A formatura como ela é

Sexta-feira, 5 horas da tarde. Um grande impasse se estabeleceu no meio da equipe CH3. Como vocês sabem, os postantes dos blog estavam se formando. E afinal, quem é que iria convidar Jorginho de Ogum e os outros? Ninguém queria convidar, afinal eles teriam que sentar-se à mesa junto com os seus familiares. Aos poucos os problemas foram resolvidos.

Primeiro, o Cão Leproso não poderia ir, afinal, ele é um cachorro. E não ajuda ser um cachorro falante nessa hora. Depois, informamos ao Hanz, o pansexual, que ele não poderia entrar vestido em látex. O que fez ele se recusar em ir. Foi então que falamos a Marcão que seria preciso apresentar a identidade na porta para entrar. Como ele não tem o tal documento, também não iria. Pai Jorginho de Ogum decidiu que não iria sozinho, uma vez que Guilerme ficaria em casa. Só tivemos, pra variar, o desprazer de encontrar Alfredo Chagas trabalhando como o cara que coloca We Are The Champions pra tocar.

As comemorações já haviam começado na terça-feira na Aula da Saudade. Um misto de vários programas de auditório. Gincanas e momentos emotivos. Destaca-se que o grupo do Gressana perdeu todas as gincanas da qual ele participou. E até a que ele ganhou, ele quebrou um bambolê. Na brincadeira da batata quente, a mesma queimou nas mãos dele, obrigando-o a usar uma fantasia constrangedora.

A colação de grau foi o de sempre. Pegamos uns canudos fictícios. E, apesar de termos lutado para que isso não acontecesse, o cerimonial conseguiu fazer com que tocasse We Are The Champions em um momento. No final pelo menos, tocou aquela música Tchake na babe dos Beatles. E a missa, foi uma missa. Algumas pessoas tiveram medo de que Guilherme, que é pagão, fizesse a igreja se partir ao meio.

Chegou então à hora da festa. Fomos vestindo nossos smokings alugados. Cabe notar que o smoking é uma roupa esquisita. A gravata borboleta é presa no pescoço em um quase sufocamento.

Por volta de 1 hora da manhã aconteceria o momento da entrada dos formandos. E realmente podemos notar que as entradas estão cada vez mais profissionais e competitivas. Claramente alguns dos formandos contrataram Carlinhos de Jesus. Além de vaias das famílias rivais. Quando certo grupo mexicano adentrou ao local, foi possível escutar gritos de “já ganhou” ao fundo. Estávamos em uma competição, e ninguém havia nos avisado disso.

Por coincidência do destino, os membros do CH3 entraram em seqüência. Fazendo com que a entrada de cada um fosse ainda mais esquecível do que a anterior. Felizmente. Então vieram mais abraços dos formandos (foram 48 momentos de abraço ao longo da semana) e o apresentador do jornal, digo locutor do cerimonial fez os seus agradecimentos (e ele me chamou de Blá em todos os dias).

Esse momento é praticamente um Big Brother, para onde você olhe, há fotógrafos, câmeras te filmando. Não há nada que você tenha feito nesse momento que não seja filmado. E tocou We Are The Champions, novamente.

Dançou-se a valsa e agora teoricamente a festa seria nossa. A banda começou a tocar e o jantar foi servido. Eis então que o cantor da banda obrigou os formandos a subir no palco. E fez todos eles rebolarem até o chão. Aliás, quase todos, porque eu fiquei parado. É a lógica de ter um trote quando se entra na faculdade e outro ainda pior quando se saí. A TV ainda me filmou mandando alguém tomar no cu.

O jantar foi servido e finalmente os pais e avós puderam ir embora. Sim, o salão estava lotado e meia hora depois do jantar estava vazio. Isso porque a comida estava péssima. A pior coisa da noite. Muitas pessoas também se sentiram frustradas pelo fato de a banda ter tocado todo o repertório possível de axé. Alguns esperavam pelo famoso momento retro, dance/gay e pop/rock. No fim, músicas de corno, para começar a incentivar as pessoas a irem embora.

Então, as cinco horas da manhã todos foram embora. Ainda não sabemos se todos conseguiram sobreviver a volta para casa.


(se quiser ver fotos, que vá ao orkut)

Comentários

Tayane disse…
O "já ganhou" foi pra mim e pro edu. Tenho provas! Tá filmado u.u
Gressana disse…
É, cara.
A cada ano essas entradas são mais competitivas. Eu só estava querendo ouvir meu Green Day.
E de fato, pra mim a comida estava boa, mas a banda fedia. Falando nisso...
Thiago Borges disse…
Eu sobrevivi a tudo, inclusive ao fedor da banda e de alguém na platéia.

Quem "já ganhou" foram Eduardo e Tayane com certeza.

Agora só me resta caçar e destruir todas as provas de que eu rebolei no palco.
May disse…
Concordo com Guilherme sobre a comida e a banda. Mas fiquei bêbada de graça, o que é bem animador e fez parecer que a festa estava boa. Tentei me divertir pra compensar o olho da cara que o Eduardo perdeu pagando pelos convites.
Mas vim comentar mesmo pra dizer que achei que a música do Vinicius foi a melhor e a se meu voto contar a entradqa do Guilherme ganhou da do Eduardo.
alkeklçakfsdlçk