Mordomos: uma questão intrigante

Eu nunca tive um mordomo. Nunca conheci nenhum amigo que tivesse um. Também nunca vi um na rua. Muito menos na internet. Tente procurar por mordomos no Orkut. Não achará nenhuma comunidade que os representem ou as pessoas que os contratam. As únicas comunidades com “mordomo" no nome se referem a igrejas evangélicas ou bandas.

Dito isso, eu até diria que eu duvido que mordomos realmente existam. Para mim eles são apenas uma criação da mídia para achar culpados para os problemas.

Sim. Onde você vê mordomos? Em filmes de suspense americanos, novelas ou em escândalos políticos. E o que os mordomos fazem? Matam alguém, roubam dinheiro, colocam chifres no patrão.

Não dá outra. O culpado é sempre o mordomo. Ele foi o culpado por matar e enterrar o corpo de Odeite Roitman. Ele é que criou o Batman. Bem, queiram ou não o Batman é um assassino que faz com que psicopatas armem planos terríveis para a humanidade, só pra sacanear com o Morcego.

Bem. Porque então alguém contrataria um mordomo. Pergunto a você. Você contrataria um? Contrataria alguém que cedo ou tarde irá matar você, ou alguém da sua família? Alguém que vai comer sua mulher? Eu não contrataria.

Ou melhor, só contrataria se eu fosse o assassino, estelionatário. Porque assim eu poderia matar cruelmente várias pessoas, aplicar o golpe que eu quisesse. Porque quando a polícia aparecesse, eu poderia dizer: “bem, a culpa é do mordomo”.

Os policiais, os juízes e a sociedade olhariam para o mordomo e sua cara de culpa confessa e diriam “verdade. O mordomo realmente é o culpado”.

Talvez a situação pudesse ficar complicada no momento em que o seu sétimo mordomo fosse preso. Ou não. As pessoas acreditariam na culpa dele, porque ele pertence a uma classe maldita que veio ao nosso planeta apenas para praticar a maldade e promover a desunião entre as raças. Eu não confio em mordomos. E não confio nas pessoas que os contratam.

Nota: eu me lembro de um mordomo que não era assassino. No caso, era Santiago, mordomo de Walter Moreira Salles, que tocava piano muito bem, falava cinco idiomas, lia enciclopédias e ainda, dizem, fazia um macarrão a carbonária que era uma delícia. No entanto, o filme sobre ele demorou mais de uma década para finalmente ser lançado. Só depois que ele morreu. Mordomos não nasceram para a liberdade e a felicidade.

Comentários

Mariana disse…
A mídia é que alimenta essas inverdades, colocando mordomos em novelas e tudo mais. Mas é claro - e nós sabemos disso - que mordomos não existem. Fico impressionada com o tipo de coisa que as pessoas afirmam acraditar. Mordomos? faça-me rir..
Adérito Schneider. disse…
Batman não mata. Herege.
May disse…
eu chorei assistindo o filme do Santiago. "eu acredito, eu acredito!"
alskdfçalkslçksdf
Mariana,

Me desculpa,mas sou obrigado a descordar de você,no caso em que diz que MORDOMO NÂO EXISTE...pois tenho 10 anos de profissão como MORDOMO,na qual orgulho muito!