Conversando com robôs

Não, não falo de ir no site da Petrobras conversar com o robozinho Ed.


Nos tempos atuais nós vivemos conversando com robôs. Não que nós conversamos com eles. Mas ele falam conosco. E não cabe aqui nenhum tipo de teoria conspiratória, na qual uma ordem superior de robôs habita o planeta terra e convive amistosamente com os humanos, na expectativa de um dia subjugar toda a nossa raça.

Os robôs falam conosco quando nós pegamos o ticket do estacionamento. As vezes estamos estressados.
- Aperte o botão para...
- Já sei, sua piranha.
- Retire o ticket no local ind...
- Cala a boca!
- Entrada li...
O carro já arrancou.

Um dia talvez a maquininha do ticket poderia se vingar.

- Aperte o botão para...
- Já sei sua piranha,
- Não fale assim comigo, escroto. Não vou te dar porra nenhuma de ticket. Vou enguiçar aqui e você vai ter que voltar de ré na rampa, otário, ahah.

Mas é verdade que essa máquinas já se vingam de nós, quando elas fazem o papel de menu eletrônico dos sistemas de atendimento por telefone dos bancos. As frases ditas monocordiamente são impossíveis de entender.

- Olá bem vindo ao Banco Cascatinha para falar com um de nossos atendentes tecle zero para serviços referentes ao cartão de crédito tecle um para desbloqueio de talões de cheque tecle dois para transferências tecle três para abertura de contas tecle quatro para empréstimos tecle cinco para contratar um de nossos serviços adicionais tecle seis para escutar uma mensagem motivacional tecle sete para outras informações tecle oito e para escutar esse menu novamente tecle nove.

Você tecla o zero na expectativa de falar logo com um atendente e se livrar dessa máquina maluca.

- Para consultas referentes ao seu extrato bancário tecle zero para informações sobre outros produtos tecle um se você não sabe o que quer fazer aqui tecle dois e aguarde na linha.

Com o tempo as frases vão ficando mais difíceis ainda de entender.

- Pa ra se be sun tar com a voz se xy de u ma de nos sas a ten den tes te cle ze ro pa ra es cu tar um com to e ró ti co te cle um

Há também o caso dos sistemas que pedem para que você confirme o que você disse. Do tipo:
- Diga o seu destino pau-sa-da-men-te.
- Rua Estevão de Mendonça.
- Você quis dizer Rua Estevão de Mendonça. Diga sim caso a informação seja verdadeira.
- Sim.
- Você disse Sim.
- Sim.

Sim.

Comentários

Laís disse…
Ótimo post. Mas vocês já sabiam da convivência com robôs conspiratórios persocons, é...
Guilherme disse…
é que nós não pretendemos espalhar o terror entre os nossos leitores.
Mariana. disse…
nossa, quem não interagir com cancelas deve ser um ser de outro mundo. Conversamos altas coisas.