Confessionário moderno

Ou "pecados virtuais"

O padre (que não é o Adelir) está sentado tranquilamente. Escuta um barulho. Era o João (afinal, Joãozinho um dia cresce) querendo se confessar. O padre põe se a postos.

- Padre eu quero me confessar.
- Pois bem meu filho, o que você fez.
- Criei um Twitter fake de um ator da globo. E agora as pessoas acham que é de verdade. Os sites da internet publicam notícias com base no que eu falo.
- Sim.
- Eu também... fiz comentários anônimos maldosos no blog de uma menina da minha sala.
- Sim.
- Entrei em sites pornôs.
- O que mais?
- Baixei música de graça na internet.
- Normal.
- Bloqueei meu irmão no msn.
- Vá falando.
- Também fiz sexo virtual com uma menina via webcan. E gravei tudo e mandei para sites da internet.
- Meu Deus.
- Também tirei fotos da minha namorada pelada.
- !
- Só que nós terminamos. Então eu roubei a senha do Orkut dela e postei as fotos lá. A mãe dela tem Orkut e viu tudo nas atualizações.
- Nossa.
- Mandei vírus pro meu pai. Criei um perfil fake no Orkut para xingar as pessoas. Copiei meu trabalho de Biologia da Wikipédia. E não citei. Mandei uma redação minha como se fosse um texto do Veríssimo por e-mail. Já falei que baixei filmes pornôs?
- Ficou subentendido.
- Só isso, padre.

- Nada mais a dizer?
- Não. Ou melhor. Vendi um produto que eu não tinha pelo Mercado Livre também.
- Certo. Aceite o arquivo com as suas penitências.
- Download tá demorado. Internet não tá funfando aqui.
- Pronto. Agora eu tenho que sair para ir rezar a missa.
- Obrigado Padre.
- Fique com Deus meu filho.

Padre está offline.

*A ausência do internetês foi provocada por pura preguiça e incapacidade.

Comentários

Sou proprietário de um sistema de mercado de penitências pela internet. Você pode comprar aves-maria e pai-nosso e não precisa rezar. Nossos funcionários rezam por você e livramos sua alma do inferno por preços módicos.
Mas tem uns filho da puta aí que já estão colocando isso de graça na net, para download. Isso vai quebrar a indústria da penitência...
Mariana. disse…
hahah, "afinal, joãozinho um dia cresce" foi ótimo.

O mais surreal no texto não é nem o padre determinando penitências num confessionario virtual, mas sim o fato de que alguém se arrependa de tais pecados, pelo menos alguns deles.

excelente.