.
Andreza