sexta-feira, 1 de abril de 2016

O que iremos dizer para as próximas gerações?

Muitas decisões tomadas ao longo da história são difíceis de entender fora de seu contexto original. Se olharmos para alguns fatos passados, hoje, muitas vezes somos tomados por uma corrosiva dúvida: será que eles não perceberam que alguma coisa estava errada? Foram incapazes de perceber a merda em que estavam se metendo?

Sempre penso nas crianças alemãs que devem perguntar para seus avós se em nenhum momento eles se questionaram se as ideias de Hitler não estavam erradas, que não fazia o menor sentido escravizar minorias consideradas inferiores e futuramente promover um extermínio em massa delas. Será que não havia ninguém capaz de dizer “ei, isso tá errado”? Imagino o senhor que um dia fez parte da juventude nazista explicando que os tempos eram outros, que o país estava com a moral devastada, que Hitler fazia discursos hipnóticos e que as pessoas acreditaram em qualquer coisa e enfim, está na hora do neto ir tomar banho e dormir.
Somos tão joooooooooveeeens

Acredito que as novas gerações sempre fazem esses questionamentos para os seus antepassados. Os últimos troianos devem ter questionado seus tios se eles não achavam que havia algo de errado com os seus inimigos mortais endereçando um enorme presente para eles e que ninguém ficou ali, prestando atenção se aquilo não poderia ser um truque.

Algumas das situações vividas no Brasil atual, certamente serão alvo de questionamento de nossos descendentes. Quando eles se depararem com os livros de história – isso se os livros ainda existirem em um futuro próximo, não tiverem sido substituídos por chips de implante de conhecimento – e verem o que acontece no Brasil nos anos atuais, eles perguntarão e nós, já idosos e com saudades dos bons tempos, se nós não percebemos que aquilo estava errado?

- Vovô, o que foi que aconteceu na política brasileira em 2015 e 2016.
- Ah meu neto, é uma longa história.
- Porque a presidente sofreu um impeachment?
- Foi uma longa disputa por poder.
- Como assim?
- O PT assumiu o poder em 2002 e começou a implantar uma série de políticas sociais, que de certa forma desagradaram alguns setores mais conservadores da sociedade. Por outro lado, eles também roubaram muito dinheiro e a soma desses dois fatores criou um enorme sentimento ant-ipet-ista¹. No entanto, mesmo assim, eles conseguiam ganhar as eleições seguintes graças aos votos das pessoas beneficiadas pelos programas sociais. E isso foi aumentando cada vez mais a tensão.
- Quem é esse Michel Temer que assumiu a presidência?
- Era o vice-presidente.
- Mas o vice-presidente também não era ladrão?
- Também era.
- Mas porque o povo não odiava ele.
- Ele era de outro partido.
- E esse partido não roubava?
- Roubava e muito. Praticamente todos os partidos roubavam.
- O vice-presidente não ficou triste com a presidente sofrendo impeachment?
- Não, ele inclusive articulou politicamente para derrubar a presidente.
- Mas se ele não gostava dela, porque ele foi vice-presidente dela?
- Porque ele era do maior partido do país e teoricamente a presença dele enquanto vice-presidente garantia apoio do poder legislativo nas ações do presidente. Mas isso não aconteceu e o legislativo derrubou a presidente.
- O legislativo era bom.
- Não, tinha muitos corruptos, pessoas com ideias retrógradas, falsos moralistas.
- Nossa! E como essas pessoas chegavam lá se eles eram tão ruins?
- A população votava neles.
- E porque a população votava neles?
- Acho que está na hora de você ir dormir, meu neto. Já está tarde.

Não é só a política que provocará comentários perturbadores dos nossos herdeiros. Como iremos explicar que o Dunga era o técnico da seleção brasileira de futebol?
- Vô, esse Dunga era bom treinador?
- Não, meu filho, era péssimo.
- Então porque ele dirigiu o Brasil em duas Copas do Mundo?
- Foi um momento confuso, depois daquele dia em que o Brasil perdeu de 7x1 da Alemanha, resolveram chamar o Dunga de volta.
- Mas ele tinha ido bem na primeira passagem?
- Não, ele montou um time razoável, mas que foi eliminado por perder a cabeça e um jogador que só o Dunga e o Arnaldo Ribeiro, um comentarista da época, gostavam foi expulso no jogo decisivo. Então ele foi mandado embora, não fez nenhum trabalho bom em quatro anos e voltou a dirigir a seleção.
- Mas o que alegavam para ele estar lá?
- Quem quer bolo? Você quer um bolo de chocolate?

O que vamos falar para nossas futuras gerações sobre a gourmetização dos hambúrgueres?
- Vô, é verdade que na sua época o hambúrguer custava caro?
- Bem, nem sempre foi assim. O hambúrguer era uma opção de alimentação barata até uma época. Até que ficou caro.
- O que aconteceu?
- Boa pergunta. Acho que foi a ascensão da nova Classe C, as pessoas passaram a ter mais dinheiro e começaram a querer se diferenciar dos outros pelo consumo de alimentos bem elaborados. Foi uma era gourmet, em que todo alimento era gourmet. Os hambúrgueres foram os principais expoentes dessa era. Todo e qualquer restaurante, bar, boteco, enfim, todos os lugares da cidade começaram a vender hambúrguer gourmet.
- O que é gurmê?
Funcionava assim: Eles pegava o hambúrguer, colocavam
cheddar, molho barbecue, uma maionese temperada,
cebolas queimadas - ditas caramelizadas, e mais algum
ingrediente fresco, como cogumelos ou tomate cereja
- Um conceito difícil de explicar. É uma comida normal, só que bem elaborada e bonita nos pratos. As pessoas pediam também para poder tirar fotos e postar nas redes sociais.
- O que é rede social?
- Ahn... eram ambientes virtuais em que as pessoas encontravam seus amigos, buscavam informações sobre os assuntos que gostavam, discutiam ideais...
- Ah, mais ou menos como minha escola.
- Um pouco. Só que era um lugar em que as pessoas também contavam sobre sua vida, postavam vídeos, fotos.
- E como era esse lugar?
- Não era bem um lugar. Eram vários lugares, várias redes sociais. Começou com o Orkut, que era um lugar de compartilhamento de gostos em comum, seguiu com o Facebook, o Twitter, o Instagram em que as pessoas só postavam fotos de comida e de gatos...
- Sério?
- Sério. Tinha o Snapchat também, em que as pessoas gravavam vídeos de dez segundos mostrando como era a vida delas.
- E as outras pessoas se interessavam por isso?
- Sim, de certa forma sim.
- Hahahahahahaha, vovô, as pessoas na sua época eram muito estranhas!
-...

¹Note que daqui alguns anos a regra de utilização do hífen será atualizada de uma maneira que poucas pessoas entenderão.

Nenhum comentário :