sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Teste Cego


O teste cego já é um momento de mitologia da propaganda televisiva brasileira. Você com certeza já assistiu algum comercial em que um cientista, ou alguém que impõe respeito por meio do uso de jalecos brancos, vai até a rua e propõe que as pessoas façam um teste cego de determinado produto, geralmente uma cerveja.

O objetivo do teste cego é desmistificar a imagem que o produto tem de ser uma porcaria. Em uma análise mais profunda, podemos dizer que o que esses testes querem, é mostrar como nós somos influenciados pela comunicação de massa e consumimos muito mais a imagem do produto do que a sua qualidade. O fato de essa temática ser discutida justamente em um comercial – algo que vende imagens – pode criar uma grande confusão mental em um momento Matrix.

O teste também quer te fazer mudar de ideia e, incrivelmente, todas as pessoas que participam de um teste cego propagandístico, acabam mudando sua percepção sobre o mundo. Ao experimentarem aquela cerveja com cor turva, aspecto e cheiro de mijo de bode, mas sem saberem que ela tinha todos esses defeitos, acabam por aceitar que ela é a melhor do mercado.

Bem, isso era o mínimo que se poderia esperar. Uma empresa não investiria milhões de reais para contratar pessoas com jalecos brancos, colocá-las no centro da cidade para oferecer cerveja para as pessoas e posteriormente veicular essa propaganda no horário nobre da Globo, se as pessoas provassem a cerveja e falassem “que porcaria isso aqui, parece Kaiser”. Acredito até que os “voluntários” do comercial recebem alguma espécie de compensação financeira para esconder a cara de nojo e não cuspir o líquido na própria camisa.

Em casos mais graves, acredito que a equipe coloque o cidadão vendado diante de um pelotão de fuzilamento e pergunte “tem certeza que você não acha a cerveja B melhor?”. Aliás, o fuzilamento e outras formas de execução sumária podem ser considerados testes cegos, já que o cidadão é vendado diante da morte e tem ali uma última oportunidade para testar a sua fé.

Uma coisa curiosa nos testes cegos é que geralmente as pessoas estão com seus olhos bem abertos. Não, elas não estão com vendas nos olhos, ou em casos mais drásticos, nenhum dos voluntários, ao assinar o termo de que aceita participar da experiência, foi atacado por um maníaco de camisa roxa que esfaqueou seus olhos, ou pingou colírio de ácido sulfúrico nas retinas. O teste cego, na verdade, é um teste sem rótulos. Acredito que só letreiros em brailes tem testes cegos de verdade.

Os produtos de higiene também podem passar por testes deste tipo. Nele, a dona de casa é instigada a lavar a roupa toda cagada do seu filho com diferentes marcas de sabão em pó e, curiosamente, vai constatar que a marca da propaganda é a que deixou a camisa mais branca. Pergunto-me se o pessoal não mistura aquilo tudo e no final diz que a melhor é a sua, sem nem saber qual é qual ali no meio. Existe algum código de ética para a realização de testes cegos? José Saramago não abordou isso em sua obra.

Seria muito divertido que o Activia, porque não, realizasse um teste cego. Uma pessoa tomaria Activia todos os dias, outro tomaria iogurte normal, um terceiro ficaria com mingau de aveia e o último comeria merda. Ao final de quinze dias, veríamos quais eram os efeitos, quem cagou, quem não cagou, quem teve prisão de ventre e quem subitamente morreu por infecções generalizadas. Aliás, fica aí a minha dica para os publicitários da marca: coloquem a Dira Paes para comandar essa prova.

A justiça vive em um
eterno teste cego
Teste cego de campari. Teste cego de óleo de fígado de bacalhau. Teste cego de gel lubrificante. Teste cego de discos do Steve Wonder. Teste cego de pinturas renascentistas. Teste cego de comprimidos para dor de cabeça, que logo se transforma em uma experiência científica, já que um dos comprimidos será apenas placebo. Teste cego de lâmina de barbear, um terror absoluto seguido pelo teste cego de loção pós-barba.

Fora o grande teste cego da besuntação. Pessoas com os olhos vendados recebem potes aleatórios com as mais diversas substâncias aromáticas e poderão espalhá-las pelo corpo, sentindo todo aquele prazer sem culpa, sem saber o que é que escorre pelo pele.

Grazie @DadoDoria

Nenhum comentário :