Amigos imaginários

É comum uma pessoa ter um amigo imaginário?
De verdade, não sabemos, mas em filmes e desenhos é. Mas sim, existem casos de pessoas que inventam amigos de mentira e conversam com eles, b
rincam com eles, etc.
Naturalmente isso é característico das crianças, mas há casos tristes de adultos com amigos imaginários também.


Um amigo imaginário nem sempre é humano, como o Haroldo, o tigre de pelúcia do Calvin. Tem também o Keith Richards dos Rolling Stones, que tinha sua guitarra como uma amiga imaginária. Ele conversava com ela, dormia com ela e dizem, se relacionava sexualmente com ela. Mas se separaram.

E o que leva uma pessoa a inventar um amigo imaginá
rio? Ora, a falta de amigos de verdade.
Veja por exemplo, o menino Fabinho. Vocês já devem conhecê-lo, sempre citamos seu triste caso aqui no blog. Se não conhece, veja o link, ora.

Fabinho, hoje com 9 anos de idade, sabe muito bem que já está bem grandinho para ter amiguinhos imaginários. Acontece que ele não tem outra opção, já que ele não tem amigos porque ninguém gosta dele. Fabinho até já pensou
em ter um cachorro, mas quando pediu para seu pai, ele respondeu:
-Um cachorro, Fabinho? Já não basta os gastos com você e o trabalho que você me dá?

Então, Fabinho criou para si um amigo imaginário, que ele chamou de "Tódi". Era mais ou menos assim:
No começo foi ótimo, finalmente Fabinho tinha alguém com quem brincar e conversar. Tódi nunca desprezava Fabinho e sempre o apoiava.
Porém um dia Tódi pediu dinheiro emprestado para Fabinho para ir no fliperama. Ele emprestou de boa vontade, afinal, eram amigos. Mas Tódi começou a pedir cada vez mais e nunca pagava. Fabinho começou a cobrar, mas Tódi se zangava e gritava "Quié, cê não confia em mim? Achei que éramos amigos, cara, e confiança é a base da amizade."

As coisas começaram a ficar distantes entre Fabinho e Tódi, que agora preferia ficar sozinho e começou a andar com os colegas da turma de Fabinho.
Um dia Tódi estava jogando Guitar Hero com Fabinho (que sempre perdia) e acabou derramando refrigerante no console, que deu perda total. Fabinho explodiu de raiva e começou a chorar e se trancou no quarto. Por um mês, não viu mais Tódi.

Um dia, Tódi apareceu e pediu desculpas, dizendo que ia pagar os danos. Fabinho aceitou as desculpas pois ainda não tinha amigos. Começou de novo. Dessa vez a gota d'água foi quando na escola Fabinho viu Tódi paquerando uma coleguinha que ele gostava. Ficou furioso, pois Tódi sabia que Fabinho gostava dela. Os dois saíram na porrada. Fabinho levou uma surra.

A diretora chamou a mãe de Fabinho para a escola porque ele tinha perdido um dente e estava todo surrado, aparentemente sem motivo. Quando Fabinho explicou a situação na frente da mãe e da diretora, as duas caíram na gargalhada. A mãe de Fabinho disse:
-Nossa, meu filho, que coisa mais ridícula. Você está muito velho para ter amigos imaginários. Deixe de ser escroto. Vai apanhar do seu pai quando chegar em casa.

E Fabinho apanhou do pai quando chegou em casa. Fabinho nunca mais viu Tódi. Só uma vez, pouco depois do ocorrido, que ele apareceu, apontou para Fabinho e riu. Depois foi embora.

Comentários

Maíra Matos disse…
Credo...
Guilherme disse…
hoje em dia os amigos imaginários foram substituidos por perfis fakes no orkut.
Thiago Borges disse…
E aqueles telefonemas anônimos pra casa do Fabinho? Só pode ter sido o Tódi.