CH3 Acadêmico

Recentemente todos os membros do CH3 estiveram envolvidos em um projeto: o projeto de monografia. E vamos dizer, não é fácil. Ou pelo menos, não é nem um pouco legal. Para ajudar você – leitor do CH3 e jovem acadêmico – iremos aqui postar algumas dicas que poderão facilitar sua vida.

A primeira coisa que você precisa fazer é escolher o seu tema. E delimitá-lo. Vamos lá, o tema é a coisa mais importante. Portanto nada de escolher temas como:
Meu pênis: “porque meu pênis é fantástico. Vocês o conhecem? Pois deviam. Irei falar dele na minha monografia, para que todos o conheçam”.
Sua mãe filho da puta: “vai se foder, vou falar da tua mãe, aquela piranha, desgraçado”.
Superioridades raciais: “eu quero falar de como os brancos são superiores aos negros e propor um extermínio dessa raça” ou “quero falar do Black Power e acabar com essas branquelinhas”.
Esses temas são ridículos, inconsistentes, e capazes de começar uma guerra civil. Portanto, escolha temas mais simples como “A importância do computador na educação infantil” ou uma análise de alguma coisa. Capriche no nome, para poder impressionar seus familiares.

Escolhido o tema, você precisará recortá-lo. O que isso significa? Não basta falar do computador, você vai ter que falar da importância do computador na educação das crianças do colégio Cesário Neto. Porque você não vai conseguir criar nenhuma teoria para falar isso e precisa de uma comprovação prática. E também porque os professores sempre te mandam analisar um caso.

Então, será a vez de contextualizá-lo e problematizá-lo. Bem, isso é até simples. O problema é como fazer isso. Cada professor que você perguntar, vai dizer uma coisa diferente – a problematização é em tópicos, é em texto corrido, é enumerada.

Você vai ter que criar então sua pergunta problema e a hipótese. Isso é o que faz seu projeto ter sentido. Você tem que criar um problema e então uma hipótese. A hipótese é sem dúvida engraçada. Você tem que imaginar a resposta pro seu problema. E então vai fazer o trabalho inteiro para descobrir aquilo que você já imaginava antes. Então, porque você já estudou, se você já imaginava o que ia descobrir?

Então vêm as partes canalhas do trabalho. Os objetivos e a justificativa. O seu objetivo é comprovar a sua hipótese. Isso na teoria, porque todos nós sabemos que o seu objetivo mesmo é conseguir um diploma.

Mas a Justificativa é pior. Você sabe que está fazendo esse trabalho porque é obrigado. Porque precisa de um diploma. Mas tem que colocar lá coisas como “compreender a importância e abrangência do uso de ferramentas eletrônicas na educação de crianças de quatro anos, fortalece e contribui com a formação do acadêmico, além de ser de vital importância para compreender o mundo em que vivemos”. E, não basta escrever uma linha. Você vai ter que escrever várias linhas de pura enrolação. Fingindo que você acredita nisso, e os professores vão ler aquilo, sabendo que você está enrolando, e fingindo que acreditam que você está falando sério. Todos te obrigarão a enrolar.

Aliás, o enchimento de lingüiça faz parte da práxis acadêmica. Você não deve escrever “os computadores são importantes para as crianças”. Prefira “No advento da era da informática, os computadores se mostram como de vital importância para a aprendizagem e para o desenvolvimento intelectual e emocional das crianças, além de ser um grande instrumento de auxílio para os docentes.”

Para acabar o projeto você ainda terá que fazer o referencial teórico e a metodologia. A metodologia, não adianta, ninguém sabe como fazer. Todos irão te explicar, mas você jamais vai entender. É preciso pensar em todos os seus malditos passos durante a execução do trabalho. Deixe bem claro a hora que você pretende acordar, os lugares que você freqüentará, as suas conversas, os capítulos do trabalho, e se você escuta música enquanto lê.

Você também terá que escrever o seu referencial teórico. No que isso consiste? Bem, você terá que explicar porque um livro será importante, antes que você o leia. Antes de saber se o cara só escreve merda, você já terá que explicar pra que vai usá-lo.

Bem, e depois disso, é que virá a monografia. O que deve ser bem pior.

Comentários

Gressana disse…
Rapaz, se isso o projeto já foi um saco, a monografia com certeza vai ser mil vezes pior!
Nós tamos fudidos!
em teste disse…
É, eu também achei a metodologia ua parte capciosa. Sabe aquelas máfias que vendem coisas no orkut? Acho que eles sabem que a gente está fazendo monografia, porque tenho recebido um monte de mensagens com ofertas estilo zé moleza pra alguém fazer meu trabalho. "Temas variados e discrição pelos menores preços"
J. Tomaz disse…
Nossa, se vc tivesse colocado esse post antes de eu fazer o meu projeto... tudo teria sido mais facil...

gostei dele...
tem como vc fazer um sobre monografia até mais ou menos outubro, novembro????
bravo!`
Você desvendou toda a sujeira do mundo acadêmico.
Thiago Borges disse…
sem falar na máfia da ABNT, que muda de livros todo ano, são uns nefastos.