De morrer

Certo, nunca é legal morrer. Eu pelo menos nunca morri para saber se é legal, nem nunca conversei com pessoas mortas para saber se é bacana. Esse moleque até vê gente morta (o tempo todo), mas eu não vejo. Mas, pra quem é amigo ou parente do morto, nunca é legal. Mesmo assim, algumas mortes são mais chatas do que as outras. Aquelas trágicas que necessitam velório com caixão fechado são chocantes e tudo mais, mas são dois os tipos de morte mais humilhantes. Aquelas que geram comentários de “coitado, que azar” ou as que dizem “mas o que esse cara tava fazendo lá?”. Vamos citar algumas.

Atropelamento: Sim, morrer atropelado é sempre humilhante. Passa a impressão de que o morto era um desligado. Como é que ele não foi ver um carro vindo? E se for por um carro velho? As pessoas vão dizer “por um fusca? Se ainda fosse uma BMW”.

Eletrocutado: Deixemos claro que isso não vale no caso de você ter sido condenado à cadeira elétrica. Mas morrer porque tomou um choque é ridículo. Pode ser eletrocutado quando mexia no chuveiro, pegando na cerca elétrica, pisando naquele peixe ou tentando assustar seu irmão mais novo. Não tem desculpa, morrer por tomar um choque é humilhante. Ainda mais se você tiver sido atingido por um raio.

Durante a prática de esportes radicais: Porque todo mundo vai dizer, “o que é que esse cara tava fazendo ai? Ele podia estar dormindo em casa”. Mas não, você resolveu pular de Bungee Jumping, sair voando amarrado em balões, mergulhando, dando cambalhotas com motos, ou enfim. Coisa de criança atentada.

Engasgado: Como é que você foi morrer engasgado? Não mastigou direito? Pior ainda é se você morrer engasgado, afogado no seu próprio vômito.

Bater no carro depois que um pombo cagou no seu vidro e você perdeu toda a visibilidade: Um tremendo dum azar, sem dúvida.

Atingido por um objeto que caiu de cima do prédio: Seja um vaso de plantas, um piano ou uma bigorna. Essas coisas só acontecem com o coiote.

Estuprado por um jegue: Você vai fazer suas necessidades no mato e então é atacado por um jegue. Não sabemos se o ato será responsável por sua morte, mas, convenhamos, é melhor morrer quando isso acontecer.

E lembre-se, se for morrer, escolha uma morte honrosa. Salve uma criança em um tiroteio, de um tiro na cabeça como forma de protesto pela caça as marmotas da Macedônia, enfim. Só não faça greve de fome. Um dia voltaremos lembrando mais mortes humilhantes, desde é claro, que ninguém tenha sido pisoteado por um elefante, atacado por abelhas ou se afogado no limpa-fossa.

Comentários

Gressana disse…
Hahahahahaha!!
Imagina o legista fazendo o relatório. Causa mortis: atingido por uma bigorna. Aí o médico começava a rir! Hahahaha!
Andreza disse…
Pois é... Triste. E também tem as mortes dos filmes de comédia romântica. Tipo os dois velhinhos apaixonados dormem de mãos dadas e morrem juntos. (Vide Diário de uma Paixão). Acho uma semgraceira.
Thiago Borges disse…
o pior é aquele caso do cara que tava atrasado e pegou a calcinha da mulher, péssimo dia para morrer.
livinha disse…
Andreza sem coração!
Andreza disse…
Eu sou ruim, Livinha. Eu sou o coração gelado dos ursinhos carinhosos.