Grandes dúvidas que não têm explicação (12)

As letras do Djavan têm algum sentido?

O cantor alagoano é uma figura polêmica. Bem, na verdade eu não sei se ele é polêmico mesmo. Eu só queria causar um impacto inicial.

Ok, ele tem uma participação bizarra naquela música do Balão Mágico em que ele diz versos estranhos sobre “quando o chão se abrir” e “o senhor se levou, está no capitulo 1”. Ah, claro, ele diz isso de trás para frente e ninguém percebe. O problema é que: mesmo cantando de frente pra trás, Djavan consegue ter mensagens estranhas nas suas músicas. Você já deve ter pensando se isso faz algum sentido.

Vamos por partes, como diria meu vizinho Walter. Algumas músicas tem sentido sim. E geralmente é um sentido bem claro, apesar de estar aparentemente implícito. Sexo. Djavan é quase um touro reprodutor. Por exemplo, na música “Se” que começa com os indecisos versos de “você disse que não sabe se não, mas também não tem certeza que sim”.

“Eu levo a sério, mas você disfarça. Você me diz à beça e eu nessa de horror. E me remete ao frio que vem lá do sul. Insiste em zero a zero e eu quero um a um. Sei lá o que te dá, não quer meu calor. São Jorge por favor me empresta o dragão. Mais fácil aprender japonês em braile. Do que você decidir se dá ou não.”

Algumas partes são realmente misteriosas. É difícil saber o que ele quis dizer com frio lá do sul, ou o porquê de São Jorge ter entrado na história. Mas, a parte do querer “um a um” é bem clara. E não há como ser mais direto do que dizer que a mulher não se decide se dá ou não. Além de touro reprodutor, ele é impaciente. É quase um “ou dá ou desce”.

O clima de libido ar (LATINO, em “Festa no Apê”) segue em outras músicas como “Eu te devoro” e “Seduzir”. Djavan é quase um Wando com requinte. Ao invés de dizer “que gozar eu não gozei” ele prefere “eu quero mesmo é viver para esperar devorar você”. Ele também adora a ordem indireta. As vezes ele parece o Mestre Yoda, ou pior, parece que foi ele que escreveu o hino nacional.

Mas é fora dessas músicas explícitas que reside o mistério. Na canção “Sina”, por exemplo.

“Pai e mãe. Ouro de mina. Coração. Desejo e sina. Tudo mais. Pura rotina. Jazz... Tocarei seu nome. Pra poder Falar de amor. Minha princesa. Art nouveau. Da natureza. Tudo mais. Pura beleza. Jazz... A luz de um grande prazer. É irremediável néon. Quando o grito do prazer. Açoitar o ar. Réveillon... O luar. Estrela do mar. O sol e o dom. Quiçá um dia. A fúria, desse dom. Virá Lapidar o sonho. Até gerar o som. Como querer Caetanear O que há de bom”.

Imagina-se que a letra seja sobre sexo por conta do grito de prazer que vai açoitar o ar. Mas, porque existem tantos “Jazz”, aquele Réveillon desconexo, o Art Noveu da natureza e tantas palavras perdidas? Simples. Ele cita a palavra “Quiçá”. E as pessoas que dominam a arte de utilizar o “Quiçá”, sabem que se pode criar qualquer contexto para a sua inserção. Ponto pra você Djavan.

Mas agora é que vem a parte difícil. O que raios Djavan quis dizer com: “Solidão de manhã, poeira tomando assento. Rajada de vento, som de assombração, coração. Sangrando toda palavra sã. A paixão puro afã, místico clã de sereia. Castelo de areia, ira de tubarão, ilusão. O sol brilha por si. Açaí, guardiã. Zum de bezouro um imã. Branca é a tez da manhã”.

Bem, parece que ele estava descrevendo um cenário, a poeira baixando, rajadas de vento, solidão de manhã, castelo de areia, tubarões. Ele estava numa praia. Mas aí vem o místico clã de sereia. Clã de Sereia místico? Bem, realmente parece que isso não significa porra nenhuma.

Mas com uma análise detalhada percebemos. Ele estava tendo uma viagem psicotrópica de manhã na praia. E assim sendo, ele viu clãs de sereia e iras de tubarões. O sol brilhando (percepção típica de drogados). Vem uma mulher vender açaí, uma guardiã. Um besouro vai e caí no seu copinho como se atraído por um imã. Claro. E então ele concluí doidão “branca é a tez da manhã”.

Pensando bem, realmente não tem sentido nenhum.

Comentários

Zequias disse…
huashuahsuhaush
Muito bom Guilherme.

Djavan deve estar muito doidão quando escreve essas letras...
Matheus disse…
kkkkkkkkkkkkkkk
toda vez que paro pra escutar djavan eu penso 'do que diabos esse cara tá falando?'
muito bom mano..
tem também as letras de jorge ben jor 'jacarezinho, avião, cuidado com o disco voador...'
em teste disse…
Super verdade. Sempre achei Djavan meio indecifrável e quando dá pra entender não acho nada honroso pra mulher pra quem ele escreve. Como que Deus fez os dinassouros pensando nela?. Tem também umas coisas do Caetano tipo "não quero sugar todo o seu leite" e a letra de "vaca profana", que, gente, nem consigo. E tinha tb a da Dalila da Ivete, mas daí já abriram meus olhos sobre isso.
MANGABEIRA disse…
Guilherme, veja então a letra da música "Acabou Chorare (Galvão/Moraes Moreira)". Ou então "Qualquer Coisa", do Caetano. Pode até servir de base pra continuidade de posts nessa linha.
Léia disse…
Rapaz!! vc é porreta!!! e como escreve bem!!! Me deixou roxa de rir, e ainda me deu uma aula de uso adequado das letras!
Gostei do seu blog!!! Encontrei por acaso pesquisando sobre...adivinha!? "como eliminar mosquito da dengue"...kkkk
Passarei sempre por aki para..."desanuviar" as idéias naquelas horas insanas de trabalho intenso.