Guia CH3: Como se tornar comentarista de futebol

“Comentarista de futebol não é uma função que se baseie em velhos clichês e costumes preguiçosos” – Anônimo Crítico Viadinho.

O futebol é um jogo composto por 11 jogadores, uma bola, um trio de arbitragem, 17 regras e pessoas assistindo. Uma parte desses espectadores o faz no próprio estádio. Mas existem ainda mais pessoas que assistem ao jogo pela televisão. Seja por preguiça, por distância, medo, superstição ou comodidade.

E para essas pessoas que assistem ao jogo no seu doce lar outras figuras se fazem essenciais ao jogo: a equipe da televisão. Especialmente o narrador, o comentarista e depois os repórteres de campo. O repórter é um pobre coitado que de vez em quando traz informações como “vai mexer a Campinense” ou “o Zagallo está pedindo pro Romário cair pela esquerda”. As figuras mais visadas são o narrador e o repórter.

Vamos esquecer o narrador e nos concentrar no comentarista. Existem dois tipos básicos de comentaristas, o comentarista de jogo e o comentarista de arbitragem. O comentarista de arbitragem é uma infeliz criação da Rede Globo. Consiste em um ex-árbitro que depois de assistir a jogada quarenta vezes critica o árbitro por ter errado. Sendo que: 1) o comentarista no tempo de árbitro errava muito; 2) qualquer pessoa que assiste o jogo tem condição de julgar se o juiz acertou ou errou.

Esse post ira ensinar você a ser comentarista do jogo. Siga as dicas.

Formação
Existem duas formações possíveis para ser comentarista de futebol. Uma é ser ex-jogador de futebol. A outra é ser jornalista. O ex-jogador de futebol tem a vantagem de poder falar várias besteiras em nome da sua experiência.

Táticas para comentar o jogo

Faça o espectador de idiota
Utilize termos difíceis, ou explique situações difíceis que o espectador não vai perceber, mas para não achar que é burro, vai concordar com você. Fale das duas linhas de quatro do Toledo, do posicionamento em linha da zaga do Operário ou de como o centroavante do CRB caí para o lado abrindo espaço na defesa adversária.

Aposte que o espectador é um idiota
Se o Brasil estiver empatando com a Bolívia diga “mas essa é a melhor Bolívia dos últimos tempos”. Os espectadores vão achar que você realmente acompanha o futebol boliviano nos últimos tempos. Também nos jogos do Brasil contra as outras seleções diga qualquer coisa sobre os jogadores do adversário. “O Iniesta é um dos volantes mais faltosos do mundo” ou “o que o Ibrahimovic perde de gols lá na Itália não está no papel”. Torça para que quem esteja assistindo os jogos realmente nunca tenha visto um jogo de campeonatos europeus.

Faça uso dos clichês
Use “o time está errando o último passe” quando o time não estiver chegando na área adversária. Nem precisa pensar que todo passe errado é o último. Também diga que o time tomou o gol na hora errada. Como se existisse uma boa hora para tomar gol.

Comente os fatores extra-campo
Se o jogo estiver uma porcaria, fale de como a festa na arquibancada está bonita, de como o estádio está bonito, ou de como o dia está bonito. Vale falar até que o uniforme do Barueri está bonito. Só não diga que os jogadores são bonitos. Pode pegar mal no ambiente másculo do futebol.

Mostre convicção
Não importe que o que você esteja falando seja uma enorme besteira. Mostre convicção nos sistemas que defende. Fale mal do sistema com três zagueiros. Faça isso em todos os jogos de times que joguem com três zagueiros. Não importa se esse time só ganhe jogos por goleada, e seja campeão todos anos. Explique que “esse esquema faz com que o time perca o meio de campo” e “tira talento da equipe”.

Seja simpático com todos
Evite fazer críticas sérias a quem quer se seja, para manter uma relação boa. Se a torcida da Desportiva Capixaba invade o gramado e mata o juiz em todas as partidas, não a critique. Se o Josiel perde dez gols que sua mãe faria, não diga que ele é ruim. Culpe apenas a má fase, e diga que vida de centroavante é assim. Quando te perguntarem se um jogador merece ser convocado para a seleção, diga que sim. Não importa se é o Kaká, Júlio Baptista, Elano, Douglas, Hugo ou Jorge Preá. Todos deveriam estar lá. E jogando como titulares.

Apele para a polêmica
Certo, se você se decidir por esse caminho, esqueça a dica de cima. Mas, diga que jogador tal é um mau caráter. Enxergue entradas violentas e desumanas durante a partida toda. Chame meio mundo de perna de pau. Interrompa opiniões contrárias com urros e brados retumbantes.

Faça seu bairrismo parecer credibilidade ou imparcialidade
Você é carioca. Na rodada do campeonato todos os times cariocas perdem por 6x0. Nas oito rodadas seguintes isso se repete. Até quando dois times cariocas se enfrentam, eles perdem. Mesmo assim, você não irá seguir a corrente paulista da imprensa que mete o pau nos times cariocas e destacará os valores das equipes do seu estado, que entre outras coisas é mais bonito. No final do campeonato escale uns cinco jogadores de times do seu estado, mesmo que todos tenham sido rebaixados. Fale que você não faz parte dessa ala paulista da imprensa, e vê os valores dos outros lugares. E que não é porque o time foi mal que não pode ter tido bons valores.

Ache que no nordeste tudo é festa
Se você for comentar o jogo de um time paulista/carioca no Nordeste, comente como o povo baiano é feliz, da festa dos pernambucanos e que lá é sempre assim. Imagine que lá tudo é festa. Imagine que os cearenses nem se importam em ganhar o jogo, eles só são felizes por natureza e vão dançar frevo até se o time perder.

Apêndice: breve guia para comentar a Copa Libertadores da América
Se você for comentar a Libertadores alguns outros comentários fáceis podem ser feitos:
- Qualquer torcida de qualquer time pressiona o adversário: “Próximo jogo é lá em Caracas (Medellín, Bogotá, Lima, Assunção, Santiago, Buenos Aires) onde a torcida pressiona muito.
- Qualquer jogo da Bolívia pra cima é disputado na altitude. Na altitude de La Paz, Lima, Quito ou Maracaíbo.
- Todos os times argentinos, uruguaios, paraguaios e chilenos são catimbeiros e violentos.
- Todos os times peruanos, colombianos, equatorianos e venezuelanos são inconseqüentes e frágeis na defesa, mas perigosos no ataque.
- Qualquer time estrangeiro tem: um goleiro esquisito que solta bolas; um zagueiro violento; um camisa 10 super habilidoso; um atacante marrento; e um jogador que é a arma secreta que entra no segundo tempo.
- A arbitragem deixa a carnificina ocorrer em campo. Deixa os adversários enrolarem a partida, mas punem somente os brasileiros.

Comentários

Laïse disse…
futebol é uma babaquice.
J. Tomaz disse…
Acho que preciso ler novamente pra entender o post...
Leidóca disse…
Achei digno o post.

As informações procedem.
Gressana disse…
Até eu entendi.
Mas acho que não nasci pra ser narrador mesmo.
Guilherme disse…
é, eu deveria ter dito que as pessoas instruidas no mundo futebolístico (assim como a Leidi) teriam mais facilidade.
Anônimo disse…
Eu aaaaaaaaaaaaaaaamo futebol!!!!
Homem que nao gosta de futebol e viado.ser humano que nao faz esporte e idiota.
Tiago Oliveira disse…
"Cantor Geubert Nunes disse...
Homem que nao gosta de futebol e viado.ser humano que nao faz esporte e idiota."

Eu odeio futebol e não vivo sem mulher, adoro mulher e elas me adoram também, pois no lugar de fica feito babaca na frente da TV assistindo jogo, prefiro dar aquela atenção sexual que toda mulher de fanático tem carência.
sei...vc tem cara de quem pega geral mesmo,kakaka...nunca ouvi um feio asumir que e feio,todo cara que nao pega ninguem vive dizendo que e garanhao,negros reclamam que os brancos sao racistas,mais entre uma negra e uma loira eles nao pensam duas vezes p/ escolherem a loira,e mentira??entao amigao acorda!
Victor Campos disse…
Vou ate anotar no caderninho do de quem te perguntou.
Unknown disse…
Kkkkk top kkkkk tudo se encaixa por isso futebol é fantástico