Rambo está de volta

“Um lixo, os diálogos são ruins, a fotografia está péssima, e as atuações são horríveis. Isso é algo que não dá para ser chamado de cinema! Além do mais, a Birmânia não existe!”Crítico Viadinho
“Stallone trata de maneira humana a guerra na Birmânia. Os conflitos existenciais de um velho soldado e de suas crenças, com as crenças de um grupo de ajuda humanitária, além de toda a crueldade dos militares locais. Tudo é retratado assim, de maneira cruel. Um soco no estomago.”
Crítico que leu nosso
texto

“Foda!”Equipe CH3

A Equipe CH3 foi hoje ao cinema ver a estréia de Rambo IV. Sim, o lendário John Rambo, que já lutou no Vietnã, Afeganistão e até na casa do Carvalho¹, agora está na Birmânia. Porque ele está lá? Não Importa. Porque ele luta? Não importa. A única coisa que importa é que ele está lá e lutando. Azar de quem estiver por perto.

Dessa vez ele não luta sozinho. E não tem a ‘ajuda’ do Coronel Trautman. Mas tem a ajuda de alguns mercenários. Entre eles está o goleiro gay francês, Barthez, o baixista do The Clash, Paul Simonon e um japonês barbudo.

Enfim. Rambo está na Birmânia, e acaba com todas as organizações militares, para-militares, pseudo-militares, pós-militares ou qualquer grupo de pessoas que tenham algo parecido com uma arma.

Melhores momentos do filme:

*Rambo mata 30 birmaneses a base de flechadas.
*Rambo arranca o pomo de adão de um birmanes com a sua mão.
*Rambo mata cinco homens e dois cachorros birmaneses com uma bomba atômica.
*Rambo destrói um caminhão birmanes (e as pessoas dentro dele) utilizando uma metralhadora.
*Rambo extermina qualquer vestígio de existência de birmaneses no planeta terra utilizando uma metralhadora.

Enfim, não há muito a falar. Mas, vejam o filme. E sim, a Birmânia realmente mudou de nome. Mas isso não importa.

¹Pedro Carvalho, lutador português.

Comentários

Carlo Gressana disse…
É, rapaz, quem entende de cinema sabe identificar Rambo IV como um clássico como não se via há décadas. Sabe que o cinema ainda tem salvação.
Thiago Borges disse…
Com certeza um clássico, e ele ainda tem uma faca.