Ter o Twitter

O twitter provavelmente é a coisa mais próxima de ser chamada de revolucionária desde que a internet surgiu. É um site que pode acabar com o Orkut, com os blogs, com o MSN, com o e-mail e com o telefone. Acabar com o jornalismo, a publicidade, a medicina e a advocacia. Acabar com as filas do banco e a unha encravada.

O Twitter do blog existe há quase dois meses. É complicado saber o que fazer com esse negócio. Ele seria teoricamente atualizado pelo pai Jorginho de Ogum. Mas enfim. Há quem use para fazer piadas e criar frases de efeito, quem use para dar novidades sobre alguma coisa. Nesse grupo se encaixa o que o CH3 faz. Notícias sobre o blog.

Mas existe o lado assustador de pessoas que atualizam sua vida inteira. Parecem que estão conectados a internet 24 horas por dia apenas para poder dizer o que está fazendo no Twitter. Dá até para imaginar duas situações.

Nascimento


- Querido, estou sentindo as contrações. Acho que o bebê vai nascer. Pega o notebook pra eu poder postar isso no Twitter.
Sentindo as contrações. Acho que vai nascer. To indo pro hospital.
O marido por sua vez coloca:
Levando minha mulher pro hospital. Logo serei pai.
Chegam então ao hospital. A enfermeira posta.
A Roberta está por aqui. Em breve ela será mãe. Vou pra sala de parto vocês vão poder acompanhar tudo por aqui.
O médico vai fazer o parto.
Entrando na sala. Mais um parto pra conta. Não agüento essa rotina.
E enquanto a criança vai nascendo a enfermeira vai atualizando tudo no seu Twitter.
A dilatação já está quase suficiente. Vai ser logo, logo.
A cabeça da criança está saindo.
O médico acaba de cortar o cordão umbilical.
O menino está bem, já chorou e vai pra incubadora agora.

Eis então que o pai da criança posta.
Nasceu! Um menino forte e bonito! A cara do pai!
Enquanto isso a mãe reclama que não tem como postar uma foto nova.

Morte
- Mas foi então que eu... ahhhhhhh!
- O que foi?
- Meu coração, estou tendo um infarto.
- Meu deus.
O João está enfartando aqui. Temos que correr pro hospital.
Estou sofrendo um infarto. Torçam por mim.

Outra coisa levemente assustadora do Twitter é que o mundo inteiro está lá. Seu vizinho, você sabe o que ele faz por conta do Twitter. Celebridades e sub-celebridades estão por lá escrevendo besteiras das mais variadas. Parece incontrolável. Chegará o dia em que o mundo estará no Twitter. Pedidos de casamento e divórcio serão feitos por lá. Resultados de exame médico. Chegará o
apocalíptico dia em que você deixara de ter um nome para ser um /algumacoisa. Deixa eu ir logo atualizar o Twitter com essa postagem.

Comentários

Zequias Nobre disse…
Huashuuashas Guilherme e seu humor inteligente.

Ótimo texto cara. Abraços
Gressana disse…
Pois é, cara. E até hoje eu ainda não consegui pegar gosto por esse twitter!
Mas sou facilmente influenciado por tendências, então tive que aderir e estou me forçando a gostar.
Mariana disse…
Ah, o Twitter.. Quando ele surgiu, eu me inscrevi só pra ser uma das primeiras a fazer parte, igual quando surgiu o orkut em 2004.

Mas aí eu saí. Não peguei gosto pela coisa e a gente nunca achava nada legal como hoje em dia.

Depois que a coisa estourou, há uns meses, eu me inscrevi de novo. Só pra não ficar de fora. Segui várias /pessoas e li coisas legais. Mas depois perdi o encanto (nunca postei nada).

Se eu entrar de novo, vai ser um fake. Não um fake idiota do orkut. Vai ser só pra ouvir, nunca pra falar.
Ana Rosa disse…
Nossa, Vini, que masoquista!
Eu não gosto de twitter. Só quando for irremediável eu terei um (é... tendências).
Robson Matos disse…
Estou bem.