O Labirinto do Jardim Califórnia

A primeira vez que eu fui ao Jardim Califórnia, eu fui a pé. Tinha 12 anos e fui fazer um trabalho na casa de um colega em outro bairro. Como o trabalho acabasse cedo, fui com um amigo meu até a casa dele no Jardim Califórnia, Rua Hollywood, a pouco mais de 1 km da casa onde fizemos o trabalho. Joguei bola na rua e depois voltei até o outro lugar para pegar carona com a minha mãe.

Depois a minha formatura de colégio foi neste bairro também.

Voltei ao Jardim Califórnia apenas quando estava na faculdade, para jogar videogame. Foi no dia que ficou mundialmente conhecido como “O Dia em que Vinícius Gressana perdeu o gol mais feito da história do Winning Eleven”. A casa em que eu fui jogar videogame ficava na mesma Rua Hollywood, mas foi nesse dia que descobri que o Jardim Califórnia é um labirinto. A mesma rua pode ter quilômetros de extensão. Pode fazer curvas, pode se bifurcar, se dividir em três, em quatro, e as mesmas quatro se juntarem em apenas uma.

Uma das grandes dúvidas que tenho é que foi o gênio que projetou as ruas do bairro. Imagino que talvez estivesse na época o conceito de bairros em forma de teia de aranha. De tal forma que todas as ruas possibilitassem o acesso a todas, sendo dessa forma, interligadas, unidas e separadas ao mesmo tempo. Ou talvez quem projetou o bairro não enxergasse beleza  ruas retas e bem distribuídas.

Observem na imagem como as ruas fazem curvas, são cortadas, se juntam, começam, terminam, dão voltas. Quadras looooongas e curtas.

Eu sempre me perco no Jardim Califórnia. Ando quilômetros pelo local e sempre tenho a impressão de que estou andando em círculos. Sempre passo por uma placa de “vende-se este terreno". As ruas parecem que são todas iguais e tenho a real impressão de que irei me perder para sempre naquelas ruas vazias. Até achar uma placa apontando “Buffet”.

Sei de várias pessoas que não resistiram a pressão. Diante de tal sentimento de estarem perdidas, cometem suicídio. Estacionam seus carros no acostamento e se enforcam com seus cintos de segurança.

E ah o que é mais estranho no Jardim Califórnia: não existem pontos de referências. Existem vezes em que eu entro na rua da Agrovita e logo encontro a placa que eu preciso. Você tem certeza de que está no lugar certo, mas o lugar em que você precisava ir não está mais. E que aquele caminho que você fez agora, você não havia feito da última vez.

Minha teoria é que o Jardim Califórnia ocupa um espaço de relatividade espacial e temporal, em que as coisas mudam de lugar. É normal que um Buffet se mude para três esquinas ao lado, e o lugar que ele anteriormente ocupava seja agora ocupado por uma casa com piscina e campo de futebol.

E quem mora lá? Bem, quem mora lá se acostuma. Acha normal chegar em casa e ver que ela deixou de ser amarela, ou que sua piscina foi parar na casa do vizinho. Ele sabe que no dia seguinte é provável que a piscina maior do cara de duas esquinas depois pare dentro da sua sala. E que talvez sua dispensa apareça cheia.

Comentários

J. Tomaz disse…
vc precisa andar no rio de janeiro. aqui as ruas sao verdadeiros caracóis, algumas começam com um nome e no meio, sem divisao nenhuma mudam...
May disse…
puxa, parece que todo mundo no jardim califórnia mora na mesma rua então, porque conheço duas pessoas lá que tbem moram na rua califórnia, embora não morem na mesma rua, com certeza não, pq pra chegar de uma casa a outra eu preciso virar em pelos menos duas ruas... será que lá só tem uma rua? é como um novelo que foi desenrolado, mas só tem uma ponta pra fora e uma pra dentro? assim, tecnicamente, poderia ser a mesma rua
May disse…
na rua califórnia não, na rua Hollywood
Anônimo disse…
eu me perdi nessas ruas e pra piorar minha gasolina tava acabando, me deseperei e sai numa avenida que qaundo me dei conta era saida p unic
Anônimo disse…
seu idiota existe sim o jardim califonia mas eu não sei se voce deve entender né porque voce é um burro que não sabe nem onde fica o curaco do seu cu.retardado.,eu moro no jardim california. não é igual a hollywod é melhor

desculpem os erros é que sou analfabeto
Guilherme disse…
O comentário do anônimo acima entrou no blog através da cota para deficientes mentais.