Monografia: o confronto final.

Um dos piores momentos (senão o pior) da vida de um universitário é a monografia. E um dos piores momentos da monografia é a apresentação da monografia.
Nós membros postantes do CH3 passamos por isso durante essa semana. Relatamos aqui a nossa experiência, assim como fazem os beberrões dos Alcoólicos Anônimos. Para quem já passou ou está passando pela situação, junte-se ao grupo. Conte também suas experiências.

Gressana
Data de apresentação: 11/02/09
Nota: 9,5
Relatório:
Bem. Minha apresentação estava marcada para o segundo dia. Eu fui ver alguns trabalhos no primeiro dia para ter uma noção. Aí sim que o desespero aumentou. Medo de não conseguir falar os 20 minutos no mínimo, de gaguejar, tremer, etc. Isso tudo é aumentado no meu caso por dois problemas: 1) Sofro de ansiedade. Todos sofrem, claro, mas às vezes parece patológico. 2) Sempre que tenho que fazer algo desse tipo, me dá vontade de defecar. Claro que é psicológico, tanto que depois da apresentação, a vontade passa na hora.
Enfim, deixei pra preparar a apresentação na véspera, é claro. Todo mundo faz isso, não adianta negar. Terminei todos os slides e uma cola de 6 folhas digitadas no word com fonte arial 12, por volta da 1:00 da madrugada. Fiquei rolando na cama por um bom tempo e acordei umas duas vezes no meio da noite. A minha apresentação seria às 10:30 (que acabou sendo remarcada para as 10:00), mas combinei com minha namorada de nos encontrarmos às 9:30 no saguão. Então coloquei o despertador pra tocar 8:30. Acordei às 6:00 sozinho e comecei a estudar.
Chegando a hora, eu quase podia ouvir a marcha fúnebre tocar. Felizmente nenhum problema com a energia ou falta de data-show. Mas o nervosismo não passou, ainda mais quando vi que tinha plateia. Apresentei gaguejando um pouco e esquecendo algumas coisas. O copo d'água que deixaram sobre a mesa foi esvaziado rapidamente. Cheguei a inclusive, babar.
Depois que passa é um alívio imenso. Ainda mais quando os professores elogiam o trabalho. Imagina se você, depois de apresentar ouve "olha, seu trabalho é irrelevante". Daria vontade de chorar. Enfim, passei um pouco do tempo permitido e tirei 9,5.

Tackleberry:
Data de apresentação: 12/02/09
Nota: 9,0
Relatório:
12 de fevereiro de 2009. O dia de me livrar da faculdade de uma vez por todas começou bem complicado. Primeiro porque eu mal dormi. Na verdade comecei a preparar minha apresentação no próprio dia 12, por volta da meia noite. Alguns diriam: Meu Deus! Você é louco? Está fazendo pouco caso do seu curso?
Eu respondo não, apenas me enrolei deixando coisas do trabalho e deste querido blog para a última hora. E não tenha dúvidas de que em minhas prioridades o CH3 está na frente da minha monografia. Uma vez um velho sábio disse: Se me restar uma única página de editor de texto a ser preenchida, que seja com um texto pro CH3.
Enfim, terminei de fazer minha apresentação por volta das 3 da manhã. Uma revisada básica para ver se encontrava algum erro, e pronto, agora eu dormiria até 6 horas, um pequeno descanso para chegar cedo na UFMT e enfrentar meu desafio. Tudo sairia como o previsto se eu não tivesse desligado o despertador e continuado a dormir. Por sorte, alguns dizem pela vontade de Deus, acordei sozinho às 7 horas, com minha apresentação marcada para as 7:30. O que se seguiu a partir daí ainda é confuso em minha mente, tudo se movia em uma velocidade alucinante, mas exatamente às 7:25 eu estava no corredor do IL, mentalizando meu trio de julgadores tamborilando os dedos na mesa cheios de impaciência, como em American Idol.
Não foi o que aconteceu. Por minha sorte estamos no Brasil, onde tudo termina em uma fila de conga. O saguão estava em plena harmonia, com os professores em roupas comuns, sem capuzes de carrasco e até sorrindo. De imediato avisaram que teria data show para todas as apresentações, só não tinha chave para abrir as portas.
Após 40 minutos de espera e um pacote de Skiny sabor queijo (o último da minha vida de universitário) apresentei minha pesquisa em 22 minutos. Não precisei ameaçar a vida de ninguém e passei sem mais percalços, tirando um 9 no final. Se o dia teve um ponto alto, não tenho dúvidas em afirmar que foi o Skiny.

Guilherme:
Data de apresentação: 13/02/09
Nota: 10
Relatório:
Meu rádio estava programado para começar a tocar as 7:00 da manhã. O CD que ia tocar era o Highway 61 revisited do Bob Dylan. O disco começa com Like a Rolling Stone, praticamente um comercial da Coca-Cola. Só que eu acordei 6:40 e fiquei 20 minutos esperando a música começar a tocar. Tomei banho quente e não tive fome. Escutei praticamente o disco todo. Quando se vai apresentar uma monografia você se prepara tanto para não dar nada errado na última hora, que quando chega à última hora você já não tem nada para fazer. Saí de casa e o trânsito estava um inferno. Demorei uma meia hora até conseguir chegar na faculdade. Chegando lá fui avisado que minha apresentação começaria depois. Ao invés de começar as 9h, começou 10:20. Antes de começar fiquei rindo no corredor da morte com alguns amigos. Sim, no lugar onde depois da apresentação, você fica na tensão esperando o professor dar a sua nota, tal qual se espera o médico falar se a operação deu certo. Não gaguejei, mas esqueci uma boa parte do que eu tinha que falar. Em casa eu treinava minha fala em uns 25 minutos, lá eu falei em 18.Tirei 10 e foi tudo bem. Infelizmente acabei não tomando minha última coquinha enquanto estudante. Agora, sabe-se lá quando.

É isso aí, CHnautas. Acabou um pesadelo para nós e agora tem início outro: a vida começou pra valer.

Comentários

maíra matos disse…
eu ja vou começar a fazer a minha. Espero ficar nervosa e tirar notas boas como vocês.

Parabéns pros 3!!!
Guilherme disse…
o foda disso tudo é ser problema social.

Mas a partir de agora, o CH3 deixa de ser um blog universitário para ser um blog profissional.

Só postaremos textos filosófico daqui em diante.
Anônimo disse…
O Usuário X
data de apresentação: 11/02/09
nota: 9.0
relatório:
não faço parte deste ilustre blog, mas faço quetão de compartilhar minha experiência de apresentação de monografia. Pra começar que a data foi um marco na minha vida, pois foi a mesma em que soube que havia passado no vestibular, o que é motivo e euforia p qqr estudante; segundo que a sala onde apresentei foi a mesma onde tive minha 1ª aula enquanto universiário. Comecei a preparar minha apresentação por 1 semana antes da data final e na noite anterior dormi pouco. Acordei por volta das 5:00h da matina e confesso que estava tão nervoso como nunca havia ficado. Apresentei em 20 minutos cravados e ao sair no corredor pude perceber que não tinha plateia, apenas a banca, que me fez perguntas que na hora nem soube como consegui responder. Após saber a nota, recebi elogios da banca e liguei para meus pais e minha namorada. Ao encerrar as ligações saí correndo pelo corredor (sozinho) gritando que passei e que enfim acabou. Qdo peguei a chave do carro no estacionamento estava tão suado qto um porco na brasa, mas enfim, dirigi com som alto, num sorriso de orelha a orelha p todos no transito (que nem conhecia). Acho que nem em final de copa do mundo fiquei desse jeito, mas passou. Que venha outro curso!!!
Thiago Borges disse…
ainda bem que passou, já era hora de acabar com essa agonia, agora pretendo virar professor pra aterrorizar os monógrafos.
Isa disse…
eu quero fazer mestrado! =D
Leidóca disse…
Um dos integrantes desse blog presenciou a minha agonia na hora derradeira.

È impressionante o que um ser humano precisa se sujeitar pra conseguir um diploma nesse país.