Os anos 90

(Bem, o post de hoje está um pouco extenso, mas vale perder uns minutos nele.)

Notamos que os CHnautas que visitam nosso blog com freqüência, têm algo em comum. A maioria está na faixa dos 20-25 anos de idade. Alguns um pouco mais, alguns um pouco menos, mas no geral nasceram em meados dos anos 80. Até porque nós membros do CH3 também estamos dentro dessa faixa etária, então, naturalmente o nosso público não difere muito.
Portanto, esse tópico vai falar sobre a década de 90. Porque foi nessa década que nós definimos nossas vidas. Nascidos nos anos 80, vivemos apenas parte de nossa infância nessa década. Por isso não vivemos os tempos sombrios em que usar mullet, rosa choque, short curto e ouvir B-52, ou seja, ser ridículo, não só era aceitável mas como também era super bacana! Os anos 90 foram os que definiram nossas vidas, porque foram os anos do nosso ensino fundamental, e como todos sabem, é uma fase crucial na vida de cada um. Principalmente a 6ª série, quando as meninas fazem lista dos meninos mais bonitos na classe e você não está nela. É quando você descobre a masturbação. É quando as meninas começam a ficar com os caras do terceiro ano. E enquanto isso sua cara vai se enchendo de espinhas. Todos passamos por isso nos anos 90.
Enfim, vamos primeiro a uma visão geral dessa década. Quando falamos em anos 90, a primeira imagem que deve vir à sua cabeça é a de um bebê nu mergulhando atrás de uma nota de um dólar. E apesar desse álbum do Nirvana ter sido lançado ainda em 1991 é uma imagem que a resume bem a década que começa bem otimista, com o fim do comunismo. Temos a formação da União Européia e o fim do Apartheid na África do Sul. Mesmo assim ainda apareceram efeitos da Guerra Fria com o aumento do terrorismo em países menores e a Guerra do Golfo. Aqui no Brasil tivemos a criação do plano Real e o confisco das poupanças do Presidente Collor, que foi deposto através de impeachment. Nessa década a tecnologia avançava a passos largos. Vimos nascer a famosa ovelha Dolly, que infelizmente hoje virou guaraná com um mascote absurdamente ridículo. Vimos também os pcs invadindo as casas e mais tarde a internet, que mesmo lenta e mesmo com aquele barulho engraçado na hora de conectar, nós já perdíamos horas em sites pornôs. Só que com a lerdeza, nos contentávamos com apenas fotos. Mas provavelmente mais marcante que isso foram os videogames. Quando vimos pela primeira vez o Mega Drive e o Super Nintendo, mal nos contínhamos de euforia. Mais tarde a tecnologia 3d começava a despontar com o Nintendo 64 e o PlayStation, mas nunca esqueceremos os bons e velhos 16 bits. Poderíamos até dizer que Mario e Sonic foram outros grandes ícones dessa década, ao lado do bebê nu na água.

A cultura pop

A música tomou um rumo bem diferente da década anterior em geral. Antes uma coisa comum na música, tanto no pop quanto no rock, era a bateria com eco. E o visual estapafúrdio. Foram abandonados não muito gradativamente no final da década. No rock, tivemos muitos destaques. Bandas como o Red Hot Chili Peppers, Jane's Addiction e Rage Against the Machine começaram a ganhar força. O Guns'n'Roses aproveitava seus últimos momentos de glória. Mas um grande destaque mesmo, como falamos, foi o lançamento de Nevermind do Nirvana, que deu cara a muitas bandas de rock que surgiram por aí. Apesar de haver outras bandas que tocavam no mesmo estilo grunge, como Alice in Chains e Pearl Jam, quem levou o maior crédito foi o Nirvana. Um pouco mais tarde foi a vez do retorno do punk rock, em 1994, com o lançamento de "Dookie" pelo Green Day, que vendeu 15 milhões de cópias pelo mundo e "Smash" do Offspring, que vendeu 11 milhões. Também quem ganhou destaque foi o Sonic Youth, que apesar de ter surgido no começo dos anos 80, foi na década de 90 que eles passaram a assinar com gravadoras maiores viraram ícones da música alternativa. Fizeram um grande sucesso, o que é incrível, porque eles são um lixo inaudível. Mas como diz o ditado, gosto é igual braço, tem gente que não tem.
Mas o que mais marca a década de 90 não é o rock, e sim o dance. Não, não estou falando de psy, trance, pancadão e etc. Mas sim de Dance. Com certeza você lembra de Gala e Sandstorm. Quer ver? "I still believe in your eyes...". Pronto. Essa é a cara da música dos anos 90. O dance estava presente em qualquer festa. Na nossa época, eram ainda festas no terraço de algum amigo, em que haviam fileiras de bancos dos dois lados do salão. Em um lado ficavam sentados os meninos, tremendo pra conseguir chamar alguma menina do outro lado do salão para dançar. Você passou por isso que eu sei!

Filmes que marcaram a década: Jurassic Park. Nem precisa dizer mais nada. Pessoalmente, foi o primeiro filme que eu aluguei quando compramos um vídeo cassete em casa. Uma pena que só o primeiro filme prestou. Foi também o momento de Esqueceram de Mim, quando Macaulay Culkin ainda não era uma decadência ambulante. O Rei Leão também marcou uma época, seguido depois por Toy Story, que iniciaria a onda dos filmes de animação 3d. Saindo da linha infantil, temos Strip Tease e Instinto Selvagem, que marcaram mais porque eram filmes que nós assistíamos como se fosse um pornô. Tivemos também Forrest Gump, que é muito bom. Mais pra frente tivemos Independence Day, Armagedom e Blade. Esse daria nova cara às adaptações de quadrinhos. Quase no final tivemos X-Men, Clube da Luta e Matrix. Enfim, vários filmes que tiveram um papel relevante em nosso crescimento.

Infelizmente essa foi uma década deplorável para os gibis. Não que vendessem pouco, mas a qualidade era horrível, tanto dos roteiros quanto dos desenhos. Especialmente os gibis de super-heróis. Salvo raríssimas exceções como "O Longo Dia das Bruxas" do Batman, a maioria dos heróis dos anos 90 eram uma pilha de músculos, usavam cabelos compridos e tinham aquela atitude "bad-ass". Precisava disso e somente disso para se escrever um roteiro na época. Se o herói usasse uma arma do tamanho do próprio corpo também, ótimo. O Superman usava mullet, o Justiceiro usava rabo de cavalo e até o Ciclope ganhou cabelos compridos. Lamentável. Enquanto isso, ganhavam força os quadrinhos independentes com Sin City, Preacher, Hellblazer e alguns outros títulos da Vertigo. Mais tarde apareceu o Authority também, e juntando tudo isso, até que valeu a pena. Se não fosse por isso, essa década poderia muito bem ser riscada da história dos gibis. Claro, a Turma da Mônica e a Disney ainda eram boas opções. Foi lançada A Saga do Tio Patinhas, por Don Rosa, uma obra muito legal, uma boa homenagem ao universo do pato mais rico do mundo.

Se os gibis estavam um lixo, nos anos 90 os desenhos animados eram um colírio para nossos olhos. Começando logo de cara com Os Simpsons, que além de contribuir posteriormente para o desenvolvimento de desenhos adultos ainda garantia um bom entretenimento para as crianças que éramos na época. Tiny Toons também foi de grande importância, porque seguia um pouco o humor adulto dos Simpsons, mas ainda com aquele toque escrachado característico de desenhos como Tom e Jerry e os próprios Looney Tunes. Tivemos desenhos de heróis bem bacanas também, como o do Batman, dos X-Men e do Homem-Aranha (que até então era o melhor, até ser superado pelo recente Spectacular Sipder-Man). O desenho do Garfield também era interessante, assim como os do Astérix. A Disney nos presenteou com o ótimo Duck Tales logo no começo e mais tarde vieram A Turma do Pateta e Timão e Pumba. Infelizmente a Disney começou a fazer desenhos ridículos e infames, como Sardinha e Filé, Super-Gambá e Tex Texano. Foi o começo do fim para os desenhos animados, que você sabe como estão hoje em dia. Também não poderia deixar de citar aqui os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball, responsáveis pela invasão do animê. Acompanhar Dragon Ball era uma experiência quase mística, apesar da enrolação, valia a pena ver os combates magníficos e o mundo à beira de uma hecatombe.

Enfim, isso tudo é uma boa parte do que nós vivemos na década de 90, não muito tempo atrás. Você gostando ou não, tudo isso diz muito sobre quem você é hoje.

Comentários

Thiago Borges disse…
Eu vi Esqueceram de Mim 7 vezes cara!! shuahsuhasu, mto bom esse post, vai ficar para a história.
Tayane disse…
Me senti uma velha agora...
Guilherme disse…
Muito bom...

faltou talvez mencionar os Power Rangers.

Estara marcado para sempre nas páginas alvas do ch3.
Renate disse…
Seu texto é absolutamente fantpastico, resumiu muito bem como eu me sinto em relação aos anos 90!