sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Debate Gourmet

A pergunta era de tema livre e Aécio Neves surpreendeu. Disse que Marina Silva prometia acabar com a fome, mas que seria saber se ela sabia agir na prática. Perguntou se ela sabe como fazer um bom pirarucu assado.

Marina respondeu que sim, tinha uma receita que era de comer rezando. Tem uma técnica para tirar o espinho com apenas dois cortes, sem precisar retalhar o peixe. Seu tempero é especial, aprendido em sua infância humilde e que ela foi aperfeiçoando com o passar dos tempos.

Na réplica, Aécio, apontou as contradições de Marina, que ela tem boas intenções, mas não sabe como fazer o prato. Aécio pôs se a explicar que ele pega sua faca e amola ela durante duas horas, que dá até para fazer a barba com ela. Faz um corte transversal no peixe, do começo até o fim. Milimetricamente perfeito, parece medido com uma régua. Depois ele adiciona o peixe em uma espécie de pré-tempero, antes de fritá-lo, com o óleo fervendo e seu tempo se encerrou.

Marina treplicou que essa receita demora muito tempo para ser feita e que não é viável em um país com milhares de famintos. Que é por isso que ela pretende fazer uma nova cozinha, diferente da velha cozinha praticada pelo PT e pelo PSDB.

O debate seguiu, com Levy Fidélix perguntando para Luciano Genro sobre o que ela acha da união afetiva entre o homem e o aerotrem, porque a candidata, que se considera tão defensora dos diferentes, não menciona nada em seu plano de governo sobre pessoas que se relacionam com objetos inanimados.

Luciana pediu desculpas e mudou de assunto. Disse que não era possível ficar calada diante da discussão protagonizada por Aécio e Marina. Que os dois falam do pirarucu, como se toda a população brasileira tivesse acesso a esse peixe, disponível apenas na Baía Amazônica e mesmo assim, por preços exorbitantes. Que é de pleno conhecimento das pessoas que a melhor maneira de se comer pirarucu é fazendo cortes longitudinais e depois dispondo-os em formas de camada, mas que isso pouco importa a população, que quer saber de arroz e feijão, ao contrário do que discutem os candidatos dominados pelo capital financeiro.

Levy Fidélix replicou que isso é verdade. Que quando você anda na Avenida Paulista, a coisa é um horror. Vemos nossas cidades invadidas por food trucks, versões metidas a besta de carrocinhas de comida, lugares que vendem hambúrgueres por mais de 30 reais. Onde é que isso vai parar! Em 2014 a população vai gastar 45 BILHÕES de reais em comida superfaturada, que irá alimentar apenas o cofre dos banqueiros.

No tempo restante, Luciana Genro voltou a falar que a população quer saber como fazer uma galinha caipira, um bom bife. Pediu o estímulo aos programas como o da Palmirinha, que ensina a culinária do povo, em detrimento aos grandes chefs internacionais, com seus pratos monstruosos e caros.

A bola passou então para Eduardo Jorge. Ele perguntou para Dilma Rousseff, já que os candidatos falavam sobre comida, quais eram as suas propostas para reduzir a produção de lixo e lembrou também a questão do óleo, que precisa ser precificado. Falou que é possível cozinhar sem óleo, existem maneiras mais saudáveis, para a pessoa e para o meio ambiente.

Dilma respondeu que seu governo tem propostas concretas para preparar pirarucu sem a utilização de óleo. Que o Brasil é o maior produtor de pirarucu do mundo, graças ao incentivos que seu governo tem dado aos pescadores. Vai criar o Mais Peixe, levando pirarucu para a mesa dos brasileiros carentes em todas as regiões do Brasil. Seu tempo estourou.

Eduardo Jorge disse que a agricultura é fundamental para o ser humano. Não se furtou em dizer que sua receita ideal de peixe envolve o uso de papel alumínio, que pode ser reciclado. Concluiu dizendo que seu peixe é de comer chorando.

Finalizando sua participação, Dilma disse uma série de coisas que ninguém entendeu até ser interrompida porque seu tempo havia terminado.

Ainda sobrava o Pastor Everaldo, cujo partido tem um peixe em seu símbolo. Para a surpresa de todos, ele resolveu perguntar para Aécio Neves. Lembrou que tem uma grande experiência no preparo de peixes, de água doce e água salgada, que seu partido, inclusive, inventou o bolsa-peixe enquanto esteve a frente do Ministério da Pesca. No entanto, queria saber mais sobre a receita de Aécio para o Pirarucu.

Aécio voltou a lembrar que é preciso deixar o peixe no pré-tempero, enquanto o óleo ferve. Colocar o peixe no óleo fervente, enquanto você utiliza o pré-tempero para fazer o molho. Disse que a receita vai estar no seu plano de governo, caso ele seja eleito. Quando o peixe estiver fritinho, você tira ele e forra no fundo de uma tigela, cobrindo-o com o o molho, depois mais uma camada de peixe, e mais molho.

Pastor Everaldo disse que não podia esperar para comer essa receita e desafiou todos para um desafio de culinária.

Desafio aceito, eles partiram para a cozinha de Ana Maria Braga. O melhor preparador de pirarucu será eleito o novo presidente do Brasil.

Nenhum comentário :